Sinopse

São Paulo, final do século 19. O fidalgo Lineu Maciel, de tradicional família paulista, perde toda sua fortuna no jogo. O problema poderia ser resolvido com o casamento de sua filha, a bela Cecília, com o jovem Edmundo Amarante, filho do rico comerciante Jorge Amarante. Mas o avarento pai de Edmundo odeia a família Maciel, ainda mais por estar arruinada, e promete deserdar o filho se o casamento acontecer.

Porém Cecília é cortejada pelo próspero fazendeiro Fernando Albuquerque, que promete saldar toda a dívida de Maciel se desposar sua filha. Na esperança de fugir com Edmundo após se resolver a situação do pai, Cecília consente em casar-se com Fernando e vai morar em sua fazenda, enquanto Edmundo, desiludido, vai concluir seus estudos na Europa. Na fazenda dos Albuquerque, Fernando aceita manter um casamento de aparência com Cecília pois sabe que ela não o ama.

O retorno de Edmundo da Europa traz mudanças na vida de todos. Ele agora é noivo de sua prima Malu, por compaixão, pois sabe que ela sofre de uma doença incurável e tem pouco tempo de vida. Essa união serviu para distanciar ainda mais Cecília de Edmundo, que agora já vê Fernando com outros olhos. Mas Fernando é um homem de comportamento misterioso e que mantém um segredo em sua fazenda. Não longe dali vive Hortência, antiga paixão de Fernando, uma mulher enlouquecida pela vida e que sofrera uma desilusão amorosa com Lineu Maciel. Na verdade o seu casamento com Cecília fazia parte de um plano de vingança de Fernando para humilhar Maciel.

Esses fatos e muitos outros vêm à tona com cartas anônimas endereçadas a membros das famílias Albuquerque, Maciel e Amarante. Para desmascarar o autor das cartas, todos se reúnem na fazenda dos Albuquerque, onde Hortência aproveita-se da situação para atentar contra a vida de Lineu Maciel. Mas ela acaba morta, vítima de sua própria loucura.

Sem mais vinganças e rancores, Cecília descobre-se apaixonada por Fernando e aceita os seus sentimentos. Enquanto isso, Edmundo descobre o autor das cartas anônimas que atormentavam a todos, mas nega-se a revelar. Era Malu, que confessa diante dos fatos ocorridos. Ela descobrira por acaso sua doença ao mesmo tempo em que via seu verdadeiro amor, Edmundo, envolvido com Cecília. Para desmoralizar a todos e ter Edmundo para si, Malu escrevera as cartas.

Bandeirantes – 18h
de 2 de junho a 27 de setembro de 1980

novela de Ivani Ribeiro
direção de Sérgio Mattar, Edison Braga e Antonino Seabra
supervisão de Wálter Avancini

Novela posterior no horário
O Meu Pé de Laranja Lima

ELAINE CRISTINA – Cecília
ROBERTO PIRILO – Fernando Albuquerque
AGNALDO RAYOL – Edmundo
ALTAIR LIMA – Lineu Maciel
LUÍS CARLOS ARUTIN – Jorge Amarante
NEUCI LIMA – Malu
ZÉLIA TOLEDO – Hortência
MÁRCIA MARIA – Sofia
LEONOR LAMBERTINI – Nhá Vina
NEUZA BORGES – Narcisa
OSCAR FELIPE – Nicolas Barreto
FELIPE LEVY – Nicolas Barreto
PAULO ILDEFONSO – Laércio
IVANA BONIFÁCIO – Candinha
ADEMILTON JOSÉ – Jacinto
LUIZ HENRIQUE – Zuza
AFONSO NIGRO – Tico
OSVALDO D’AVILA – Barbosa

– núcleo de CECÍLIA (Elaine Cristina):
o pai LINEU MACIEL (Altair Lima), arruinado financeiramente
a criada NARCISA (Neuza Borges)
o advogado BARRETO (Oscar Felipe / Felipe Levy).

