Sinopse

Ana (Fernanda Vasconcellos), Rodrigo (Rafael Cardoso) e Manuela (Marjorie Estiano), nascidos e crescidos em Porto Alegre, conviveram como irmãos postiços durante sete anos, desde que Eva (Ana Beatriz Nogueira), mãe delas, e Jonas (Paulo Betti), pai dele, se casaram. Hoje, no auge da juventude, hormônios à flor da pele, Ana e Rodrigo descobrem-se apaixonados, ao mesmo tempo em que, por ironia do destino, seus pais iniciam um violento e litigioso processo de separação.

Ana é uma tenista em ascendência na carreira e acaba engravidando de Rodrigo, para revolta de sua fútil mãe e de Vitória (Gisele Fróes), a treinadora fria e calculista. Logo após dar a luz a Júlia, que inicialmente é apresentada como suposta irmã dela e de Manuela, Ana sofre um grave acidente de carro que a deixa em coma por seis anos.

Júlia (Jesuela Moro) acaba sendo criada por Manuela, irmã mais nova de Ana, que cresceu à sombra da irmã “talentosa e perfeita”, e sente-se rejeitada pela mãe por ter nascido com uma leve descoordenação de movimentos que a faz mancar. Tímido e inseguro, por causa do temperamento frio e materialista do pai, Rodrigo amadurece ao descobrir e assumir sua filha com Ana, ao lado de Manuela. A afinidade entre eles vai crescendo dia a dia, e os três passam a viver como uma família de fato.

Cinco anos depois, Ana sai do coma, provocando uma reviravolta na vida de todos e tendo que lidar com um novo mundo. A ajuda para a nova fase virá no Dr. Lúcio (Thiago Lacerda), um médico neurologista, dedicado aos pacientes, ético e íntegro, que vive sozinho desde que perdeu a esposa para um câncer incurável, e que se apaixona por Ana.

Globo – 18h
de 26 de setembro de 2011
a 3 de março de 2012
137 capítulos

novela de Lícia Manzo
escrita por Lícia Manzo e Marcos Bernstein
colaboração de Álvaro Ramos, Carlos Gregório, Giovana Moraes, Marta Góes, Tati Bernardi, Dora Castellar e Daniel Adjafre
direção de Teresa Lampreia, Luciano Sabino, Adriano Melo e Leonardo Nogueira
direção geral de Jayme Monjardim e Fabrício Mamberti
núcleo Jayme Monjardim

