Sinopse

A sofrida Nanci é mãe de Isadora, mas foi obrigada a se afastar da filha assim que ela nasceu. Humilde e trabalhadora, quando jovem, Nanci se apaixonou pelo seu chefe, Amoedo, um rico industrial, e acreditou estar vivendo um conto de fadas. Segundo a versão de Amoedo, depois que Isadora nasceu, Nanci abandonou a família. Ao longo da trama, Nanci tem a chance de se aproximar da filha, tornando-se sua amiga e confessando ser sua verdadeira mãe. Ela conta que Amoedo a expulsou de casa em seu nascimento e que ela não teve forças para desafiar o seu pai. Chocada, a primeira reação de Isadora é a rejeição, mas, logo em seguida, a jovem fica feliz por finalmente conhecer sua verdadeira mãe.

Isadora, por sua vez, sai de um casamento problemático com Sérgio, um mau caráter, e se envolve com o Professor Maurício, acusado de crimes que não cometeu. O professor é também assediado por uma aluna, Celina, adolescente que tenta fugir do universo de contravenções do pai, o bicheiro Célio Cruz, o todo poderoso do bairro do Encantado, Zona Norte do Rio de Janeiro, presidente da escola de samba local. Célio mantem dois lares: o oficial, com a esposa Isildinha e os filhos, e uma amante, Jussara, a bela porta-bandeira da Acadêmicos do Encantado. Jussara também desperta o interesse de Piscina, irmão de seu ex-marido, o bandido Escadinha, morto em confronto com a polícia. Piscina é um compositor frustrado que sonha em vencer o concurso de samba-enredo da escola.

Globo – 20h
de 7 de maio a 24 de novembro de 1984
174 capítulos

novela de Glória Perez e Aguinaldo Silva
direção de Roberto Talma, Jayme Monjardim, Carlos Magalhães, Luís Antônio Piá e Helmar Sérgio
direção geral de Roberto Talma

Novela anterior no horário
Champagne

Novela posterior
Corpo a Corpo

CLÁUDIO MARZO – Maurício
ELIZABETH SAVALA – Isadora
RAUL CORTEZ – Célio Cruz
BETTY FARIA – Jussara
LÍLIAN LEMMERTZ – Nanci
RÚBENS CORRÊA – Amoedo
GLÓRIA PIRES – Celina
CÉLIA HELENA – Isildinha
HERSON CAPRI – Sérgio
EVA TODOR – Cecília
PERCY AIRES – Agostinho
JOSÉ MAYER – Piscina
MARILU BUENO – Sulamita
KADU MOLITERNO – Werner
NORMA BENGUELL – Irene
ROBERTO BATAGLIN – Fernando
MILTON GONÇALVES – Reginaldo
JONAS MELLO – Zé Luís
SUSANA VIEIRA – Gilda
CHRISTIANE TORLONI – Selma
PAULO CÉSAR PEREIO – Da Matta
GUILHERME KARAN – Políbio
ARNAUD RODRIGUES – Mr. Soul
ROBERTO BONFIM – Genilson
ELIZÂNGELA – Cidinha
CININHA DE PAULA – Salete
GERMANO FILHO – Jesus
ILVA NIÑO – Iara
FÁBIO SABAG – Turquinho
EDNEY GIOVENAZZI – Alceu
ANDRÉ DE BIASE – Marcos
BIA SION – Sú
CARLA DANIEL – Malu
LUÍS FELIPE DE LIMA – Felipe
NEUSA CARIBÉ – Zezinha
MÁRIO CÉSAR CAMARGO – Kleber
TONY FERREIRA – Delegado
CARMEM FIGUEIRA – Thelma
ANTÔNIO PITANGA – Jacaré
COSME DOS SANTOS – Zé Pretinho
GUARACY VALENTE – Raposo
JOÃO VIEITAS – Geni
ÂNGELA RABELO – Déia
ELIANE MAIA – Creusa
os meninos
MARCELO PENICHE – André (filho de Isadora e Sérgio)
RAFAEL ALVAREZ – Jorginho (filho de Jussara e Escadinha)
e
ARMANDO BÓGUS – Arthur (advogado de Maurício)
DÉBORA DUARTE – Laura (mulher de Da Matta)
GILSON MOURA – Amaral (bandido amigo de Escadinha que acaba assassinado)
JAIR DELAMARE – segurança de Turquinho
JORGE COUTINHO
LIMA DUARTE – Cocada
LUCY MAFRA – empregada de Isadora
MARISE CIGANI – empregada de Werner
MONIQUE ALVES – Marta Siqueira (química que vende veneno para Sérgio, é assassinada)
NARDEL RAMOS – detetive Marquezzi
NÉLIA PAULA – Manuela (mulher de Amaral, trabalha como faz-tudo no Encantado)
NEY LATORRACA – Escadinha (irmão de Piscina, ex-marido de Jussara, bandido, foi assassinado pela polícia no início)
PAULO NUNES – porteiro no prédio de Isadora
YONÁ MAGALHÃES – juíza no julgamento de Maurício, acusado pelo roubo da coroa e por três assassinatos

