Sinopse

Neném (Vladimir Brichta), Paula (Giovanna Antonelli), Guilherme (Mateus Solano) e Flávia (Valentina Herszage) não se conhecem e precisam, ao mesmo tempo, deixar o Rio de Janeiro e seguir para São Paulo.

Neném, jogador de futebol de sucesso no passado, viu a carreira abreviada pela boemia e lesões no joelho. Em mais uma tentativa de voltar aos gramados, ele precisa viajar para fazer um teste na Ponte Preta. Paula, uma bem-sucedida empresária, quer contratar um modelo para uma nova linha de produtos masculinos, sua aposta para salvar a empresa da crise financeira. Guilherme, médico renomado, vai receber na capital paulista, mais uma vez, o título de melhor cirurgião do país. E Flávia, dançarina de pole dance, depois de se envolver em um assalto, se passa por aeromoça para não ser pega pela polícia com uma mala cheia de dólares.

Ao saber que o aeroporto está fechado pelo mau tempo e que o único avião a levantar voo será o jatinho de Guilherme, Paula pede ajuda ao médico para chegar a tempo em São Paulo. Enquanto isso, o piloto, torcedor do Flamengo, reconhece o ídolo Neném e também intercede para que ele possa viajar com eles. Flávia, que acabara de roubar um uniforme de aeromoça, faz parte da tripulação. A aeronave decola e, no meio do voo, o piloto tem um infarto. Eles se desesperam até a queda, em meio a uma tempestade, na mata fechada. Sem contato com a aeronave, o controlador percebe a emergência e envia as equipes de salvamento para o local.

No Rio, as respectivas famílias são avisadas do acidente. Dona Nedda (Elizabeth Savala), mãe de Neném, suas duas ex-mulheres, Jandira (Michele Machado) e Betina (Carol Garcia), com suas respectivas filhas, Martina (Agnes Brichta) e Bianca (Sara Vidal), mais o agente Osvaldo (Marcos Caruso) correm para o aeroporto em busca de notícias. Lá, conhecem Rose (Bárbara Colen), ex-modelo e mulher de Guilherme, Celina (Ana Lúcia Torre), mãe dele, e a Drª Joana (Mariana Nunes), braço direito em sua clínica. Por último chegam, Ingrid (Nina Tomsic) e Tuninha (Jussara Freire), filha de Paula e sua governanta.

Após o acidente, os quatro viajantes se deparam com a Morte (M Maia) em pessoa e recebem mais uma chance de vida. Porém, a Morte lhes revela que, em um ano, um deles vai de fato morrer. Em seguida, os quatro são encontrados vivos pelas equipes de emergência e retornam para suas famílias com muitas urgências. Neném precisa voltar a jogar e ganhar dinheiro para recuperar o salão de beleza de sua mãe, despejada por aluguel atrasado, e ainda pagar o tratamento de Bianca, sua filha caçula, que tem um problema no coração. Além disso, precisa se safar das armações do irmão caçula, Roni (Felipe Abib), um boa-vida que acabou preso.

Guilherme precisa se acertar em casa, com o filho Antônio (Mateus Abreu) e com a mulher Rose (Bárbara Colen). Ela não aguenta mais o marido possessivo, mas também sofre por um amor do passado, que é justamente Neném, com quem namorou quando modelou na Europa. Guilherme ainda precisa lidar com sua mãe Celina, tão controladora quanto ele, que não suporta a nora. A família de Flávia sequer sabia que ela estava em um avião. O pai Juca (Fabio Herford) é surpreendido quando a polícia a procura, acusada de roubar 20 mil dólares, em sua casa. Flávia participou do assalto em uma tentativa de conseguir sua independência financeira.

Além das dívidas da empresa, Paula precisa melhorar sua relação com a filha Ingrid. A empresária volta determinada a derrubar Carmem Wollinger (Julia Lemmertz), sua concorrente nos negócios, uma rixa que começou no passado, quando Paula se casou com Celso Terrarre (Cândido Damm), ex-namorado de Carmem, morto em um acidente. Desde então, Carmem promete se vingar de Paula, a quem culpa pela morte de seu grande amor. Paula ainda tenta administrar a incontrolável atração por Neném. A princípio, ela quer seu rosto para uma campanha, mas, com o tempo, percebe que deseja mais que um relacionamento profissional com o jogador.

