Sinopse

Na pequena Monte Santo vive Nonô Correia, um homem neurastênico e irritadiço, muitas vezes misterioso, beirando o tragicômico. Ele é um completo pão-duro, tranca a geladeira com cadeados, desliga a luz algumas vezes por semana e despeja, até mesmo nos filhos, sua avareza compulsiva: é proibido repetir pratos às refeições. Sua maior preocupação, na vida, é fazer economia.

Nonô compartilha o dia-a-dia de constantes sacrifícios com os filhos, Tomaz e Elisa, e com a fiel empregada, Frosina, que há vinte anos suporta suas mesquinharias. Mas o velho sovina está longe de ser pobre. Tem diversos imóveis que aluga a inquilinos, e esconde em sua casa um tesouro que ninguém sabe onde está, nem mesmo os filhos. O único que partilha seu segredo é o amigo Anselmo, um homem que nutre um amor platônico por Elisa, filha do avarento.

O avesso de Nonô Correia é Tio Romão, que chega à cidade sem revelar seu passado. Fala doce e distribui chazinhos como puro pretexto para conversar com os moradores e lhes dar um pouco de calor humano. Seus chazinhos ficarão conhecidos por toda a cidade, mas as pessoas se assustam com suas palavras certeiras. Alguns o consideram um santo, outros, um feiticeiro.

Tomaz, filho de Nonô Correia, é um jovem brincalhão que está sempre tentando descobrir o tesouro do pai. Sua irmã, Elisa, é uma moça tímida e insegura que se apaixona por Gustavo, que se aproxima da família atraído pela possibilidade de um golpe do baú. Ele aparece em Monte Santo para tentar a vida e vai morar num quarto na casa de Judite. Inquilina de Nonô, Judite fornece salgadinhos para a rotisserie de Tito e Santusa, um casal com a relação em crise por causa do ciúme doentio de Santusa.

A sobrinha de Nonô, Maria da Graça, é uma americanófila que só gosta de ser chamada de Grace. Dona de uma loja de artigos importados, Grace é viúva e feminista, preocupada com o casamento de sua filha Rosemary com João Paulo. Filho do conservador e machista Bruno, Johnny, como é chamado pela noiva, se aborrece com os constantes desentendimentos entre o pai e a futura sogra. Os dois viúvos intransigentes têm gostos totalmente opostos, mas o mesmo temperamento difícil. Seus filhos se amam mas têm que contornar os problemas causados pela difícil relação dos sogros.

O Dr. Vinícius é um médico preocupado com o bem-estar de seus clientes e nem sempre cobra as consultas. Por isso é incompreendido pela mulher Helena, que está sempre reclamando do orçamento apertado. O casal tem três filhos: Mariana, moça simples, terna, namorada de Tomaz; Isabel, a menina invejosa que está de olho no namorado da irmã; e Renato, um rapaz de caráter duvidoso, estudante que mora com os tios ricos mas vai voltar para Monte Santo.

O prefeito da cidade é Barreto. Demagogo, envolve as pessoas com seu ar generoso e bom, apenas com vistas a aumentar seu eleitorado. Ao ficar viúvo, Barreto envolve-se com Silvia, amiga de Grace, que sonha em ser a primeira-dama mas nem imagina que vai ter que enfrentar Camilinha, a caçula do prefeito, uma verdadeira peste que passa a atormentar a vida da futura madrasta.

O conflito maior que envolve esses personagens se dá quando Nonô Correia resolve cortejar a jovem Mariana, que se vê obrigada a aceitar a proposta em troca do perdão da dívida de seus pais. É quando Tomaz passa a disputar com o pai o amor da moça. O rude avarento torna-se mais doce e sensível quando adota o órfão Zezinho, um menino alegre e encantador que amolece o coração do velho com o laço afetivo que nasce entre os dois.

Para apaziguar todos os conflitos, o chá de camomila e bem-me-quer do Tio Romão é sempre servido em doses certas, afinal, amor com amor se paga.

