Sinopse

São Paulo, 1958. Laura e Natércio Silva Prado formam um dos mais invejados casais da sociedade paulistana. Ele é um advogado conceituado e ávido para seguir uma vitoriosa carreira jurídica. Laura é uma bela mulher, elegante e culta. O casal mora num casarão do Jardim Europa e tem três filhas: Otávia, Bruna e Virgínia.

Mas, Laura sofre de distúrbios emocionais que a faz ter crises constantes. Ora é tranqüila e simpática, ora se mostra nervosa e descontrolada. Doente, ela se trata com o atencioso médico Daniel Freitas – com quem já teve um caso no passado -, que é o oposto de Natércio, sempre ocupado demais para dar atenção à esposa.

A filha caçula, Virgínia, desde o nascimento, sempre foi muito apegada à mãe, e esta à filha, o que despertou o ciúme das outras duas irmãs e a desconfiança de Natércio, que vive na sombra da dúvida de Virgínia ser fruto do adultério da esposa. Contestadora e inconformada com o tratamento que Natércio dá a Laura, Virgínia bate de frente com o pai, que não a poupa dos castigos. É nos braços do jovem Conrado Cassini que Virgínia encontra apoio, mesmo tendo que disputá-lo com Otávia, que faz de tudo para roubar o namorado da irmã.

Para fugir da falta de compreensão, Laura sempre busca o apoio de seu médico, ainda apaixonado por ela. Não suportando mais conviver com a tirania do marido, ela decide acabar seu casamento. Inconformado, Natércio manda internar a esposa como louca. É Daniel quem a resgata do sanatório e leva para morar em sua casa, um sobradinho na Vila Mariana.

Mas Natércio fará de tudo para ter sua mulher de volta, contando com o apoio da fiel governanta Frau Herta, uma mulher austera e temida pelos demais empregados da mansão dos Prado. E completamente apaixonada pelo patrão.

Globo – 18h
de 5 de maio a 4 de outubro de 2008
131 capítulos

novela de Alcides Nogueira
escrita por Alcides Nogueira e Mário Teixeira
baseada no romance homônimo de Lygia Fagundes Telles
colaboração de Lúcio Manfredi e Cristiane Dantas
direção de Maria de Médicis, Natalia Grimberg, André Luiz Câmara e Allan Fiterman
direção geral de Carlos Araújo
núcleo Denise Saraceni

