Sinopse

Zezé é um menino pobre de seis anos, inteligente, sensível e carente. Carente de um afeto que não encontra na família – ninguém tem muita paciência com ele. O endiabrado garotinho sai pelas ruas fazendo mil travessuras. Aprende tudo sozinho, é o “descobridor das coisas”. Percebe que na vida existem alegrias, como ter um amigo, e também tristezas, como quando o amigo vai embora para sempre. Uma de suas maiores surpresas é perceber que pode cantar sem abrir a boca – ou seja, ficar pensando em uma música e deixá-la tocar dentro da cabeça.

Quando a família se muda para uma casa onde há muitas árvores no quintal, cada irmão escolhe uma para si – um fica com a mangueira, outro pega o pé de tamarindo e assim por diante. Sobra para Zezé um pequeno pé de laranja lima. No entanto, essa árvore fica tão amiga que eles conversam muito e até brincam juntos. Zezé inventa para si um mundo de fantasia em que o grande confidente é Xururuca, o pé de laranja lima. Mas a vida lhe ensina tudo cedo demais, e Zezé descobre a dor e a saudade, assim como a ternura e o carinho no afeto do solitário português Manuel Valadares, o Portuga, como o menino o chama.

Tupi – 18h30
de 30 de novembro de 1970
a 30 de agosto de 1971

novela de Ivani Ribeiro
baseada no romance homônimo de José Mauro de Vasconcelos
direção de Carlos Zara

Novela anterior no horário
A Gordinha

Novela posterior
Nossa Filha Gabriela

o garoto HAROLDO BOTTA – Zezé

CLÁUDIO CORRÊA E CASTRO – Manuel Valadares, o Portuga
EVA WILMA – Jandira
CARLOS ZARA – Raul
SILVIO ROCHA – Paulo
LÉLIA ABRAMO – Estefânia
NICETTE BRUNO – Cecília
GIANFRANCESCO GUARNIERI – Ariovaldo Pedrosa
BETE MENDES – Godóia
DENIS CARVALHO – Henrique Muniz
ANALU GRACI – Lili
FAUSTO ROCHA JR. – Diogo
IVAN MESQUITA – Caetano
ABRAHÃO FARC – Padre Rosendo
HENRIQUE MARTINS – Comendador Vicente del Nero
ANNAMARIA DIAS – Helena
EDGARD FRANCO – Dr. Ricardo Caldas
LUIZ CARLOS DE MORAES – Túlio Santana
JACYRA SAMPAIO – Eugênia
GENY PRADO – Nhá Vina
JOÃO JOSÉ POMPEO – Gabriel Garcia
DIRCE MILITELLO – Santinha
RÉGIS MONTEIRO – Sabugo
TEREZINHA CUBANA – Gilda
COSME DOS SANTOS – Narciso

as crianças
ALEXANDRE ARAÚJO – Totoca
DOUGLAS MAZZOLA – Luisinho
GENÉSIO ALMEIDA JR. – Vavá
PEDRO PAULO MIRON CORDEIRO – Serginho

e
GESSY FONSECA – Leonor Oliveira
RENATO CONSORTE – Padre Juca
RENATO MASTER – Bispo Dom Carlos Cruz
RUTHINÉIA DE MORAES – Madre Celeste
SILVIA LEBLON – Irmã Teresa

– núcleo de ZEZÉ (Haroldo Botta), menino que conversa com o pé de laranja lima do quintal de sua casa, e sofre com a pobreza da família
os pais PAULO (Silvio Rocha), que vive bebendo e por conta disso perde os empregos que arranja, e ESTEFÂNIA (Lélia Abramo), doente do coração, trabalha numa fábrica
a irmã mais velha JANDIRA (Eva Wilma), solteirona e amargurada, nunca namorou, toma conta dos irmãos mais novos com rispidez
a irmã GODÓIA (Bete Mendes), doente e triste, também ajuda a cuidar dos irmãos mais novos
a irmã LILI (Analu Graci), inconformada com a vida que leva, interesseira e ambiciosa
o irmão mais velho TOTOCA (Alexandre Araújo), ainda criança trabalha numa fábrica, é o dedo duro dentro de casa
o irmão caçula LUISINHO (Douglas Mazzola), seu admirador, repete tudo o que ele faz.

– núcleo do português MANUEL VALADARES (Cláudio Corrêa e Castro), o PORTUGA, saudosista que vive escutando fados e torna-se grande amigo de Zezé. Morre tragicamente, atropelado por um trem quando seu carro quebra em cima dos trilhos:
a empregada NHÁ VINA (Geny Prado).

