Sinopse

No passado, a bela Maria Alice, professora na pequena cidade de Roseira, ficou viúva e alguns homens decidiram paquerá-la. Ante a recusa, eles trataram de difamá-la perante os moradores. Os principais culpados eram o Sr. Durval e o Dr. Bonfim. Maria Alice não aceitou o assédio e a vingança dos dois foi incitar a população a expulsá-la da cidade. Quando estava deixando Roseira com a filha pequena Juliana, Maria Alice recebeu uma pedrada e ficou cega de um olho.

Juliana, já adulta, é uma mulher cheia de neuroses. Volta rica e poderosa a Roseira com o intuito de sacrificar os culpados pela morte de sua mãe. Perturbada, sofre com os fantasmas do passado e não sossega enquanto não punir os culpados e seus descendentes – que ela chama de “os inocentes”. A velha senhora compra a propriedade de Otávio, namoradinho de infância, hoje dono da maior fazenda da região, mas falido, e ganha a confiança dos moradores da pequena cidade. Mas o Padre João – que Juliana acusa de ter sido omisso no incidente com sua mãe – descobre as suas intenções vingativas e tenta alertar a população, que cada vez mais se rende aos encantos e à “generosidade” da nova moradora.

Os inocentes eram nove: os amigos de infância de Juliana, Otávio e Hortência (a que jogou a pedra em sua mãe); Marcelo, Renato e Lurdinha, filhos de Hortência; Chico, irmão mais novo do Padre João; Deise e Marina, netas de Durval; e Mário, filho do Dr. Bonfim. Na reta final, Juliana coloca em sua lista o secretário e cúmplice Jarbas, que começa a se voltar contra ela. Cada vez que se vingava, Juliana queimava um boneco de papel que representava um dos inocentes.

Tupi – 20h
de 5 de fevereiro a 7 de setembro de 1974
174 capítulos

novela de Ivani Ribeiro
escrita por Ivani Ribeiro e Dárcio Ferreira
direção de Edison Braga e Antônio Moura Mattos
direção geral de Carlos Zara

Novela anterior no horário
Mulheres de Areia

Novela posterior
Ídolo de Pano

CLEYDE YÁCONIS – Juliana Azevedo
ROLANDO BOLDRIN – Otávio Brandão
CLÁUDIO CORRÊA E CASTRO – Padre João
JONAS MELLO – Jarbas
LUIZ GUSTAVO – Vitor
ANA ROSA – Sofia
TONY RAMOS – Marcelo
ELAINE CRISTINA – Deise
PAULO FIGUEIREDO – Renato
MÁRCIA MARIA – Marina
ADRIANO REYS – Mário
GIANFRANCESCO GUARNIERI – Chico
MARIA ESTELA – Hortência
LUCY MEIRELLES – Isabel Campos Maciel
JOSÉ PARISI – Tomaz de Aguiar
SILVIO ROCHA – Durval
LAURA CARDOSO – Guiomar
OSMANO CARDOSO – Dr. Bonfim
CARMINHA BRANDÃO – Nazaré
SERAFIM GONZALEZ – Salvador
LÉA CAMARGO – Iolanda
RÉGIS MONTEIRO – Maneco
EUDÓSIA ACUÑA – Irene
ALCEU NUNES – Babão
EDUARDO ABBAS – Garcia
ADONIRAN BARBOSA – Dominguinho
TEREZA TELLER – Lurdinha
JUSSARA FREIRE – Gigi
CARMEM MARINHO – Taís
HILKIAS DE OLIVEIRA – Agenor
LUIZ CARLOS BRAGA – Cazuza
MUÍBO CÉSAR CURY – Delegado Noronha
MARILENA DE CARVALHO – Jurema
e
KARIN RODRIGUES – Maria Alice
ANA LUÍSA LANCASTER – Hortência (criança)

Os inocentes eram:
os amigos de infância de Juliana, OTÁVIO (Rolando Boldrin) e HORTÊNCIA (Maria Estela),
MARCELO (Tony Ramos), RENATO (Paulo Figueiredo) e LURDINHA (Tereza Teller), filhos de Hortência,
CHICO (Gianfrancesco Guarnieri), irmão mais novo do Padre João,
MARINA (Márcia Maria) e DEISE (Elaine Cristina), netas de Durval,
e MÁRIO (Adriano Reys), filho do Dr. Bonfim.

