Sinopse

O cotidiano de crianças no orfanato Raio de Luz, liderado pela jovem Carolina. Todos passam por muitas aventuras, desde bosques encantados a enrolos amorosos, retratando suas experiências, como descobrir o primeiro amor, decepções, solidão e amizade.

Logo após Gabriela ter um bebê, seu pai, o arrogante e poderoso José Ricardo de Almeida Campos, sequestrou a neta porque não aceitava o fato da filha ter se envolvido com um empregado. Como sua neta Mili precisava de um lugar para viver, ele criou o orfanato Raio de Luz. Mili cresceu nesta mansão ao lado de outras meninas, que chegaram mais tarde. Suas companheiras são Bia, Ana, Cris e as irmãs Tati e Vivi.

O Raio de Luz é supervisionado por Ernestina, uma zeladora rigorosa, e Chico, o Chef adorável e amado pelas meninas. Emília é a diretora do orfanato até Carmem, irmã de José Ricardo, uma mulher ambiciosa , tomar essa posição.

No início, Pata, uma nova garota, entra no orfanato. Ela inicialmente não se dá bem com as outras meninas, porém mais tarde é bem aceita e torna-se uma grande amiga, principalmente de Mili. Pata depois conhece seu meio-irmão, apelidado de Mosca. Inicialmente considerado um delinquente por Carmem, Mosca torna-se o primeiro menino no local, despertando os sentimentos românticos de Vivi e Cris.

A vida das meninas no orfanato se transforma com a chegada de Carolina, uma jovem que trabalhava em uma das fábricas da família Almeida Campos. Carol vive com seu irmão malandro, Beto, e eles cuidam de Dani, uma menina órfã. Na fábrica, Carol conhece Júnior, filho mais velho de José Ricardo, um economista que viveu em Londres e está de volta a São Paulo por causa de seu trabalho. Eles se apaixonam, mas José Ricardo, esnobe, fará de tudo para mantê-los separados.

Gabriela, filha de José Ricardo, tornou-se mentalmente afetada desde que acreditou que sua filha morreu. Na verdade, uma mentira de seu pai, já que a menina é Mili e vive no Raio de Luz. A doença de Gabriela é suavizada por Mili ao se tornarem amigas, sem saberem de seus laços de sangue.

SBT – 20h e 19h
de 28 de julho de 1997
a 19 de janeiro de 2001
5 temporadas totalizando 807 capítulos

criação de Gustavo Barrios, Patricia Maldonado e Cris Morena
escrita por Delia Maunas e Horacio Marshall
adaptação para o Brasil de Caio de Andrade
direção de Hernan Abrahamsohn (1ª temporada), Eugenio Gorkim (2ª temporada) e Claudio Ferrari (3ª, 4ª e 5ª temporadas)
coprodução com a emissora argentina Telefé

FLÁVIA MONTEIRO – Carol (Carolina Correia)
ALEX BENN – Júnior (José Ricardo de Almeida Campos Jr.)
ROGÉRIO MÁRCICO – José Ricardo de Almeida Campos
CLÁUDIA SANTOS – Gaby (Gabriela de Almeida Campos)
DÉBORA OLIVIERI – Carmem de Almeida Campos
NELSON FREITAS JR. – Fernando Brausen
MATHEUS CARRIERI – Miguel
MAGALI BIFF – Ernestina / Matilde (Martírio)
FABIANA URIA – Cíntia
GÉSIO AMADEU – Chico, o Chef
MARIA ESTELA – Emília
JIDDU PINHEIRO – Beto
LUCIANA VICENTE – Clarita
CECÍLIA ARELLANO – Letícia
MARCOS PASQUIM – Felipe Mendes Ayala / Manoel Mendes Ayala
IMARA REIS – Helena Krueger
BIANCA RINALDI – Andrea
FERNANDO NEVES – Zigfrido
VALÉRIA SÂNDALO – Teresa
DÉBORA FALABELLA – Estrela
OMAR CALICCHIO – Alfredo
SERAFIM GONZALEZ – Vô Tunico
CARMO DALLA VECCHIA – Rian
LARISSA BRACHER – Cora
NEUSA MARIA FARO – Valentina
LUIZ FERNANDO PETZHOLD – Juca
FÁBIO ASTE – Armando
BIBI VOGEL – Fernanda Veiga Lopes
CARMELA MEDEIROS – Maria Cecília
CARLOS WEIGLE – Tobias

