Sinopse

Pauline de Clermon é a proprietária da Tecelagem Clermon, uma das maiores da América Latina. Doente, ela quer que um dos dois netos, seus únicos herdeiros, assuma o comando da empresa: Jean, um médico de carreira promissora, e Luciano, um playboy boa-praça que preferiu as farras aos estudos. O desejo de Pauline é tornar Luciano uma pessoa responsável e presidente da indústria. Porém, o rapaz é vítima das armações de Jean, que tem o intuito de tirar Pauline do comando e vender a empresa a um grupo estrangeiro.

Para afastar o irmão, Jean conta com a colaboração do inescrupuloso Dr. Gondim, médico de Pauline, e do executivo Wilson Reis. Admirado por todos e amado por várias mulheres, ninguém desconfia da personalidade neurótica de Jean, que não mede esforços para desmoralizar Luciano e tirá-lo de seu caminho. Seus problemas psicológicos são acentuados quando descobre-se neto ilegítimo de Pauline, e tem de conviver com sua verdadeira mãe, Maria Amélia, que vai trabalhar como enfermeira na mansão Clermon.

Enquanto isso, Luciano, não percebendo as verdadeiras intenções do irmão, cai em diversas armadilhas e tenta provar a todos que é capaz de tornar-se uma pessoa responsável e digno da confiança da avó e da presidência da empresa. Apaixonado pela jovem operária Andréia, torna-se amigo de Zé Manuel, o pai da moça, um homem simples e rude que expulsa a filha de casa ao descobrir que ela está grávida de Jean. Para ampará-la, Luciano casa-se com Andréia, mesmo sabendo que ela ama o seu irmão e espera um filho dele.

Tupi – 20h
de 9 de setembro de 1974
a 31 de maio de 1975
227 capítulos

novela de Teixeira Filho
direção de Henrique Martins e Atílio Riccó
supervisão de Carlos Zara

Novela anterior no horário
Os Inocentes

Novela posterior
Ovelha Negra

DENIS CARVALHO – Jean de Clermon
TONY RAMOS – Luciano de Clermon
ELAINE CRISTINA – Andréia
CARMEM SILVA – Pauline de Clermon
SÍLVIO ROCHA – Zé Manuel
LAURA CARDOSO – Maria Amélia
ADRIANO REYS – Wilson Reis
JOANA FOMM – Jeanne Derier
GLAUCE GRAIEB – Luísa Gondim
RILDO GONÇALVES – Dr. Gondim
YARA LINS – Magda Gondim
SERAFIM GONZALES – Dr. Fontes
LUCY MEIRELLES – Guiomar Fontes
SUZANA GONÇALVES – Flávia Fontes
DENISE DEL VECCHIO – Rita de Cássia (Renée)
EWERTON DE CASTRO – João
SÍLVIA LEBLON – Joana
ELISA D’AGOSTINO – Cristina
CLESTON TEIXEIRA – Sérgio Fontes
XANDÓ BATISTA – Professor Weltman
EUDÓSIA ACUÑA – Marta
ABRAHÃO FARC – Guilherme
MÁRCIA RITA HURI – Alda
JUDY TEIXEIRA – Maria Rosa
GENY PRADO – Lurdes
CLAUDETE TROIANO – Elza
DOMINGOS NETO – Vavá (Valdomiro)
APARECIDA DE CASTRO – Geralda
REGINA NOGUEIRA – Ana
LINDA GAY – Margarida
HILKIAS DE OLIVEIRA – Delegado Oscar
JOSÉ PARISI JR. – Bira
TEREZA CRISTINA ARNAUD – Bina
ASSUNTA MANTELLI – Jurema

