Sinopse

As aventuras e desventuras de dois caminhoneiros durante seu percurso pelas estradas brasileiras em um caminhão de carga. Pedro e Bino têm personalidades fortes mas bem diferentes. Pedro é um sujeito extrovertido, fala alto, é estabanado, briguento e, ao mesmo tempo, engraçado. Anda com a camisa aberta e a barba por fazer, além de ter implantado um dente de ouro.

Já Setembrino, o Bino, é casado e pai de um filho pequeno. Sensato e querendo sempre contemporizar, ele se prende a questões mais realistas, como as contas a pagar e a saudade de sua família. Os dois transportam cargas Brasil afora, em estradas de asfalto, terra batida ou caminhos improvisados. Assim, mostram as situações enfrentadas pelos caminhoneiros de todo o país.

As histórias exploram a natureza humana frente as adversidades de uma vida sem muitos recursos, isolados nas estradas ou cidades, dependendo apenas de seus instintos e da solidariedade humana para sobreviver.

Globo – 22h
de 22 de maio de 1979
a 2 de janeiro de 1981
54 episódios

criação de Dias Gomes, Gianfrancesco Guarnieri, Wálter George Durst, Ferreira Gullar e Carlos Queiroz Telles
supervisão de texto de Dias Gomes
direção de Gonzaga Blota, Milton Gonçalves, Ary Coslov, Paulo José e outros

ANTÔNIO FAGUNDES – Pedro
STÊNIO GARCIA – Bino (Setembrino)

1979
01. adeus dequinha – 22/05/1979, com Ana Ariel, Ana Maria Torre, Andrey Salvador, Francisco Dantas, Kátia D’Ângelo, Lia Soll, Maurício do Valle, Norma Blum, Rosane Castro, Sérgio Oliveira, Sebastião Pimentel, Suzana Queiroz, Tony Ferreira, Vanísio Mello e Zeni Pamplona
02. moralidade se conquista – 29/05/1979, com Élcio Romar, Nilson Condé, Rodolfo Arena, Amiris Veronese, Elisa Fernandes, Isaac Bardavid, José Steimberg, Dinorah Brilhante, Newton Martins, Betinho, Patrícia Lounes, Jalusa Barcellos e Isadora.
03. operação limpeza – 05/06/1979, com Antônio Pitanga, Cláudio D’Oliani, Claudionei Penedo, Fernando Amaral, Francisco di Franco, Ivan Mesquita, Jacira Silva, Maria Tereza Barroso, Nardel Ramos, Neuza Amaral, Nilson Accioly, Roberto Murtinho e Telmo Avelar.
04. a estrada – 12/06/1979, com Antônio Victor, Bete Mendes, Gonzaga Blota, Gracindo Jr, Jorge Coutinho, Lourival Trindade, Murilo Neri, Paulo Hesse, Paulo Ribeiro Pinto, Reginaldo Faria, Rosomar Monteiro e Wilson Henrique da Silva.
05. a enchente – 19/06/1979, com Ankito, Expedito Barreira, Guaracy Valente, Haroldo de Oliveira, Liza Vieira, Milton Villar, Munira Haddad, Otávio Augusto, Paulo Figueiredo e Tereza Duarte.
06. a fuga – 26/06/1979
07. a noite do demo – 03/07/1979, com Marcus Vinicius e Átila Iório
08. a suspeita – 10/07/1979, com Ary Fontoura, Myrian Pérsia, Cidinha Milan, Lajar Muzuris e Wellington Botelho.
09. a penca – 17/07/1979
10. vingança tardia – 24/07/1979, com Roberto Frota e Léa Garcia
11. arapuca – 31/07/1979, com Milton Rodrigues, Cosme dos Santos, Mário Petraglia, Cidinha Milan, Roberto Ribeiro, Márcia Nahu, Antônio Sesse, José M. Mello e Jesse Dantas.
12. o velho viana – 07/08/1979, com Cazarré
13. pagamento contra entrega – 14/08/1979, com Rogério Fróes, Érica Kupper, Tânia Pérsia, Wancler de Almeida, Silvia Cristina, Maria Cecilia Moura e Sônia Maria.
14. o malfazejo – 21/08/1979
15. a explosão – 28/08/1979, com Rui Resende e Átila Iório
16. o caso do titio – 04/09/1979, com Fernando Reski e Cazarré
17. a procura – 11/09/1979, com Ítala Nandi e Marcos Frota
18. a aposta – 18/09/1979
19. o arrocho – 25/09/1979, com Helber Rangel, Benjamin Magno, Mauro Mendonça, Ivan Setta, Cristina Isabel, Tessy Calado, Pietro Mário e Francisco Dantas
20. a santa – 02/10/1979, com B. de Paiva, Tony Vermont, Carlos Perry, Dilma Lóes, Élida L’Astorina, Isaac Bardavid, Jaime Filho, Lourdes Mayer, Tonico Pereira, Wilson Aguiar e Lícia Magna.
21 e 22. algemas (2 partes) – 09 e 16/10/1979
23. br futebol clube – 23/10/1979, com Ary Fontoura, João Carlos Barroso, Antônio Pitanga, Cosme dos Santos, Ary Toledo, Reynaldo Gonzaga, Osmar Prado, Guaracy Valente e os goleiros Félix e Ubirajara do Flamengo
24. carga lírica – 30/10/1979, com Suely Franco
25. a lei dos carreteiros – 06/11/1979, com Angelito Mello e Otávio Augusto

