Sinopse

Diante da dificuldade em dar sustento a seus filhos pequenos, a jovem nordestina Maria do Carmo deixa a pequena Belém de São Francisco, no interior de Pernambuco, disposta a encontrar na cidade grande uma forma mais digna de criar seus rebentos. Quando chega ao Rio de Janeiro, em dezembro de 1968, encontra uma cidade à beira do caos. No meio do tumulto, sem ter como localizar o irmão Sebastião, seu único contato ali, Maria do Carmo vira presa fácil da sorte. A única alma que lhe oferece ajuda e solidariedade sequestra sua única filha, a recém-nascida Lindalva, e some no mundo.

Ao sentir a falta da criança, Maria do Carmo entra em desespero, bate de frente com a polícia e vai presa. Na cadeia conhece o jornalista Dirceu de Castro, que também está preso. Coincidentemente ele conhece Sebastião, seu irmão. Livre, Maria do Carmo reencontra o irmão e os outros filhos. Só não encontra Lindalva. É diante desta encruzilhada da vida que ela jura dedicar a vida para trazer de volta sua filha. Nos tempos atuais, Maria do Carmo é outra pessoa. Aprendeu com a vida e soube tirar proveito dela. Prosperou com um negócio de construção na baixada fluminense. Graças a ele, Do Carmo pôde criar os outros quatro filhos: Reginaldo, Leandro, Viriato e Plínio.

Maria do Carmo continua numa busca sem tréguas pela filha. Busca essa que se torna pública e é acompanhada pela mídia. Para isto, conta com a ajuda de seu amado, Dirceu, e do amigo Giovanni Improtta, ex-bicheiro e a figura mais influente na Vila São Miguel – um pretendente que não esconde sua admiração e paixão por Maria do Carmo. Lindalva, rebatizada de Isabel por Nazaré, vive uma vida até tranquila com a suposta mãe. A garota não passa de uma vítima da ardilosa mulher que usou a menina recém-nascida para ter um casamento tranquilo com um homem bom que acreditou que a criança fosse sua filha.

Porém, ao descobrir o crime da esposa e, antes que pudesse tomar qualquer atitude, ele foi assassinado. Nazaré não hesitou em matá-lo para encobrir esse segredo do passado e não ser presa. Quem mais sofreu com essa morte é Cláudia, filha legítima dele e desprezada pela madrasta. Ao investigar o passado de Nazaré, Claudinha descobre os fatos que uniram o pai à madrasta e aos poucos vai desvendando o mistério que liga a história de Nazaré à trajetória de vida de Maria do Carmo.

Globo – 21h
de 28 de junho de 2004
a 12 de março de 2005
221 capítulos

novela de Aguinaldo Silva
colaboração de Filipe Miguez, Glória Barreto, Maria Elisa Berredo e Nelson Nadotti
direção de Luciano Sabino, Marco Rodrigo, Cláudio Boeckel e Ary Coslov
direção geral de Wolf Maya
núcleo Wolf Maya