– núcleo do COMENDADOR VICENTE DEL NERO (Henrique Martins), homem rico que fez muitas benfeitorias na cidade, mas que na verdade roubou e enganou muitas pessoas. Dado como morto, fica escondido até o final da novela:
a mulher HELENA (Annamaria Dias), viúva do comendador, que vive dentro de casa
o filho pequeno SERGINHO (Pedro Paulo Miron Cordeiro)
o empregado TÚLIO SANTANA (Luiz Carlos de Moraes), cuida dos negócios da família e ajuda a esconder o comendador
a empregada GILDA (Terezinha Cubana).

– núcleo das pessoas que querem se vingar do Comendador del Nero:
HENRIQUE MUNIZ (Denis Carvalho), dono do posto de gasolina que chegou à cidade para vingar-se de Del Nero porque ele roubou a fazenda de seu pai. É alvo do interesse de Lili e do amor platônico de Godóia.
ARIOVALDO PEDROSA (Gianfrancesco Guarnieri), mascate que aparece na cidade para vingar a morte do pai, culpa de Del Nero
DR. RICARDO CALDAS (Edgard Franco), médico novo na cidade que quer vingança contra Del Nero, que roubou seu pai. Acaba despertando o amor de Helena, viúva do comendador
SABUGO (Régis Monteiro), balconista do armazém, a mãe morreu por causa de Del Nero.

– núcleo de CAETANO (Ivan Mesquita), o avarento dono do armazém (onde Sabugo é balconista). Viúvo, quer se casar com Jandira, e ela aceita a sua proposta para livrar a família da miséria:
o filho DIOGO (Fausto Rocha Jr.), em constante atrito com o pai. Namorou Godóia, e depois Lili. Por causa desse namoro, Lili é expulsa de casa e vai trabalhar numa butique em São Paulo
a mulher dada como morta, LEONOR (Gessy Fonseca).

– núcleo da PROFESSORA CECÍLIA (Nicette Bruno), mulher reprimida, católica fervorosa e candidata a noviça. Ariovaldo apaixona-se por ela e finge ser analfabeto para se aproximar dela:
a empregada EUGÊNIA (Jacyra Sampaio), apaixonada por Caetano, não sai do terreiro de macumba para ganhar seu homem
o sobrinho de Eugênia, NARCISO (Cosme dos Santos)
sua amiga noviça IRMÃ TERESA (Silvia Leblon)
o PADRE JUCA (Renato Consorte), o BISPO DOM CARLOS CRUZ (Renato Master) e a MADRE CELESTE (Ruthinéia de Moraes), que ajudam Cecília a se esclarecer.

– núcleo do PADRE ROSENDO (Abrahão Farc), que tenta harmonizar a todos na sua paróquia:
o sobrinho RAUL (Carlos Zara), que apaixona-se por Jandira e ajuda a desmascarar Caetano e a farsa sobre a morte de Del Nero.

– núcleo de GABRIEL GARCIA (João José Pompeo), dono da farmácia e fofoqueiro de plantão:
a mulher SANTINHA (Dirce Militello)
o filho super protegido VAVÁ (Genésio Almeida Jr.).

Bem-sucedida transposição do romance campeão de vendagem no Brasil e que já havia recebido uma versão cinematográfica um ano antes: o filme de Aurélio Teixeira, com o menino Júlio César Cruz no papel de Zezé. Na TV surgiram novos personagens e outros de menor importância tiveram atuação maior.

A concorrente Record, para fazer frente à novela da Tupi, estreou no mesmo dia e horário a novela Tilim, também sobre um menino pobre e carente, estrelada por Júlio César Cruz, o astro mirim do filme Meu Pé de Laranja Lima.
Na realidade, as duas produções vinham no rastro do sucesso da novela A Pequena Órfã (1968-1969), da Excelsior, que explorou o filão criança carente com êxito levando as demais emissoras a investirem na temática.

Em 1980, Ivani Ribeiro reapresentou Meu Pé de Laranja Lima no remake produzido pela TV Bandeirantes, com Alexandre Raymundo e Dionísio Azevedo nos papéis principais (o menino Zezé e o português Manuel Valadares).
Nesta regravação, as atrizes Geny Prado e Terezinha Cubana voltaram a viver as mesmas personagens que viveram em 1970: Nhá Vina e Gilda, respectivamente.

E a própria Bandeirantes levou ao ar, em 1998-1999, a terceira versão do romance de José Mauro de Vasconcellos, dessa vez adaptada por Ana Maria Moretzsohn, com o garoto Caio Romei e Gianfrancesco Guarnieri (que participou desta versão de 1970).

