Sinopse

Nonô Correia é um homem neurastênico, rabugento e misterioso, beirando o tragicômico. Avarento, ele tranca a geladeira com cadeado, desliga a luz algumas vezes e despeja, até mesmo nos filhos, sua sovinice compulsiva: é proibido repetir pratos às refeições. Sua maior preocupação é fazer economia. Nonô vive com os filhos, Tomaz e Elisa, e a empregada, Frosina, que há vinte anos suporta suas mesquinharias. Porém, Nonô Correia está longe de ser pobre: tem vários imóveis alugados e esconde em casa um tesouro que ninguém sabe onde está. O único que partilha seu segredo é o amigo Anselmo, que nutre um amor platônico por Elisa, mesmo sendo muito mais velho que ela.

Tomaz é brincalhão e carismático, enquanto Elisa é tímida e insegura. Ela está apaixonada por Gustavo, funcionário de seu pai, que se aproxima dela pensando no golpe do baú. Gustavo divide um quarto com Tio Romão na casa de Judite, inquilina de Nonô que fornece salgadinhos para o restaurante de Tito e Santusa, um casal em crise. Tio Romão é o avesso de Nonô Correia. Misterioso, ninguém conhece seu passado, nem sabe de onde veio. Com fala doce, o velhinho oferece chás como pretexto para conversar com os moradores e lhes dar um pouco de calor humano. As pessoas se assustam com suas palavras certeiras. Alguns o consideram um santo, outros, um feiticeiro.

A sobrinha de Nonô, Maria da Graça – que prefere ser chamada de Grace -, é uma mulher moderna que dá muito valor ao que vem de fora. Viúva, dona de uma loja de artigos importados, ela é mãe de Rosemary, que casou-se com João Paulo, filho do nacionalista, conservador e machista Bruno, também viúvo. O jovem casal precisa contornar a difícil relação de seus respectivos pais, que vivem batendo de frente. O Dr. Vinícius é um médico humanista e nem sempre cobra as consultas, para a reprovação da mulher Helena, que vive reclamando do orçamento apertado. O casal tem três filhos: o esnobe Renato, que está de volta à cidade; a bela e doce Mariana, que é adotada; e Bel, que inveja a irmã.

O conflito maior se dá quando Nonô Correia resolve cortejar a jovem Mariana sem saber que ela é namorada de seu filho Tomaz. A moça se sente obrigada a aceitar a proposta por causa de uma dívida moral que seu pai tem com o avarento. Contudo Nonô vai se tornando mais doce e sensível quando se aproxima do órfão Zezinho, sobrinho da impaciente Santusa, um menino encantador que, aos poucos, amolece o coração do velho rabugento. Para apaziguar os conflitos, o chá do Tio Romão é sempre servido em doses certas, com olhar carinhoso e frases calorosas, sem cobranças, afinal, amor com amor se paga.

Globo – 18h
de 19 de março a 15 de setembro de 1984
155 capítulos

novela de Ivani Ribeiro
direção de Gonzaga Blota, Atílio Riccó e Jayme Monjardim
direção geral de Gonzaga Blota