as crianças e adolescentes
FERNANDA SOUZA – Mili (Milena)
ARETHA OLIVEIRA – Pata (Patrícia)
GISELE FRADE – Bia
BEATRIZ BOTELHO – Ana
FRANCIS HELENA – Cris
ANA OLÍVIA SERIPIERI – Tati
RENATA DEL BIANCO – Vivi
PIÉRRE BITTENCOURT – Mosca (Felipe)
MARIANE OLIVA – Marian
GISELLE MEDEIROS – Dani
CARLA DIAZ – Maria
LAURA FELICIANO – Laurinha
PAULO NIGRO – Júlio
BRUNO DE ANDRADE – Mathias
FÁBIO BRUCCI – Fábio
LUAN FERREIRA – Binho
POLLYANNA LÓPEZ – Poli (Poliana)
MARINA BELLUZZO – Lúcia
CAMILA BELLUZZO – Dina
GABRIEL BELLUZZO – Maurício
ALLAN DIAS – Neco
CAUÊ BRAGA – Diego
THIAGO DE OLIVEIRA – Thiago
CHICO ABREU – Tatu
JONATAS FARO – Samuca
GABRIELA LEBROR – Lila
KAREN ROCA – Janu
VICTÓRIA ROCHA – Nádia
GIOVANNI DELGADO – Lucas
FELIPE CHAMMAS – Rafa
JANDER VEECK – Zeca
ELISA VEECK – Fran
RAFAEL PONGELLUPI – André
BÁRBARA FRANK – Paula
NIKOLAS MACIEL – Janjão
THIAGO SANTANA – Simão
STEFANY BRITO – Hannelore
KAYKY BRITO – Fabrício
SAMIR ALVES – Yago
MAIARA OTERO ALVES – Ciça (Cecília)
VANDERSON PAULINO FERREIRA – Bernardo
RAFAEL PEREZ DUTRA – Bento
CAUÃ SOUZA – Guido
VÍVIAN NAGURA – Bel
BRUNA GUASCO – Bruninha
RAISSA MEDEIROS – Talita
GRETA ELETHFERIOU – Inês
BRUNO GAGLIASSO – Rodrigo
CAIO ROMEI – Ruivo
YURI XAVIER – Yuri
THIAGO FARIAS – Gigio
GABRIELA ESPÓSITO – Keila

e
ANDRÉ CURSINO – Álvaro
ÂNGELA CORRÊA
ARIEL MOSHE – Horácio
CARLOS MANI – Renato
CARLOS MESQUITA
CRISTINA BESSA – Roberta
CRISTINA SANO – Satiko
DANIELA MARCONDES – Clarisse
DENISE FRAGA
DINO MORENO
EDSON FIESCHI
ERNANDO THIAGO
FELIPE WAGNER
GABRIEL PINHEIRO – João
GERSON STEVES – Nabuco
GLÓRIA PORTELA
GUILHERME LIMA
GUSTAVO HADDAD – Cadu
IVANA PEYCHAUX
JÉSSICA NIGRO – Rosa dos Anjos
KARINE CARVALHO
LIA DE AGUIAR – Condessa
LILYÁ VIRNA – Julieta
LUCAS LOURENÇO – Matheus
LUCIENE ADAMI
MALU PESSIN – Iaiá
MALU ROCHA
MARIA EUGÊNIA – Gardênia
MARIA MANUELA ASSUNÇÃO – Linda
MÍRIAM LINS
NELSON BASKERVILLE
PATRÍCIA ROSAS
PAULO LEITE
ROBERTO ARDUIM – Samuel
VANUSA FERLIN
YARA NOVAES – Lurdinha

Chiquititas (palavra espanhola que quer dizer “pequeninas”) foi criada na Argentina por Cris Morena, a esposa do dono da rede de televisão Telefé. A novela foi vendida para muitos países mas nem todos tiveram boa audiência.

No Brasil, Chiquititas foi uma coprodução, entre a Telefé e o SBT. Aqui foi um sucesso que estourou em 1997 com médias em torno dos 18 pontos. Uma verdadeira febre entre as crianças, com lançamento de brinquedos, revistas, álbuns de figurinhas, vestuário e outros itens infantis.