Gianfrancesco Guarnieri teve um desempenho antológico no papel de Ariovaldo Pedrosa, um mascate boêmio e romântico, apaixonado pela professora tímida e recatada (Cecília de Nicette Bruno). (*)

O jovem casal de atores Denis Carvalho e Bete Mendes viveram um romance dentro e fora da novela.

Primeira novela dos atores Régis Monteiro e Douglas Mazzola (então com 7 anos).

As gravações externas eram realizadas uma vez por semana em Carapicuíba, cidade da Grande São Paulo. A presença de todo o elenco era obrigatória, afinal eram feitas cenas que seriam utilizadas em muitos capítulos e, por uma questão de economia e administração de custos, tudo era feito numa única saída dos estúdios. Para acomodar os artistas e técnicos, eram levados até o local caminhões que serviam como uma espécie de camarim e salas para descanso ou estudo do texto. É claro que o trabalho dos técnicos e estrelas da televisão chamava muito a atenção dos moradores, que deixavam seus afazeres do cotidiano para acompanhar o que – dias depois – estaria na tela da TV emocionando a todos. “Biografia da Televisão Brasileira”, de Flávio Ricco e José Armando Vannucci.

Eva Wilma narrou em seu biografia:
“As novelas não eram ainda levadas simultaneamente na emissoras co-repetidoras. Assim, os outros estados assistiam aos capítulos depois que eles iam ao ar em São Paulo. O sucesso de O Meu Pé de Laranja Lima foi tão grande que, depois das gravações do último capítulo em São Paulo, o elenco todo viajou para Belo Horizonte para uma apresentação ‘ao vivo’, no Teatro Francisco Nunes, dentro do parque, próximo ao Palácio das Artes. Carlos Zara criou cenas para todos os astros da novela (um resumo dela) e a cena final. Foi uma experiência e tanto. Já na chegada ao aeroporto de Belo Horizonte, uma multidão nos aguardava, gritando ‘Jandira!’ e me mandando beijos. Quantas Jandiras estariam ali, agradecendo a representação da novela? A vilã, que surrava o herói, fora compreendida e amada.” (**)

Em 2013, o romance de José Mauro de Vasconcelos ganhou uma nova versão no cinema, no filme de Marcos Bernstein, com José de Abreu e o garoto João Guilherme Ávila.

(*) Fonte: De Noite Tem… Um Show de Teledramaturgia na TV Pioneira, Mauro Gianfrancesco e Eurico Neiva, Giz Editorial, 2007.
(**) Fonte: Eva Wilma, Arte e Vida, Edla van Steen, Imprensa Oficial do Estado de São Paulo, 2006.

Trilha Sonora
meupe70t
Músicas interpretadas por Mickael
01. LIBERTAÇÃO DA ALMA
02. MINHA JANDIRA
03. EM QUALQUER ESQUINA DO MUNDO
04. LÁ NAS MONTANHAS
05. MEIGO SOL
06. VIDA
07. FERIADO NACIONAL
08. PELO AR, PELO CHÃO
09. MEIGA MULHER
10. TEMA DE AMOR Nº 1
11. TEMA DE AMOR Nº 2
12. KÊNYA

Ainda:
O PEQUENO AMIGO – Paulinho Nogueira

Sonoplastia e coordenação musical: Otávio Júnior

Tema de Abertura: O PEQUENO AMIGO – Paulinho Nogueira *

Deus, que fez o mundo aparecer
Fez coisas demais pra se aprender
Eu, mesmo antes de saber falar
Já sentia medo de apanhar

Quando vejo uma luz que ninguém viu
E me sinto só não sei por que
Corro, vou pelo campo procurar
Lá tenho um amigo pra contar

Meu pé de laranja
Laranja lima, lima no pé
Meu pé de laranja
Laranja lima, lima no pé

Se eu páro um pouco pra pensar
Sinto que não há nada pra esperar
Mas sei que outro dia vai nascer
Creio que o mundo é bom de se viver

Sempre que o tempo passa sem sentir
Sei que é hora de se divertir
Tenho bastante gente pra assustar
E muita mentira pra contar

Meu pé de laranja
Laranja lima, lima no pé
Meu pé de laranja
Laranja lima, lima no pé…

* O tema de abertura não consta na trilha comercializada da novela

Veja também

  • nossafilhagabriela_foto

Nossa Filha Gabriela

  • camomilaebemmequer_logo

Camomila e Bem-Me-Quer

  • mulheresdeareia73_logo

Mulheres de Areia (1973)

  • barbaazul_logo3

A Barba Azul