Sinopse

Pedro Lemos deixou a cidadezinha de Laranjais há 28 anos e foi para a capital, onde estudou Direito e tornou-se um criminalista de sucesso. Quem sempre acompanhou sua carreira foi a romântica Madalena Caldas, a noiva que ele prometera casar e que nunca mais viu. Ela ainda o espera alheia às diferenças políticas entre as duas famílias: os Lemos, na figura do prefeito Perácio Lemos, irmão de Pedro; e os Caldas, representantes da oposição, liderados com pulso de ferro por Marta Caldas, irmã de Madalena, uma mulher amarga e inconformada com o irmão, Tomé, que não quis seguir a carreira política do pai falecido. Tomé é um sonhador, um artista apaixonado pelo universo circense e que vive magoado pelas decepções amorosas que sofreu pela vida.

Longe de Laranjais, Pedro Lemos casou-se, teve um filho, Cláudio, e enviuvou. Mas continuou prometendo casamento a todas as mulheres com as quais se envolvia. De volta a sua terra, encontra a família em campanha política e uma noiva apaixonada. Enquanto isso, um circo visita a cidade – seus artistas têm profundas ligações com os habitantes de Laranjais.

Globo – 18h
de 7 de fevereiro a 23 de maio de 1977
91 capítulos

novela de Benedito Ruy Barbosa e Sylvan Paezzo
baseada no conto de Viriato Corrêa
direção de Herval Rossano e Milton Gonçalves
direção geral de Herval Rossano

Novela anterior no horário
Escrava Isaura

Novela posterior
Dona Xepa

HERVAL ROSSANO – Pedro
ARACY CARDOSO – Madalena
ARY FONTOURA – Tomé / Estopim
BEATRIZ LYRA – Marta Caldas
CASTRO GONZAGA – Perácio Lemos
MONAH DELACY – Das Graças
PAULO GONÇALVES – Alvarez
TAMARA TAXMAN – Dalva
ÍSIS KOSCHDOSKI – Zulmira
MARCELO PICCHI – Júnior
LAURO GÓES – Cláudio
MARÍLIA BARBOSA – Ritoca
ÉLCIO ROMAR – Juan Carlos
LÍDIA BRONDI – Lúcia
ARTHUR COSTA FILHO – Dr. José Mota
WELLINGTON BOTELHO – Bruno
FERNANDO JOSÉ – Miguel
PATRÍCIA BUENO – Lurdinha
MARCUS TOLEDO – Nelson
MARIA POMPEU – Fátima
SILVIA SALGADO – Berenice
CRISTINA MULLINS – Débora

– núcleo de PEDRO LEMOS (Herval Rossano), viúvo, advogado criminalista bem sucedido. Nascido e criado em Laranjais, no interior do Rio de Janeiro, foi embora da cidade há 28 anos para estudar direito na capital, deixando para trás uma noiva. Muitos anos depois, ao ver-se envolvido com seis mulheres diferentes, Pedro procura refúgio em Laranjais, onde encontra a família em campanha política e a antiga noiva, ainda apaixonada:
o filho CLÁUDIO (Lauro Góes), segue a profissão do pai. Na véspera de seu noivado, é abandonado pela noiva. E, decidido a não se envolver mais com nenhuma mulher, acompanha o pai a Laranjais
o irmão mais velho, PERÁCIO LEMOS (Castro Gonzaga), atual prefeito de Laranjais. Típico político demagogo, está sempre a par da opinião de cada eleitor sobre os problemas da cidade para poder comentar as situações em suas visitas. Teme qualquer coisa que possa lhe roubar um voto. Vangloria-se de uma fictícia amizade com Getúlio Vargas, inventando passagens envolvendo os dois
o sobrinho JÚNIOR (Marcelo Picchi), filho único de Perácio. Seu pai quer que se forme em Medicina, de olho no prestígio dos médicos nas cidades do interior, o que aumentaria sua força política. Júnior aceita a ideia a contragosto e está sempre adiando seu ingresso na faculdade

