Sinopse

Pérola foi abandonada ainda bebê em um internato para moças juntamente com um colar com 22 valiosas pérolas negras. Cada pérola pagaria um ano de vida da menina na escola, até que ela completasse 21 anos. Uma das pérolas deveria ser entregue a ela quando deixasse a instituição. A criança é registrada como Pérola Marques e cresce tendo como amiga Eva, uma menina que chegou ao internato aos oito anos, depois da morte de seus pais, por imposição da avó, Rosália Pacheco Oliveira. Eva é herdeira de uma fortuna que inclui uma indústria de cosméticos. A avó Rosália odiava a nora e passou todo o seu ódio para a neta, por isso decidiu levá-la para o colégio interno.

Anos depois, Eva, prestes a completar 20 anos, é seduzida por Tomás Álvares Toledo e fica grávida. O bebê nasce em total segredo e ninguém fora da escola sabe quem é a verdadeira mãe da criança. Amigas inseparáveis, Pérola e Eva prometem uma à outra que cuidarão do menino assim que deixarem o internato. Depois de alguns meses, Eva recebe a notícia da morte de seu avô Carlos Pacheco Oliveira. Patriarca da família, ele, para se vingar de Rosália, que o traiu no passado, deixa tudo para a neta. Herdeira e com 21 anos completos, Eva decide procurar sua família e assumir os seus bens, levando consigo a amiga Pérola. Porém, um acidente de carro no percurso vitima Eva.

Pérola sobrevive e no hospital é confundida com a amiga. Ela decide, então, assumir a identidade de Eva para recuperar o “seu filho” e cumprir a promessa de cuidar da criança. Ao chegar à casa dos Pacheco Oliveira, Pérola, agora como Eva, se depara com a hostilidade de algumas pessoas, entre elas, Malvina, namorada de Tomás, o homem que seduziu Eva. O tempo passa e Eva (na verdade Pérola), determinada, toma o controle da firma de cosméticos da família, garantindo a segurança de seu “filho” Carlinhos, mesmo sem ninguém saber que ela não é a mãe do menino. Entre os segredos da família de Eva, Pérola descobre que sua suposta avó (a avó de Eva) é a sua verdadeira mãe.

As poderosas famílias Pacheco Oliveira e Álvares Toledo têm uma ligação e se odeiam. No passado, o avô de Eva, Carlos Pacheco Oliveira, deu um golpe em um negócio, o que levou o pai de Pérola, Fernando Álvares Toledo, ao suicídio. Eva (Pérola) tem de lidar com as intrigas entre os dois clãs rivais e dentro de sua própria família, que quer arrancar a firma de suas mãos. E a concorrência com seu maior rival, Tomás, que não compreende como Pérola resiste aos seus encantos, apesar da paixão que nasce entre os dois. Porém, a situação se complica quando Tomás descobre que Carlinhos é seu filho.

SBT – 20h
de 9 de novembro de 1998
a 18 de junho de 1999
194 capítulos

baseada no original argentino de Enrique Torres
adaptação de Henrique Zambelli
supervisão de texto de Crayton Sarzy
direção de Antonino Seabra e Henrique Martins
direção geral de Antonino Seabra
supervisão de Nilton Travesso

Novela anterior
Fascinação

Novela posterior
O Direito de Nascer

PATRÍCIA DE SABRIT – Pérola / Eva
DALTON VIGH – Tomás Álvares Toledo
MAXIMIRA FIGUEIREDO – Rosália Pacheco Oliveira
CIBELE LARRAMA – Malvina
LUIZ CARLOS DE MORAES – Fernando Álvares Toledo
CLÉO VENTURA – Renata
LIA DE AGUIAR – Branca
MARIANA DUBOIS – Lucila
RENATO MODESTO – Fernando Júnior
FÁBIO CARDOSO – Laureano
MARTHA MELLINGHER – Miss Helen
BLOTA FILHO – Zacarias
ÂNGELA DIP – Ivone
LUIZ BACCELLI – Benjamim Wainstein
MARCELA LEAL – Ana Maria
MANITOU FELIPE – Augusto Perez
BETO BITTENCOURT – Elias
TADEU MENEZES – Dante
MARCOS MELLO – Matias
JORGE CERRUTTI – Alain
MARISTANE DRESCH – Manu
ROSA DE MENDONÇA – Bruna
GIOVANE PARAVELA – Carlinhos
JOSMAR MARTINS – Guido Terzana
HOMERO KOSSAC – Horácio Camargo
ANA PAULA AQUINO – Beth
TERESA MORRONE – Kátia
KARINA CATALDO – Tereza
ANDRÉ GAROLLI – Leonardo Bastos
MARIA FERNANDA CÂNDIDO – Manuela Ferreira Campos
OSWALDO CAMPOZANA
ANA CLÁUDIA VIDAL
RONEY FACCHINI
e
RILDO GONÇALVES – Carlos Pacheco Oliveira
VANUSA SPINDLER – Eva