– núcleo de JULIANA (Cleyde Yáconis), retorna á cidadezinha de Roseira, de onde saiu criança, para vingar sua mãe que foi humilhada e expulsa da cidade. Vinga-se nos descendentes dos culpados, que ela chama de inocentes. A princípio, esconde-se atrás de uma máscara de simpatia e generosidade para conquistar a todos:
a mãe MARIA ALICE (Karin Rodrigues), professora. Quando ficou viúva foi vítima dos poderosos da cidade que queriam se aproveitar dela. É expulsa e recebe uma pedrada no olho, ficando cega (aparece apenas em flashback):
a filha SOFIA (Ana Rosa), a primeira a quebrar seus planos de vingança
o filho VITOR (Luiz Gustavo), um tipo irresponsável e playboy. Também quebra seus planos
o secretário JARBAS (Jonas Mello), cúmplice em seus planos. Acaba se tornando o décimo inocente, pois ele resolve lhe extorquir dinheiro.

– núcleo da fazenda que Juliana compra ao chegar em Roseira:
o ex-proprietário OTÁVIO (Rolando Boldrin), que continua trabalhando como administrador e apaixona-se por Juliana. É o primeiro inocente
a irmã de Otávio, NAZARÉ (Carminha Brandão), que não se conforma com a venda da fazenda
o ex-administrador SALVADOR (Serafim Gonzalez), que continua trabalhando por lá e é o primeiro a descobrir a reais intenções de Juliana
a mulher de Salvador, IOLANDA (Léa Camargo), empregada da casa que tem visões estranhas – é uma sensitiva
o filho de Salvador e Iolanda, MANECO (Régis Monteiro), fala que vê fantasmas e ao final descobre-se ser ele quem assombra a todos. Queria afugentar os moradores para que o pai pudesse comprar a fazenda, que ele julgava ser de sua família por direito.

– núcleo da pensão de GUIOMAR (Laura Cardoso), mulher viúva, não gosta de Juliana e desconfia dela:
o sogro DURVAL (Silvio Rocha), antigo professor da cidade, um dos responsáveis pelo achincalhamento de Maria Alice. Tentou seduzi-la mas não conseguiu nada, então começou a difamá-la e a incentivar a população a expulsá-la
as filhas, netas de Durval, MARINA (Márcia Maria), outra inocente. Com mania de grandeza, candidata a miss, se apaixona por Vitor e deixa-se levar. Atrapalha os planos de Juliana quando se envolve com seu filho,
e DEISE (Elaine Cristina), irmã de Marina, outra inocente
a moradora da pensão IRENE (Eudósia Acuña), professora da cidade.

– núcleo do DR. BONFIM (Osmano Cardoso), médico de Roseira há anos. Outro que tentou seduzir Maria Alice. Ajudou Durval a caluniá-la:
o filho MÁRIO (Adriano Reys), também médico, outro inocente. Juliana usa Sofia para se vingar nele, mas não contava que o envolvimento dos dois fosse tão longe: Sofia, apaixonada, engravida de Mário.

– núcleo de HORTÊNCIA (Ana Luísa Lancaster / Maria Estela), antiga colega de escola de Juliana que não gostava dela. É ela quem atirou a pedra que cegou Maria Alice. Hoje, viúva, é uma mulher autoritária e amargurada:
os filhos MARCELO (Tony Ramos), outro inocente, rebelde e problemático, acha que é louco e tem mania de perseguição. Bebe e é incentivado por Juliana em suas bebedeiras. Casa-se com Deise, apaixonada por ele, através de um plano armado por Juliana,
RENATO (Paulo Figueiredo), outro inocente. Gosta de tocar violão e cantar. Ama Deise e Juliana o ajuda a conquistá-la,
e LURDINHA (Tereza Teller), uma garota rebelde e maluquinha. É a primeira inocente vingada: Jarbas tira os freios de seu carro e ela morre num acidente
a irmã ISABEL (Lucy Meirelles), guarda um segredo do passado: foi mãe solteira. Tem um carinho todo especial por Marcelo, e ao final descobre-se que ele é na realidade seu filho
o verdadeiro pai de Marcelo, TOMAZ (José Parisi)
a empregada JUREMA (Marilena de Carvalho).