Novela anterior no horário
Voltei pra Você

Novela posterior
Livre para Voar

ARY FONTOURA – Nonô Correia
YONÁ MAGALHÃES – Grace (Maria da Graça Santana)
CARLOS EDUARDO DOLABELLA – Bruno Queiroz
EDSON CELULARI – Tomaz Correia
CLÁUDIA OHANA – Mariana
FERNANDO TORRES – Tio Romão
BERTA LORAN – Frosina Maria de Jesus
BIA NUNNES – Elisa Correia
CAÍQUE FERREIRA – Gustavo Saldanha
ADRIANO REYS – Vinícius
BEATRIZ LYRA – Helena
FLÁVIO GALVÃO – Tito Mourão
WANDA STEFÂNIA – Santusa
CARLOS KROEBER – Anselmo Assunção
WANDA KOSMO – Elvira Assunção
MILTON MORAES – Antônio Barreto
VERA GIMENEZ – Zélia Barreto
ARLETE SALLES – Silvia
MAYARA MAGRI – Rosemary (Rosinha, Rosa Maria Santana Queiroz)
MATEUS CARRIERI – Johnny (João Paulo Queiroz)
NARJARA TURETTA – Bel
MIGUEL FALABELLA – Renato
JÚLIA LEMMERTZ – Ângela
CHICA XAVIER – Judite
MÁRIO CARDOSO – Rogê
ANA ARIEL – Leonor
PAULO CÉSAR GRANDE – Sérgio
GRAZIELA DI LAURENTIS – Íris Barreto
LAJAR MUZURIS – Tonicão
PAULO GONÇALVES – Padre Inácio
DARCY DE SOUZA – Filomena
CLÁUDIA FREIRE – Nanci
JOSÉ CARLOS SANCHES – Edu
HUGO GROSS – Cacá

as crianças
OBERDAN JÚNIOR – Zezinho
EGON ASZMANN JR. – Carlito
GIOVANNA PIECK – Camilinha

e
ADRIANA BÔSCOLI – Renata (ex-namorada de Tomaz, mancomunada com Bel, arma para Mariana flagrá-los aos beijos)
AGEPÊ como ele mesmo, canta na loja de Bruno
ALAN ALENCAR – Nonô (criança, em flashback)
ALBA VALÉRIA – Elizabeth (amiga de Gustavo que se passa por sua noiva para enganar Nonô)
ALENE ALVES DE ANDRADE – Francisca (babá de Camilinha)
ANDRÉA AVANCINI – Cidinha (amiga de Íris e Bel)
ANTÔNIO PATIÑO – Dr. Miranda (obstetra de Rosemary)
ELIANO MEDEIROS – Sampaio (funcionário de Bruno, a mando dele, compra o estoque de mercadorias de Grace)
ENOCK BATISTA – Enock (funcionário do escritório de Bruno)
GONZAGA BLOTA – Noronha (gerente do hotel em Maceió onde João Paulo e Rosemary se hospedam na lua de mel)
GUARACY VALENTE – inquilino de Nonô que reclama do aumento do aluguel e lhe dá um soco, no início
HILDA REIS – Marilyn (Marilene, empregada de Grace)
IRVING SÃO PAULO – pai na maternidade aguardando a mulher dar a luz, conversa com Bruno e Grace
MARCOS VALLE como ele mesmo, canta na loja de Grace
MARILKA LANNES – Arlete (funcionária do escritório de Bruno)
MIRO VALLE
MONIQUE EVANS – uma namorada de Tomaz
PAULO PONGGI – Nonô (jovem, em flashback)
ROBERTO LEE – rapaz que puxa briga com Tomaz no restaurante de Tito e Santusa
RUBEM DE BEM – um dos policiais que abordam Grace, denunciada por Bruno por suspeita de contrabando
SUZANE SEIXAS – entre as moças na loja de Grace durante a apresentação de Marcos Valle
VANDA ALVES – empregada de Helena
VANDA COSTA – Glória (empregada de Barreto)
VERA BORGES – Luísa (empregada de Elvira)
WALDIR SANTANNA – delegado que investiga o desaparecimento do bebê de Rosemary e João Paulo
WALDYR RODRIGUES – Waldyr (garçom do Recanto, restaurante de Tito e Santusa)
YAÇANÃ MARTINS – Magali (funcionária da loja de Grace)
Alfredo (jardineiro na casa de Anselmo)
Seu Almir (feirante e inquilino de Nonô, extorquido por ele na feira)
Américo (garçom do Recanto, restaurante de Tito e Santusa)
Beto (cabo eleitoral de Tito na campanha para prefeito)
Bruninho (bebê de Rosemary e João Paulo)
Francisco (empregado na fazenda de Anselmo)
Seu Gomes (cliente que procura por Tio Romão no restaurante de Tito e Santusa)
Guiomar (funcionária do restaurante demitida por Santusa, no início)
Heloísa (empregada na fazenda de Anselmo)
Joana (empregada na fazenda de Anselmo)
Lígia (garota que acompanha Tomaz na festa no Recanto que celebra a volta de Renato)
Marta (secretária no consultório de Vinícius)
Seu Teixeira (cliente que procura por Tio Romão no restaurante de Tito e Santusa)
Vasco (motorista de Barreto)