– núcleo de MADALENA CALDAS (Aracy Cardoso), a mais velha dos irmãos Caldas, é uma mulher delicada, de gestos pequenos e educados. Sonhadora e romântica, acreditou em Pedro quando ele, há 28 anos, pediu que o esperasse. Um dia sua avó lhe disse que todas as juras de amor feitas à sombra dos laranjais eram cumpridas. A de Pedro aconteceu assim, por isso o espera. E sua esperança reacende quando o advogado manda avisar que está de regresso à cidade. Entendendo o aviso como lhe convém, Madalena acredita que Pedro volta para se casarem e começa a preparar sua tão adiada festa de noivado:
a irmã MARTA CALDAS (Beatriz Lyra), viúva, uma mulher amarga que lidera com mão de ferro a família. Inconformada com a atitude do irmão, que não quis seguir a carreira política do falecido pai, tornou-se ela mesma a principal adversária de Perácio Lemos na disputa pelo poder em Laranjais. Menos demagoga que o prefeito. Costuma pedir conselhos e desabafar seus problemas diante do retrato do falecido pai
o irmão caçula TOMÉ (Ary Fontoura), um homem sensível, marcado pelas decepções amorosas que sofreu ao longo da vida. Preocupa-se com ela por causa do retorno de Pedro à cidade. E, sabendo que o advogado não tem a menor pretensão de casar-se, tenta contornar a situação difícil a fim de evitar que sua irmã se magoe. Um reencontro com uma antiga paixão do passado, uma mulher de circo, lhe traz de volta velhos problemas. Tomé va acabar se realizando na arte através do circo, como o palhaço ESTOPIM
a sobrinha ZULMIRA (Ísis Koschdoski), filha única de Marta, uma jovem sonhadora, porém prática. Assim como a mãe, tem um temperamento decidido. Vai viver um romance proibido com Júnior Lemos, de família inimiga.

– núcleo do circo mambembe de ALVAREZ (Paulo Gonçalves), que percorre as cidades do interior mostrando seus números de variedade e teatro. Apaixonado e sonhador, apesar de cansado e quase falido, ele confunde-se com o próprio circo. Acredita sempre que a próxima cidade será melhor, apesar da oposição da mulher:
a esposa DALVA (Tamara Taxman), sua segunda mulher, bem mais jovem que ele. Não tem qualquer ligação com o circo e, sempre que possível, tenta convencer o marido a abandonar o picadeiro. É o contraponto aos sonhos de Alvarez
a filha LÚCIA (Lídia Brondi), do primeiro casamento. Jovem ingênua que sofre com o excesso de zelo de seu pai. Como a vida circense é nômade, não teve tempo para aprender a ler e a escrever, o que a envergonha. Não tem coragem de se confessar analfabeta e pedir ajuda para se instruir
a artista DAS GRAÇAS (Monah Delacy), finge ser bem-sucedida em sua vida profissional, inventando que empresários querem contratá-la para o teatro. Na verdade, carrega um passado que a desgosta e a faz sofrer, mas não quer que sintam pena dela. Foi uma antiga paixão de Tomé
o cantor de tangos e boleros JUAN CARLOS (Élcio Romar), cearense de nascimento e conquistador inveterado. Fala com sotaque espanhol, dizendo-se uruguaio. Quando é obrigado a cantar música brasileira o faz com sotaque. Não passa um minuto sem fazer pose, disfarçando a roupa barata em cuidados exagerados.

– demais personagens:
RITOCA (Marília Barbosa), vizinha e amiga confidente de Zulmira, sua principal aspiração é casar-se, independentemente do noivo. Seu comportamento muda ao conhecer Cláudio, por quem se apaixona. A partir daí, o casamento continua sendo seu principal objetivo, mas desde que seja com o jovem advogado. Ele, que havia decidido se fechar para relacionamentos amorosos, acaba se rendendo a ela
DR. JOSÉ MOTA (Arthur Costa Filho), médico de Laranjais, eterno apaixonado por Madalena Caldas, que nem o enxerga. É um homem simples, paciente, caridoso e fatalista
BRUNO (Wellington Botelho), dono da farmácia de Laranjais e amigo do Dr. José, assume uma posição volúvel quanto à política local. Ora parece estar inclinado a ouvir os apelos de Marta Caldas, ora aceita as afirmações de Perácio Lemos
MIGUEL (Fernando José), homem misterioso, comporta-se como uma sombra de Pedro Lemos, sempre presente nos lugares frequentados por ele
LURDES (Patrícia Bueno), noiva de Cláudio no Rio de Janeiro, rompe seu compromisso com o jovem após ser surpreendida por um amigo deste quando se encontrava com outro rapaz
NELSON (Marcus Toledo), um dos melhores amigos de Cláudio no Rio de Janeiro, descobre as mentiras de Lurdes e a pressiona a desfazer o noivado
FÁTIMA (Maria Pompeo), BERENICE (Silvia Salgado) e DÉBORA (Cristina Mullins), três das seis noivas abandonadas por Pedro Lemos no Rio de Janeiro.