Mas esse sucesso ocorreu apenas no primeiro e segundo anos (1997 e 1998). Com o passar do tempo, a audiência foi minguando. Enquanto a versão argentina contou com sete fases completas, até 2002, no Brasil a novela terminou na sua quinta temporada, em janeiro de 2001.

Em janeiro a novela saía do ar e voltava em abril. Durante essas “férias” de Chiquititas, o SBT exibia alguma novela mexicana curta. Por conta dessas interrupções, Chiquititas não pode ser considerada a mais longa novela da Teledramaturgia nacional. Mesmo assim, o número de capítulos (807) supera Redenção (TV Excelsior, 1966-1968), a novela que detém esse título.

– 1ª temporada: de 28/07/1997 a 31/07/1998
– 2ª temporada: de 03/08 a 25/12/1998. As duas primeiras temporadas foram seguidas uma da outra, porém trocou-se a abertura, parte do elenco, trilha sonora, etc.
– Ao final da segunda temporada, entrou a novela mexicana Luz Clarita (exibida de 28/12/1998 a 03/04/1999) e, na sequência, estrearam a terceira e quarta temporadas de Chiquititas, exibidas durante o resto do ano de 1999: 3ª temporada de 05/04 a julho, e 4ª temporada de julho a 31/12/1999, tendo o último capítulo reprisado em 01/01/2000.
A partir da terceira temporada, o capítulo de sábado passou a ser um resumo dos capítulos da semana.
A quarta temporada também foi separada da seguinte pela apresentação de uma novela mexicana: O Diário de Daniela (exibida de 03/01 a 15/04/2000).
– 5ª temporada: de 17/04/2000 a 19/01/2001.
As mexicanas Luz Clarita e O Diário de Daniela tiveram mais audiência que a própria Chiquititas. Com o fim do contrato com a Telefé (em 2001), o SBT encerrou a novela, que já não fazia o mesmo sucesso, com 9 pontos no Ibope em SP contra 43 da atração da Globo no horário, Uga Uga.

A novela brasileira começou em 1997, quando a original argentina estava em sua terceira temporada. Foi totalmente gravada em Buenos Aires, na Argentina, nos mesmos estúdios da Telefé e locais utilizados para a novela original, com Buenos Aires aparecendo como São Paulo no enredo.

Os únicos atores a permanecer do início ao fim da novela foram as crianças Aretha Oliveira (Pata) e Piérre Bittencourt (Mosca) – que logo se tornaram adolescentes -, e a atriz Flávia Monteiro, que vivia Carolina, a diretora do orfanato. Ao longo da novela, Carolina teve quatro pares românticos.

A maioria dos atores eram recrutados em concursos e audições. Alguns foram escolhidos apenas pela beleza, pois nunca tinham pisado em um estúdio na vida. Vários dos personagens, para não confundir os pequenos atores e telespectadores, tinham os nomes das próprias crianças que os interpretavam.

A novela tornou-se muito popular entre as crianças e várias sonhavam em participar do elenco, com audições movimentando milhares de candidatos nas principais capitais do país. Em 1999, mais de 15 mil crianças e adolescentes em São Paulo, 10 mil no Rio e 6 mil em Recife participaram das audições para a terceira temporada, um recorde entre as seleções de elenco desse tipo.

Vários nomes do elenco foram contratados pela Globo após a novela: Fernanda Souza, Carla Diaz, Débora Falabella, Stefany Brito, Kayky Brito, Jonatas Faro, Paulo Nigro, Giselle Frade, Bruno Gagliasso, e outros.

Os CDs gravados com a trilha sonora foram sucesso de vendas (ao todo foram 6). O primeiro, de 1997, teve 1,2 milhão de cópias vendidas, que renderam três discos de platina. As músicas eram traduzidas e adaptadas para o português pelo produtor musical Caion Gadia.
Diferente da novela argentina, as canções no Brasil foram, em sua maioria, gravadas por cantores profissionais adultos, jovens e crianças, e dubladas pelos atores da novela em videoclipes e shows. As exceções foram Flávia Monteiro, Gésio Amadeu, Omar Calicchio, Magali Biff e Débora Olivieri, do elenco adulto. Flávia Monteiro chegou a ter aulas de canto.
Quase todas as músicas da trilha sonora originaram videoclipes, que eram exibidos durante os capítulos da trama ou ao final, enquanto apareciam os créditos de encerramento. As coreografias foram inspiradas em musicais clássicos norte-americanos e em passos de Gene Kelly, Donald O’Connor e Fred Astaire. O elenco principal também apresentou-se ao vivo em vários shows pelo país.
Algumas das chiquititas dissidentes formaram o grupo musical As Crianças Mais Amadas do Brasil.