– núcleo de NONÔ CORREIA (Ary Fontoura), viúvo avarento que vive para economizar. Veste-se mal, põe cadeado na geladeira, no fogão e nos armários e limita e controla refeições e banhos. Ranzinza e rabugento, não mantém boa relação com os filhos nem com os vizinhos, por causa de sua avareza. Vive atormentado por lembranças do passado, de quando era muito pobre. Apesar de insistir em aparentar miséria, é proprietário de vários imóveis na cidade de Monte Santo, cobrando altos aluguéis de seus inquilinos, e detesta quando especulam sobre seu dinheiro. Ainda: esconde em seu quarto um tesouro em moedas de ouro e joias:
os filhos: TOMAZ (Edson Celulari), piloto de helicóptero. Rapaz carismático e brincalhão, apesar da relação conturbada com o pai, a quem vive enfrentando,
e ELISA (Bia Nunnes), tímida e insegura, se acha feia e apagada. Protegida do irmão, morre de medo do pai e faz tudo para não contrariá-lo. Romântica, vive lendo livros de histórias de amor
a empregada FROSINA (Berta Loran), que trabalha em sua casa há mais de vinte anos. Não recebe salário há meses e vive se desentendendo com o patrão, a quem trata de igual para igual. Apesar de tudo, não abandona a casa por ter prometido à falecida mulher dele que cuidaria de seus filhos
o amigo de Tomaz, EDU (José Carlos Sanches), com quem trabalha, também piloto.

– núcleo de MARIA DA GRAÇA, que prefere ser chamada de GRACE (Yoná Magalhães), sobrinha de Nonô. Viúva, bonitona, determinada e de gênio forte. Americanófila, dá muito valor ao que vem de fora. Tem uma loja de produtos importados. É muito ligada à filha única e a ajuda em seu casamento, apesar de viver em atrito com o sogro da filha, um homem machista e nacionalista ferrenho:
a filha ROSEMARY (Mayara Magri), muito apegada à mãe, mas sofre com os desentendimentos entre ela e o seu sogro
a amiga SILVIA (Arlete Salles), mulher moderna e dinâmica, como ela. Vem passar uma temporada em sua casa
a funcionária em sua loja MAGALI (Yaçanã Martins)
a empregada MARILYN (Hilda Reis)
a empregada na casa de Rosemary, FILOMENA (Darcy de Souza), caipira que não sabe fazer nada, nem cozinhar.

– núcleo de BRUNO (Carlos Eduardo Dolabella), nacionalista ferrenho, conservador e machista. Acredita que o homem é quem manda em casa e que a mulher deve apenas viver para o lar e a família. Gerencia uma firma de exportação em Monte Santo. Viúvo, muito apegado ao filho único, vive se desentendendo com Grace, sogra do rapaz – ou Maria da Graça, como ele insiste chamá-la só por provocação. Aos poucos, essa implicância mútua acaba se transformando em amor, por parte dos dois:
o filho JOÃO PAULO (Mateus Carrieri), marido de Rosemary. Admira o pai, com quem tem uma ligação muito forte de companheirismo, mas lamenta as brigas entre ele e sua sogra Grace
os funcionários em seu escritório: NANCI (Cláudia Freire), apaixonada por ele, ARLETE (Marilka Lannes) e ENOCK (Enock Batista).

