Sinopse

Mário Barroso é o piloto de avião noivo de três mulheres em cidades diferentes, que está à procura daquela que lhe dê um filho de “cuca legal”.

Acreditando amar as três com a mesma intensidade, o rapaz fica indeciso entre qual delas escolher: Virgínia, a noiva rica; Irene, de classe média; ou Fátima, a mais pobre das três, viúva de um empregado da firma em que Mário trabalha. As coisas se complicam quando Kinú, a mãe de Virgínia, também entra no páreo.

Globo – 19h
de 27 de janeiro a 13 de junho de 1975
118 capítulos

novela de Marcos Rey
direção de Oswaldo Loureiro, Gonzaga Blota e Jardel Mello

Novela anterior no horário
Corrida do Ouro

Novela posterior
Bravo!

FRANCISCO CUOCO – Mário Barroso
YONÁ MAGALHÃES – Fátima
HUGO CARVANA – Celso Maranhão (Jacaré)
SUELY FRANCO – Irene
FRANÇOISE FORTON – Virgínia
ROSAMARIA MURTINHO – Kinú (Maria Joaquina)
ELZA GOMES – Dalva (Madame Zaide)
MÁRIO LAGO – Aureliano Villaça
HERVAL ROSSANO – Fausto
FELIPE CARONE – José Proença
MÍRIAN PIRES – Alba
ELIZÂNGELA – Lú (Maria Lúcia)
ROBERTO BONFIM – Carlo
ROGÉRIO FRÓES – Franco Papalardo
DARY REIS – Durval
RUY REZENDE – Albano
SUZANA FAINI – Diva
LUIZ ARMANDO QUEIRÓZ – Cláudio
VINÍCIUS SALVATORE – Ivo
SEBASTIÃO VASCONCELOS – Nestor
ANA CRISTINA FARIA – Ligia
EDSON SILVA – Vilaboim
FÁTIMA FREIRE – Elaine
CHICA XAVIER – Raquel
MÁRIO PETRÁGLIA – Ricardo
DUDU CONTINENTINHO – Ivonete
LADY FRANCISCO – Berta Lammar
LUÍS MAGNELLI – Brandão
PEDRO FARAH – Gente-Fina
CLEIDE BLOTA – Beatriz
MARIO CARDOSO – Olindo
ARTHUR COSTA FILHO – Vitor
MARCELO GOMES – Rubinho
ELIESER GOMES – Dias
RITA DE CÁSSIA – Tuca
TUSKA – Martita
GEORGIANA DE MORAES – aluna de Irene
BORORÓ como ele mesmo

– núcleo de MARIO BARROSO (Francisco Cuoco), aviador solteirão, bem-sucedido na profissão, mas emocionalmente inseguro. Ainda mora com a mãe e passa as horas vagas em mesas de bar. Mantém um relacionamento com três mulheres diferentes, achando amá-las da mesma maneira. Não consegue decidir qual delas seria a mulher ideal para lhe dar um filho de “cuca legal”:
a mãe DALVA (Elza Gomes), sua principal conselheira. Trabalha como consultora sentimental e astróloga em um programa de rádio que apresenta sob o pseudônimo de MADAME ZAIDE
o amigo e confidente JACARÉ, apelido de CELSO MARANHÃO (Hugo Carvana), companheiro de bar, irreverente e descompromissado
o velho amigo de Dalva, AURELIANO VILLAÇA (Mário Lago), cavalheiro que se veste e se comporta como se ainda estivesse nos anos 1930, fazendo constantes referências a ídolos e cenários do passado. Frequentador assíduo da casa dos Barroso. Ele e Dalva vivem um amor platônico na terceira idade.

– núcleo de VIRGÍNIA (Françoise Fourton), uma das três namoradas de Mário. Jovem empresária rica, vive obcecada com os rumos dos negócios do falecido pai:
a mãe KINU, como é chamada MARIA JOAQUINA (Rosamaria Murtinho), viúva desamparada, ainda jovem e bonita. Ser responsável pela casa e pelos negócios da família a deixa insegura.

– núcleo de IRENE (Suely Franco), outra das três namoradas de Mário. Jovem de classe média, carinhosa e ingênua, dá aulas particulares de piano para compensar a grande frustração de não ter se tornado pianista profissional:
o pai JOSÉ PROENÇA (Felipe Carone), ex-chefe de honra dos escoteiros, obcecado em promover a disciplina em todos os aspectos do cotidiano, a começar pela organização da vida doméstica. Ele atormenta a mulher com suas exigências neuróticas, as quais ela aceita sem reclamar
a mãe ALBA (Mírian Pires), vive preocupada com as dores de cabeça provocadas pela filha caçula
a irmã adotiva MARIA LÚCIA, a LU (Elizangela), jovem cheia de vida e irresponsável, o que faz dela o maior motivo de preocupação da família.

– núcleo de FÁTIMA (Yoná Magalhães), a última das três namoradas de Mário. De origem humilde, viúva do empregado da manutenção da empresa de aviação na qual Mário trabalha. Desde a morte do marido, recebe a ajuda do aviador:
a irmã DINA (Suzana Faini), mulher rude e caseira
o cunhado ALBANO (Ruy Rezende), casado com Dina, homem moralista e desconfiado. Desempregado crônico, passa grande parte do tempo livre na praia
o pretendente NESTOR (Sebastião Vasconcelos), pequeno industrial, a contrata para trabalhar em sua empresa e acaba se interessando por ela.