– núcleo de ISADORA (Elizabeth Savala), mulher bonita e sensível, infeliz no casamento. Após romper com o marido, parte para a difícil tarefa de recomeçar. Foi criada pelo pai e a tia acreditando ter sido rejeitada pela mãe, que nunca conheceu:
o pai AMOEDO (Rúbens Corrêa), dono de uma fábrica de bombons. Homem conservador e intransigente que esconde da filha a identidade de sua mãe
a tia CECÍLIA (Eva Todor), irmã de Amoedo, foi quem a criou com amor de mãe. Mulher alegre, extrovertida, é o oposto do irmão
o melhor amigo de Amoedo, AGOSTINHO (Percy Aires), seu braço-direito nas empresas, mantem uma relação de intimidade com a sua família
o marido SÉRGIO (Herson Capri), de quem se separa no início da trama. Homem bonito, esportista e mulherengo. Empresário bem-sucedido, de caráter duvidoso, para quem o dinheiro é o que mais importa
o filho pequeno ANDRÉ (Marcelo Peniche), torna-se objeto de disputa após a separação do casal
o professor MAURÍCIO (Cláudio Marzo), por quem se apaixona. Humanista, preocupado com os problemas dos alunos. Por intrigas de Sérgio, que age enciumado, vai ser acusado de crimes que não cometeu.

– núcleo de NANCI (Lílian Lemmertz), mulher simples e batalhadora, mãe de Isadora, que não a conhece. No passado, engravidou de Amoedo, então seu patrão. Quando Isadora nasceu, ele a tirou de si, impedindo-a de ter contato com a filha. Hoje vive no bairro do Encantado, Zona Norte do Rio de Janeiro, como costureira. É uma mulher sofrida, resignada e sonha com uma aproximação com a filha:
o filho FERNANDO (Roberto Bataglin), rapaz bom, criado sob a vigilância da mãe. Atleta, se prepara para competir na Olimpíada, embora precise de um patrocinador
a irmã SULAMITA (Marilu Bueno), mulher despachada, alegre, sem papas na língua e provocadora. Não se conforma com a situação da irmã e a incentiva a mudar de vida.