– núcleo do DR. VINÍCIUS (Adriano Reys), médico humanista, não cobra as consultas dos mais necessitados, o que irrita a sua mulher, muito preocupada com o orçamento doméstico. Tem uma dívida moral com Nonô: a mulher dele morreu durante uma cirurgia em que foi o responsável. Receia que Nonô o acuse de negligência médica, por isso nunca lhe cobra as consultas. Nonô apaixona-se por uma de suas filhas e propõe casar-se com ela:
a mulher HELENA (Beatriz Lyra), não compreende a bondade do marido, criticando-o quando ele não cobra as consultas, já que o orçamento familiar é apertado. Ainda assim, é um tanto perdulária e sonha com uma vida de luxos
os filhos: RENATO (Miguel Falabella), recém-formado em Medicina, volta a Monte Santo com a intenção de trabalhar com o pai. Morava em Belo Horizonte, com uma tia, onde estudava, e não se acostuma à vida simples na pequena cidade. Um tanto arrogante e esnobe, sempre foi mimado pela mãe,
MARIANA (Cláudia Ohana), jovem simples e terna, adora os pais, que a adotaram ainda bebê. Trabalha na prefeitura da cidade, como secretária. Namora e ama Tomaz, porém, para saldar a dívida moral do pai com Nonô, aceita o compromisso com ele, apesar de não suportá-lo, o que piora ainda mais a relação de Tomaz com seu pai,
e BEL (Narjara Turetta), tem inveja de Mariana, por quem se sente preterida. Apaixonada por Tomaz, faz de tudo para separá-lo da irmã
o namorado de Bel, CACÁ (Hugo Gross), com quem ela está apenas por interesse
a amiga de Bel, CIDINHA (Andrea Avancini), trabalha na prefeitura com Mariana.

– núcleo de ANSELMO (Carlos Kroeber), melhor amigo de Nonô, o único que sabe de seu tesouro escondido. Homem rico e solitário, perdeu a mulher e os filhos pequenos em um acidente no mar, no passado. Cuida da saúde e da alimentação para sentir-se jovem. É apaixonado por Elisa – apesar de ter idade para ser pai dela – e tem a conivência de Nonô para desposá-la, já que este ganharia um dote com o casamento:
a irmã ELVIRA (Wanda Kosmo), solteirona, vive em função do irmão. Controladora, tenta dominá-lo. Não quer que ele se case novamente para não ter de dividir sua fortuna. É alvo de cartas românticas anônimas e fantasia a identidade do autor
a governanta LEONOR (Ana Ariel), mais do que uma empregada, uma amiga para Elvira. Retorna à casa onde trabalhou após muitos anos
o filho de Leonor, ROGÊ (Mário Cardoso), mecânico de aviões, amigo de trabalho de Tomaz. Vai morar com a mãe em Monte Santo. Interessa-se pelos problemas de Bel e tenta domá-la, já que ela o detesta e vivem brigando
a empregada LUÍSA (Vera Borges).

– núcleo de DONA JUDITE (Chica Xavier), mulher bondosa e humilde que luta com dificuldade para sobreviver. Fornece doces e salgadinhos para um restaurante. Subloca a casa onde mora para ajudar a pagar o aluguel cobrado por Nonô, o proprietário do imóvel. Sofre com a ausência da filha:
a filha ÂNGELA (Júlia Lemmertz), professora, é transferida para Monte Santo e vai morar com a mãe. As duas têm um acordo: Ângela trata a mãe por “babá” para que não descubram que é filha de uma mulher negra. Foi namorada de Renato em Belo Horizonte e está na cidade decidida a reatar com ele. Mas esconde que Judite é sua mãe com medo de que ele a rejeite
os inquilinos: TIO ROMÃO (Fernando Torres), simpático velhinho, porém misterioso, já que surgiu em Monte Santo e foi ficando amigo dos moradores sem ninguém saber de seu passado. Oferece amizade, conversas e chazinhos, para curar os males do corpo e da alma. Tem o dom de ler o pensamento das pessoas e, às vezes, até prevê acontecimentos. Alguns acreditam que ele seja um santo, outros que é um bruxo,
e GUSTAVO (Caíque Ferreira), rapaz ambicioso que chega a Monte Santo e emprega-se como contador na casa de Nonô. Aproxima-se de Elisa por interesse, vislumbrando a fortuna do pai dela
o PADRE INÁCIO (Paulo Gonçalves), pároco de Monte Santo.