e
AÍDA MAR – Benta
ALZIRA ANDRADE
CARLOS LOBÃO – juiz
EDUARDO ABBAS – Aparecido
ELISABETH DUDA – Regina
FLORIZA ROSSI – Sandra
IGOR CAZARRÉ
JOÃO MANUEL BATISTA
JONAS BLOCH – Fernando
KLEBER AFONSO – Mr. Wellington (empresário canadense, vem ao Brasil para negociar com as Indústrias Clermon)
LUIZ ANTÔNIO PIVA – Antônio
MÍRIAM RODRIGUES – Silvia
MIRO FERRI
NEUZA BORGES
PETRUS ANTONIUS – Paulo
ROSA MARIA PESTANA – Alzira
SÍLVIO FRANCISCO – Dr. Vasconcelos (advogado de Guiomar)
TYHANA PERCKLE
WÁLTER FORSTER – Mário George de Nassau (pai biológico de Jean)
ZODJA PEREIRA – Eva

– núcleo de PAULINE DE CLERMON (Carmem Silva), milionária, dona da Tecelagem Clermon. Seu maior desejo é que um dos dois netos, seus únicos herdeiros, tome conta dos negócios da família após sua morte:
os netos: JEAN (Denis Carvalho), médico ambicioso que deseja ser nomeado pela avó presidente do conselho administrativo da empresa da família. De mau caráter, faz com que seus malfeitos sempre sejam encobertos e conserva uma imagem de bom moço, quando na verdade é um megalômano com sérios problemas psíquicos, capaz de passar por cima de todos para atingir seus objetivos. Ao longo da trama, descobre-se que não é neto legítimo de Pauline,
e LUCIANO (Tony Ramos), que por não tomar para si grandes responsabilidades na vida adulta, tem muito boa índole, mas passa por boa-vida e inconsequente. Acreditando que o irmão é seu amigo, não percebe as sabotagens que ele arma com o intuito de desmoralizá-lo perante todos
o diretor da empresa WILSON REIS (Adriano Reys), de origem humilde, agregado dos Clermon, estudou até tornar-se executivo da tecelagem
a parente distante JEANNE DERIER (Joana Fomm), que mora na Europa e aparece a certa altura da trama. Tia de Jean, envolve-se com Wilson
a enfermeira MARIA AMÉLIA (Laura Cardoso), descobre-se ao longo da trama que é a verdadeira mãe de Jean, cuja origem era um segredo guardado por ela e Pauline
a secretária particular MARTA (Eudósia Acuña)
o PROFESSOR WELTMAN (Xandó Batista), dá aulas particulares a Luciano para que ele se prepare para o trabalho na empresa da família
o mordomo GUILHERME (Abrahão Farc)
a governanta MARIA ROSA (Judy Teixeira)
a cozinheira LURDES (Geny Prado)
a copeira ALDA (Márcia Rita Huri), que se envolve com Jean, por quem sempre fora apaixonada. Ele se aproveita dela
a empregada ELZA (Claudete Troiano)
o porteiro da mansão VALDOMIRO, o VAVÁ (Domingos Neto).

– núcleo de ANDRÉIA (Elaine Cristina), jovem operária da Tecelagem Clermon que desperta o interesse dos irmãos Jean e Luciano. Jean desenvolve uma fixação nela, principalmente ao descobrir que Luciano a ama de verdade. Acaba grávida de Jean e é amparada por Luciano, que casa-se com ela mesmo sabendo que está grávida de seu irmão:
o pai ZÉ MANOEL (Sílvio Rocha), que trabalha no sistema ferroviário. Homem simples e de moral rígida, fica muito amigo de Luciano. Expulsa a filha de casa quando a descobre grávida
o irmão JOÃO (Ewerton de Castro), que tem o mesmo emprego do pai. Rapaz boa-gente e que gosta muito da irmã
a irmã menor CRISTINA (Eliza D’Agostino)
a amiga ANA (Regina Nogueira).

– núcleo do DR. GONDIM (Rildo Gonçalves), médico da família Clermon, especialmente de Pauline. Homem de caráter duvidoso, impetra junto a Jean e Wilson diversas falcatruas a fim de afastar Pauline e Luciano da empresa:
a esposa MAGDA (Yara Lins), mulher deslumbrada e vaidosa
a filha LUÍSA (Glauce Graieb), jovem eternamente apaixonada por Luciano, sua namorada no início.