Novela anterior no horário
Cordel Encantado

Novela posterior
Amor Eterno Amor

FERNANDA VASCONCELLOS – Ana Fonseca
MARJORIE ESTIANO – Manu (Manuela Fonseca)
RAFAEL CARDOSO – Rodrigo Macedo
THIAGO LACERDA – Lúcio Pereira Pires
ANA BEATRIZ NOGUEIRA – Eva Fonseca
NICETTE BRUNO – Iná
STÊNIO GARCIA – Laudelino
PAULO BETTI – Jonas Macedo
REGIANE ALVES – Cris (Cristiane Macedo)
LEONARDO MEDEIROS – Lourenço
LEONA CAVALLI – Celina
MARIA EDUARDA – Nanda
GISELE FRÓES – Vitória Azevedo
ÂNGELO ANTÔNIO – Marcos Prates
MALU GALLI – Dora
STEPHANY BRITO – Alice
LUIZ CARLOS VASCONCELOS – Renato
DANIELA ESCOBAR – Suzana
MARCELO AIROLDI – Cícero
MARAT DESCARTES – Lui
JÚLIA ALMEIDA – Lorena
MARCELO MELLO JR. – Matias
LUIZ SERRA – Wilson
CLÁUDIA MELLO – Moema
ALICE WEGMANN – Sofia
RAFAEL ALMEIDA – Miguel
POLIANA ALEIXO – Cecília
FRANCISCO CUOCO – Mariano Vilaça
NEUZA BORGES – Maria
MALU VALLE – Vivi Mourão
TADEU DI PIETRO – Cléber
SYLVIA MASSARI – Ângela
DUDA MAMBERTI – Josias
RITA CLEMENTE – Aurélia
as crianças
JESUELA MORO – Júlia
KAIC CRESCENTE – Thiago
PIETRA PAN – Bárbara
VICTOR NAVEGA MOTTA – Francisco
ANA RITA CERQUEIRA – Olívia
e
ALEXANDRE LAYKOWSKY – Felipe (amigo de Rodrigo que paquera Manu, no início)
ANA PETTA – Eliete (secretária de Jonas)
ANDRÉ FRATESCHI – Arthur (pai cujo filho é paciente de Celina)
ANTÔNIA FONTENELLE – socialite amiga de Vivi Mourão
BIANCA COMPARATO – Nina (namorada de Rodrigo, no início)
BIA PETRENCHUNK – Olívia (criança)
BIA SION – Janice (amiga de Eva que lhe emprega em uma imobiliária)
CARLOS TAKESHI – trabalha na agência de publicidade com a qual Ana tinha um contrato
CAROLINA HOLANDA – Eliete (secretária de Jonas)
CLARISSA KISTE – advogada de Jonas
CLÁUDIA PAIVA – recepcionista no hospital onde Ana esteve em coma
CLÁUDIO GALVAN – pediatra de Thiago
DANIELA PESSOA – enfermeira, no último capítulo
DEBORAH KALUME – enfermeira que cuidava de Ana no hospital
ERIBERTO LEÃO – Gabriel Laporta (namorado de Manu na reta final)
ESTER MARQUES – Júlia (com 2 anos)
FELIPE ROCHA – diretor do comercial do qual Ana participou
GUSTAVO KUERTEN como ele mesmo
HÉLIO RIBEIRO – Dr. Daniel (médico que opera Júlia na última semana)
INGRA LIBERATO – produtora de elenco que selecionou Júlia para fotos
JOELSON MEDEIROS – advogado procurado por Cris quando ela se separa de Jonas
JONAS MELLO – Álvaro (proprietário do salão de baile onde Iná dá suas festas)
JÚLIA GOMES – Sofia (criança)
KLEBBER TOLEDO – João (namorado de Alice na reta final)
LIDIANE RIBEIRO – Salete (empregada de Suzana)
LIONEL FISCHER – Alberto (namorado de Nanda, no início)
LUÍSA THIRÉ – fisioterapeuta de Ana no hospital
MANUELA DO MONTE – repórter que entrevistou Ana
MARCELO VALLE – Sérgio (primo de Celina que ela apresenta para Dora, no último capítulo)
MÁRIO JOSÉ PAZ – Augusto (avô de Francisco com quem ele vai morar após a morte de Lui)
MÁRIO SÉRGIO PRETINI – reitor da Faculdade
MAURÍCIO GONÇALVES – editor de Lourenço
NATHALIA COSTA – Bárbara (primeira fase)
NEUSA MARIA FARO – Dolores (amiga de Wilson que Laudelino usa para enciumar Iná)
PATRÍCIA NAVES – fisioterapeuta de Ana no hospital
PIA MANFRONI – enfermeira no hospital da Patagônia
PRISCILA CAMARGO – Míriam (cliente de Eva quando ela trabalhou como corretora de imóveis)
RENATA TOBELEM – Marli (empregada de Jonas)
RENATTA GOMES – Bia
RICARDO DUQUE – pai do filho de Celina
RICARDO PAVÃO – mestre de cerimônias da homenagem a Jonas
ROSALY PAPADOPOL – mãe de Arhur
ROSANA GARCIA – Lígia (mãe que Marcos conhece no último capítulo)
SERENA e VITORIA LOVATEL – Júlia (bebê)
SÉRGIO MAMBERTI – juiz no caso da paternidade de Thiago diputada entre Lourenço e Jonas
SÍLVIO FERRARI – milionário amigo de Mariano
SÔNIA ZAGURY – Roseli (amiga de Iná, do baile da terceira idade)
VANESSA LÓES – Laura (ex namorada de Lúcio que ele reencontra)
ZÉCARLOS MACHADO – Renato (falso pai de Alice)
ZÉU BRITO – cantor nos bailes de Iná
Eli (paquera de Nanda no final)