– núcleo de TITO (Flávio Galvão), proprietário do restaurante Recanto. Esforçado, estuda à noite para melhorar de vida. Implica com os modos simples da mulher e é alvo de seus ciúmes. Vai entrar para a política disputando a prefeitura de Monte Santo:
a mulher SANTUSA (Wanda Stefânia), que trabalha com ele no restaurante. Extremamente ciumenta e insegura, vive controlando o marido. Superprotege o filho e não percebe que cria um monstrinho. Maltrata o sobrinho que mora em sua casa, pois no passado sofreu muito nas mãos de sua irmã mais velha, mãe do garoto, já falecida
o filho CARLITO (Egon Aszman Jr.), menino malandro e preguiçoso, mimado pela mãe. Exige que o primo faça as suas lições da escola e mente dizendo que ele mesmo as fez
o sobrinho ZEZINHO (Oberdan Jr.), que mora com eles. Garoto órfão, filho da falecida irmã de Santusa. É desprezado pela tia, que o vê apenas como um estorvo. Apesar da opressão na casa dos tios, é um menino gracioso e carinhoso. Conhece Nonô e, com sua criatividade e simpatia, acaba amolecendo o coração do velho avarento
o garçom em seu restaurante WALDYR (Waldyr Rodrigues).

– núcleo de BARRETO (Milton Moraes), prefeito de Monte Santo. Demagogo, envolve as pessoas apenas com vistas a aumentar seu eleitorado e garantir a reeleição. Ambiciona cargos mais altos na política. Será adversário de Tito na disputa pela reeleição. Quando fica viúvo, começa a namorar Silvia, apesar da oposição das filhas:
a primeira mulher ZÉLIA (Vera Gimenez), hipocondríaca, morre no decorrer da trama, vítima de automedicação
as filhas: ÍRIS (Graziela di Laurentis), amiga de Bel e Cidinha, moça implicante
e CAMILINHA (Giovanna Pieck), menina mimada, sem papas na língua, inferniza a irmã mais velha. Gosta de Zezinho e diz que ele é seu namorado
o sobrinho SÉRGIO (Paulo César Grande), apaixonado por Mariana. Une-se a Bel para separá-la de Tomaz, mas logo desiste de conquistá-la. Vai trabalhar como cabo eleitoral do tio
o secretário TONICÃO (Lajar Muzuris), cabo eleitoral e puxa-saco
a babá de Camilinha, FRANCISCA (Arlene Alves de Andrade)
a empregada GLÓRIA (Vanda Costa)
o motorista VASCO.

Reedição atualizada da novela Camomila e Bem-Me-Quer, que Ivani Ribeiro escreveu para a TV Tupi entre 1972 e 1973. Além da narrativa modernizada, a autora adicionou novas tramas e personagens para incrementar a novela, uma adaptação da peça “O Avarento”, de Molière.

Ivani criou para a trama um contraponto entre a figura grotesca e caricata de Harpagão, o avarento da peça (na novela, o personagem Nonô Correia, vivido por Ary Fontoura), com Tio Romão (Fernando Torres), um velhinho bondoso que oferece amizade sem cobrar nada em troca. O título Amor com Amor se Paga é, portanto, uma referência ao Tio Romão, personagem que, por meio de seus chás, transmitia conforto e mensagens de paz e esperança às pessoas.

Amor com Amor se Paga permanece na memória afetiva do público, em grande parte, devido ao personagem Nonô Correia, interpretado por Ary Fontoura, em um de seus melhores trabalhos na TV. O ator ficou tão marcado que comenta que até hoje é chamado de Seu Nonô.
“Foi um personagem muito carismático, um trabalho gratificante e que se tornou bastante popular, sem dúvida o mais popular da minha carreira. Passados tantos anos, ainda sou chamado de Nonô. Se eu tivesse que mudar de nome, seria para Nonô Correia”, declarou o ator em entrevista ao Gshow, em 2021, por ocasião da reprise da novela no canal Viva.
Pelo papel, Ary Fontoura foi eleito pela APCA (Associação Paulista de Críticos de Arte) o melhor ator de 1984 (juntamente com Nuno Leal Maia, pela novela Vereda Tropical, e Ney Latorraca, pela minissérie Rabo de Saia).