Globo – 19 horas
estreia: 22 de novembro de 2021

novela de Mauro Wilson
escrita com Marcelo Gonçalves, Mariana Torres e Rodrigo Salomão
direção de Ana Paula Guimarães, Natalia Warth, Dayse Amaral Dias e Bernardo Sá
direção geral de Pedro Brenelli
direção artística de Allan Fiterman

novela anterior no horário
reprise de Pega Pega

novela inédita anterior
Salve-se Quem Puder

VLADIMIR BRICHTA – Neném
GIOVANNA ANTONELLI – Paula Terrare
MATEUS SOLANO – Guilherme Monteiro
BÁRBARA COLEN – Rose
VALENTINA HERSZAGE – Flávia
JÚLIA LEMMERTZ – Carmem Wollinger
BRUNO CABRERIZO – Marcelo
MARIANA NUNES – Joana
ANA LÚCIA TORRE – Celina Monteiro
TATO GABUS MENDES – Daniel Monteiro
JUSSARA FREIRE – Tuninha
ELIZABETH SAVALA – Nedda
MARCOS CARUSO – Osvaldo
FELIPE ADIB – Roni
MATHEUS ABREU – Tigrão (Antônio)
AGNES BRICHTA – Tina (Martina)
MICHELI MACHADO – Jandira
CAROL GARCIA – Betina
SARA VIDAL – Bianca
ZEZEH BARBOSA – Tetê
FÁBIO HERFORD – Juca
LUCIANA PAES – Odete
NINA TOMSIC – Ingrid
CAIO MANHENTE – Gabriel
VALENTINA BANDEIRA – Cora
JAFFAR BAMBIRRA – Murilo
ANA HIKARI – Vanda
EVELYN CASTRO – Deusa
THARDELLY LIMA – Odaílson
PEDROCA MONTEIRO – Prado
CRIDEMAR AQUINO – Delegado Nunes
CAMILA ROCHA – Soraia
ANDRÉ SILBERG – Leco
CARLOS SILBERG – Neco
ALESSANDRO BRANDÃO – Chefe
SÉRGIO MENEZES – Chicão
MARCELO FLORES – Trombada
KARINA DOHME – Teca
FABRÍCIO ASSIS – Cabeça
DIEGO FRANCISCO – Denis
JOÃO FENERICH – Soares
CAROL MARRA – Alice
VAL ABRANCHES – Lorena
GABRIEL SANCHES – Roberto

e
ALEX NADER – Conrado (miliciano em quem Cora e Flávia tentam aplicar um golpe)
A MAIA – a Morte
CÂNDIDO DAMM – Celso Terrare (falecido marido de Paula)
CAROL MACEDO – Rose (jovem)
CLÁUDIO CINTI – homem no aeroporto que tem sua mala roubada por Flávia
GILLRAY COUTINHO – Jairo (piloto do avião que morre de infarto causando o desastre aéreo, no início)
JOÃO BRAVO – Neném (criança)
MARIA SILVIA RADOMILLE – Regina (secretária da Clínica Monteiro Bragança)
LEONARDO ZANCHIN – Neném (jovem)
NANY PEOPLE – atendente do motel
NICOLAS AHNERT – Guilherme (jovem)
SÉFORA RANGEL – Rute (diretora do colégio)
STEPAN NERCESSIAN – Edson (marido de Nedda)

Primeira novela solo de Mauro Wilson, roteirista com larga experiência na televisão, de seriados e programas de humor a programas de auditório e de variedades. Em novelas, foi colaborador de Antônio Calmon em O Beijo do Vampiro (2002-2003) e Começar de Novo (2004-2005), e de Carlos Lombardi em Pé na Jaca (2006-2007).
Quanto Mais Vida, Melhor! é uma comédia romântica. Todos os personagens estão em busca do amor. A trama fala sobre a gente não ter certeza de nada, mas que, num piscar de olhos, tudo pode mudar. Esses quatro são os protagonistas, mas os outros personagens da novela também estão tentando se encontrar e procurando acertar o destino deles”, explicou o autor.

A trama de Mauro Wilson é inspirada em seu especial Os Amadores, de 2005, em que quatro homens de 40 anos se conheciam no CTI, com a morte clínica declarada, e têm uma segunda chance de vida.
“Isso é um pouco do que tem na novela, mas como eu coloquei dois homens e duas mulheres, com idades diferentes, tenho um universo maior, muito mais rico. Também comecei a misturar os núcleos deles, vai virando um mundo só, o mundo dos quatro”, complementou o autor.