– núcleo de FERNANDO ALBUQUERQUE (Roberto Pirilo), que se casa com Cecília – apesar dela não amá-lo – para saldar a dívida de Lineu:
a mãe VINA (Leonor Lambertini)
a prima SOFIA (Márcia Maria), apaixonada por ele
a mulher que esconde na fazenda, HORTÊNCIA (Zélia Toledo), que amara Lineu no passado e enlouquecera
a agregada da família CANDINHA (Ivana Bonifácio)
o capataz da fazenda JACINTO (Ademilton José)
os meninos ZUZA (Luiz Henrique) e TICO (Afonso Nigro).

– núcleo de EDMUNDO (Agnaldo Rayol), o amor de Cecília. Desiludido quando soube do casamento dela, parte para a Europa para formar-se médico:
o pai JORGE AMARANTE (Luís Carlos Arutin), um homem rico, porém mesquinho
a prima MALU (Neuci Lima), que ama Edmundo. Os dois chegam a casar-se.

Remake da novela que Ivani Ribeiro escrevera para a TV Excelsior em 1965, na qual Edson França, Glória Menezes e Tarcísio Meira viveram o personagens agora defendidos por Roberto Pirilo, Elaine Cristina e Agnaldo Rayol.

Teve uma produção que cresceu com o desenrolar da trama e contou com um excelente trabalho da atriz Elaine Cristina, interpretando Cecília, a protagonista.

O cantor Agnaldo Rayol voltou a atuar em uma novela depois de dez anos – a última foi As Pupilas do Senhor Reitor, na TV Record, em 1971. Agnaldo trabalhou como ator em apenas mais uma produção: Os Imigrantes, no ano seguinte.

Altair Lima viveu o mesmo personagem da primeira versão: Lineu Maciel, pai de Cecília.

Último trabalho do ator Oscar Felipe, que faleceu durante a novela. O seu personagem, o advogado Barreto, passou a ser interpretado por Felipe Levy.

A novela foi reprisada em duas ocasiões: de 17/08 a 25/09/1981, às 20 horas, e de 09/1989 a 19/01/1990, de 2ª a 6ª feira às 10h15.

Trilha Sonora
deusa80t
01. BALADA PARA UMA DEUSA MENINA – Paulo Ildefonso (tema de abertura)
02. LUA BRANCA – Vânia Carvalho
03. CHORINHO DIFERENTE – Os Ingênuos
04. O IMIGRANTE – Roberto Leal
05. BREJEIRO – Artur Moreira Lima
06. BEM REBOLADO – Paulinho Nogueira
07. SERESTA – Maria Martha
08. GOTAS DE LÁGRIMAS – Dilermando Reis
09. EU SOU ASSIM MESMO – Os Ingênuos
10. QUEM SABE? – Francisco Petrônio
11. CHORO CROMÁTICO – Hamilton Godoy
12. PEQUENA PAISAGEM DE AMOR – Paulo Ildefonso (tema de Cecília)

ainda
LÁGRIMAS – Francisco Petrônio e Dilermando Reis (tema de Sofia)

Tema de Abertura: BALADA PARA UMA DEUSA MENINA – Paulo Ildefonso

Deusa de amor, de flor, de sonho
Guarda meu coração tristonho
Nele ficou a primavera
Meu mundo de quimera
De estrela vespertina
Olha que a luz do teu olhar
Traz-me sol de amor, luar
Sonha os sonhos que são meus
Que sonham com os teus
Deusa de amor menina
Céu não negue à minha amada
Um pouco de amor
Ao seu gentil cantor
Faz o orvalho da alvorada
A luz do encantamento
Nascer em meu tormento
A minha madrugada…

Veja também

  • aritana_logo

Aritana

  • cavaloamarelo_logo

Cavalo Amarelo

  • adolescentes_logo

Os Adolescentes

  • deusavencida65_logo

A Deusa Vencida (1965)