Globo – 18h
de 19 de março a 15 de setembro de 1984
155 capítulos

novela de Ivani Ribeiro
direção de Gonzaga Blota, Atílio Riccó e Jayme Monjardim
direção geral de Gonzaga Blota

Novela anterior no horário
Voltei pra Você

Novela posterior
Livre para Voar

ARY FONTOURA – Nonô Correia
YONÁ MAGALHÃES – Grace (Maria da Graça)
CARLOS EDUARDO DOLABELLA – Bruno
EDSON CELULARI – Tomaz
CLÁUDIA OHANA – Mariana
FERNANDO TORRES – Tio Romão
BERTA LORAN – Frosina
BIA NUNES – Elisa
CAÍQUE FERREIRA – Gustavo
FLÁVIO GALVÃO – Tito
WANDA STEPHÂNIA – Santusa
MILTON MORAES – Barreto
ARLETE SALLES – Sílvia
MATHEUS CARRIERI – Johnny (João Paulo)
MAYARA MAGRI – Rose (Rosemary)
ADRIANO REYS – Vinícius
BEATRIZ LYRA – Helena
NARJARA TURETTA – Bel
MIGUEL FALABELLA – Renato
JÚLIA LEMMERTZ – Ângela
CARLOS KROEBER – Anselmo
WANDA KOSMO – Elvira
CHICA XAVIER – Judite
PAULO CÉSAR GRANDE – Sérgio
GRAZIELA DI LAURENTIS – Dóris
LAJAR MUZURIS – Tonicão
PAULO GONÇALVES – Padre Inácio
MÁRIO CARDOSO – Roger
JOSÉ CARLOS SANCHES – Edu
HUGO GROSS – Cacá
ANA ARIEL – Leonor
VERA GIMENEZ – Zélia
DARCY DE SOUZA – Filó (empregada de Rosemary)
YAÇANÃ MARTINS – Magali (funcionária da loja de Grace)
CLÁUDIA FREIRE – Nanci (secretária no escritório de Bruno)
MARILKA LANNES – Arlete (secretária no escritório de Bruno)
HILDA REIS – Marilyn (empregada de Grace)
ARLENE ALVES – Francisca (empregada de Barreto)
ANDRÉA AVANCINI – funcionária da Prefeitura
ENOCK BATISTA – funcionário do escritório de Bruno
CLÁUDIA COSTA
e as crianças
OBERDAN JÚNIOR – Zezinho
EGON ASZMAN – Carlito
GIOVANNA PIECK – Camilinha
ALAN ALENCAR – Nonô (em flashback)

– núcleo do avarento NONÔ CORRÊA (Ary Fontoura), vive para economizar. Esconde um tesouro em moedas de ouro e joias, guardado em seu quarto. Veste-se mal e se irrita muito facilmente. Não mantém uma boa relação com os filhos por causa de sua avareza. É proprietário de muitos imóveis na cidade de Monte Santo, cobrando altos aluguéis de seus inquilinos:
os filhos: TOMAZ (Edson Celulari), otimista e brincalhão, mas meio inconsequente. Não tem medo do pai e vive querendo descobrir o esconderijo da sua fortuna,
e ELISA (Bia Nunes), tímida e insegura, se acha feia e apagada. Protegida do irmão, morre de medo do pai e faz tudo para não contrariá-lo
a empregada FROSINA (Berta Loran), que trabalha em sua casa há mais de vinte anos. Não recebe salário há meses e vive se desentendendo com o patrão, a quem enfrenta de igual para igual. Porém, apesar de tudo, não abandona a casa por ter prometido à falecida mulher dele que cuidaria de seus filhos
o menor abandonado ZEZINHO (Oberdan Jr.), que vai morar em sua casa. Com sua graça e alegria, acaba amolecendo o coração do velho avarento
o funcionário GUSTAVO (Caíque Ferreira), jovem misterioso que vai trabalhar para si, como administrador de seus bens. Aproxima-se de Elisa por interesse, vislumbrando a fortuna do pai dela
o amigo ANSELMO (Carlos Kroeber), o único que conhece seu tesouro. Homem rico e solitário. É apaixonado secretamente por Elisa – apesar de ter idade para ser pai dela
a irmã de Anselmo, ELVIRA (Wanda Kosmo), domina o irmão sem que ele perceba, sempre afasta qualquer mulher que dele se aproxime. Não quer que ele se case novamente para não ter de dividir sua fortuna.

– núcleo de MARIA DA GRAÇA, que só gosta de ser chamada de GRACE (Yoná Magalhães), sobrinha de Nonô. Americanófila, viúva, bonitona, charmosa e feminista. Tem uma loja de produtos importados. É muito ligada à filha única e a ajuda a organizar seu casamento, apesar de viver em atritos com o pai do futuro genro, um homem machista e nacionalista ferrenho:
a filha ROSEMARY (Mayara Magri), se dá super bem com a mãe, mas sofre com os desentendimentos entre ela e seu futuro sogro
a funcionária em sua loja MAGALI (Yaçanã Martins)
a empregada MARILYN (Hilda Reis)
a empregada na casa de Rosemary, FILÓ (Darcy de Souza).