– núcleo de CÉLIO CRUZ (Raul Cortez), banqueiro do jogo do bicho no Encantado, onde é respeitado como um rei. Presidente de honra da escola de samba Acadêmicos do Encantado. Metido com contravenção e bandidos, é obcecado por ouro e vive ostentando suas joias:
a mulher ISILDINHA (Célia Helena), mulher doce, a princípio, uma figura apagada que não percebe as traições do marido. Mas sabe tudo o que acontece à sua volta – só não deixa transparecer que sabe
os filhos: CELINA (Glória Pires), garota independente e de personalidade forte, sempre em conflito com o pai por não aceitar seu envolvimento com a contravenção. Aluna do professor Maurício, apaixona-se por ele e luta por esse amor,
e FELIPE (Luís Felipe de Lima), educado para ser o substituto do pai, descobre que a sua verdadeira vocação é o bandolim, o que decepciona o bicheiro. Tem o temperamento mais doce que o da irmã
o secretário REGINALDO (Milton Gonçalves), seu homem de confiança. Fiel ao patrão, faz tudo para corresponder às expectativas dele
o inimigo TURQUINHO (Fábio Sabag), bicheiro rival
o mordomo GENI (João Vieitas), um tipo afeminado, motivo das chacotas do patrão
os capangas JACARÉ (Antônio Pitanga) e ZÉ PRETINHO (Cosme dos Santos).

– núcleo de JUSSARA (Betty Faria), manicure, bela morena, porta-bandeira da escola de samba Acadêmicos do Encantado, dirigida por Célio Cruz, seu amante. Viúva, é alvo dos presentes e mimos do bicheiro e assediada pelo ex-cunhado:
o marido falecido ESCADINHA (Ney Latorraca), bandido que, perseguido pela polícia, acaba morto no confronto, logo no início da trama
o filho pequeno JORGINHO (Raphael Alvarez), dela e de Escadinha
o ex-cunhado PISCINA (José Mayer), irmão mais novo de Escadinha. Nutre uma paixão antiga por ela. É um compositor frustrado, que concorre ano após ano ao concurso para samba-enredo da Acadêmicos do Encantado, sem conseguir vencer por conta da gagueira que o ataca sempre que tenta cantar
a namorada de Piscina, CREUZA (Eliane Maia), trabalha como empregada de Maurício.

– núcleo de IRENE (Norma Benguell), mulher que ajudou o marido a levantar o patrimônio da família, o que a fez se anular, inclusive profissionalmente. Depois de ricos e os filhos crescidos, ele pediu divórcio. Ela tenta se colocar no mercado de trabalho e começar uma nova vida. Inclusive amorosa. Vai se apaixonar por Fernando e enfrentar uma série de preconceitos, por ele ter idade para ser seu filho:
os filhos: MARCOS (André de Biasi), rapaz bem humorado, esportivo, está sempre rodeado de amigos. Aficionado por motos e jogos eletrônicos
e MALU (Carla Daniel), moça romântica e insegura
o amigo de Marcos, WERNER (Kadu Moliterno), rapaz rico e esportista. Apaixona-se por Celina, a quem tenta conquistar
a amiga de Malu, (Bia Sion), moça mística e exotérica. É apaixonada por Marcos, com quem acaba se casando
o amigo ALCEU (Edney Giovenazzi), homem refinado, dono de um badalado bar, tenta ajudá-la em seus problemas.

– núcleo de GILDA (Susana Vieira), nova rica deslumbrada e fútil. Gasta o dinheiro do marido compulsivamente, inclusive com um guru particular. Amiga de Isadora por convenções sociais, porque na verdade fala mal dela pelas costas:
o marido ZÉ LUÍS (Jonas Mello), sócio de Sérgio. Pai de Marcos e Malu, foi o primeiro marido de Irene. Faz todas as vontades da mulher
a amiga SELMA (Christiane Torloni), interesseira e sonsa, luta pelo poder com as armas que possui: beleza e charme. No início, é namorada de Werner. Depois vai ter um caso com Sérgio
o guru particular POLÍBIO (Guilherme Karan), na verdade um impostor, só interessado em arrancar dinheiro dela, sobre quem tem forte influência, acompanhado-a e determinando grande parte do seu comportamento
o secretário de Políbio, RAPOSO, pau mandado e capacho de seu “mestre”
a empregada DÉIA (Ângela Rabelo), fiel a ela, sua fã
a secretária no escritório de Zé Luís e Sérgio, THELMA (Carmem Figueira).

