Sinopse

Waldomiro Pena, encarregado pelo jornal Folha Popular de cobrir as ocorrências policiais na cidade do Rio de Janeiro, é a personificação romanceada e idealizada de um tipo em extinção: o jornalista sem formação universitária envolvido emocionalmente com a notícia.

Apaixonado pelo trabalho e autor de um texto brilhante, ele tem como contraponto o jovem e cético editor Serra, formado em Comunicação e contratado para mudar a imagem do jornal. Serra acredita que a neutralidade é imprescindível ao trabalho jornalístico e relaciona-se de forma prática e objetiva com seu iofício. Sempre divergindo, Waldomiro e Serra protagonizam muitas disputas e embates para fazer valer suas idéias na redação do jornal.

No meio do conflito entre Serra e Pena está a jovem repórter Bebel. Menina de família burguesa, moradora da Gávea, Zona Sul do Rio de Janeiro, Bebel é fascinada pelo jornalismo policial e pela figura de Waldomiro Pena: a maneira de trabalhar, as reportagens e as atitudes. Junto com o veterano repórter, ela se mete em situações perigosas, freqüentando lugares suspeitos e misturando-se a figuras do submundo.

Globo – 22h
de 25 de maio de 1979 a outubro de 1981
66 episódios

criação de Aguinaldo Silva, Doc Comparato, Antônio Carlos Fontoura, Leopoldo Serran, Bráulio Pedroso e Ivan Ângelo
direção de Marcos Paulo, José Carlos Piéri, Jardel Mello, Luís Antônio Piá e Antônio Carlos Fontoura
supervisão de Daniel Filho

HUGO CARVANA – Waldomiro Pena
MARCOS PAULO – Serra
DENISE BANDEIRA – Bebel (repórter)
LUCINHA LINS – Gisela (repórter)
JÚLIO BRAGA – Wilson Gatto (fotógrafo)
LUTERO LUIZ – Bezerra (fotógrafo)
ANTÔNIO PEDRO – Anselmo (dono do botequim)
JOSÉ PRATA – Superboy (contínuo)
JUAN DANIEL – Garcia (jornaleiro)
SÍLVIA CHAMEKI BONET – Marlene (telefonista)
PROCÓPIO MARIANO – Washington (motorista)
ZENI PEREIRA – Mãe Dora (mulher de Washington)
CÉLIA BIAR – Olívia (mãe de Bebel)
ELIANA ARAÚJO – Iolanda (garçonete do botequim)
CARLOS DUVAL – Dagoberto (porteiro do edifício de Waldomiro)
MARIA ALVES – Odete

(lista incompleta de episódios)

inimigo público – de Aguinaldo Silva, direção de Daniel Filho
com José Dumont, Cidinha Milan, Mario Petráglia e Marcus Vinicius

sábado louco – de Antônio Carlos Fontoura, direção de Daniel Filho e José Carlos Piéri
com Ângela Leal, Helber Rangel, Paulo Gonçalves, Cláudio Mamberti, Julciléa Telles, Fábio Sabag, Lady Francisco, Munira Ahaad e Isolda Cresta

sete dias para morrer – de Antônio Carlos Fontoura, direção de Antônio Carlos Fontoura
com Anselmo Vasconcelos, Maria Pompeu, Jofre Soares, Gracinda Freire, Carlos Duval e Josephine Helénne

escudo invisível – de Leopoldo Serran, direção de José Carlos Piéri
com João Carlos Barroso, Mirian Pires, Sérgio Britto, Tetê Pritzl, Luiz Fernando Guimarães e Pedro Veras

o crime do vidigal – de Doc Comparato, direção de Marcos Paulo
com Ruth de Souza, Ilka Soares, Apolo Corrêa, Nair Prestes, Vera Setta, Alciro Cunha, Luis Carlos Buruca e Renê

bezerra vai à guerra – de Antônio Carlos Fontoura, direção de Antônio Carlos Fontoura
com Mário Lago, Luiz Armando Queiróz, Vinícius Salvatore, Solon de Almeida, Ivan de Almeida e Carlos Wilson

vampiros tropicais – de Doc Comparato, direção de Marcos Paulo
com Carlos Gregório, Lajar Muzuris, Carlos Alberto, Margot Baird, Léa Garcia, Paulo Dondato, Regina Dourado e Margot de Britto

até que a morte nos separe – de Leopoldo Serran, direção de Marcos Paulo
com Joana Fomm e Evans de Britto

o estrangulador da praça tiradentes – de Aguinaldo Silva, direção de Marcos Paulo
com Ilva Niño, Neuza Borges, Maria Gladys, Ruy Resende, Luis Sérgio Lima e Silva e Esmeralda Barros