Novela anterior no horário
Celebridade

Novela posterior
América

SUSANA VIEIRA – Maria do Carmo Ferreira da Silva
RENATA SORRAH – Nazaré Tedesco
CAROLINA DIECKMANN – Isabel / Lindalva
JOSÉ WILKER – Giovanni Improtta
JOSÉ MAYER – Dirceu de Castro
EDUARDO MOSCOVIS – Reginaldo
LETÍCIA SPILLER – Viviane
LEONARDO VIEIRA – Leandro
MARCELLO ANTONY – Viriato
DAN STULBACH – Edgard Legrand
LEANDRA LEAL – Maria Cláudia
DÉBORA FALABELLA – Maria Eduarda
RAUL CORTEZ – Pedro Correia de Andrade e Couto (Barão de Bonsucesso)
GLÓRIA MENEZES – Baronesa Laura
MARÍLIA GABRIELA – Guilhermina
WOLF MAYA – Leonardo
ÂNGELA VIEIRA – Gisela
JOSÉ DE ABREU – Josivaldo
DADO DOLABELLA – Plínio
CAROL CASTRO – Angélica
HELENA RANALDI – Yara Steiner
NELSON XAVIER – Sebastião
MARA MANZAN – Janice
ADRIANA LESSA – Rita de Cássia
NUNO MELLO – Constantino
RONEY MARRUDA – Cigano
THIAGO FRAGOSO – Alberto
FLÁVIO MIGLIACCIO – Jacques
ELIZÂNGELA – Djenane
MALU VALLE – Shirley
YONÁ MAGALHÃES – Flaviana
MYLLA CHRISTIE – Eleonora
BÁRBARA BORGES – Jenifer
HEITOR MARTINEZ – João Emanuel
MARIA MAYA – Regininha
LUDMILA DAYER – Danielle
ANDRÉ GONÇALVES – Venâncio
TÂNIA KHALILL – Nalva
MÁRIO FRIAS – Thomas Jeferson
LEONARDO MIGGIORIN – Shao Lin (Políbio)
JÉSSICA SODRÉ – Leidi Daiane
AGLES STEIB – Maikel Jecson
LUIZ HENRIQUE NOGUEIRA – Ubiracy
ÍTALO ROSSI – Alfred
FELIPE CAMARGO – Edmundo
ANDRÉ MATTOS – Madruga
GOTTSCHA – Crescilda
STELLA FREITAS – Cícera
CRISTINA MULLINS – Aurélia
REYNALDO GONZAGA – Rodolfo
SILVIA SALGADO – Aretuza
CRISTINA GALVÃO – Jandira
XANDÓ GRAÇA – Merival
THADEU MATOS – Bruno
MARCELA BARROZO – Bianca
LEONARDO CARVALHO – Gato
JULIANA DINIZ – Larissa
CATARINA ABDALLA – Jurema
ROBERTO LOPES – Delegado Aberaldo Paredes
GUIDA VIANA – Fausta
NAURA SCHNEIDER – Elisa
EDUARDO FRAGA – Ubaldo
ELÍSIO LAGE – Elias
MARCO VILLELA – Turcão
FÁBIO MALTEZ – Scarface
MARCELO ESCOREL – Ciro
1ª fase
CAROLINA DIECKMANN – Maria do Carmo (jovem)
ADRIANA ESTEVES – Nazaré (jovem) / Lourdes
GABRIEL BRAGA NUNES – Dirceu (jovem)
MARÍLIA GABRIELA – Josefa Magalhães Duarte Pinto
LUIZ CARLOS VASCONCELOS – Sebastião (jovem)
TARCÍSIO FILHO – José Carlos Tedesco (jovem)
TÔNIA CARRERO – Berthe Legrand
FÁBIO FERRER – Giovanni Improta (jovem)
LUCIELLY DI CAMARGO – Djenane (jovem)
MARIA AMÉLIA BRITO – Laura (jovem)
MANOEL CANDEIAS – Josivaldo (jovem)
WERNER SCHÜNEMANN – Comandante Saraiva
JONAS BLOCH – Inspetor Boegel
CLÁUDIO CORRÊA E CASTRO – Afonso
EMILIANO QUEIRÓZ – Padre Léo
ROGÉRIO FRÓES – General Bandeira
ANDRÉ VALLI – porteiro do Diário de Notícias
RUTH DE SOUZA – Marina
NEUZA AMARAL – Dona Mena (modista)
ILVA NIÑO – Dona Bil (vizinha de Maria do Carmo)
MARIA GLADYS – Dona Mimin (companheira de viagem de Maria do Carmo)
PAULO REIS – policial
RODRIGO HILBERT – Rudi
LUIZ MAGNELLI – Vital (motorista de ônibus)
MIGUEL RÔMULO – Reginaldo (criança)
MARCELO MAX – Viriato (criança)
RAMON MOTTA – Leandro (criança)
CÁSSIO RAMOS – Plínio (criança)
e
ALEXANDRE BARILARI – Dr. Fábio
ALEXANDRE MORENO – Seboso
ALEXANDRE ZACCHIA – Pezão (seqüestrador do Barão)
ANA PAULA BOTELHO – recepcionista do motel onde Leila morreu
ANA ROSA – Belmira
ARACY CARDOSO – mãe de Leila
BEATRIZ LYRA – enfermeira
BIANCA COMPARATO – Helen (namorada de Maikel Jecson)
CARLOS BONOW – amante de Nazaré
CARLOS VIEIRA – Moura (garçom do Monsieur Vatel)
CHAGUINHA – porteiro do prédio de Leonardo e Gisela