– núcleo de ANA FONSECA (Fernanda Vasconcellos), tenista de carreira promissora. Modesta e simples, não se deslumbra com a própria fama. A mãe exigente a exibe como um troféu, gerenciando sua vida e carreira. Pressionada pela expectativa materna, questiona-se ainda mais com o nascimento da filha, não planejada. Corajosa, decide assumir a menina e tomar as rédeas de seu destino, quando, inesperadamente, sofre um grave acidente que lhe deixa em coma por cinco anos:
a mãe EVA (Ana Beatriz Nogueira), ardilosa e manipuladora, defende que os fins justificam os meios e assim encobre seu caráter duvidoso. Amargurada, se realiza pessoalmente no sucesso da filha. Extremamente exigente, cobra dela disciplina e ótimos resultados nas competições. Quase enlouquece quando descobre que a filha engravidou, já que uma criança será um empecilho para a carreira dela. Apresenta a neta como sua própria filha, escondendo assim que Ana é a mãe. Fica fortemente abalada com o coma da filha
a irmã MANUELA, a MANU (Marjorie Estiano), tem um defeito na perna, que a faz mancar. Amiga e confidente de Ana. Rejeitada pela mãe, cresceu à sombra da irmã talentosa e ‘perfeita’. Tímida e sensível, tornou-se invisível em casa e na escola. Após o acidente com a irmã, assume a responsabilidade pela sobrinha pequena
a filha JÚLIA (Jesuela Moro), inicialmente apresentada como irmã de Ana e Manu e filha de Eva. Com o coma de Ana, vai ser criada por Manu e o pai. Como não teve a presença da verdadeira mãe, e considera Manu como tal, vai estranhar Ana quando ela despertar do coma
o médico LÚCIO (Thiago Lacerda), profissional dedicado, humanista e ético. Acompanha Ana em sua recuperação e os dois acabam se apaixonando.

– núcleo de INÁ (Nicette Bruno), mãe de Eva, avó de Ana e Manu. Mulher de bem com a vida. Tem sabedoria inata e forte intuição: costuma fazer previsões com a leitura da sorte no baralho, mas apenas para a família e amigos. Tem um salão de danças para pessoas da terceira idade, de onde obtém um lucro modesto, mas que lhe permite viver com conforto, sem luxos:
o namorado LAUDELINO (Stênio Garcia), marceneiro, íntegro, trabalhador. Romântico, faz o gênero ‘amante à moda antiga’. Muito pobre na infância, conseguiu prosperar à custa do próprio trabalho. Sovina, pão duro, encantou-se pelo desprendimento de Iná
a neta de Laudelino, LORENA (Júlia Almeida), moça esforçada, trabalhadora, de boa índole e bom coração. Formada em enfermagem
o ajudante JOSIAS (Duda Mamberti), uma espécie de faz-tudo. Sujeito boa praça, sempre disposto a ajudar
os amigos e vizinhos: MOEMA (Cláudia Melo), cuida do marido acamado e, por isso, sabe tudo sobre remédios,
WILSON (Luiz Serra), neurastênico, sofre diversos tipos de TOC. Trabalha na marcenaria de Laudelino e é apaixonado por Moema, de quem espera a viuvez para poder, enfim, confessar seus sentimentos,
e AURÉLIA (Rita Clemente), vizinha do baile de Iná, logo implica com o barulho. Mas acaba se rendendo aos encantos do local e seus frequentadores.