Com exceção de “Até 10” e “Sinais”, todos os videoclipes foram filmados no Brasil, utilizando locais da capital paulista (como o Parque do Ibirapuera, a Avenida Paulista, o Theatro Municipal e o Memorial da América Latina), além outros por todo o país.
Os clipes “Passarinho”, “Liberdade”, “Estrela”, “Não Pode Ser” e “No Começo”, da quinta temporada, foram filmados na ilha de Fernando de Noronha.

Entre 22/11/2004 a 08/04/2005, o SBT reprisou, às 18h30, as duas primeiras fases da novela.
Entre 2007 e 2008, o SBT exibiu a continuação da saga das Chiquititas, mas a versão original argentina (a partir da sexta temporada).

Em 2012, o SBT comprou os direitos da novela da Telefé e, em 2013, produziu uma nova versão de Chiquititas, totalmente gravada no Brasil, sem nenhum vínculo com a Argentina. O remake foi adaptado por Íris Abravanel e tinha no elenco Manuela do Monte (Carolina), Giovanna Grigio (Mili), Júlia Olliver (Pata) e outros.

Trilha Sonora 1

chiquititast1
01. REMEXE
02. BERLINDA
03. MENTIRINHAS
04. TUDO TUDO
05. IGUAL AOS DEMAIS
06. TE ENCONTREI
07. ERA UMA VEZ
08. SINAIS
09. POR QUE DEUS ?
10. ATÉ DEZ

Trilha Sonora 2

chiquititast2
01. MEXE LÁ
02. ME PASSAM COISAS
03. BRINQUEDO PRA MONTAR
04. CORAÇÃO COM BURAQUINHOS
05. O CHEFE CHICO
06. BLUE JEANS BABY TATUÁ
07. BRUXAS MALVADAS
08. CRESCER
09. NO FIM
10. AMIGAS

Trilha Sonora Complementar: “Chiquititas em Festa”

chiquititast3
01. SÓ POR UMA VEZ
02. PAPAI
03. O QUE VOCÊ FEZ ?
04. VIVA A VIDA
05. VERDE E AMARELO
06. ANO NOVO
07. NATAL
08. VIVA A VIDA (Remix)
09. O QUE VOCÊ FEZ ? (Remix)
10. REMEXE (Karaokê)
11. TUDO TUDO (Karaokê)

Trilha Sonora 3

chiquititast4
01. LU-LUCITA
02. UM CANTINHO DE LUZ
03. MEXE JÁ
04. É SÓ QUERER
05. A NOSSA IDADE
06. MAIS AINDA
07. APAIXONADA POR TODOS
08. BRUXAS MALVADAS
09. O BEIJO
10. PENSO EM TI

Trilha Sonora 4

chiquititast5
01. ME DÁ UM CH
02. PENSO EM TI
03. VINTE E QUATRO HORAS
04. NO FUNDO
05. ESTOU LOUCO
06. ESPELHINHO
07. PIMPOLHO
08. NO COMEÇO
09. VOAR MELHOR
10. O BEIJO
11. CHIQUITITAS

Trilha Sonora 5

chiquititast6
01. SEMPRE CHIQUITITAS
02. NÃO PODE SER
03. PASSARINHO
04. ESTRELA
05. SR. AMOR
06. ADOLESCENTE
07. MUNDOS DIFERENTES
08. ÁLBUM DA VIDA
09. LIBERDADE
10. ANJO COZINHEIRO

Temas de Abertura: REMEXE (1997-1998), MEXE LÁ (1998), MEXE JÁ (1999), ME DÁ UM CH (1999), SEMPRE CHIQUITITAS (2000)

Veja também

  • perolanegra_logo

Pérola Negra

  • fascinacao_logo

Fascinação

  • chiquititas2013_logo

Chiquititas (2013)