Novela anterior no horário
Desejo Proibido

Novela posterior
Negócio da China

ANA PAULA ARÓSIO – Laura Prado
MARCELLO ANTONY – Dr. Daniel Freitas
DANIEL DANTAS – Dr. Natércio Silva Prado
TAMMY DI CALAFIORI – Vírginia
ANA BEATRIZ NOGUEIRA – Frau Herta
CAIO BLAT – Afonso
MAX FERCONDINI – Conrado
ARIELA MASSOTI – Otávia
ANA SOPHIA FOLCH – Bruna
BRUNO GAGLIASSO – Eduardo
CLÉO PIRES – Margarida
PAOLA OLIVEIRA – Letícia
LEANDRA LEAL – Elzinha
OSMAR PRADO – Cícero Cassini / Menelau
MÔNICA TORRES – Lili (Julieta Cassini)
CLÁUDIO FONTANA – Rogério
GUILHERME WEBER – Arthur X
JOSÉ RUBENS CHACHÁ – Memé
CLARICE NISKIER – Alzira
WALDEREZ DE BARROS – Dona Ramira
HERMYLLA GUEDES – Divina
LUCY RAMOS – Luciana
MILA MOREIRA – Urânia
JÚLIO ANDRADE – Patrício
KAREN COELHO – Idalina
DANIELE SUZUKI – Alice / Amélia
GABRIEL WAINER – Adonir
ANDRÉ REBUSTINI – Pedro
JOSÉ AUGUSTO BRANCO – Silvério
TUNA DWEK – Iracema
MARIA POMPEU – Joaquina
ROSAMARYA COLIN – Aurora
ANDRÉ FRATESCHI – Peixe (Frederico Augusto)
PAULO VASCONCELOS – Ferdinando
OLÍVIA ARAÚJO – Jovelina
DOMINGOS MEIRA – Alberto
JULIANO RIGHETTO – Nicolau
SAMUEL DE ASSIS – Emiliano
MARIA LAURA NOGUEIRA – Rosa
LUISA VALDETARO – Mirna
LUKA RIBEIRO – Quintela
ANDRÉ CORREIA – Bandeira
FRANCISCO GASPAR – Juraci
as crianças
ANDRÉ LUIZ FRAMBACH – Franzé
DIEGO FRANCISCO – Faísca
GABRIELLY NUNES – Gracinha
ANA KAROLINA LANNES – Lindalva
NÊMORA CAVALHEIRO – Naná
e
ANA FURTADO – Joice (nova treinadora de Letícia)
ALESSA REZENDE – Marilu (ajudou Urânia a sabotar o concurso Miss Suéter)
ALEXANDRE BARBALHO – representante do Banco Metrópole
ALICE BORGES – Rita
BERTA LORAN como ela mesma, jurada no concurso Miss Suéter
CLÁUDIO CAPARICA – vendedor de loja de móveis hospitalares
EDNEY GIOVENAZZI – Dr. Madeira (advogado de Laura)
ELLEN ROCHE – Teodora (contratada por Frau Herta para tirar fotos comprometedoras com Daniel)
GLAUCE GRAIEB – Madame Lenah (modista)
ISABEL WILKER – Márcia (modelo da maison de Laura)
LAURA CARDOSO – Prosópia (amiga de Ramira)
LUCAS DOMSO – frequentador do Tênis Clube que briga com Arthur X e é expulso
MAURO JOSÉ – pretendente de Joaquina no último capítulo
MURILO GROSSI – Tobias Cândido do Amaral (dono do Banco Metrópole)
ORLANDO DRUMMOND como ele mesmo, jurado no concurso Miss Suéter
PAULO JOSÉ – Quincas (amigo de Daniel)
PEDRO FARAH (FARNETTO) como ele mesmo, jurado no concurso Miss Suéter
PEDRO GARCIA NETTO – Amadeu Bandeira (produtor de cinema)
PRISCILA STEINMAN – Nely (amiga de Otávia que engravida de Arthur X)
REGINA CASÉ – Eunice Jardim (apresentadora do programa feminino do qual Jovelina participa)
RENATA BRIANI – Genilda (moradora de rua que se machuca no acidente com o bonde, causado por Daniel)
RICARDO PAVÃO – General Andrade (pai de Nely)
ROBERTO FROTA – Dr. Paes de Almeida (pai de Rogério)
RONAN HORTA – frequentador do Tênis Clube que briga com Arthur X e é expulso
TAMARA TAXMAN – Maria Emília Paes de Almeida (mãe de Rogério)
THIAGO LUCIANO – Janjão (treinador de Letícia)
TUTUCA como ele mesmo, jurado no concurso Miss Suéter

– núcleo de LAURA (Ana Paula Arósio), bela mulher, de origem aristocrática, devotada à pintura e à música. Não aguentando a opressão exercida pelo marido, separou-se dele depois de ter sido internada num sanatório para doentes mentais. Sofre de um problema neurológico, que a leva a um mundo irreal, porém tem momentos de lucidez. Mora com seu médico que a tirou do sanatório por acreditar que ela não é louca:
o ex-marido DR. NATÉRCIO SILVA PRADO (Daniel Dantas), um renomado jurista, austero, altivo e possessivo. Casou-se com a promessa de que ela poderia continuar dedicando-se às artes, mas, na verdade, queria apenas uma mulher voltada para o lar. Após a separação, a filha mais nova vai morar com a mãe, na Vila Mariana, e as mais velhas ficam com ele, na mansão no Jardim Europa
as filhas: VIRGÍNIA (Tammy di Calafiori), a caçula, garota sensível, esperta e romântica. Com a separação dos pais, foi morar com a mãe e o médico dela. Sofre com a doença da mãe e fica muito dividida quando tem que voltar para a casa do pai. Sonha com a vida na mansão, mas percebe que a realidade é bem diferente da que imaginava. Sente-se aprisionada na casa, cercada por pessoas das quais não consegue se aproximar,
OTÁVIA (Ariela Massotti), a mais velha, mora com pai. Moça bela e decidida. Inconscientemente, tenta imitar a mãe, tendo o mesmo interesse pela pintura e pela música. Provocativa, quase leviana, não se liga a namorados, com medo de levar adiante qualquer relação mais séria,
e BRUNA (Ana Sophia Folch), também vive com o pai. O contrário de Otávia: religiosa e moralista, quer imitar o pai, por quem tem grande respeito. Não gosta de falar na mãe e será a primeira a hostilizar Virgínia depois de sua volta
o amigo das filhas ALBERTO (Domingos Meira), rapaz da alta sociedade.