a voz do além – de Doc Comparato, direção de José Carlos Piéri
com Jece Valadão, Arlete Salles, Tânia Alves, Solange França, Emanuel Cavalcanti e Francisco Santos

cavalo não sobe escada – de Aguinaldo Silva, direção de Antônio Carlos Fontoura
com Cláudio Corrêa e Castro, Milton Moraes, Wilson Grey, Edson Silva, Augusto Olímpio, Antônio Pedro, Cosme dos Santos, Scarleth Moon, Wellingthon Botelho, Clementino Kelé, Deoclides Gouveia e José Maria Monteiro

o justiceiro – de Aguinaldo Silva, direção de José Carlos Piéri
com Camila Amado, Rogério Fróes, Ivan Mesquita, Armando Nascimento, B. de Paiva, Antônio Pompeo ec Lauro Senna

vermelho 23 – de Doc Comparato, direção de Marcos Paulo
com Raul Cortez, Otavio Augusto, Joyce de Oliveira, Antônio Patiño, Newton Martins, Ivo Fernandes e Hélio Faria

o enigma da pensão do reno – de Doc Comparato, direção de Antônio Carlos Fontoura
com Carlos Kroeber, Edwin Luisi, Karin Rodrigues, Maurice Venau, Norma Geraldy e Antônio Carlos Ganzarolli

tupis, timbiras e outras coisas – de Leopoldo Serran, direção de Antônio Carlos Fontoura
com Eduardo Conde, Flávio Migliaccio, Felipe Carone e Jorge Coutinho

disque m para ouvir marlene – de Aguinaldo Silva, direção de José Carlos Piéri
com José Lewgoy, Eloísa Mafalda, Isaac Bardavid, Silvia Chameck, Roberto Ribeiro e Joel Lemos

mulher de bandido – de Aguinaldo Silva, direção de Marcos Paulo
com Milton Gonçalves, Maria Silvia, Carlos Koppa e Sérgio Mox

balão apagado – de Doc Comparato, direção de José Carlos Piéri
com João das Neves, Maneco Bueno, Waldir Onofre, Sandrão(Sandro Solviat), Haroldo Costa, Sérgio Otero, Ailton Prado e Hilton Prado

corrente de ferro – de Leopoldo Serran, direção de Marcos Paulo
com Jards Macalé, Maria Helena Velasco, Paulo Paraná, Célia Maracajá, Aguinaldo Rocha e Antônio Carlos

ligação direta – de Antônio Carlos Fontoura, direção de Marcos Paulo
com Joel Barcellos, Betty Erthal, Carlos Prieto, Nelson Dantas, Macedo Netto, Amaury Guarilha, Apolo Corrêa, Turíbio Ruiz e Angelito Mello

despedida de solteiro – de Doc Comparato, direção de Antônio Carlos Fontoura
com Lucélia Santos, Sérgio Britto, Mário Gomes, Maria Zilda, Dinorah Brilhanti, Vinicius Salvatore e Eduardo Machado

alta sociedade – de Antônio Carlos Fontoura, direção de Antônio Carlos Fontoura
com Beatriz Segall, Carlos Eduardo Dolabella, Germano Filho, Carlos Wilson, Hileana Meneses, Fernanda de Castro e Lauretta

o homem do caporal amarelinho – de Leopoldo Serran, direção de Marcos Paulo
com Ruth de Souza, Antônio Pedro, Wilson Grey, Henriqueta Brieba, Wellington Botelho e Rogério Bacellar

o crime do castiçal – de Aguinaldo Silva, direção de José Carlos Piéri
com Cláudio Marzo, Ney Latorraca, Ney Sant´Anna, Moacyr Derinquém, Benny Cardoso, Jardel Mello, Carlos Adier e Shirley

o homem que veio do brás
o cavaleiro do apocalipse
cidadão em apuros
plumas, miçangas e paetês
o caso serginho
o arquiinimigo
o acordo
a doceira do bangu
nos porões da liberdade
a hora fatal
quem matou sandra?
o visitante noturno
o sultão de ribeirão alegre
o venerável azul turquesa
o pega
a exilada
dou-lhe uma, dou-lhe duas, dou-lhe três
o cortador de cabeças
a história de lili carabina
morre uma estrela
o outro
um dia de ratos
caixa de surpresas
camisa-de-força
o trem noturno
o crime da letra “m”
quem matou quem?
sinal fechado
sangue, calçada e milk shake
o caminho das estrelas (4 partes)
o homem que incendiou o maracanã
o olho da morte
a arma paulista
a batalha de nova iguaçu
o herdeiro
o penúltimo cangaceiro
morrer por amor
compromisso de cadeia
hotel do terror
fronteira da violência
a face da verdade
o enigma da pensão do reno

Em maio de 1979, a Globo lançou às 22 horas o projeto Séries Brasileiras, com Carga Pesada, exibida às terças-feiras, Malu Mulher, às quartas, e Plantão de Polícia, às sextas.