“O que valeu mesmo foi o duelo cômico entre Nonô Correia e Frosina, sua empregada, deliciosamente interpretada pela atriz e comediante Berta Loran. Ao final, o casamento dos dois veio provar ao avarento protagonista que amor com amor se paga“. (“Memória da Telenovela Brasileira”, Ismael Fernandes)

Ary Fontoura, Berta Loran e o então garoto Oberdan Júnior (com 13 anos na época, mas aparentando menos) viveram em Amor com Amor se Paga os personagens interpretados por Gianfrancesco Guarnieri, Riva Nimitz e Haroldo Botta em Camomila em Bem-Me-Quer.
Yoná Magalhães e Carlos Eduardo Dolabella deram vida ao casal correspondente ao de Nicette Bruno e Juca de Oliveira nos anos 1970.
Já o Tio Romão (aqui Fernando Torres) foi vivido na Tupi pelo ator Cláudio Corrêa e Castro.

Angelina Muniz foi inicialmente escalada para viver a personagem Dinorá, filha de Judite (Chica Xavier), e chegou a ser creditada na abertura. Porém, a atriz foi remanejada para a próxima novela das 19 horas, Vereda Tropical. A personagem de Amor com Amor se Paga ganhou nova atriz, Júlia Lemmertz, e recebeu outro nome, Ângela.

O preconceito racial foi um tema levantado pela novela, por meio do núcleo de Judite (Chica Xavier), cuja filha se envergonhava de sua origem negra. No final da história, Ângela (Júlia Lemmertz) é abandonada pelo amado Renato (Miguel Falabella) quando ele descobre que ela é filha de uma mulher negra. (Site Memória Globo)

Também a hipocondria e o perigo da automedicação foram abordados na trama. A personagem hipocondríaca Zélia (Vera Gimenez), que vivia tomando remédios por conta própria ou sem necessidade, fazia um contraponto com seu sobrinho Sérgio (Paulo César Grande), rapaz atlético que descobre ser diabético e precisa tomar medicação. Mais ou menos na metade da novela, Zélia morre por se automedicar. Já o diabetes de Sérgio é esquecido.
A atriz Vera Gimenez externou publicamente seu desagrado com os rumos de sua personagem. Para a revista Amiga (nº 743, de 15/08/1984) declarou: “Eu esperava muito mais da Zélia, apesar de saber desde o início que a personagem não chegaria ao fim da história. (…) Foi tudo uma grande frustração para mim, foi uma bala que eu chupei com papel.”
Na mesma matéria, Ivani Ribeiro ratificou que a morte da personagem já estava prevista na sinopse: “Zélia era uma pessoa que frequentemente se automedicava. (…) Com o objetivo de alertar as pessoas que, no Brasil, fazem isso todos os dias, quis mostrar que essa é uma atitude perigosa, além de desaconselhável (…) fazê-los perceber que não se deve tomar remédios sem orientação médica.”
A última aparição da atriz foi no capítulo 78.

Ivani também abordou os perigos do tabagismo na gravidez. Rosemary (Mayara Magri), grávida, é impedida de fumar pelo sogro Bruno (Carlos Eduardo Daolabella), que lhe passa um grande sermão sobre os malefícios do fumo. Curioso que, anteriormente, não foi mostrada nenhuma cena de Rosemary fumando.

Primeira novela das atrizes Cláudia Ohana, Bia Nunnes e Andréa Avancini.
Primeira novela na Globo dos atores Flávio Galvão, Mateus Carrieri e Mayara Magri e do diretor Jayme Monjardim, todos egressos das novelas da TV Bandeirantes.

