Sinopse

Fernando está casado há oito anos com Glória, numa união feliz ao lado dos filhos Rafael e João. A chegada de Lorena, ex-noiva de Fernando, hoje uma importante manequim, acaba por influir na felicidade do casal. Infelicidade maior quando o filho João desaparece.

Anos depois, a família se reconstrói ao lado de Rafael, agora adulto, e encontra o filho desaparecido, agora com outro nome, Luisinho.

SBT – 19h
de 5 de abril a 29 de maio de 1982
55 capítulos

novela de Raimundo Lopes e Crayton Sarzy
baseada no original de Marisa Garrido
direção de Waldemar de Moraes, Renato Petrauskas e David Grinberg

Novela posterior
A Força do Amor

ANA ROSA – Glória
FLÁVIO GALVÃO – Fernando Lascorain
TÂNIA REGINA – Lorena
DENIS DERKIAN – Rafael
RICARDO BLAT – Luisinho / João
AMILTON MONTEIRO – Dr. Alberto Moreno
GUY LOUP – Margarida
SILVIA LEBLON
RUTHINÉIA DE MORAES – Tia Mira (Delmira)
ANNAMARIA DIAS – Lúcia
MARTA VOLPIANI – Mônica
PERCY AIRES – Dr. Silveira
WÁLTER SANTOS – Seu Apolônio
MARCELO COUTINHO – Guilherme
ELEU SALVADOR – Pedro
CLENIRA MICHEL
JOSÉ PARISI
JOSMAR MARTINS – Manuel
WENDEL BEZERRA – Rafael (criança)
ULISSES BEZERRA – Luisinho/ João (criança)

A primeira novela brasileira produzida pelo SBT, então TVS. Tratava-se da adaptação de um texto mexicano.

Apresentando uma proposta “diferente”, Destino centralizou a ação em alguns personagens, abolindo tramas paralelas. Era um retrocesso na teledramaturgia brasileira. Só que o SBT acertava num dado: apresentar um estilo opcional de novela, indiferente à qualidade das produções globais.
Não procurava fazer imitações, como muitas vezes acontecera sem sucesso na Tupi e na Bandeirantes. Assim, ao mesmo tempo que retomava o esquema que lançou a telenovela brasileira na década de 1960, apresentava uma atração sob medida à filosofia popularesca da TVS/SBT. Ismael Fernandes em “Memória da Telenovela Brasileira”.

“Eu fui até lá [no México] para comprar os roteiros direto dos autores para serem realizados aqui no Brasil”, disse Ricky Medeiros, consultor do SBT e responsável pelas principais negociações da emissora nas décadas de 1980 e 1990, a Flávio Ricco e José Armando Vannucci, para o livro “Biografia da Televisão Brasileira”.
“Essas novelas se davam bem no mundo inteiro e poderiam funcionar por aqui. O problema é que se cometeu o erro de não as adaptar para a realidade brasileira”, completou o executivo.
Silvio Santos não permitia que sua equipe mexesse no script original e até conseguiu capítulos gravados em VHS para fazer todas as marcações técnicas igual, incluindo o posicionamento das câmeras e os detalhes dos cenários.

No mesmo dia da estreia de Destino, o SBT lançou sua primeira novela importada: a mexicana Os Ricos Também Choram, produzida pela Televisa.
Destino passou despercebida, mas Os Ricos Também Choram tornou-se um sucesso. A novela teve quase 300 capítulos. A atriz principal era Verônica Castro, que veio ao Brasil prestigiar o sucesso de sua novela.

O SBT continuou a apresentar adaptações de folhetins estrangeiros e a importar novelas latinas, durante toda sua existência. Após uma pausa na década de 1990, houve uma retomada a partir de 2001, com Pícara Sonhadora, Marisol, Pequena Travessa, e outras. Em 2012, passou a investir na adaptação de novelas infantis, obtendo bons resultados.

Os atores Ulisses e Wendel Bezerra, irmãos na primeira fase da novela, eram irmãos também na vida real.

A novela foi reapresentada na sessão Novelas da Tarde, às 14h30, de 22/08 a 18/11/1983.

Veja também

  • leoa_logo

A Leoa

  • conflito

Conflito

  • acorrentada_logo

Acorrentada