– núcleo de RODRIGO (Rafael Cardoso), enteado de Eva, do segundo casamento dela. Cresceu com Ana e Manu. De temperamento introspectivo, sempre teve admiração por Ana. Os dois acabam apaixonados e ela engravida. Nem desconfia, mas Manu sempre alimentou uma paixão platônica por ele. Com o coma de Ana, Rodrigo e Manu se aproximam cada vez mais por causa de Júlia e acabam se unindo. Cinco anos depois, Ana desperta do coma e encontra seu amor nos braços da irmã:
o pai JONAS (Paulo Betti), ex-marido de Eva, com quem vive em atrito. Acha que o dinheiro resolve tudo e assim procura compensar sua ausência na vida dos filhos. Trocou Eva por um moça bem mais jovem. Como ela deseja a todo custo ser mãe, e ele não pode mais ter filhos, concorda em procurar uma clínica de fertilização e recorrer a um banco de sêmen
a madrasta CRIS (Regiane Alves), ex-personal trainer de Jonas. Alpinista social, passa rapidamente de funcionária a patroa. Tendo vivido sempre na dureza, após o casamento vira uma consumista furiosa
a irmã NANDA (Maria Eduarda), jovem rebelde e sem rumo, questionadora das atitudes do pai. Acostumou-se a suprir a ausência paterna com a gorda mesada que recebe. Não aceita a presença de Cris e vive batendo de frente com ela
o meio-irmão THIAGO (Kaic Crescente), filho de Cris e Jonas. Carente, inseguro, vive entregue aos cuidados de sua babá. Instável e tímido, começa a apresentar problemas emocionais. Lorena vai trabalhar como enfermeira dele e assume a referência materna do menino
a amiga de Cris, VIVI MOURÃO (Malu Valle), ex-socialite, vive de favores financeiros de suas orientadas, aproveitando de sua boa influência na classe alta. Tenta ensinar boas maneiras a Cris
o advogado de Jonas, CLÉBER (Tadeu Di Pietro), puxa-saco, acaba virando saco de pancada do patrão. É sempre encarregado das tarefas desagradáveis
a nova secretária de Jonas, ÂNGELA (Sylvia Massari), vai ensiná-lo a deixar de priorizar a juventude e a beleza, aprendendo o valor da experiência.

– núcleo de VITÓRIA (Gisele Fróes), treinadora de Ana. Controladora, autoritária e obstinada, mantém uma escola de tênis em um clube elegante. Arrogante e franca, é famosa pelos pitos que profere contra equipe e alunos. Mãe de duas filhas, tivera uma filha antes do casamento que entregou para a adoção, fato que escondia de todos. Separa-se e passar a atazanar a vida do ex sem pudores em usar as filhas:
as filhas: SOFIA (Alice Wegman), auto-exigente e perfeccionista. Vitória a prepara para ser uma grande tenista. Obstinada, não suporta a ideia de perder,
e BÁRBARA (Pietra Pan), ao contrário da irmã, herdou o temperamento relax do pai e é praticamente incapaz de se aborrecer por qualquer razão
os alunos: MIGUEL (Rafael Almeida), jovem de origem humilde, mas muito talentoso. Para financiar sua educação no tênis, Vitória o empregou como assistente nas aulas de sua escola,
e CECÍLIA (Poliana Aleixo), irá concorrer com Sofia pela atenção de Vitória
o pai de Cecília, MARIANO VILAÇA (Francisco Cuoco), milionário por quem Vitória se interessa.

– núcleo de ALICE (Stephany Brito), amiga de Ana. Alegre e otimista, cresceu sabendo que foi adotada. Criada com amor, retribui aos pais o carinho e atenção que recebeu. Ainda assim, com a entrada na adolescência, sente-se inquieta e deseja conhecer a identidade dos pais biológicos. Ao longo da trama, descobre que Vitória é sua mãe. Sem se identificar de imediato, inscreve-se na escola de tênis dela. Decepcionada com o comportamento da ‘mãe’ e sua recepção fria, lhe exige o nome do pai biológico:
os pais de criação: CÍCERO (Marcelo Airoldi), bem-sucedido, é dono de uma concessionária de automóveis. Apaixonado pela filha, sofre ao perceber, enciumado, a necessidade de convívio da menina com o pai biológico,
e SUZANA (Daniela Escobar), sabendo-se estéril, optou pela adoção ainda nos primeiros anos de casamento. Com o marido bem estabelecido, resolveu dedicar-se exclusivamente à maternidade
o pai biológico RENATO (Luiz Carlos Vasconcellos), conheceu Vitória na faculdade e, do rápido namoro, nasceu Alice, entregue em seguida para adoção. Ex-alcoólatra, luta para se reinserir socialmente e conseguir trabalho. Ao conhecê-lo, Alice se comove com sua história e decide ajudá-lo na reabilitação.

