Sinopse

João da Silva é um rapaz simples e batalhador, como a maioria dos brasileiros. Nordestino, vem se aventurar no Rio de Janeiro e luta para vencer na vida por meio dos estudos. Acaba apaixonando-se pela temperamental Rosinha.

TVE / Globo – 11h
de maio a outubro de 1974
100 capítulos

criação de Gilson Amado, Jairo Bezerra e Jamil El-Jaick
roteiro de Lourival Marques
coordenação pedagógica de Jairo Bezerra
direção de Jacy Campos
supervisão de Gilson Amado
produção geral de Fernando Pamplona

NELSON XAVIER – João da Silva
MARIA CRISTINA NUNES – Rosinha
LOURDES MAYER
MARIA FERNANDA – Dona Marta
LUÍS LINHARES – Dr. Otávio
CARLOS DUVAL
EDUARDO TORNAGHI – Hélio
PATRÍCIA BUENO – Mônica
ROMEU EVARISTO – Alfredo
DAISY LÚCIDI – Norma
MARIA POMPEU
JOYCE DE OLIVEIRA – dona da pensão
SUELY FRANCO – Maria Clara / Amália
OSWALDO LOUZADA
ZEZÉ MACEDO
LÍDIA MATTOS
URBANO LÓES
VERA BRAHIM
SILVIA MARIA
MAURO BRAGA
RENATO BARROS
VERA REGINA – Marcionila
ANA ZELMA – Isaura
SILVA FILHO
RIBEIRO FORTES

Em 1973, a TV Educativa produziu esta novela instrutiva, misto de teledramaturgia e curso supletivo de primeiro grau. Eram histórias como nas novelas, que o grande público estava acostumado a ver em outras emissoras.

Um projeto inovador de alfabetização de adultos pela televisão. Assim foi reconhecida esta produção, ganhadora do maior troféu internacional de radiodifusão educativa na época, o Prêmio Japão.

Nesse projeto criado pelo educador Gilson Amado, o telespectador também virava aluno e podia até estudar por meio de apostilas. Inicialmente, 11 mil alunos foram inscritos na região da cidade do Rio de Janeiro.

João da Silva implementou um conceito novo no campo da educação de adultos: a teatralização. Com uma narrativa de novela, pretendia-se que o adulto brasileiro concluísse o (antigo) curso primário. A novela foi a percussora dos Telecursos 1º e 2º Graus. As situações apresentadas eram pretexto para aplicar ensinamentos básicos de primeiro grau. Em uma cena na feira, por exemplo, um personagem podia passar noções de matemática.

Nelson Xavier protagonizou vivendo o papel-título da novela, encabeçando um elenco com outros nomes conhecidos.

Primeiro trabalho na televisão dos atores Eduardo Tornaghi e Romeu Evaristo. Primeira novela da atriz Joyce de Oliveira.

A atriz Maria Fernanda voltava às telenovelas após um hiato de 10 anos.

O projeto teve início em 1971. Em julho de 1974, foram realizadas as provas finais do curso, organizadas pela Secretaria de Educação da Guanabara e do Estado do Rio de Janeiro.

A novela estreou primeiro na TV Rio (de 26 de novembro de 1973 a abril de 1974). Posteriormente foi reprisada pelas tevês Globo, Tupi e Cultura. Na época, a TVE não tinha seu próprio canal, mas a lei garantia a exibição da programação educativa nas redes comerciais do país. Nas emissoras existia o cumprimento da lei, só que em horários ingratos, geralmente abrindo a programação diária pelas manhãs. Em maio de 1974, o curso passou a ser exibido pela Globo às 11 horas.

A novela foi ao ar, na íntegra, pelo Canal 2 da TVE, a partir de 10/06/1976.
Ao todo, desde sua estreia até a última reprise, o curso esteve no ar de novembro de 1973 a outubro de 1981.

João da Silva cumpriu bem o papel de educar divertindo e marcou época na TV brasileira.

Tema de Abertura

Bolsa tiracolo
Chinelo de couro cru
Se ela fosse uma estrela
Eu seria o Cruzeiro do Sul
Bolsa tiracolo
Chinelo de couro cru
Se ela fosse uma estrela
Eu seria o Cruzeiro do Sul

Palaxipadauera
Palaxipadauá…

Veja também