Mauro Wilson também não nega referências em outras obras suas, como os seriados Mulher Invisível, na relação de Neném (Vladimir Brichta) e Paula (Giovanna Antonelli); Aline, na personagem Flávia (Valentina Herszage); e A Grande Família, na família de Neném.

Para narrar a trama de forma leve e descontraída, o diretor artístico Allan Fiterman lançou mão de diversos recursos de linguagem. Semanalmente, os protagonistas estrelam clipes musicais em que interpretam a mesma música, cada um com seu problema e em seu respectivo universo. Por diversas vezes, aparecem em cena com a tela dividida, para evidenciar o que sentem de forma simultânea. A Morte aparece encarnada na figura de uma mulher linda e sedutora, mas que, graças a recursos de computação gráfica, tem uma superproporção em relação aos personagens mortais.
“A aparição dela é uma inspiração no filme Querida, Encolhi as Crianças, disse o diretor.

O acidente de avião no primeiro capítulo foi gravado em um galpão de chromakey, só com as cadeiras do avião. A aeronave vista na novela era em 3D, inclusive paredes e teto. Não poderia ser feito em um avião real porque a câmera precisava de uma movimentação em 360º. Foi usada uma câmera robótica, que passava por todos os protagonistas, apresentando os quatro, em um plano sequência, rodando com eles, até a queda do avião.

O ator Vladimir Brichta, que na novela vive o jogador Neném, teve aulas de futebol. Nas cenas, a edição reuniu passes feitos por ele mesmo, alguns com dublês e outros com uma bola virtual.

As equipes de cenografia e produção de arte, lideradas por Anne Bourgeois e Eduardo Feijó, respectivamente, receberam da direção um briefing a respeito dos quatro protagonistas, que deveriam ter espaços bem marcados.
“O Neném, por exemplo, tem uma coisa mais vintage, suburbana, com muita vivência, com cor. O Guilherme, uma estética mais limpa. A Paula é o mundo do display. É aquela pessoa que parece que produz tudo para uma foto no Instagram. A vida dela é assim. E a Flávia é aquela menina desmiolada, inconsequente, que vive num mundo colorido e perigoso”, explicou Edu, acrescentando que a escrita de Mauro Wilson também encaminhou a produção desses espaços: “O estilo dele não é uma novela realista. Tem um pouco de linguagem dramática de história em quadrinhos. E a gente procurou achar um mundo meio estilizado dentro de um realismo da Tijuca”.

A casa de Nedda (Elizabeth Savala) é inspirada em casas antigas típicas do bairro carioca da Tijuca.
“Tem uma azulejaria dentro da casa, a presença do art déco, dentro da paleta de tons terrosos. Apesar de ter toda aquela coisa tão afetuosa da casa da mãe, ali dentro habita uma certa decadência, habita também a amargura das derrotas”, contou Anne.
A boate Pulp Fiction e o motel Arriba Karakas são trabalhados nos letreiros e iluminação em neon, têm um visual futurista, dos anos 1970. Ainda na Tijuca cenográfica fica o bar Karaokê. Feito com peças do acervo da Globo, ele tem um teto todo feito de sapatos tipo Dancin’ Days, e uma pista de dança no meio, além de uma parede de capas de disco. “Ali, temos referências desde Santa Teresa até Barcelona. Fomos misturando na nossa pesquisa coisas de Karaokês mundo afora”, revelou Anne.
A mansão dos Monteiro Bragança fica no Leblon, enquanto Paula mora em uma cobertura na Barra.
“O Guilherme (Mateus Solano) é um cara rico, bem-sucedido, narcisista. Ele tem o que é de melhor. A casa dele tem obras de arte, tem arquitetura, tem design brasileiro. Já a de Paula, que é uma nova rica, abusa nas cores e tudo”, comentou Eduardo.
“O cenário que eu mais me divirto é o cenário da Paula. Isso se deve ao fato de ela ser um pouco ‘color block’. Ela anda ou só de rosa, ou só de amarelo. Look total. Quando ela está de amarelo, a bolsa é amarela, o sapato é amarelo, o celular é amarelo. E aí, a gente começou a combinar a camisola que ela usa com a cor do suco que ela toma no café da manhã. Tudo nela tem esse jogo de cores. E a Terrare, a empresa, é também outra extensão da casa. Na sala de reuniões, a mesa com as cadeiras parece um estojo de canetinhas coloridas. Uma de cada cor, superbem definido, superbonito”, explicou Eduardo.
A sala de Carmem (Julia Lemmertz), presidente da Wollinger Cosméticos, tem mais madeira, cor de pinho, mais natural e menos plástico e colorido que o universo de Paula.
A casa de Flávia (Valentina Herszage), que mora com o pai e a madrasta, não tem nada que reflita a sua personalidade.
“Ela é meio nômade. Mas a opção pela estética e pela paleta dela está na boate. A casa é do pai e da madrasta e tem lá suas histórias, o universo dos dois, daquela depressão crônica dele, parecem coisas mais velhas, é uma miscelânea”, definiu Anne.