– núcleo de DA MATTA (Paulo César Pereio), escritor famoso que retira do amor emoções puramente literárias. Um conquistador, cada mulher funciona como matéria-prima para a elaboração de mais uma heroína de seus romances. Persegue Isadora incessantemente:
a mulher LAURA (Débora Duarte), elegante e refinada, é capaz, no entanto, de perder a classe quando se sente ameaçada pelas conquistas do marido. Para ele, Laura é uma mistura de mãe, mulher e empresária, ou seja, é absolutamente indispensável.

– núcleo dos demais moradores do Encantado:
JESUS (Germano Filho), contínuo do Ministério do Trabalho, vive a vida sem abrir a boca. Submisso à mulher megera, que sempre o humilha, e indiferente com relação às filhas, duas pestes que vivem brigando
IARA (Ilva Niño), mulher de Jesus, a quem vive azucrinando e mandando calar boca, mesmo ele permanecendo calado. Faladeira, fofoqueira e enxerida, está presente em todos os acontecimentos do bairro
as filhas de Jesus e Iara, que vivem brigando, CIDINHA (Elizângela), a beldade do subúrbio, para quem a mãe tem planos de um grande casamento. Interesseira, desinibida e provocadora,
e SALETE (Cininha de Paula), o patinho feio, se sente preterida pela irmã, mais bonita, o que gera muitos conflitos. Engana os pais agindo como se incorporasse espíritos, para ter atenção e tirar proveitos próprios. Mas a irmã sabe que é mentira, o que sempre acaba em brigas
MR. SOUL (Arnaud Rodrigues), dançarino de break, dono de uma equipe de som, a Funk Discoteque. Munido de uma parafernália sonora, organiza bailes animadíssimos, com um jeito louco e exótico
KLEBER (Mário César Camargo), viúvo e dono do bar mais frequentado do bairro. Vive de olho na filha adolescente, podando-a o máximo que pode. Nutre especial paixão por Sulamita
ZEZINHA (Neusa Caribé), filha de Kleber, de quem recebeu uma educação austera. Namora Felipe, por quem é apaixonada. Vive tentando burlar a vigilância do pai
GENILSON (Roberto Bonfim), sujeito misterioso. No início da trama, é empregado do museu onde acontece um roubo. Envolve-se com as irmãs Cidinha e Salete, que o disputam no tapa – literalmente.

Confusa atração assinada pela dupla Glória Perez e Aguinaldo Silva – ele estreando como novelista. A novela pecava pelo excesso de tramas e pela precariedade de suas soluções. A falta de sintonia entre os autores ficou evidente. A dupla se desfez e Glória conduziu o texto até o final. Mas a falta de critério inicial se projetou até o fim. Só mesmo a Globo com sua produção impecável evitou que a novela se tornasse intolerável. Ismael Fernandes em “Memória da Telenovela Brasileira”.

Sobre a parceria com Glória Perez, Aguinaldo Silva revelou a André Bernardo e Cíntia Lopes para o livro “A Seguir, Cenas do Próximo Capítulo”:
“O Boni [superintendente da Globo na época] resolveu que a próxima novela das oito seria escrita por nós dois. O problema era que a gente sequer se conhecia. Eu conheci a Glória no elevador da Globo no dia em que o Boni nos convidou para uma reunião. (…) Na tal reunião, o Boni disse que queria que escrevêssemos a tal novela juntos. Naquele mesmo dia fizemos uma reunião para criar personagens, estabelecer tramas, etc. Não tínhamos muito tempo. Cada um fazia uma ideia completamente diferente do outro, do que era um roteiro de novela. (…) O método [de escrever] da Glória é completamente diferente, eu diria o oposto até. (…) Aí era um drama porque a gente simplesmente não conseguia trabalhar junto. Como trabalhar junto se ela escreve de um jeito e eu de outro? Então, é claro que essa tensão toda acabou se refletindo na nossa relação. Houve momentos em que a gente não conseguia sequer se falar. Mas não era por problema de egos, e, sim, por incompatibilidade de métodos de trabalho.”