– núcleo de DORA (Malu Galli), assistente social, íntegra e batalhadora. Trabalha com Lúcio no hospital. Cria a filha com o suor de seu trabalho:
o novo marido MARCOS (Ângelo Antônio), ex de Vitória. Homem acomodado e sossegado e um pai muito presente, carinhoso e atencioso. Sofre com a perseguição de Vitória, sempre disposta a infernizá-lo
a filha OLÍVIA (Anna Rita Cerqueira), de seu primeiro casamento. Criada praticamente sem pai, afeiçoa-se a Marcos.

– núcleo de LOURENÇO (Leonardo Medeiros), irmão de Jonas. Vive precariamente do salário de professor. É um escritor frustrado que não conseguiu levar sua carreira literária adiante após o primeiro livro. Ama a esposa, mas recusa-se a dar-lhe um filho. Seu casamento rui quando aceita de Jonas dinheiro para que lhe doe sêmen:
a mulher CELINA (Leona Cavalli), pediatra, amiga de Dora, trabalha com ela e Lúcio no hospital. Prática e inteligente, estrutura a vida caótica do marido. Louca para ser mãe, percorre a saga da mulher que, perto dos 40, busca um parceiro que lhe dê um filho.

– núcleo de LUI (Marat Descartes), músico, financeiramente instável, costuma acompanhar cantores da noite em bares ou restaurantes. Desencanado e alto astral, encontra em Nanda uma companheira igualmente imatura, pouco responsável ou afeita a convenções. Apesar de afetuoso com o filho, não possui a mais remota ideia das reais necessidades de uma criança:
o filho FRANCISCO (Victor Navega Motta), inteligente, precoce, tímido e reservado. Embora não seja um menino problemático, decididamente não se comporta como criança. É um mini-adulto. Contrasta com o pai para compensar faltas e excessos.

– núcleo de MARIA (Neusa Borges), empregada de Eva, mulher de grande coração. Acompanhou o crescimento de Ana e Manu, mantendo-se fiel ao emprego por apego às meninas. Mestre na culinária, após deixar a casa de Eva propõe a Manu (desde criança sua pupila na cozinha) abrirem um bufê para atender a festas e eventos:
o filho MATIAS (Marcello Melo Jr.), trabalhador, esforçado, banca com o próprio salário a faculdade. Empregado da casa de Jonas, inicia um namoro com Lorena quando ela vai trabalhar lá.

Lícia Manzo mostrou competência em sua primeira novela solo, apresentando um texto realista e sensível poucas vezes visto em nossa Teledramaturgia. Apesar da boa repercussão entre um público fiel, a novela enfrentou a baixa audiência do início ao fim. Talvez a explicação esteja no excesso de drama, presente em todos os núcleos, em detrimento do humor.
Da meta de 25 pontos para o horário, A Vida da Gente fechou com aproximadamente 22 pontos no Ibope da Grande São Paulo (Cordel Encantado fechou com 26 e Araguaia, com 23).