1980
01. cotidiano
02. mão cinzenta – 18/07/1980
03. a rinha – 25/07/1980, com Grande Otelo e Ankito
04. bode expiatório
05. em nome da santa – 08/08/1980
06. o foragido – 15/08/1980, com José Mayer
07. sangue do meu sangue – 22/08/1980, com Yara Amaral
08. posto esperança
09. o grande assalto
10. na estrada da vida não tem retorno
11. a barricada – 19/09/1980
12. o último olhar
13. assombração – 03/10/1980, com Hélio Ary e Clarisse Abujamra
14. perdão, dadá, com Cidinha Milan
15. feito mancha na estrada
16. a disputa
17. bem-querer – 31/10/1980, com Midori Tange
18. a vaca talhada
19. o professor
20. frete carioca – 21/11/1980, com Roberto Frota
21. o casamento de pedro – 28/11/1980, com Natália do Vale, Felipe Carone e Edson Silva
22. os filhos de bino – 05/12/1980, com Cidinha Milan
23. pra morrer basta estar vivo – 12/12/1980
24. lance final
25. peru de natal
26. o anjo da morte (último episódio) – 02/01/1981, com Alexandre Raymundo

Em maio de 1979, a Globo lançou, às 22 horas, o projeto Séries Brasileiras, com Carga Pesada, exibida às terças-feiras, Malu Mulher, às quartas, e Plantão de Polícia, às sextas.

Protagonizada por Antônio Fagundes e Stênio Garcia, Carga Pesada ficou no ar por dois anos: 1979 e 1980. Foi a primeira produção a mostrar na televisão os problemas dos caminhoneiros pelas estradas do Brasil. A ideia do seriado surgiu em 1978, com o Caso Especial Jorge, um Brasileiro, de Oswaldo França Jr., estrelado pelo próprio Antônio Fagundes. A trama narrava as aventuras de um caminhoneiro que transportava cargas pelo interior de Minas Gerais.

Antônio Fagundes e Stênio Garcia escreveram 12 dos 54 episódios de Carga Pesada, como “O Fantasma” e “A Barricada”.

A dupla de atores esteve perfeita na caracterização de seus personagens, Pedro e Bino. Os dois voltaram a trabalhar juntos nas novelas Corpo a Corpo (1984-1985), O Dono do Mundo (1991) e O Rei do Gado (1996). E ainda no remake da série, em 2003, em uma nova versão, mostrando o paradeiro de Pedro e Bino 22 anos depois.

Por sua atuação, Stênio Garcia foi eleito pela APCA (Associação Paulista de Críticos de Arte) o melhor ator de 1980 (juntamente com Jardel Filho, pela novela Coração Alado).
No ano anterior, o ator José Dumont, por sua participação no seriado (estreando em televisão), levara o prêmio de revelação na TV em 1979 (juntamente com Narjara Turetta, por Malu Mulher).