Sobre esta questão, Glória Perez falou ao mesmo livro:
Partido Alto foi um casamento arranjado entre duas pessoas que não se conheciam, literalmente, e tinham estilos completamente diferentes. Como não éramos noivos muçulmanos nem indianos, não podia dar certo!”.

Aguinaldo ainda declarou para o livro “Autores, Histórias da Teledramaturgia”, do Projeto Memória Globo:
“Quando a novela tinha passado um pouco da metade, li no jornal que a TV Globo havia comprado os direitos de Tenda dos Milagres [o livro de Jorge Amado] e ia produzir uma minissérie. Imediatamente procurei o Daniel Filho e pedi para fazer. Ele ponderou, mas acabaram me tirando da novela e eu fui escrever a minissérie.”

Ficaram a desejar as histórias de Jussara (Betty Faria), Célio Cruz (Raul Cortez), Nanci (Lílian Lemmertz) e Maurício (Cláudio Marzo). Personagens bem delineados, fortes e bem defendidos por seus intérpretes. Infelizmente, mal alinhavados no contexto, e pela ação da censura, que contribuiu para o resultado equivocado. Ismael Fernandes em “Memória da Telenovela Brasileira”.

Entretanto vários atores se destacaram ao criar tipos caricatos, como a esfuziante Sulamita de Marilu Bueno, o guru de araque Políbio de Guilherme Karan, e o rapper Mr. Soul de Arnaud Rodrigues.

Para dar vida à Jussara, apaixonada por samba, Betty Faria passou a frequentar assiduamente a quadra da Escola de Samba Estação Primeira de Mangueira, onde aprendeu a atuar como porta-bandeira. Site Memória Globo.

No último capítulo, a fictícia escola de samba Unidos do Encantado desfilava na avenida tendo Jussara como grande destaque, ao som do samba-enredo E Agora José?, de autoria de Piscina (José Mayer), composta em homenagem ao poeta Carlos Drummond de Andrade (na verdade, o samba-enredo é de autoria de Jorge Aragão e Dona Ivone Lara). Mas o sambista foi assassinado por capangas de Célio Cruz (Raul Cortez) em pleno desfile, e Jussara assistiu a tudo do alto de um carro alegórico sem nada poder fazer.
Para a gravação deste desfile, a produção da novela interrompeu o trânsito da Avenida Rio Branco e organizou um desfile de carnaval, com a participação de mil passistas de seis escolas de samba. Milhares de pessoas assistiram às gravações, que duraram doze horas.

A Censura do Regime Militar, ainda vigente em 1984, proibiu a menção às atividades ilegais de Célio Cruz – o jogo do bicho – e impôs uma mudança de rumo no enredo. E ainda interferiu no último capítulo, que foi modificado: o bicheiro e seu cúmplice Reginaldo (Milton Gonçalves) não fogem para a Europa. No texto reescrito, Célio insinua que a história não está encerrada e indaga ao policial que o prende: “Ainda é possível dialogar?”

Um momento divertido no último capítulo: o passivo Jesus (Germano Filho), após passar a novela inteira calado, sem dizer uma só palavra e sendo humilhado pela esposa megera Iara (Ilva Niño), se revolta contra ela e vai à forra, soltando o verbo e lhe desafiando.

O problema da falta de uma linha de ônibus para o bairro Encantado, na Zona Norte do Rio de Janeiro, foi levantado pela autora Gloria Perez. A personagem Sulamita (Marilu Bueno) chegava à sua casa com o sapato na mão e exausta. A exposição do problema levou à criação de uma linha de ônibus para o bairro. Site Memória Globo.