– núcleo de BRUNO (Carlos Eduardo Dolabella), nacionalista ferrenho, conservador e machista, acreditando que o homem é quem manda em casa e que a mulher deve apenas obedecê-lo. Vive se desentendendo com Grace, futura sogra de seu filho – ou Maria da Graça, como ele prefere chamar só para perturbá-la. Aos poucos, essa implicância mútua acaba se transformando em amor:
o filho JOÃO PAULO (Matheus Carrieri), futuro marido de Rosemary. Admira o pai, com quem tem uma ligação muito forte de companheirismo, mas lamenta as brigas entre ele e sua sogra, Grace
as secretárias em seu escritório NANCI (Cláudia Freire) e ARLETE (Marilka Lannes).

– núcleo de TIO ROMÃO (Fernando Torres), um simpático velhinho, porém misterioso, já que surgiu em Monte Santo e foi ficando amigo dos moradores sem ninguém saber de seu passado. Alguns acreditam que ele seja um santo, outros que é um bruxo. Oferece amizade, conversas e chazinhos, para curar os males do corpo e da alma:
foi morar na casa de JUDITE (Chica Xavier), mulher bondosa, que luta com dificuldade para sobreviver. Fornece salgadinhos para a rotisseria local e aluga quartos de sua própria casa, sem conhecimento de Nonô, o proprietário. Gustavo também é seu inquilino
a filha de Judite, ÂNGELA (Júlia Lemmertz), moça romântica, ingênua e melancólica.

– núcleo de MARIANA (Cláudia Ohana), jovem simples e terna. Muito ligada ao pai, a quem compreende e apoia. Namora e ama Tomaz, porém, para saldar uma dívida do pai, aceita casar-se com Nonô, o pai dele, apesar de não suportá-lo:
os pais: VINÍCIUS (Adriano Reys ), médico humanitário, preocupado com seus pacientes. Homem bom, na maioria das vezes não cobra as consultas, o que irrita a sua mulher. Tem uma dívida com Nonô, que lhe propõe casar-se com sua filha como pagamento
e HELENA (Beatriz Lyra), não compreende a bondade do marido, criticando-o quando ele não cobra suas consultas, já que o orçamento familiar é apertado
a irmã invejosa BEL (Narjara Turetta), apaixona-se por Tomaz e faz de tudo para separá-los
o irmão RENATO (Miguel Falabella), recém-formado em Medicina, volta a Monte Santo para trabalhar com o pai. Morava no Rio de Janeiro e não se acostuma à vida simples na pequena cidade. Sempre foi mimado pela mãe. Arrogante e de caráter duvidoso, tenta seduzir a doce Ângela, que cai em sua lábia.

– núcleo de TITO (Flávio Galvão), dono de uma rotisseria em Monte Santo. Sofre com o ciúme doentio da mulher:
a mulher SANTUSA (Wanda Stephânia), que trabalha com ele na rotisseria. Extremamente ciumenta, vive perseguindo o marido, sempre desconfiando dele. Super protege o filho pequeno e não percebe que cria um monstrinho
o filho CARLITO (Egon Aszman), menino malandro e preguiçoso, mimado pela mãe. Amigo de Zezinho, exige que ele faça as suas lições da escola e mente, dizendo que ele mesmo as fez.

– núcleo de BARRETO (Milton Moraes), prefeito de Monte Santo. Demagogo, envolve as pessoas com seu ar generoso e bom, apenas com vistas a aumentar seu eleitorado:
a primeira mulher ZÉLIA (Vera Gimenez), hipocondríaca, morre no decorrer da trama, vítima de automedicação
a segunda mulher SILVIA (Arlete Salles), melhor amiga de Grace. Deslumbrada, sempre sonhou em ser a primeira dama da cidade
as filhas DÓRIS (Graziela di Laurentis), amiga de Bel e Mariana,
e a menina CAMILINHA (Giovanna Pieck), uma peste que inferniza a vida da madrasta Silvia
o sobrinho SÉRGIO (Paulo César Grande), apaixonado por Mariana, une-se a Bel para separá-la de Tomaz
o secretário TONICÃO (Lajar Muzuris), cabo eleitoral e puxa-saco
a empregada FRANCISCA (Arlene Alves).