– núcleo dos moradores de Roseira:
o PADRE JOÃO (Cláudio Corrêa e Castro), que tenta harmonizar a todos, inclusive Juliana, que o acusa de não ter feito nada por sua mãe
o irmão do Padre João, CHICO (Gianfrancesco Guarnieri), sujeito alegre e viajado. É o segundo inocente: desapareceu misteriosamente até que seu corpo foi encontrado na estrada
o ajudante do padre na igreja CAZUZA (Luiz Carlos Braga)
o dono da farmácia BABÃO (Alceu Nunes), o maior fofoqueiro da cidade, paquera Irene
o dono do botequim, GARCIA (Eduardo Abbas), que disputa Irene com Babão
o barbeiro DOMINGUINHO (Adoniran Barbosa), terceiro pretendente da professora Irene
o delegado NORONHA (Muíbo César Cury).

– núcleo de São Paulo:
a namorada de Vitor, GIGI (Jussara Freire), louca por ele
a amiga de Gigi e Juliana TAÍS, (Carmem Marinho)
AGENOR (Hilkias de Oliveira), a pedido de Juliana, apresenta os lugares grã-finos a Marina e a incentiva a beber.

Enquanto concluía Mulheres de Areia, Ivani Ribeiro deu início aos trabalhos de duas novas novelas: a substituta no horário (20h), Os Inocentes, e a nova atração das 20h30, O Machão. Para isso, contou com a ajuda do marido, Dárcio Ferreira, que ficou responsável pela roteirização de Os Inocentes sob a sua supervisão, enquanto assumia sozinha O Machão. As duas estrearam no mesmo dia: 5 de fevereiro de 1974.
Mais adiante, Ivani repassou O Machão para Sérgio Jockyman, que assumiu o texto, e foi preparar a nova atração das sete da noite, A Barba Azul.
Assim, durante o ano de 1974, a Tupi exibiu duas novelas simultâneas da Ivani Ribeiro em duas ocasiões: entre fevereiro e meados de março, Os Inocentes e O Machão; e entre julho e setembro, Os Inocentes e A Barba Azul.

O ponto de partida de Os Inocentes foi a peça A Visita da Velha Senhora, de Friedrich Dürrenmatt. Ivani já havia levado a mesma história para a Rádio Atlântica, de Santos: A Mulher de Pedra, com Cleyde Yáconis como Juliana, a protagonista, personagem que a atriz voltou a interpretar em Os Inocentes.

Para viver a neurótica e vingativa Juliana, Cleyde Yáconis usou de toda sua experiência teatral. A atriz, mais a autora Ivani Ribeiro e o diretor Carlos Zara, tiveram a orientação do psiquiatra Paulo Gaudêncio para a composição da complexa personagem. (*)

Quase metade do elenco de Os Inocentes vinha da novela anterior no horário, o sucesso Mulheres de Areia: Cleyde Yáconis, Rolando Boldrin, Cláudio Corrêa e Castro, Gianfrancesco Guarnieri, Silvio Rocha, Lucy Meirelles, Maria Estela, Márcia Maria, Carminha Brandão, Ana Rosa, Serafim Gonzalez, Léa Camargo, Adoniran Barbosa e Carmem Marinho.

A atriz Carminha Brandão atuava em Os Inocentes, a novela das oito, quando a deixou para participar de A Barba Azul, às sete. Enquanto iam ao ar os primeiros capítulos de A Barba Azul, Carminha ainda aparecia em Os Inocentes, nas últimas gravações que ela fez para a novela nesse período. Ao final de Os Inocentes, a atriz retornou à novela das oito para gravar uma última participação. Novamente a atriz pôde ser vista simultaneamente na novela das sete e na novela das oito da Tupi.

Jussara Freire foi outra atriz que saiu perto do fim de Os Inocentes para atuar A Barba Azul.

A dificuldade maior enfrentada por Ivani Ribeiro em Os Inocentes foi a saída do elenco de Gianfrancesco Guarnieri antes do término das gravações. Ivani teve que modificar cerca de vinte capítulos já prontos e gravados, fazendo com que o personagem desaparecesse antes do previsto. (*)

Durante sua exibição, Os Inocentes passou a ser transmitida em cores, unindo-se às produções das demais faixas da emissora, A Barba Azul, às 19h, e O Machão, às 20h30 – apesar de experimentos já terem sido feitos na novela anterior no horário, Mulheres de Areia.