A abertura, produzida por Hans Donner e sua equipe, reuniu um grupo de dançarinos de break e outro de sambistas, que se fundiam, ao som de Enredo do Meu Samba, de Dona Yvone Lara e Jorge Aragão, na voz de Sandra de Sá. As roupas dos dançarinos de break eram muito coloridas, enquanto a dos sambistas, prateadas. Em dado momento, a roda de break virava roda de samba. A abertura de Partido Alto foi a mais longa abertura de novela produzida por Hans Donner até então, com 40 segundos a mais do que as anteriores. Site Memória Globo.

Primeira novela dos atores Guilherme Karan e Roberto Bataglin.

Débora Duarte deixou a novela bem antes do final. A atriz foi escalada para viver a protagonista da atração substituta no horário: Corpo a Corpo, de Gilberto Braga.

Trilha Sonora Nacional
partidot1
01. BOBOS DA CORTE – Rita Lee
02. ESPELHOS D’AGUA – Dalto (tema de Celina)
03. LEMBRA – Ivan Lins (tema de Isadora)
04. FIO DA NAVALHA – Guilherme Arantes (tema de Célio Cruz)
05. RETIRO – Pulinho da Viola
06. ME CHAMANDO DE PAIXÃO – Jorge Ben
07. ENREDO DO MEU SAMBA – Sandra Sá (tema de abertura)
08. VINHO – Maria Bethânia (tema de Irene)
09. LARGADO NO MUNDO – Barão Vermelho
10. HORIZONTES – Ângela Maria (tema de Jussara e Piscina)
11. COISA DE NÓS DOIS – Gilliard
12. AMAR COMO EU TE AMEI – Roberto Ribeiro
13. MARIÁ – Robson Jorge & Lincoln Olivetti
14. SENTIMENTOS – Fátima Mello

Trilha Sonora Internacional
partidot2
01. PRIMAVERA – Riccardo Cocciante (tema de Irene)
02. HELP – Tina Turner (tema de Nanci)
03. HEY DJ – The World’s Famous Supreme Team (tema de Mr. Soul)
04. WHERE’S MY MAN – Eartha Kitt (tema de Zezinha)
05. EVEN A FOOL WOULD LET GO – Joe Cocker (tema de Maurício e Isadora)
06. DON’T LET GO – Wang Chung
07. THIS LOVE IS FOREVER – B. J. Thomas (tema de Jussara e Célio Cruz)
08. IF YOU’RE NOT HERE (BY MY SIDE) – Menudo (tema de Fernando)
09. MISS ME BLIND – Culture Club
10. YOU’RE THE INSPIRATION – Chicago (tema de Selma e Sérgio)
11. EARTHQUAKE – The Flirtations (tema de Gilda)
12. IF EVER YOU’RE IN MY ARMS AGAIN – Peabo Bryson (tema de Celina)
13. SELF CONTROL – Raf (Raffaele Riefoli)
14. DREAMS – Black Journey

Supervisão de repertório: Francisco Santos Jr.
Supervisão da trilha internacional: Sérgio Motta
Direção Musical: Guto Graça Mello

Tema de Abertura: ENREDO DO MEU SAMBA – Sandra Sá

Não entendi o enredo desse samba amor
Já desfilei na passarela do teu coração
Gastei a subvenção
Do amor que você me entregou
Passei pro segundo grupo e com razão
Passei pro segundo grupo e com razão

Meu coração carnavalesco não foi mais
E o adereço teve um dez na fantasia
Mas perdeu em harmonia
Sei que atravessei um mar de alegorias
Desclassifiquei o amor de tantas alegrias

Agora eu sei
Desfilei sob aplausos da ilusão
E hoje tenho esse samba de amor no coração
Finda o carnaval
Das cinzas pude perceber
Na apuração perdi você…

Veja também

  • amorcomamorsepaga_logo

Amor com Amor se Paga

  • veredatropical_logo

Vereda Tropical

  • livreparavoar_logo

Livre para Voar

  • transasecaretas_logo

Transas e Caretas