Amor com Amor se Paga teve gravações no município de Teresópolis, na região serrana do Rio de Janeiro, com várias cenas em locações pela cidade.

Apesar do título original da novela ser Camomila e Bem-Me-Quer, cogitou-se chamá-la de Mão de Vaca e, depois, O Avarento, nome da peça de Molière na qual a trama foi inspirada.

A Censura do Regime Militar (ainda vigente em 1984) proibiu um verso da música-tema de abertura da novela, “Levantar o Astral”, gravada pela banda Santa Cruz. De acordo com o pesquisador Cláudio Ferreira no livro Beijo Amordaçado – A Censura às Telenovelas Durante a Ditadura Militar, a expressão “vamos viajar, levantar o astral” foi substituída por “vamos nos amar, levantar o astral” porque os censores entenderam que o verbo “viajar”, neste contexto, estava associado ao consumo de drogas.

Coração era o elemento da abertura da novela, representado em grafismos e objetos nesse formato: caixa de bombom e de presente, lençol, sabonetes, cortina de banheiro, gravata, calcinha, abotoadura, meia feminina, pires, prato, canudo de suco, óculos de sol, porta-papeis, agenda, lápis, porta-joias, papel de carta, porta-retrato, pulseira e colar.
Porém, apesar do apelo romântico, a abertura não conseguiu escapar do olhar atento da censura, de acordo com o descrito no livro “Beijo Amordaçado – A Censura às Telenovelas Durante a Ditadura Militar”:
“Jovem mostra a parte inferior da calcinha ao movimentar-se, close de coxas femininas com meia, closes de quadris de moça com calcinha, mostra de parte de corpo masculino colocando abotoadura e depois gravata. O encadeamento das tomadas acima sugere a existência de um relacionamento íntimo entre um casal (…) É de se ressaltar que inexiste associação entre a ideia proposta pela abertura e/ou encerramento da telenovela e o conteúdo dos dez capítulos já examinados. Presume-se que apenas o título tenha sido o ponto de partida para a criação da referida apresentação”.
De acordo com o autor do livro, Cláudio Ferreira, outro parecer discordou da não liberação e a abertura pôde enfim ser veiculada.

Há um erro na capa do LP com a trilha nacional da novela, que creditou a música “Fim de Semana Sem Grana” a Chicletes, quando, na realidade, a dupla que a gravou chamava-se Chantilly (dupla formada pelos irmãos Noeli e Hélio Santisteban). (“Teletema, a História da Música Popular através da Teledramaturgia Brasileira”, Guilherme Bryan e Vincent Villari)

Os cantores Marcos Valle e Agepê gravaram participações na novela. Marcos Valle participou do capítulo 127, cantando, na loja de Grace (Yoná Magalhães), o sucesso “Estrelar”. O cantor voltou no capítulo 131, cantando seu lançamento da ocasião, a música “Bicicleta”, e, depois, no capítulo 135, sempre na loja de Grace. Agepê também cantou no capítulo 131, na loja de Bruno (Carlos Eduardo Dolabella), seu sucesso “Deixa Eu Te Amar”. Curiosamente, nenhuma dessas músicas constava na trilha sonora da novela.

Amor com Amor se Paga foi reapresentada no Vale a Pena Ver de Novo, entre 26/10/1987 e 01/04/1988.
Reprisada também no Viva (canal de TV por assinatura pertencente ao Grupo Globo) entre 15/11/2021 e 14/05/2022, às 14h15 com reapresentação à 0h30.
Foi disponibilizada no Globoplay (plataforma streaming do Grupo Globo) em 20/06/2022.

A novela encerrou-se com a seguinte mensagem, narrada por Tio Romão (Fernando Torres), deixada em uma carta lida por Judite (Chica Xavier):
“Não há sonho mais bonito do que o da grande fraternidade humana. Quando dois homens se encontrarem, sejam de povos, sejam de raças, sejam de classes diferentes, que eles possam sempre apertar as mãos como amigos. Se as nossas mãos se encontrarem, podemos fazer com elas uma corrente para transformar o mundo. E se cada um de nós for uma semente que o vento espalha, este sonho poderá ser realidade um dia.”