Interpretações femininas marcaram a novela. Fernanda Vasconcellos e Marjorie Estiano surpreenderam ao apresentar segurança e maturidade como as protagonistas Ana e Manuela, os melhores desempenhos das carreiras de ambas até então.
Nicette Bruno também brilhou como a sensível Iná, uma boa personagem que a TV lhe devia há tempos.
Maria Eduarda chamou a atenção com sua Nanda, desbocada, verdadeira e sensível.
Ana Beatriz Nogueira e Gisele Fróes, nos papeis das megeras Eva e Vitória, se destacaram como as “vilãs” da novela. A primeira, descontrolada, protagonizou excelentes embates com boa parte do elenco. A segunda, fria e repressora, também garantiu ótimos momentos para a trama. Duas personagens que tinham tudo para cair no estereótipo da vilã, não fosse a sensibilidade e competência das atrizes e da autora, que mostraram mulheres cheias de defeitos, mas, sobretudo, humanas.

A trama de A Vida da Gente tinha como pano de fundo as relações familiares – o mesmo do seriado Tudo Novo de Novo (2009), também de autoria de Lícia Manzo.
“Quis trazer para o centro da ficção o que estamos vivendo e experimentando hoje, em novos desenhos das relações familiares e humanas”, afirmou a autora.
“É uma novela com muita emoção, simples e que traz à tona situações e experiências que podem acontecer com qualquer um. É uma crônica muito bem feita sobre as relações humanas”, completou o diretor de núcleo, Jayme Monjardim.

Lícia Manzo explicou como o tema “coma” entrou na novela:
“O coma tem um caráter emblemático, parece estacionado na fina fronteira entre a morte e a vida. E eu diria que o coma (ou a volta do coma, e reencontrar sua vida seguindo sem você), é o eixo central da novela. Em volta deste eixo, procurei construir uma espécie de ‘crônica’ das relações familiares atuais.”

A autora afirmou que A Vida da Gente era uma novela tradicional:
“Embora aborde novas configurações em família, a novela segue uma estrutura tradicional, clássica, sem nenhuma pretensão de inovar coisa alguma. Ao contrário. Nela pago um tributo a tudo o que me formou e a que assisti a vida inteira. A Vida da Gente é um melodrama tradicional.”

A equipe de produção de arte da novela ficou responsável por indicar os profissionais que orientaram o elenco em seus laboratórios. A atriz Fernanda Vasconcellos, por exemplo, teve o acompanhamento de uma professora de tênis durante mais de quatro meses. A atriz aprendeu a coreografar as partidas que foram gravadas para a trama. Já Marjorie Estiano e Neuza Borges, que dirigiram um bufê na novela, aprenderam como é o dia a dia de uma doceira na casa de uma profissional.

As cenas dos primeiros capítulos foram gravadas no Mato Grosso do Sul, Argentina e Rio Grande do Sul.
Em Bonito (MS), Fernanda Vasconcellos e Rafael Cardoso gravaram belas cenas subaquáticas em um lago com águas cristalinas.
Em Ushuaia, na Patagônia Argentina, Fernanda e Ana Beatriz Nogueira gravaram em lugares como o Trem Del Fim Del Mundo, nos parques, bosques e lagos da região conhecida como “o fim do mundo”. Em seguida, as atrizes encontraram-se com Gisele Fróes na capital argentina. Em Buenos Aires, durante quatro dias, as atrizes gravaram em San Telmo, Puerto Madero, Caminito, entre outros lugares.
Em Porto Alegre, a equipe gravou em locais como a Casa de Cultura Mario Quintana, o Mercado Público, o Cais do Porto, o Parque Moinhos de Vento, entre outros. Algumas gravações na capital gaúcha chegaram a movimentar cerca de 70 pessoas, entre elenco, equipe e figuração. No Cais do Porto, as cenas foram à bordo do tradicional barco Cisne Branco, que navegou pelo Rio Guaíba com os personagens Ana (Fernanda Vasconcellos) e Rodrigo (Rafael Cardoso).
Em Gramado, as gravações foram realizadas nos principais pontos turísticos da cidade, como a Rua Borges de Medeiros e a Igreja Matriz. Na trama, Gramado era a cidade onde morava Iná (Nicette Bruno), avó de Ana (Fernanda Vasconcellos) e Manu (Marjorie Estiano).
A reta final das gravações em viagens foi em Canela, cidade vizinha a Gramado. Lá, a direção explorou as belezas naturais em cenas no Parque da Ferradura com os atores Rafael Cardoso e Fernanda Vasconcellos. O museu e casa de chá Castelinho Caracol serviu como cenário para cenas de Iná (Nicette Bruno) e Laudelino (Stênio Garcia).