– núcleo do DR. DANIEL FREITAS (Marcello Antony), médico neurologista, solidário e humanista. É apaixonado por Laura, sua paciente. Quando soube que ela estava internada no manicômio, conseguiu tirá-la de lá levá-la para sua casa. Sabe que sua doença é física e não mental. Tem grande carinho por Virgínia. Desconhece um segredo de Laura e do Dr. Prado: Virgínia é, na realidade, sua filha:
a empregada em sua casa e enfermeira de Laura, LUCIANA (Lucy Ramos), apaixonada em segredo por ele.

– núcleo do industrial CÍCERO CASSINI (Osmar Prado), vizinho e amigo do Dr. Prado, seu sócio numa indústria metalúrgica. Descendente de italianos, gostaria de ter trânsito livre na sociedade tradicional paulistana, o que a sua condição de novo-rico não permite:
a mulher JULIETA (Mônica Torres), foi muito amiga de Laura, morre no decorrer da trama
os filhos CONRADO (Max Fercondini), que durante a infância namorou Virgínia. Os dois reaproximam-se quando ela volta a morar com o pai. Mas Otávia envolve Conrado, afastando-o de Virgínia,
e LETÍCIA (Paolla Oliveira), esportista, pratica tênis. Transforma-se numa espécie de protetora de Virgínia. Rebelde às ordens do pai, não aceita seus princípios conservadores, o que faz com que os dois entrem em conflito. Alheia a namoros, não se prende a qualquer rapaz em especial
o empresário ARTHUR X (Guilherme Weber), ligado a ele e ao Dr. Prado. Um homem moderno, elegante, excêntrico, vaidoso, esportista. Vive uma paixão explosiva por Letícia
o acompanhante de Arthur X, FERDINANDO (Paulo Vasconcelos), está sempre ao seu lado, como uma sombra
os funcionários de sua metalúrgica, EMILIANO (Samuel de Assis), rapaz trapalhão, boa gente,
e NICOLAU (Juliano Righetto), determinado, batalhador e correto, quer estudar e melhorar de vida.

– núcleo de MARGARIDA (Cléo Pires), vizinha e melhor amiga de Virgínia na Vila Mariana. Professora primária:
o namorado EDUARDO (Bruno Gagliasso), de origem pobre, estuda engenharia e trabalha na metalúrgica de Cícero Cassini, onde começa a se destacar. Encanta-se com Virgínia quando a conhece
os pais MEMÉ (José Rubens Chachá), engraçado e amigo de todos. Exímio peruqueiro e cabeleireiro
e ALZIRA (Carice Niskier), finge que é muito brava, mas tem o coração mole. Vive brigando com o marido
as irmãs ELZINHA (Leandra Leal), espevitada, divertida e namoradeira, sonha com um casamento rico. Vai trabalhar na metalúrgica de Cícero Cassini e cria muita confusão com o patrão,
e LINDALVA (Ana Karolina Lannes), menina sapeca, criada como filha de Memé e Alzira, irmã de Margarida e Elzinha, mas na realidade é filha de Elzinha
a avó DONA RAMIRA (Walderez de Barros), mãe de Alzira. Seu passatempo preferido é implicar com o genro. Além de sempre criticar as experiências que ele faz no cabelo, ela vive “descobrindo” casos extraconjugais do genro, que só existem na cabeça dela
A manicure do salão de Memé, JOVELINA (Olívia Araújo).