Primeiro trabalho na televisão do escritor e jornalista Aguinaldo Silva, que veio a tornar-se um novelista do primeiro time da Globo. Ao livro “Autores, Histórias da Teledramaturgia”, do Projeto Memória Globo, ele declarou:
“Fui chamado por causa de minha experiência jornalística. Como havia sido repórter policial durante muitos anos, e editor de polícia, podia contribuir com meu conhecimento. Essa era a ideia. Talvez eles achassem que eu nem viesse a ser um roteirista, mas seria um bom colaborador.”

Plantão de Polícia retratava a criminalidade do Rio de Janeiro e suas consequências. Em seu primeiro ano (1979) foi exibido às sextas-feiras, às 22 horas. A partir do segundo ano (1980-1981), passou para as quintas-feiras, às 22h15.

Plantão de Polícia era uma coisa muito idealizada. Embora as histórias fossem bastante naturalistas, a gente procurava dar um tratamento de ficção a elas”, revelou Aguinaldo Silva a André Bernardo e Cíntia Lopes para o livro “A Seguir, Cenas do Próximo Capítulo”.

O primeiro ano do seriado foi centrado basicamente no trio Waldomiro Pena, Serra e Bebel (Hugo Carvana, Marcos Paulo e Denise Bandeira). Em 1980, o programa ganhou dois novos personagens: o fotógrafo Gatto (Júlio Braga) e a repórter Gisela (Lucinha Lins). Ela era filha do dono do jornal e namorava Serra, mas admirava o trabalho de Waldomiro Pena. Em 1981, a trama sofreu modificações: Pena finalmente admitiu a modernização do jornal e passou a trabalhar como freelancer, deixando de lado o dia a dia da cobertura policial para escrever grandes reportagens, envolvendo-se em casos de corrupção, drogas e fraudes.

A estrutura narrativa modificou-se durante o período de exibição. No primeiro ano havia dois eixos temáticos, onde um privilegiava a crônica da cidade, e o outro acentuava humor. No ano seguinte, prevaleceu a crônica da atualidade, com o mapeamento da violência urbana. No terceiro ano, houve uma tendência no aprofundamento da pesquisa de linguagem.

Hugo Carvana destacou-se com o personagem que marcou definitivamente sua carreira. Waldomiro Pena era inspirado no repórter Octávio Ribeiro, o lendário “Pena Branca”. Para compô-lo, Carvana foi ajudado por repórteres de polícia do jornal O Globo. O ator chegou a acompanhar os jornalistas nas coberturas, tendo subido com eles vários morros, feito plantões em delegacias, presenciado prisões e visitado hospitais e postos do Instituto Médico Legal. O personagem ainda contava com um interlocutor inusitado: um passarinho com quem ele tinha o hábito de conversar.

Estréia de Lucinha Lins como atriz – ela já era famosa por sua carreira de cantora. E o primeiro trabalho na Globo do ator José Prata, o Pratinha, filho de Grande Otelo.

Reapresentado em abril de 1990, no Festival 25 Anos da TV Globo.

Tema de Abertura: WALDOMIRO PENA – Jorge Ben *

Essa é a história de Waldomiro Pena, o Cândido
O último repórter policial romântico
Salve o Waldomiro Pena, o Cândido
Waldomiro anda muito preocupado
Com as idéias do seu editor
Que querendo modernizar o jornal
Serra e esquece o romântismo
Que ele criou e ele conquistou
Waldomiro Pena mora no bairro do Flamengo
Num quarto e sala displicente e decorado
Onde depois da matinal
Média e pão com manteiga
No boteco da esquina
As pressas manda botar na conta
E se manda para o jornal
A Folha Popular sua glória nacional
Bate um papo se acomoda na perua
E com a sua gangue cai nas ruas
Bate um papo se acomoda na perua
E com a sua gangue cai nas ruas
Transando com gente
De todo tipo e espécie
Como por exemplo, camelôs, policiais
Bicheiros, sambistas, otários e marginais
Waldomiro Pena topa toda hora
Com lances incríveis e perigosos
Sem perder o seu humor heróico e romântico
Salve Waldomiro Pena, o Cândido…

* O tema de abertura era uma versão instrumental da música

Veja também

  • obrigadodoutor_logo

Obrigado Doutor

  • cargapesada79_logo

Carga Pesada (1979)

  • malumulher_logo

Malu Mulher

  • bemamado_ser_logo

O Bem Amado (a série)