Pérola Negra foi ao ar quase dois anos depois de ser inteiramente gravada. As gravações ocorreram ao mesmo tempo que O Direito de Nascer (exibida em 2001).

A intenção era reativar o núcleo de dramaturgia do SBT, interrompido pelo sucesso inesperado da mexicana Maria Mercedes (1996) – seguido de suas continuações, Marimar (1996) e Maria do Bairro (1997).

Reapresentada pela primeira vez de 09/08/2004 a 15/04/2005, às 13 horas. Curiosamente essa reprise de Pérola Negra fez mais sucesso que a sua exibição original. Da audiência mediana que a novela teve em 1998-1999, a reapresentação conseguiu por mais de uma vez conquistar o primeiro lugar no Ibope da Grande São Paulo e empatar várias vezes com a Globo, que, no horário, apresentava a reprise de Terra Nostra e, depois, Deus nos Acuda, no Vale a Pena Ver de Novo.
Reprisada pela segunda vez entre 12/07/2010 e 26/04/2011, às 14h15.

As duas primeiras reprises de Pérola Negra foram editadas de uma forma que ficaram mais longas que na época da primeira exibição da novela. Foram 210 capítulos (primeira reprise) e 205 capítulos (segunda reprise) contra os 194 da apresentação original.

A novela foi reprisada pela terceira vez entre 29/06 e 11/12/2015, às 15h30, em 120 capítulos.

Assumir a identidade de uma amiga – desaparecida ou dada como morta – é um filão já bastante explorado em nossa Teledramaturgia, vide: A Intrusa (1967), Plumas e Paetês (1980-1981), Vida Roubada (1983-1984), Cara e Coroa (1995-1996), Esplendor (2000) e outras.

TUDO POR NADA (MY HEART CAN´T TELL YOU NO) – Paulo Ricardo (tema de abertura)
EVIDÊNCIAS – José Augusto e Roberta Miranda (tema de Renata)
ME LIGA – Patrícia Marx (tema de Lucíola)
ABRAÇA-ME – Simone

Tema de Abertura: TUDO POR NADA (MY HEART CAN´T TELL YOU NO) – Paulo Ricardo

Se eu soubesse que ia ser assim
Tudo por nada
E confesso que eu acreditei
Em meias verdades
Você nunca me disse
Te amo
Mas também não disse que não
Enquanto eu fazia tantos planos
Que você nunca vai saber
nunca vai saber
Quando você ama alguém que não te quer
Quando há um outro homem, outra mulher
Mesmo assim ainda te amo
Mesmo sabendo que eu
Posso de repente ser o outro
Não posso ter esquecer

Se eu soubesse que ia ser assim
Desde o começo
Não teria te ligado
Mas bem que eu mereço
Alguém tão diferente brilhava
E parecia querer
Aquilo que eu sempre sonhava
E que você não soube ser
Você não pode ser
Quando você ama alguém que não te quer
Quando há um outro homem, outra mulher
Mesmo assim ainda te amo
Mesmo sabendo que eu
Posso de repente ser o outro
Eu não consigo te esquecer
Não posso ter esquecer

Se eu soubesse que ia ser assim
Tudo por nada
E confesso que eu acreditei
Em meias verdades
Você nunca me disse
Te amo
Mas também não disse que não
Enquanto eu fazia tantos planos
Que você nunca vai saber
nunca vai saber
Quando você ama alguém que não te quer
Quando há um outro homem, outra mulher
Quando você ama alguém que não te quer
Quando há um outro homem, outra mulher…

Veja também

  • donaanja_logo

Dona Anja

  • fascinacao_logo

Fascinação