– núcleo dos empregados da mansão Prado:
a governanta FRAU HERTA (Ana Beatriz Nogueira), de origem alemã, mulher ríspida e prepotente, completamente fiel ao patrão, Dr. Prado, por quem nutre uma paixão secreta. Cuida da casa, da família e das moças Otávia e Bruna como se fossem suas próprias filhas. Sabe de segredos do casal Prado e será a grande opositora de Virgínia quando ela se mudar para lá
o administrador SILVÉRIO (José Augusto Branco), toma conta dos empregados, supervisionando o trabalho de todos
a chefe da cozinha IRACEMA (Tuna Dwek), mulher de Manoel. Gosta muito da ex-patroa, Laura, e de Virgínia. Tem alguns desentendimentos com Frau Herta, devido à prepotência da governanta
o motorista PEDRO (André Rebustini), filho de Silvério e Iracema. Rapaz esforçado, estuda à noite, tentando progredir. Seduzido por Otávia, os dois mantêm um relacionamento escondidos
a copeira ROSA (Maria Laura Nogueira), apaixonada por Pedro.

– núcleo do escritório do Dr. Prado:
os jovens advogados ROGÉRIO (Cláudio Fontana), no início, namora Bruna com a aprovação do Dr. Prado, que vê nesse casamento o futuro assegurado de seu escritório. De origem rica, é filho de aristocratas rurais do interior de São Paulo,
e AFONSO (Caio Blat), rapaz ambicioso e carreirista, vindo do interior, de origem humilde. Amigo de Rogério a princípio, vai dar-lhe um golpe que resulta em sua demissão do escritório. Ainda lhe rouba a namorada, Bruna, com quem se casa por interesse
a secretária IDALINA (Karen Coelho), usada por Afonso para conquistar o que deseja no escritório, pois sabe que ela tem uma quedinha por ele
o comparsa de Afonso, PEIXE (André Frateschi), o ajuda em suas armações para conseguir dinheiro e poder.

– núcleo de AURORA (Rosamarya Colin), viúva batalhadora, dona da pensão mais conhecida de Vila Mariana:
os netos FAÍSCA (Diego Francisco) e GRACINHA (Gabrielly Nunes), abandonados pela mulher de seu falecido filho
a moradora de sua pensão ALICE (Daniele Suzuki), secretária de Cícero Cassini
a funcionária da pensão DIVINA (Hermylla Guedes)
o menino de rua FRANZÉ (André Luís Frambach), trabalha como engraxate e jornaleiro, vive da caridade dos moradores da Vila Mariana.

– núcleo de URÂNIA (Mila Moreira), trambiqueira, presidente do Grêmio da Vila Mariana, vive em pé de guerra com Memé:
o filho PATRÍCIO (Júlio Andrade), administrador do Grêmio, cúmplice das armações de Afonso
a neta NANÁ (Nêmora Cavalheiro), filha de Patrício, que se sente adulta
a tia JOAQUINA (Maria Pompeo), trabalha na mansão dos Cassini, amiga de Iracema.

Nova adaptação do famoso romance de Lygia Fagundes Telles (publicado em 1954), que já havia rendido uma novela de sucesso em 1981, adaptada por Teixeira Filho, com Eva Wilma (Laura), Adriano Reys (Dr. Prado), Armando Bógus (Daniel) e Lucélia Santos (Virgínia) nos papeis principais.

Este não foi um remake da novela de 1981, mas uma nova adaptação do livro Ciranda de Pedra. Sendo assim, tramas e personagens criados por Teixeira Filho na novela original não apareceram nesta nova produção. Bem como novas histórias com novos personagens foram criados por Alcides Nogueira para esta nova versão televisiva do livro.

A maior mudança, segundo Alcides, foi a questão da ambientação da trama, já que a nova versão se passa em 1958, ano considerado pelo autor como marcado por grandes transformações – ao contrário da primeira, que se passava na década de 1940.
“Eu puxei a história para 1958 porque foi um ano emblemático para o Brasil. Foi quando o país começou a mergulhar na modernidade, com o desenvolvimento da indústria automobilística, o florescimento das artes plásticas, o surgimento da bossa nova, a conquista da Copa do Mundo, a vitória da tenista Maria Esther Bueno em Wimbledon, em dupla. Foi um ano de muitos acontecimentos. Achei que poderíamos aproveitar o clima do livro e fazer uma novela que não fosse ambientada em uma época tão distante, com a qual o espectador não tivesse nenhum tipo de aproximação. O ano de 1958 é mais recente, muita gente tem a memória do período.” (depoimento ao livro “Autores, Histórias da Teledramaturgia”, Projeto Memória Globo).