As externas foram gravadas em Roseira, cidade a 158km de São Paulo, na região do Vale do Paraíba. Também na cidade de Pindamonhangaba, onde estava localizada a fazenda de Juliana, e em Guaratinguetá. (*)

Para homenagear o povo da Roseira, a produção Os Inocentes organizou uma quermesse que contou com a presença de todo o elenco e da população da região. (*)

Cenas para a novela foram gravadas durante o concurso Miss São Paulo, de 1974, do qual participou a candidata da ficção Marina (Márcia Maria). O evento foi realizado no Ginásio Municipal de Esportes de Campinas e transmitido pela TV Tupi. (Carolline Rodrigues em “Ivani Ribeiro, a Dama das Emoções”)

Uma figura misteriosa, usando uma pesada maquiagem, vestindo uma capa preta com um capuz e puxando de uma perna, era um dos mistérios de Os Inocentes e aterrorizava a personagem Juliana. No decorrer da trama a suposta assombração foi desmascarada, quando um tiro em sua perna o imobilizou. No dia seguinte à noite do disparo, Juliana reuniu todos os empregados em sua fazenda e tentou arrancar uma confissão, prometendo que o culpado não seria demitido, mas nenhum deles se manifestou. Porém, quando ela os liberou para que retornassem aos seus afazeres, percebeu que um deles saiu mancando. Ela ordenou que ele mostrasse a perna que estava puxando e a farsa foi desfeita: era Maneco (Régis Monteiro) que queria que a fazenda fosse vendida para a sua família, e, por isso, espantava todos que se aproximassem dela.

Primeira novela na Tupi do ator Jonas Mello, que vinha das novelas da Record.

A APCA (Associação Paulista de Críticos de Arte) premiou Os Inocentes em três categorias relativas ao ano de 1974:
melhor novela (juntamente com Os Ossos do Barão e O Espigão);
melhor ator, para Cláudio Corrêa e Castro (juntamente com Antônio Fagundes e João José Pompeo, por O Machão);
e melhor atriz, para Cleyde Yáconis (juntamente com Neuza Amaral e Elza Gomes, por Os Ossos do Barão, e Betty Faria e Suzana Vieira, por O Espigão).

Chamada da novela: “Juliana odeia todos eles. Nunca pôde esquecer o que fizeram a sua mãe. A imagem dos culpados marcou sua vida. Ela quer vingar-se de todos… através dos… inocentes.”

O tema central – uma história de vingança – já foi fartamente explorado em nossa Teledramaturgia – vide Cavalo de Aço (1973), Fera Radical (1988), Tieta (1989-1990), Fera Ferida (1993-1994) e tantas outras novelas. A que mais se aproxima desse original de Ivani Ribeiro e, por consequência, de A Visita da Velha Senhora de Dürrenmatt, é Chocolate com Pimenta, de Walcyr Carrasco, exibida pela Globo entre 2003 e 2004.

(*) “De Noite Tem… Um Show de Teledramaturgia na TV Pioneira”, de Mauro Gianfrancesco e Eurico Neiva, Giz Editorial, 2007.

Trilha Sonora

inocentest
01. ABERTURA – John Barry-Moore
02. BELIEVE ME DARLING – Pete Dunaway (tema de Dr. Mário e Sofia)
03. DE AMOR EU MORREREI – Gal Costa (tema de Renato e Deise)
04. BELIEVE ME DARLING (instrumental) – John Barry-Moore (tema de Sofia)
05. TEMA DE JULIANA – Mathuzalen
06. JUST FANCY THAT – Gary Glitter (tema de Vítor)
07. PORQUE TE AMO (PERCHE TI AMO) – Celso Ricardi (tema de Marcelo e Deise)
08. LET’S TRY AGAIN – Cynthia (tema de Marina e Renato)
09. ATÉ QUEM SABE – Zé Luís
10. LOVE IS IN MOTION – Stories
11. AS COISAS QUE EU GOSTO – Renato Teixeira
12. CANÇÃO PRIMEIRA – Geraldo Vandré

Veja também

  • profeta77_logo

O Profeta (1977)

  • mulheresdeareia73_logo

Mulheres de Areia (1973)

  • barbaazul_logo3

A Barba Azul

  • viagem75_logo

A Viagem (1975)