Trilha Sonora Nacional

01. ÁGUA E LUZ – Amelinha (tema de Tio Romão)
02. POR QUE NÃO EU? – Kid Abelha & Os Abóboras Selvagens (tema de Bel)
03. VOCÊ EM MINHA VIDA – Fafá de Belém (tema de Mariana)
04. BICHINHO COLORIDO – Nova Embalagem (tema de Rosemary e João Paulo)
05. TENHO MEDO – Renato Teixeira (tema de Bruno)
06. FIM DE SEMANA SEM GRANA – Chantilly (tema de Tomaz e Mariana)
07. LEVANTAR O ASTRAL – Santa Cruz (tema de abertura)
08. DEUSA DO AMOR – Pepeu Gomes (tema de Nonô Correia)
09. QUANDO TE VI (TILL THERE WAS YOU) – Beto Guedes (tema de Anselmo)
10. EMARANHADO – Dudu França
11. ADIVINHÃO – Magazine
12. VEM NESSA – Ruban Barra (tema do núcleo jovem)
13. PERTO DE VOCÊ – Elias (tema de Gustavo e Elisa)
14. VEM COMIGO – Dedé

Trilha Sonora Internacional

01. OVER YOU – Lane Brody (tema de Tomaz e Mariana)
02. SOMEBODY ELSE’S GUY – Jocelyn Brown (tema de Tomaz)
03. MOMENTS OF LOVE – After All (tema de Gustavo e Elisa)
04. SOMEBODY TO LOVE – Café Society
05. OH SHERRIE! – Steve Perry (tema de Bel)
06. WE ALL NEED LOVE – Ebony
07. TANTA TRISTEZA – Los Moros (tema de Grace e Bruno)
08. HEART DON’T LIE – La Toya Jackson (tema de Zezinho)
09. TIME AFTER TIME – Cyndi Lauper (tema de Rosemary e João Paulo)
10. BELIEVE IN ME – Dan Fogelberg (tema de Grace e Bruno)
11. DANCING IN THE DARK – Bruce Springsteen
12. DANCIN’ SHOES – Pancho Ballet
13. HAPPY CHILDREN – P. Lion
14. C’EST BON POUR LE MORAL – La Compagnie Créole

Ainda
CORAÇÃO DE ESTUDANTE – Milton Nascimento (tema de Tio Romão nos primeiros capítulos)
TARA´S THEME (FROM GONE WITH THE WIND) – London Sinfonis (quando Elisa se imagina com Gustavo como Scarlett O’Hara e Rhett Butler em E o Vento Levou)
THE EGYPTIAN: PRELUDE – Moscow Symphony Chorus (quando Nonô entra no esconderijo de seu tesouro)
THRILLER – Michael Jackson (na boate onde vão Tomaz e Mariana)

Sonoplastia: Haroldo Barros e Antônio Faya
Supervisão de repertório: Francisco Santos Jr.
Direção musical: Guto Graça Mello
Supervisão musical: Sérgio Motta

Tema de Abertura: LEVANTAR O ASTRAL – Santa Cruz

Abra o coração
Venha e se solte
Vou levar você
Pra outra dimensão
É só concentrar
Nosso pensamento
Vamos nos amar
Levantar o astral

Eu quero você
Me envolvendo inteiro
Te fazer feliz
Viver de amor
Somos dois em um
Sentimento livre
Vamos nos curtir
Cantar e se amar

Vamos para a festa
Vem comigo, vem dançar!
Juntos nessa dança
Pra se libertar!…

Veja também

  • finalfeliz

Final Feliz

  • gatacomeu

A Gata Comeu

  • hipertensao

Hipertensão

  • sexodosanjos

O Sexo dos Anjos

  • camomilaebemmequer

Camomila e Bem-Me-Quer