Agradável transposição para a TV da peça teatral de Viriato Corrêa. O adaptador Sylvan Paezzo ficou até o capítulo 31, quando foi substituído por Benedito Ruy Barbosa.

O melhor desta novela ficou com Ary Fontoura, personificando o homem triste, Tomé, que ao mesmo tempo é o fanfarrão palhaço Estopim.

O protagonista Pedro Lemos foi vivido na última hora pelo diretor da novela, Herval Rossano. O personagem seria interpretado pelo ator Rogério Fróes, que apareceu nas chamadas de estreia praticamente até a novela ir ao ar. Mas Rogério caiu doente, e o jeito foi o diretor assumir o papel.

A atriz-cantora Marília Barbosa, a Ritoca da novela, gravou a canção O Circo, de Sidney Miller, para a abertura.

As gravações externas foram feitas em Barra de Guaratiba – onde a produção montou um circo mambembe -, no bairro de Santa Teresa e na estação ferroviária de Itacuruçá (RJ).

Primeira novela das atrizes Cristina Mullins, Silvia Salgado e Ísis Koschdoski – as duas últimas reveladas em 1976 num concurso de novos talentos no programa Moacyr TV, apresentado por Moacyr Franco na Globo.

Reapresentada entre janeiro e abril de 1980, às 13h30.

Trilha Sonora
sombrat
01. O POETA E A LUA – Hélio Matheus (tema de Tomé)
02. MATA-BORRÃO – Márcio Lott (tema de Pedro)
03. O CIRCO – Marília Barbosa (tema de abertura)
04. À SOMBRA DOS LARANJAIS – Marília Barbosa (tema de Pedro e Madalena)
05. MULHER DE MALANDRO – Renata Lu (tema de locação: circo)
06. NÃO INTERESSA – Marília Barbosa (tema de Madalena)

Coordenação Geral: João Araújo
Produção, Repertório e Arranjos: Waltel Branco

Tema de Abertura: O CIRCO – Marília Barbosa
Vai, vai, vai começar a brincadeira
Tem charanga tocando a noite inteira
Vem, vem, vem ver o circo de verdade
Tem, tem, tem picadeiro e qualidade

Faço versos pro palhaço
Que na vida já foi tudo
Foi soldado, carpinteiro
Seresteiro, vagabundo
Sem juiz e sem juízo
Fez feliz a todo mundo
Mas no fundo não sabia
Que em seu rosto coloria
Todo o encanto do sorriso
Que o seu corpo não sorria

Vai, vai, vai começar a brincadeira
Tem charanga tocando a noite inteira
Vem, vem, vem ver o circo de verdade
Tem, tem, tem picadeiro e qualidade

Fala o fole da sanfona
Fala a flauta pequenina
Que o melhor vai vir agora
Que desponta a bailarina
Que o seu corpo é de senhora
E o seu rosto é de menina
Quem chorava já não chora
Quem cantava desafina
Porque a dança só termina
Quando a noite for embora

Vai, vai, vai terminar a brincadeira
Que a charanga tocou a noite inteira
Dorme o circo, renasce na lembrança
Foi-se embora e eu ainda era criança…

Veja também

  • sinhazinhaflo_logo

Sinhazinha Flô

  • donaxepa77_logo

Dona Xepa (1977)

  • feijaoeosonho_logo

O Feijão e o Sonho