– núcleo do DR. MÁRIO FONTES (Serafim Gonzalez), amigo da família Clermon, diretor do hospital onde Jean dá expediente como médico. É um homem íntegro e dedicado ao trabalho. Ao longo da trama vai descobrir as armações de Jean e do Dr. Gondim contra Luciano:
a esposa GUIOMAR (Lucy Meirelles), amiga de Magda, mulher ciumenta e possessiva, o que põe em cheque o seu casamento
a filha FLÁVIA (Suzana Gonçalves), namorada de Jean no início. Jovem em busca de autoafirmação, que tem características comuns com a mãe
o filho SÉRGIO (Cleston Teixeira)
a enfermeira JOANA (Sílvia Leblon), envolve-se com João
a empregada GERALDA (Aparecida de Freitas)
o advogado de Guiomar, DR. VASCONCELOS (Sílvio Francisco).

– outros personagens:
RITA DE CÁSSIA (Denise Del Vecchio), que prefere ser chamada de RENÉE, jovem que tem um misterioso e secreto envolvimento com Jean, que se aproveita de sua beleza, ingenuidade e origem humilde
MÁRIO GEORGE DE NASSAU (Walter Forster), renomado médico que aparece no meio da história para reencontrar seu passado: ele é o pai de Jean, tendo abandonado Maria Amélia grávida por ser casado. Arrependido, se reaproxima dela e tenta manter uma boa relação com o filho
MARGARIDA (Linda Gay), chefe das operárias da tecelagem
o DELEGADO OSCAR (Hilkias de Oliveira)
o empresário canadense MR. WELLINGTON (Kleber Affonso, em uma participação), que vem ao Brasil para selar contratos com as Indústrias Clermon.

Um dos maiores sucessos da TV Tupi na década de 1970 – embora implacavelmente perseguida pela crítica especializada, por sua linha melodramática. (*)
Aproveitando a repercussão e audiência, a emissora solicitou ao autor, Teixeira Filho que esticasse sua novela. Inicialmente prevista para em torno de 120 capítulos, a trama terminou com 227. (Revista Amiga, 11/06/1975, TV Pesquisa PUC-Rio)

Com seu personagem Jean, Denis Carvalho atingiu um relevante sucesso. Foi seu último trabalho na Tupi, assinando com a Globo em seguida.
Para compor o esquizofrênico Jean, Denis Carvalho contou com a assessoria do psiquiatra Milton Sabag, além de ter pesquisado cinco livros sobre o assunto. (Revista Amiga, 11/06/1975, TV Pesquisa PUC-Rio)

Em 1993, o novelista Marcílio Moraes baseou-se em Ídolo de Pano e em outro sucesso de Teixeira Filho, A Pequena Órfã (1968-1969), para escrever a novela Sonho Meu para a TV Globo. O triângulo amoroso formado por Tony Ramos, Elaine Cristina e Denis Carvalho foi revivido na nova produção por Leonardo Vieira, Patrícia França e Fábio Assunção.

Elaine Cristina descobriu-se grávida durante a novela, de seu único filho, Flávio França, do casamento com o ator Flávio Galvão. A gravidez inesperada da atriz fez com que o autor adotasse uma gravidez para a sua personagem, Andréia.

Não era tradição da Tupi lançar duas trilhas sonoras para uma mesma novela, uma nacional e outra internacional. Esta prática já era comum na Globo. Nas demais emissoras, geralmente, as músicas nacionais e estrangeiras vinham em um único disco.
Ídolo de Pano foi a primeira novela da Tupi a ter duas trilhas, uma nacional e outra internacional – mesmo não sendo uma regra adotada para as novelas subsequentes da emissora.

As externas foram gravadas em vários pontos da capital paulista, em especial na região do Horto Florestal, onde ficavam o hospital e mansão da família Clermon – que era a casa de fim de semana do então governador do estado de São Paulo Laudo Natal. (Revista Amiga, 11/09/1974, TV Pesquisa PUC-Rio).
A cena do assassinato de Jean (Denis Carvalho), no último capítulo, foi gravada no parque em frente à TV Tupi, no bairro do Sumaré.