– demais personagens:
ROGER (Mário Cardoso), amigo de Tomaz, interessa-se por Bel
LEONOR (Ana Ariel), mãe de Roger
CACÁ (Hugo Gross), namorado de Bel no início. Disputa ela com Roger
EDU (José Carlos Sanches), amigo de Tomaz
PADRE VICENTE (Paulo Gonçalves), pároco de Monte Santo.

Ivani Ribeiro usou as tramas centrais de uma antiga novela sua da TV Tupi, Camomila e Bem-Me-Quer (1972). Mudou alguns nomes de personagens, criou outros em novas tramas, e escreveu esse agradável sucesso.

Sucesso esse devido em grande parte ao personagem Nonô Correia, inspirado no Harpagão de O Avarento, peça de Molière, brilhantemente interpretado por Ary Fontoura, em um de seus melhores trabalhos na TV. Ele comenta que até hoje as pessoas o chamam de Seu Nonô!
Pelo papel, Ary Fontoura foi eleito pela APCA (Associação Paulista de Críticos de Arte) o melhor ator de 1984 (juntamente com Nuno Leal Maia, pela novela Vereda Tropical, e Ney Latorraca, pela minissérie Rabo de Saia).

O que valeu mesmo foi o duelo cômico entre Nonô Correia e Frosina (Berta Loran), sua empregada. Ao final, o casamento dos dois vem provar ao avarento protagonista que amor com amor se paga!

Em Camomila e Bem-Me-Quer, Gianfrancesco Guarnieri, Riva Nimitz, Marcelo Picchi e Tereza Teller viveram os personagens correspondentes aos de Ary Fontoura, Berta Loran, Edson Celulari e Cláudia Ohana na nova versão. Enquanto Nicette Bruno e Juca de Oliveira interpretaram o casal vivido por Yoná Magalhães e Carlos Eduardo Dolabella em Amor com Amor se Paga.

Angelina Muniz era creditada na abertura, mas ela nunca apareceu na novela. A atriz havia sido inicialmente escalada para viver a personagem Dinorá, filha de Judite (Chica Xavier), mas foi reescalada para a nova atração das sete horas, Vereda Tropical. A personagem recebeu novo nome (Ângela) e ficou com a atriz Júlia Lemmertz.

O preconceito racial foi um tema levantado pela novela, através do núcleo de Judite (Chica Xavier), cuja própria filha se envergonhava de sua origem pobre e negra. No decorrer da história, Judite descobre ser mãe de Ângela (Júlia Lemmertz), o que provoca um rebuliço na vida da jovem. O noivo dela, Renato (Miguel Falabella), por preconceito, decide romper o noivado. Site Memória Globo.

Também o hipocondrismo e o perigo da automedicação foram abordados na trama. A personagem hipocondríaca Zélia (Vera Gimenez) morre de tanto tomar remédios.

Parte da novela foi gravada em Teresópolis, Região Serrana do Rio de Janeiro. Site Memória Globo.

A Censura do Regime Militar (ainda vigente em 1984) proibiu um verso da música-tema de abertura da novela, Levantar o Astral, gravada pela banda Santa Cruz. De acordo com o pesquisador Cláudio Ferreira no livro Beijo Amordaçado – A Censura às Telenovelas Durante a Ditadura Militar, a expressão “vamos viajar, levantar o astral” foi substituída por “vamos nos amar, levantar o astral” porque os censores entenderam que o verbo “viajar”, neste contexto, estava associado ao consumo de drogas.

Nem a abertura da novela escapou do olhar atento da Censura. Eis o parecer dos censores descrito no livro “Beijo Amordaçado – A Censura às Telenovelas Durante a Ditadura Militar”:
“Jovem mostra a parte inferior da calcinha ao movimentar-se, close de coxas femininas com meia, closes de quadris de moça com calcinha, mostra de parte de corpo masculino colocando abotoadura e depois gravata. O encadeamento das tomadas acima sugere a existência de um relacionamento íntimo entre um casal (…) É de se ressaltar que inexiste associação entre a ideia proposta pela abertura e/ou encerramento da telenovela e o conteúdo dos dez capítulos já examinados. Presume-se que apenas o título tenha sido o ponto de partida para a criação da referida apresentação”.
De acordo com o autor do livro, Cláudio Ferreira, outro parecer discordou da não liberação e a abertura pôde enfim ser veiculada.

