Sinopse

Após cumprir pena em um presídio, Honório tem sua vida como foco de interesse de uma jornalista. Ele recorda a época em que cometeu um crime. A história volta no tempo, em sequências de flashback. O mistério estava em descobrir quem Honório havia assassinado.

Em vários momentos da trama, parecia que um novo personagem seria a vítima. Ao final, o crime é apresentado: Honório providenciou a morte de Camila, com quem tinha uma relação amorosa e violenta. A moça foi pisoteada por um cavalo até a morte.

Cultura – 21h
de 6 a 31 de julho de 1981

de Mário Prata
baseada no romance de Geraldo Santos
direção de Edison Braga

Telerromance posterior no horário
Floradas na Serra

HERSON CAPRI – Honório
KATE HANSEN – Camila
REGINA BRAGA – Célia
FLÁVIO GALVÃO – Bento
MARIA ISABEL DE LIZANDRA – Marcela
CLEYDE YÁCONIS – Clara
JOSÉ PARISI – Tonho
GUILHERME CORRÊA – Almerindo
AMAURY ALVAREZ – Dr. Valério
CACHIMBO – Candão
CARLOS ARENA – Menezes
CÉLIA OLGA – atriz
CUBEROS NETO – Clóvis
DANTE RUY
DAVID JOSÉ – Mário Alberto (advogado)
EDSON FRANÇA – Boaventura
EDUARDO ABBAS – Indalécio (dono de bar)
EUDES CARVALHO – Capituva
ELZA MARIA – Rosália
FLORIZA ROSSI – Dolores
J. FRANÇA – Henrique
KLEBER AFONSO
LUIS CARLOS GOMES – Zizael (policial)
MARCOS CARUSO – Rafael
NINA BRAGA – Celinha
ORESTES TURANO – Eugênio
OSMAR DI PIERO
OSWALDO CAMPOZANA – Delegado
OSWALDO TAUBATÉ – Livreiro
RENATO DOBAL – Dodô
WÁLTER BREDA – Eusébio

Adaptação que inaugurou a série Telerromance da TV Cultura, apresentada entre julho de 1981 e setembro de 1982, em um total de 17 adaptações de obras literárias, feitas por Mário Prata, Geraldo Vietri, Jorge Andrade, Marcos Rey, Carlos Lombardi, Rubens Ewald Filho, Renata Pallottini, Wálter Negrão, Sérgio Jockyman, Chico de Assis, Edmara Barbosa e Wilson Rocha.

No primeiro ano, os telerromances foram ao ar às 21 horas. No segundo ano, abriu-se um novo horário de exibição, às 19h30. A faixa das 21 horas foi substituída pelas 22 horas. As histórias ficavam um mês no ar.

Além de O Vento do Mar Aberto, Mário Prata adaptou para a série Telerromance os romances O Resto é Silêncio e Música ao Longe, ambos de Érico Veríssimo.

Tema de Abertura: SÃO DEMAIS OS PERIGOS DESSA VIDA – Toquinho

São demais os perigos dessa vida
Pra quem tem paixão
Principalmente
Quando uma lua chega de repente
E se deixa no céu, como esquecida
E se ao luar, que atua desvairado
Vem se unir uma música qualquer
Aí então é preciso ter cuidado
Porque deve andar perto uma mulher
Deve andar perto uma mulher
Que é feita de música
Luar e sentimento
E que a vida não quer de tão perfeita
Uma mulher que é como a própria lua
Tão linda que só espalha sofrimento
Tão cheia de pudor que vive nua
São demais
São demais os perigos dessa vida
Pra quem tem paixão…

Veja também

  • picnicclassec_logo

Telerromance

  • floradasnaserra81_logo

Floradas na Serra (1981)

  • picnicclassec_logo

Partidas Dobradas

  • picnicclassec_logo

O Resto é Silêncio