Sinopse

Jovens apaixonados pelas suas motos se encontram para curtir a noite.

Record – 18h30
de 30 de setembro de 1972
a 10 de março de 1973

novela de Amaral Gurgel
argumento de Roberto Freire
direção de Myrian Muniz e Silvio Zilber
supervisão de Randal Juliano

Novela anterior no horário
O Príncipe e o Mendigo

ZÉLUIZ PINHO – Velho
SELMA EGREI – Flor
NEY LATORRACA
KARIN RODRIGUES
SÉRGIO MELO
LOURIVAL PARIZ
TÁCITO ROCHA
ISADORA DE FARIA
ROBERTO AZEVEDO
MARISTELA ANDRADE
PEDRO PAULO GARCIA
JOSÉ PAGLIANO
LUIZ CLÁUDIO
CACÁ FERREIRA
RICCI MARTINELLI
THEMILTON TAVARES
CARLOS LYRA – Guilherme
YUKI YOSHI
CRISTINA MARTINEZ
Com essa inexpressiva atração, a Record reinaugurava o horário das 18h30 para apresentação de novelas, depois de quase 6 meses – a última havia sido O Príncipe e o Mendigo. Mas com a baixa audiência que as novelas da emissora vinham tendo na época, o horário não vingou.

Eu e a Moto tinha o argumento de Roberto Freire a partir de relatos de Psicotransterapia em seu consultório. Prestes a estrear a Record decidiu não apresentar a novela e o Sindicato Paulista dos Artistas interviu. A novela foi ao ar, mas saiu antes do previsto.

O fato foi explicado na entrevista que Roberto Freire deu à revista Amiga de 10/10/1972:
“Nos corredores da Record, o Nilton Travesso me pediu uma história sobre a juventude de hoje, seus hábitos, problemas, amores, etc. Ocorreu-me então a adaptação de uma reportagem feita por mim com um jovem motociclista, que conhecera na Rua Augusta: Saulo Prado. A reportagem foi publicada com o título Eu e a Moto. No dia que entreguei a sinopse (que serviu de material de propaganda para a divulgação da novela) fui procurado pelo Sr. Geraldino… que sugeriu-me que observasse certos aspectos do diálogo e das situações, pois a novela seria apresentada no horário das 18h45, para que a Censura a aprovasse. Atendi-o. A sinopse enviada para Brasília foi aprovada. Um dia, em sua sala, Nilton Travesso me explicou que a emissora não podia gastar o dinheiro necessário para a produção. Então decidiram não mais fazê-la. (…) Depois os atores me contaram que a Record os havia chamado para gravar a novela. Meu texto estava sendo modificado, mas a idéia geral seria a mesma, e o título conservado.”
O autor acabou processando a emissora paulista.

eueamotot
01. EU E A MOTO – Original Som 4
02. MINHA TEREZA – Original Som 4 com Bira

Veja também

  • principeeomendigo_logo

O Príncipe e o Mendigo

  • temponaoapaga_anuncio

O Tempo Não Apaga

  • queroviver_logo

Quero Viver