A inspiração era a peça Boeing-Boeing, de Marc Camelotti, tendo Francisco Cuoco em papel semelhante ao que fizera no palco.

O argumento foi desenvolvido por Oswaldo Loureiro e Paulo Pontes. Sylvan Paezzo foi convocado para conduzir a história mas não acertou-se com a emissora. Marcos Rey assumiu então o texto, estreando em novelas na Globo. O autor escreveu ainda para a emissora a novela A Moreninha, no mesmo ano (adaptação do romance de Joaquim Manuel de Macedo), e a minissérie Memórias de um Gigolô, em 1986 (adaptação para a TV de seu próprio romance).

Cuca Legal nasceu, cresceu e se perdeu”, declarou Loureiro ao término da novela.
“Uma ideia que tinha tudo para ser abordada da melhor forma possível, acabou se diluindo e prejudicando a consistência da história de Marcos Rey. (…) as condições de que dispúnhamos eram as mais precárias possíveis. (…) A falta de condições de Cuca acelerou esse processo de degeneração da novela, tornando-a alvo de críticas à sua monotonia e repetição”, declarou Oswaldo Loureiro em entrevista à Revista Amiga em junho de 1975.

Os telespectadores torceram o nariz e trocaram de canal. A novela concorrente no horário na Tupi, Meu Rico Português, só ganhou com isso.

Oswaldo Loureiro deixou a direção de Cuca Legal a partir de seu 101º capítulo, sendo substituído por Jardel Mello.

Dias antes da novela estrear, uma chamada anunciava um novo par romântico para a nova novela das sete. No vídeo apareciam duas cabeças brancas conversando. O casal era Aureliano (Mário Lago) e Dalva (Elza Gomes).

Elza Gomes sofreu um enfarte que a afastou por algumas semanas das gravações.

Primeiro trabalho do ator e cineasta Hugo Carvana na televisão. Ele foi chamado pelo diretor Daniel Filho para interpretar Jacaré, um tipo carioca, irreverente e descompromissado, após ter interpretado um personagem semelhante em Vai Trabalhar, Vagabundo, filme de sucesso que o ator havia escrito, dirigido e protagonizado em 1973.
Fonte: site Memória Globo.

Da trilha sonora de Cuca Legal saíram duas músicas que marcaram o ano de 1975.
Do LP nacional, a bela canção Linha do Horizonte, de Azymuth, tema do protagonista Mário Barroso (Francisco Cuoco).
E do disco internacional, o megahit de Michael Jackson One Day in Your Life.

Trilha Sonora Nacional
cucat1
01. NÃO ME PERGUNTE MAIS – Betinho (tema de Mário)
02. REI DO MAR – Djavan
03. TIU RU RU – Chico Batera (tema de Maranhão)
04. RETALHOS E REMENDOS – Rick (tema de Virgínia)
05. PELAS NUVENS – Orquestra Som Livre
06. CUCA LEGAL (HA HA HA) – Chico Batera (tema de abertura)
07. LINHA DO HORIZONTRE – Azimuth (tema de Mário)
08. VALSINHA AZUL – Orquestra Som Livre
09. TERCEIRO ATO – Antônio Carlos
10. ADOLESCENTE – Orquestra Som Livre
11. LERO LERO SOCIAL – Carlos Thiago
12. CANÇÃO PARA UM QUASE AMOR – Orquestra Som livre
13. TANTO AMOR NUNCA MAIS – Luciene Franco (tema de Dalva e Aureliano)

Trilha Sonora Internacional
cucat2
01. ONE DAY IN YOUR LIFE – Michael Jackson (tema de Mário e Irene)
02. I’LL BE HOLDING ON – Al Downing (tema de Maranhão)
03. MORE THAN YOU KNOW – Chrystian (tema de Mário e Virgínia)
04. CASTLES – The Futures
05. WE CAN’T MAKE LOVE TONIGHT – Terry Winter
06. BOGGIE ON REGGAE WOMAN – Stevie Wonder
07. IF I EVER LOSE THIS HEAVEN – Sergio Mendes & Brazil ’77
08. THE MIRACLE – The Stylistics (tema de Kinu)
09. LOVE YOU JUST AS LONG AS I CAN – Free Spirit
10. IT’S MY FIRST DAY WITHOUT YOU – Dennis Yost & The Classics IV (tema de Mário e Fátima)
11. KEEP ON KEEPIN’ ON – The Miracles
12. I’M PRISIONER – Paul Jones
13. LET ME BE FOREVER – Stevie Feldman (tema de Mário)
14. BLACK SOUL – Airto Fogo

Veja também

  • maisforteQueoOdio_foto

Mais Forte que o Ódio

  • principeeomendigo_logo

O Príncipe e o Mendigo

  • signodaesperanca_logo

Signo da Esperança

  • tchan_logo

Tchan, a Grande Sacada