O autor narrou a Flávio Ricco e José Armando Vannucci para o livro “Biografia da Televisão Brasileira”:
“Não é fácil lidar com as comparações, e, no meu caso, foram duas: com o livro de Lygia Fagundes Telles e com a versão escrita por Teixeira Filho. Mas são bem diferentes. Ele optou por uma leitura mais social, e eu, por uma abordagem mais psicológica.”

Pesquisas de opinião, feitas na segunda semana de junho (pouco mais de um mês após a estreia), mostraram que o público rejeitava a saída de Ana Paula Arósio, cuja personagem Laura, a exemplo da versão de 1981, morria no decorrer da história. Laura deveria sair por volta do capítulo 80, porém, os autores decidiram deixá-la até o final.
Esta acabou sendo a principal diferença entre as duas versões de Ciranda de Pedra (1981 e 2008). Laura virou a protagonista absoluta da novela, em detrimento de Virgínia (Tammy Di Calafiori), que – como no livro – permeava toda a trama em 1981, quando a personagem foi vivida por Lucélia Santos.
Além do público ter caído nas graças de Laura, contribuiu para este fato a pouca experiência de Tammy Di Calafiori para viver papel tão importante.

Mesmo com 32 anos de idade, Ana Paula Arósio interpretou mãe de personagens vividas por atrizes com idade entre 19 e 23 anos. Em entrevista à colunista Mônica Bergamo, do jornal A Folha de São Paulo, a atriz, espirituosa, comentou o rápido envelhecimento de suas personagens:
“Digo que as coisas na Globo são muito rápidas: na primeira novela, você é a filha da mocinha; na segunda, é a mocinha; na terceira, é a mãe da mocinha!”.

Assim como aconteceu com a novela antecessora (Desejo Proibido), Ciranda de Pedra teve a pior média geral de audiência da década. Até 2007, a menor média vista era a de Sabor da Paixão (2002-2003), com 24 pontos na Grande São Paulo. Depois Desejo Proibido bateu este recorde, com 23 pontos. Ciranda de Pedra fechou com 22.
A trama sucessora, Negócio da China, conseguiu derrubar a audiência da faixa ainda mais. Foi um período de uma sequências de novelas de baixo Ibope às seis horas na Globo.

No romance original, a personagem Letícia era lésbica, diferente das duas adaptações feitas para a televisão (Mônica Torres em 1981 e Paolla Oliveira em 2008). Na primeira gravação da novela, o tema não pôde ser abordado por causa da Censura Federal. Nesta segunda versão, o autor justificou que não gostaria que a novela sofresse problemas com o Ministério da Justiça, pois temia que temas polêmicos prejudicassem a classificação etária da novela. Mesmo assim, nos últimos capítulos, Letícia vai viajar acompanhada de uma “amiga”, como sugere a cena.

Mônica Torres, que havia atuado na primeira versão como Letícia, agora voltava como Lili, a mãe de Letícia – personagem interpretada em 1981 por Ana Lúcia Torre.
O ator José Augusto Branco, que também participou da novela de 1981, como o médico Alceu Ladeira, voltou como Silvério, empregado na mansão da família Prado.

O ator Samuel Assis, que na trama interpretava o químico industrial Emiliano, foi dispensado da novela depois de uma avaliação interna realizada pela emissora que constatou que seu personagem não havia funcionado.

Ciranda de Pedra trouxe uma inovação: a ambientação virtual da novela. Este recurso, usado em caráter experimental em O Profeta (2006-2007) nas passagens de cena, desta vez foi aprimorado. Para tal, a produção utilizou um enorme painel de 12 metros de altura por 28 metros de largura para a inserção de imagens em chromakey. Nele foram sobrepostas cenas gravadas e produzidas em um cruzamento em São Paulo. Os prédios da trama, construídos na cidade cenográfica no Rio, foram inspirados nos estilos art decó e modernista e tinham o pé direito duplo. Todos estes recursos tiveram o objetivo de imprimir nas cenas a grandiosidade e a agitação que a cidade de São Paulo já exibia naquela época.

A cena final de Tammy Di Calafiori, a Virgínia, como líder estudantil, no último capítulo, contou com a participação da equipe técnica da novela, como os manifestantes.