Um erro na capa do disco nacional, que creditou a música ‘Fim de Semana Sem Grana’ a Chicletes, quando, na realidade, a dupla que a gravou chamava-se Chantilly (dupla formada pelos irmãos Noeli e Hélio Santisteban).
A fonte é o livro “Teletema, a História da Música Popular através da Teledramaturgia Brasileira”, de Guilherme Bryan e Vincent Villari.

Primeira novela das atrizes Cláudia Ohana e Bia Nunnes. Estreia na Globo dos atores Flávio Galvão e Mayara Magri.

Amor com Amor se Paga foi reapresentada no Vale a Pena Ver de Novo, entre 26/10/1987 e 01/04/1988.

Mensagem narrada por Fernando Torres (Tio Romão) no final do último capítulo da novela:
“Quando dois homens se encontrarem, sejam de povos, sejam de raças, sejam de classes diferentes, que eles possam sempre apertar as mãos como amigos, porque não há sonho mais bonito que o da grande fraternidade humana.”

Trilha Sonora Nacional
amorcomt1
01. ÁGUA E LUZ – Amelinha (tema de Tio Romão)
02. POR QUE NÃO EU? – Kid Abelha & Os Abóboras Selvagens (tema de Bel)
03. VOCÊ EM MINHA VIDA – Fafá de Belém (tema de Mariana)
04. BICHINHO COLORIDO – Nova Embalagem (tema de Rosemary e Johnny)
05. TENHO MEDO – Renato Teixeira (tema de Bruno)
06. FIM DE SEMANA SEM GRANA – Chantilly (tema de Tomaz)
07. LEVANTAR O ASTRAL – Santa Cruz (tema de abertura)
08. DEUSA DO AMOR – Pepeu Gomes (tema de Nonô Correia)
09. QUANDO TE VI (TILL THERE WAS YOU) – Beto Guedes (tema de Elisa)
10. EMARANHADO – Dudu França (tema de Santusa)
11. ADIVINHÃO – Magazine (tema de Barreto)
12. VEM NESSA – Ruban
13. PERTO DE VOCÊ – Elias (tema de Gustavo e Elisa)
14. VEM COMIGO – Dedé

Trilha Sonora Internacional
amorcomt2
01. OVER YOU – Lane Brody (tema de Tomaz e Mariana)
02. SOMEBODY ELSE’S GUY – Jocelyn Brown (tema de Grace)
03. MOMENTS OF LOVE – After All (tema de Gustavo e Elisa)
04. SOMEBODY TO LOVE – Café Society (tema de locação e núcleo jovem)
05. OH SHERRIE! – Steve Perry (tema de Bel)
06. WE ALL NEED LOVE – Ebony (tema de locação)
07. TANTA TRISTEZA – Los Moros (tema de Elvira)
08. HEART DON’T LIE – Latoya Jackson (tema de locação e núcleo jovem)
09. TIME AFTER TIME – Cyndi Lauper (tema de Rosemary e Johnny)
10. BELIEVE IN ME – Dan Fogelberg (tema de Grace e Bruno)
11. DANCING IN THE DARK – Bruce Springsteen (tema de Renato)
12. DANCIN’ SHOES – Pancho Ballet (tema de Ângela)
13. HAPPY CHILDREN – P. Lion (tema de locação)
14. C’EST BON POUR LE MORAL – La Compagnie Créole (tema de Nonô Correia)

Sonoplastia: Haroldo Barros e Antônio Faya
Supervisão de repertório: Francisco Santos Jr.
Direção musical: Guto Graça Mello
Supervisão musical: Sérgio Motta

Tema de Abertura: LEVANTAR O ASTRAL – Santa Cruz

Abra o coração
Venha e se solte
Vou levar você
Pra outra dimensão
É só concentrar
Nosso pensamento
Vamos nos amar
Levantar o astral

Eu quero você
Me envolvendo inteiro
Te fazer feliz
Viver de amor
Somos dois em um
Sentimento livre
Vamos nos curtir
Cantar e se amar

Vamos para a festa
Vem comigo, vem dançar!
Juntos nessa dança
Pra se libertar!…

Veja também

  • finalfeliz_logo

Final Feliz

  • gatacomeu

A Gata Comeu

  • hipertensao_logo

Hipertensão

  • sexodosanjos2

O Sexo dos Anjos

  • camomilaebemmequer_logo

Camomila e Bem-Me-Quer