O diretor Daniel Filho revelou em seu livro “O Circo Eletrônico” sobre a escolha dos protagonistas:
“Para Carga Pesada precisava de alguém bruto e sexy e Antônio Fagundes foi minha primeira e única opção. Além do tipo físico, ele adora esse tipo de vida e de música. Ele e Stênio Garcia tinham grande identificação com os personagens.”

A produção exigia muita logística, porque muitas externas eram realizadas em regiões distantes do centro de produção da Globo, obrigando a um planejamento para o deslocamento de equipamentos e de toda a estrutura técnica. (“Biografia da Televisão Brasileira”, Flávio Ricco e José Armando Vannucci)

O programa teve grande variedade de locações. Cerca de 90% dos episódios foram gravados em externas, com muitas cenas noturnas.
Convidados e figurantes mudavam a cada semana, em um total nunca inferior a 30 pessoas por capítulo.
A Scania Vabis do Brasil patrocinou 26 episódios, cedendo caminhões para uso dos personagens. Depois foi a vez da Chrysler brasileira manter parte da produção para ter sua marca exposta no programa. (Site Memória Globo)

Antônio Fagundes declarou a Flávio Ricco e José Armando Vannucci para o livro “Biografia da Televisão Brasileira”:
“Era um programa muito popular, porque a cada semana trazia realidades sociais totalmente diferentes de um país extenso como o nosso.”

Perguntado de algum episódio marcante, Stênio Garcia declarou:
“Vários. Mas o maior sufoco foi nas gravações de um episódio chamado Enchente, que teve inclusive a participação do Gianfrancesco Guarnieri. Foi gravado no interior do Rio, estava chovendo muito e uma barragem naquela cidade estourou. Conclusão: houve uma enchente de verdade. Foi um sufoco [risos], mas no final deu tudo certo.”

A série foi reapresentada em duas ocasiões festivas: 5 episódios em março de 1990, durante o Festival 25 Anos da TV Globo; e mais 5 episódios em 1995, no Festival 30 Anos.

Trilha Sonora

01. O FRETE – Renato Teixeira (tema de abertura *)
02. EU VOU PARTIR – Os Filhos de Goiás
03. CAMINHEIRO – Sérgio Reis
04. NEW WHISKY, NEW CERVEJA – Rock e Ringo
05. A VIDA DO VIAJANTE – Luiz Gonzaga Jr. e Luiz Gonzaga
06. MOTORISTA DE CAMINHÃO – Léo Canhoto e Robertinho
07. CHEGA MORENA – Dominguinhos
08. MOTORISTA BRASILEIRO – Teixeirinha
09. MAS QUEM NÃO É – Jacó e Jacozinho
10. PESCADOR E CARTIREIRO – Cacique e Pajé
11. QUEM SOU EU – Duduca e Dalvan
12. FESTIVAL DE EMBOLADA – Riberti

Seleção de Repertório: Guto Graça Mello
Pesquisa: Rúbens A. Bastos e Arnaldo Schneider

Tema de Abertura: O FRETE – Renato Teixeira *

Eu conheço cada palmo desse chão
É só me mostrar qual é a direção
Quantas idas e vindas,
Meu Deus quantas voltas
Viajar é preciso, é preciso
Com a carroceria sobre as costas
Vou fazendo frete, cortando o estradão

Eu conheço todos os sotaques
Desse povo todas as paisagens
Dessa terra todas as cidades
Das mulheres todas as vontades
Eu conheço as minhas liberdades
Pois a vida não me cobra o frete

Por onde eu passei deixei saudades
A poeira é minha vitamina
Nunca misturei mulher com parafuso
Mas não nego a elas meus apertos
Coisas do destino e meu jeito
Sou irmão de estrada e acho muito bom
Mas quando eu me lembro lá de casa
A mulher e os filhos esperando o pão
Sinto que me morde a boca da saudade
E a lembrança me agarra e profana
O meu tino forte de homem
E é quando a estrada me acode…

* O tema de abertura era uma versão instrumental da música

Veja também

  • malumulher_logo

Malu Mulher

  • plantaodepolicia_logo

Plantão de Polícia

  • bemamado_ser_logo

O Bem-Amado (a série)

  • cargapesada2003_logo

Carga Pesada (2003)