O tema de abertura, a música Redescobrir, cantada por Elis Regina, já havia sido tema de abertura de outra novela: Razão de Viver, exibida pelo SBT em 1996.

Trilha Sonora
ciranda08t
01. REDESCOBRIR – Elis Regina (tema de abertura)
02. TRÊS – Adriana Calcanhoto (tema de Letícia)
03. QUANDO ESSE NEGO CHEGA – Zélia Duncan (tema de locação: Vila Mariana)
04. CHEGA DE SAUDADE – Tom Jobim (tema de Daniel)
05. AMOR BLUE – Roberta Sá (tema de Eduardo)
06. COM ESSA COR – Monique Kessous (tema de Bruna)
07. E DAÍ – Gal Costa (tema de Laura e Daniel)
08. TIRO AO ÁLVARO – Diogo Nogueira (tema de locação: Vila Mariana)
09. MANHÃ DE CARNAVAL – Paula Morelembaun (tema de Margarida)
10. CHICLETE COM BANANA – Gilberto Gil e Marjorie Estiano (tema de locação: Vila Mariana)
11. RAPAZ DE BEM – Daniel Gonzaga (tema de Pedro)
12. TREVO DE QUATRO FOLHAS – Fernanda Takai (tema de Elzinha)
13. CHOVENDO NA ROSEIRA – BR6 (tema de Laura)
14. BRIGAS NUNCA MAIS – Milton Nascimento & Jobim Trio (tema de Otávia)
15. QUEDA – Márcia Castro e Celso Fonseca (tema de Afonso)
16. CHEGOU A BONITONA – Luis Melodia (tema de locação: Vila Mariana)
17. POR TODA VIDA – Cláudio Lins (tema de Natércio)
18. UMA HISTÓRIA PRA FICAR – The Original (tema do núcleo jovem)

ainda
BROTO LEGAL – Celly Campelo
BANHO DE LUA – Celly Campelo
I FALL IN LOVE TOO EASILY – Gal Costa
DINDI – Frank Sinatra (tema de Daniel e Laura)
ROCK AROUND THE CLOCK – Bill Haley and His Comets (tema do núcleo jovem)
BLUE SUEDE SHOES – Elvis Presley
ALL OF YOU – Ella Fitzgerald – All Of You
THE BLUE DANUBE WALTZ – Johann Strauss
NOCTURNE OP.9 Nº2 – Chopin
MOONLIGHT SONATA OP.27 Nº2 – Bethoven
EL BODEGUERO

Tema de Abertura: REDESCOBRIR – Elis Regina

Como se fora brincadeira de roda (memória)
Vai o bicho-homem fruto da semente (memória)
Renascer da própria força, própria luz e fé (memória)
Entender que tudo é nosso, sempre esteve em nós (história)
Somos a semente, ato, mente e voz (magia)
Não tenha medo meu menino povo (memória)
Tudo principia na própria pessoa (beleza)
Vai como a criança que não teme o tempo (mistério)
Amor a se fazer é tão prazer que é como fosse dor (magia)
Como se fora brincadeira de roda (memória)
Jogo do trabalho na dança das mãos (macias)
O suor dos corpos na canção da vida (história)
O suor da vida no calor de irmãos (magia)
Como um animal que sabe da floresta (perigosa)
Redescobrir o sal que está na própria pele (macia)
Redescobrir o doce no lamber das línguas (macias)
Redescobrir o gosto e o sabor da festa (magia)
Vai o bicho homem fruto da semente (memória)
Renascer da própria força, própria luz e fé (memória)
Entender que tudo é nosso, sempre esteve em nós (história)
Somos a semente, ato, mente e voz (magia)
Não tenha medo, meu menino bobo (memória)
Tudo principia na própria pessoa (beleza)
Vai como a criança que não teme o tempo (mistério)
Amor se fazer é tão prazer que é como se fosse dor (magia)
Como se fora brincadeira de roda (memória)
Jogo do trabalho na dança das mãos (macias)
O suor dos corpos na canção da vida (história)
O suor da vida no calor de irmãos (magia)…

Veja também

  • tempodeamar

Tempo de Amar

  • iloveparaisopolis_logo

I Love Paraisópolis

  • umsocoracao_logo

Um Só Coração

  • jk_logo

JK

  • cirandadepedra81_logo

Ciranda de Pedra (1981)