A cidade cenográfica foi projetada para ser dividida entre Porto Alegre e Gramado, onde a trama foi ambientada. Na maior parte – dois terços – com 85 mil m2, a equipe de cenografia construiu Porto Alegre, mais especificamente uma área comercial inspirada no bairro Moinhos de Vento.
“O grande desafio foi idealizar duas cidades com características tão distintas e que não podem parecer que estão no mesmo espaço físico”, contou um dos cenógrafos, Tadeu Catharino.
Para Gramado, a equipe priorizou a arquitetura européia do local, assim como um paisagismo bem típico, com heras, trepadeiras e hortênsias, com uma mistura de plantas naturais e artificiais. O piso desta parte da cidade era quase todo de pedra, exatamente como a Gramado real.
A simplicidade e realismo foram a base para os quase 70 ambientes projetados em estúdio para a novela. A ideia, segundo a cenógrafa Erika Lovisi, era passar a noção de cotidiano, além de explorar algumas características dos personagens em cada cenário.
“A casa da Vitória (Gisele Fróes), por exemplo, transpõe uma certa frieza. Já a da Iná (Nicette Bruno) tem uma vivência amorosa”, exemplificou a cenógrafa.

Além da cidade cenográfica, uma quadra de tênis foi construída na Central Globo de Produção especialmente para a novela, assim como parte da arquibancada. O tamanho era o mesmo de uma quadra real de saibro (23,77m de comprimento e 8,23m de largura). Parte da figuração e os cenários dos estádios foram inseridos virtualmente ao redor da quadra.
Para a realização deste trabalho, a equipe de efeitos visuais da novela, coordenada por Jorge Banda, fotografou diferentes tipos de estádio e modelou as imagens em 3D. A finalização foi feita em uma máquina de composição, para que as imagens reais se unissem às virtuais.

A Vida da Gente foi autoclassificada pela Globo como “livre” para ser apresentada às seis da tarde. Em 18/10/2011 a emissora foi advertida pelo Ministério da Justiça, que constatou que a obra apresentava conteúdos inadequados à classificação atribuída, tais como “linguagem depreciativa, agressiva ou sexual e, em menor freqüência, estigma e insinuação sexual, além de conteúdos angustiantes”. Em novembro, o MJ reclassificou a novela para “não recomendada para menores de 10 anos” por apresentar “angústia”, como pode ser lido no Processo MJ nº 08017.003203/2011-41.

Neuza Borges, então com 70 anos, sofreu um acidente vascular cerebral hemorrágico durante a novela, em 23/01/2012. A atriz retornou às gravações após afastada um mês.

Trilha Sonora Nacional

vidadagentet1
01. ORAÇÃO AO TEMPO – Maria Gadú (tema de abertura)
02. AONDE QUER QUE EU VÁ – Paralamas do Sucesso (tema de Ana e Rodrigo)
03. DONA CILA – Milton Nascimento
04. RECOMEÇAR (VOLVER A COMENZAR) – Tânia Mara (tema de Ana)
05. SOU EU – Chico Buarque (tema de Iná e Laudelino)
06. NÃO DÁ MAIS PRA SEGURAR (EXPLODE CORAÇÃO) – Zizi Possi (tema de Marcos e Dora)
07. PAIS E FILHOS – Legião Urbana
08. OVELHA NEGRA – Rita Lee (tema de Nanda)
09. NOSSA MÚSICA – Liah Soares
10. A IDADE DO CÉU (LE EDAD DEL CIELO) – Moska
11. AS COISAS TÃO MAIS LINDAS – Cássia Eller (tema geral)
12. TODO SENTIMENTO – Elba Ramalho
13. ATRÁS DA PORTA – Marina Elali (tema de Lourenço e Celina)
14. SENSAÇÕES – Paula Fernandes