Estreia na televisão das atrizes Denise Del Vecchio e Alzira Andrade.
Primeira novela na Tupi dos atores Suzana Gonçalves, Tereza Cristina Arnaud e Cleston Teixeira (filho do autor da novela, Teixeira Filho).

Moysés Weltman escreveu em sua coluna na revista Amiga publicada em 11/06/1975 (TV Pesquisa PUC-Rio):
Ídolo de Pano foi um êxito. (…) Teixeira Filho, veterano e competente artesão, soube fazer uma novela de apelo popular, com personagens marcantes e tramas supercomplicadas, bem desenvolvidas e concluídas. O elenco, de primeira, atingiu excelente nível de interpretação. Seria injusto destacar nomes num elenco dos mais homogêneos. Cenários bons, convincentes. O padrão visual e o ritmo da direção excelentes. Por isso mesmo, os índices corresponderam (…) O Ídolo ganhou repetidos quartos de hora da Globo em São Pauto, e, recentemente atingiu a surpreendente média de 34 pontos contra 45 do canal líder, a Globo. O que é façanha. No resto do país, liderou em várias praças e em seu final chegou a atingir índices razoáveis também no Rio (16, por exemplo, quando antes este horário mal ultrapassava os 6 ou 7).”

Ao fim da novela, o autor Teixeira Filho a adaptou em forma romanceada. Ídolo de Pano chegou às livrarias em 1975, pela Editora Abril, com o selo Edição Contigo.

(*) “De Noite Tem… Um Show de Teledramaturgia na TV Pioneira”, Mauro Gianfrancesco e Eurico Neiva.

Trilha Sonora Nacional

01. SEGREDOS – Martinha
02. AH, SE TU SOUBESSES – Luís Wagner
03. ROMANCE DE AMOR – Dilermando Reis
04. DUPLO SENTIDO – Tetê da Bahia
05. APERTA O PASSO – Coral do Maestro Lutero
06. PRA NÃO DIZER ADEUS – Élcio Alvarez e Grande Orquestra
07. CONCERTO PARA UM AMOR – Gilbert
08. SOLEADO – Gato e Sua Orquestra
09. COMO ANTIGAMENTE – Martinha
10. SIMPLESMENTE (O BEM VERDADEIRO) – Paulinho Nogueira
11. ENDLESS NIGHT – Grande Orquestra de Cordas de Renato de Oliveira
12. CONCERTO PARA UM AMOR – Orquestra Continental

Trilha Sonora Internacional

01. HEAVY WATER – Button Down Brass (tema de abertura)
02. TU SEI COSI’ – Fred Bongusto (tema de Luciano e Andréia)
03. HELLO OLD FRIEND – James Taylor (tema de Luísa e Luciano)
04. CLINICA FIOR DI LOTO – Equipe 84 (tema de Zé Manuel)
05. MY LOVE – Margie Joseph (tema de Flávia e Jean)
06. STOP TO START – Blue Magic (tema de Jean e Andréia)
07. SE NON E PER AMORE – Ornella Vanoni (tema de Andréia)
08. MARINA – Len Mercer (tema de Pauline)
09. TEARS – Robin McKay (tema de Maria Amélia)
10. CAMILLE K. – M. Vandelli and His Orchestra (tema de Rita de Cássia)
11. MAL DI LUNA – José Mascolo (tema de Flávia)

ainda
SOON – Yes (tocou na cena da morte de Jean)

Sonoplastia: Laurindo Salvador

Ídolo de Pano foi a primeira novela da Tupi a ter duas trilhas, uma nacional e outra internacional.

Veja também

  • toninhoontherocks

Toninho On The Rocks

  • belami_logo

Bel-Ami

  • rosadosventos

Rosa dos Ventos

  • umdiaoamor_logo

Um Dia o Amor

  • sonhomeu2

Sonho Meu