A figurinista Natalia Duran comentou sobre a encomenda do diretor artístico Allan Fiterman: “O Allan me deu uma paleta de cores para seguir com os protagonistas. A Paula Ferrari é look total. É meio anos oitenta, mas que está sempre voltando. Mas sugeri que em vez de ser só uma cor, trabalhássemos com cores muito vibrantes. Ela é luz, é positiva, e a Giovanna Antonelli carrega isso muito bem”.
Já Neném é um esportista tijucano, aquele do chinelo slide, da calça de helanca, está sempre com uma camiseta de material mais sintético, de camiseta de esporte. “Tive dificuldade também, porque a maioria das roupas de esporte têm tons muito fortes. Eu tive que diminuir e abaixar o tom todo, porque o Allan o queria entre os marrons, ocres, mostardas; tons mais terrosos”, explicou Natalia.
Para montar o figurino de Guilherme, Natalia explicou que fez uma pesquisa pelo universo dos cardiologistas e usou como referência algumas séries americanas e levou para a novela um trench coat. Guilherme é todo trabalhado no preto, nos cinzas e azuis, de camisaria, até os azuis marinho. Usa sempre um casaco sete oitavos, um casaco mais longo, tipo uma capa, uma parca; camisa, gravata e colete. Anda com calças retas, com um tênis azul marinho ou um tênis branco.
Natalia enxerga o figurino de Flávia como o de uma jovem de vanguarda. Seu guarda-roupa não é extenso, ela tem poucas peças e muita atitude de composição de roupa, usa meia arrastão e botas acima do joelho, de dia. Não tem opções de roupa para sair de dia ou de noite.
Para montar o figurino de Carmem (Julia Lemmertz), Natalia desenvolveu várias peças de couro em parceira com marcas do Sul do país.
“Precisava que a Carmem fosse uma mulher que usasse jaquetas de couro, calça de couro, que usasse bota (…) Para o cabelo, a gente se inspirou na Tilda Swinton, mas eu queria esse clima meio Berlim nela, sabe? Eu queria essa coisa meio gélida, essa pessoa fria. Eu falei: ‘Julinha, você tem coragem de raspar o cabelo aqui? Vamos descolorir o seu cabelo?’”, descreveu Natalia, que contou com a adesão total da atriz.

BELIEVE – Jade Beraldo (tema de Paula)
CAN´T GET YOU OUT OF MY HEAD – Ayrton Montarroyos (tema de Rose e Neném)
CAN´T GET YOU OUT OF MY HEAD – Kylie Minogue (tema de Rose e Neném)
CONVERSA MOLE – Xande e Rael (tema de Neném)
E ENTÃO – Ayrton Montarroyos (tema de Nedda e Osvaldo)
ELA MANDA – Mumuzinho (tema de Juca e Odete)
FINAL FELIZ – Jorge Vercillo (tema de Odailson e Deusa)
GANGORRA – Haikaiss (tema do núcleo jovem)
NECESSARY EVIL – The Dresden Dolls (tema de Flávia)
PRETTY SAVAGE – Blackpink (tema da locação: boate Pulp Fiction)
QUANDO FUI SEU PAR – Jaffar Bambirra (tema de Murilo e Flávia)
QUELQU´UN M´A DIT – Carla Bruni (tema de Guilherme e Rose)
SINFONIA Nº 5 – Beethoven (tema de abertura)
TODA TODA – Castello Branco (tema de Ingrid)
TOGETHER – Sia (tema de Guilherme e Flávia)
VEM QUENTE QUE ESTOU FERVENDO – Duda Beat (tema de Paula)
VEM NENÉM – Harmonia do Samba (tema de Neném)

Veja também

  • bomsucesso

Bom Sucesso

  • verao90_1

Verão 90

  • rockstory

Rock Story

  • otemponaopara2

O Tempo Não Para