As músicas a seguir foram divulgadas no site da novela como parte integrante da trilha nacional, apesar de não fazerem parte do CD lançado pela Som Livre
SERENE – Gal Costa (tema de Iná e Laudelino)
ESOTÉRICO – Paula Toller

Trilha Sonora Internacional

O CD não foi lançado comercialmente, porém as músicas foram divulgadas no site da novela como parte integrante da trilha internacional

MY LOVE – Julio Iglesias duet with Stevie Wonder (tema romântico geral)
IS THIS LOVE – Corinne Bailey Rae (tema romântico geral)
GEORGIA ON MY MIND – Michael Bublé (tema romântico geral)
YOU ARE SO BEAUTIFUL – André Leonno (tema de Laura e Lúcio)
L’AMOUR – Ana Cañas (tema romântico geral)
GAVE ME A NAME – Tiago Iorc (tema de Rodrigo e Nina)
THREE LITTLE BIRDS – Gilberto Gil (tema de locação: Gramado)
DAYS EVEN YEARS – Dan Arborise
LET THE MUSIC PLAY – Laura Vane
SKYCRAPER – Ganga
MELODIES – Belladona
MEANTIME – Ritchie
ainda (tocou na novela mas não constou no site)
HOW INSENSITIVE – Diana Krall (tema de Vitória e Mariano)

Trilha Sonora Instrumental: Estações Brasileiras – Alexandre Guerra

vidadagentet2
01. MOVIMENTO DE VERÃO *
02. MOVIMENTO DE OUTONO *
03. MOVIMENTO DE INVERNO *
04. MOVIMENTO DE PRIMAVERA
05. O TEMPO EM MOVIMENTO *
06. NASCENTE
07. L´AMBIANCE
08. SOMBRAS OUTONAIS *
09. UMA VALSA SIMPLES QUE NÃO QUERIA SER TRISTE *
10. DESPERTANDO
11. EMOCIONANDO
12. ACREDITANDO

* as faixas 1, 2, 3, 5, 8 e 9 fizeram parte da trilha da novela

Tema de Abertura: ORAÇÃO AO TEMPO – Maria Gadú

És um senhor tão bonito
Quanto a cara do meu filho
Tempo tempo tempo tempo
Vou te fazer um pedido
Tempo tempo tempo tempo

Compositor de destinos
Tambor de todos os rítmos
Tempo tempo tempo tempo
Entro num acordo contigo
Tempo tempo tempo tempo

Por seres tão inventivo
E pareceres contínuo
Tempo tempo tempo tempo
És um dos deuses mais lindos
Tempo tempo tempo tempo

Que sejas ainda mais vivo
No som do meu estribilho
Tempo tempo tempo tempo
Ouve bem o que te digo
Tempo tempo tempo tempo

Peço-te o prazer legítimo
E o movimento preciso
Tempo tempo tempo tempo
Quando o tempo for propício
Tempo tempo tempo tempo

De modo que o meu espírito
Ganhe um brilho definido
Tempo tempo tempo tempo
E eu espalhe benefícios
Tempo tempo tempo tempo

O que usaremos prá isso
Fica guardado em sigilo
Tempo tempo tempo tempo
Apenas contigo e comigo
Tempo tempo tempo tempo

E quando eu tiver saído
Para fora do teu círculo
Tempo tempo tempo tempo
Não serei nem terás sido
Tempo tempo tempo tempo

Ainda assim acredito
Ser possível reunirmo-nos
Tempo tempo tempo tempo
Num outro nível de vínculo
Tempo tempo tempo tempo

Portanto peço-te aquilo
E te ofereço elogios
Tempo tempo tempo tempo
Nas rimas do meu estilo
Tempo tempo tempo tempo…

Veja também

  • tresirmas_logo

Três Irmãs

  • tudonovodenovo_logo

Tudo Novo de Novo

  • setevidas_logo

Sete Vidas