CRISTINA FERRO – Shirlêi (prostituta candidata a empregada de Dirceu)
DANIEL BOAVENTURA – apresentador de TV
DANIEL ZUBRINSKY – Napa (da turma de Shao Lin)
DELANO AVELAR – Paulo Henrique
DERLAN HENRIQUE – Lolo (da turma de Shao Lin)
ÉLCIO ROMAR – dono do motel onde Leila morreu
FABIANA MEYRELES – Clara (empregada da creche)
FELIPE CARDOSO – garçom do Monsieur Vatel
FERNANDA LOBO – enfermeira
FILIPPO COELHO
FLÁVIO GALVÃO – Jorge Maciel (advogado de Guilhermina)
GUILHERME DUARTE – Jacaré (da turma de Shao Lin)
GUSTAVO MORAES – Zé Luis (frentista)
HAMILTON RICARDO – Valdir (motorista de Giovanni)
ISABELA LOBATO – Ariela (colega de Crescilda)
IVÂN CANDIDO – detetive
JACQUELINE LAURENCE – Evangelina
JAYME PERIARD – Dr. Marcos (médico de Isabel)
JOANA LENER – Martinha (cabo eleitoral de Reginaldo)
JOÃO SIGNORELLI – raptor de Maria Eduarda
JOSÉ AFONSO – Matusalém (vizinho de Do Carmo em Belém de São Francisco)
JOSÉ AUGUSTO BRANCO – médico de Isabel
LAURA PROENÇA – Dora (pediatra)
LEANDRO RIBEIRO – Zequinha (cabo eleitoral de Reginaldo)
LIMA DUARTE – Senador Victório Vianna (político com negociatas com Reginaldo e Viviane)
LUCY MAFRA – vizinha de Rita
LUIZ NICOLAU – Marcão
MABEL TUBE – Fatinha (empregada de Gisela)
MALU GALLI – ajuda Nazaré a sequestrar a filha de Isabel
MARCELO MELO – Eberardo (cozinheiro do Monsieur Vatel)
MARCELO VÁRZEA – gerente de hotel
MÁRCIO MELO – Ebenezer (cozinheiro do Monsieur Vatel)
MARCOS BREDA – Giacometti
MARIA LUÍSA MENDONÇA – Leila (primeira mulher de Reginaldo)
MÍRIAM MARTINEZ – amante de Cigano
MIRIAN PIRES – Clementina (cozinheira na casa de Maria do Carmo)
MONAH DELACY – Leny Gouveia (modista que faz vestidos para Laura)
NILDO PARENTE – Dr. Guilherme (médico de Cláudia)
PAULO CÉSAR GRANDE – decorador de Gisela
PAULO JOSÉ – Artur Fonseca
ROBERTO BOMTEMPO – Gilmar
RONALDO REIS – médico que atendeu Angélica
SÔNIA SIQUEIRA – Madalena (candidata à empregada de Dirceu)
SURA BERDITCHEWSKY – professora o colégio de Daiane
TAMARA TAXMAN – Madame Mirtes
TAMMY LUCIANO – enfermeira amiga de Eleonora
TARCÍSIO MEIRA – José Carlos Tedesco (marido de Nazaré)
TATYANE FONTINHAS GOULART – suposta filha de Do Carmo
THELMA RESTON – Jacira (senhoria do apartamento onde mora Djenane)
THERESA AMAYO – Marlene (secretária)
TIÃO D’AVILLA – Aníbal (fotógrafo amigo de Dirceu)
VERA FISCHER – Vera Robinson
ZÉ CARLOS MACHADO – Luís Fernando (recepcionista do Hotel Pampas)

– núcleo de MARIA DO CARMO (Susana Vieira), retirante nordestina que enriqueceu no Rio de Janeiro e procura pela filha seqüestrada ainda bebê:
os filhos REGINALDO (Eduardo Moscovis), LEANDRO (Leonardo Vieira), VIRIATO (Marcello Antony) e PLÍNIO (Dado Dolabella)
o ex-marido JOSIVALDO (José de Abreu), um mau caráter
a agregada MARIA ANGÉLICA (Carol Castro), que se casa com Plínio
a mãe de Angélica, BELMIRA (Ana Rosa)
YARA (Helena Ranaldi), tem uma aventura com Plínio, de quem acaba engravidando
as empregadas CÍCERA (Stela Freitas), CLEMENTINA (Mirian Pires) e sua filha AURÉLIA (Cristina Mullins)
as funcionárias na loja de material de construção CRESCILDA (Gottscha) e ARIELA (Isabela Lobato).

– núcleo de NAZARÉ (Renata Sorrah), mulher que roubou a filha de Maria do Carmo e a criou como se fosse sua filha:
a filha ISABEL (Carolina Dieckmann), que na verdade é LINDALVA, a filha desaparecida de Maria do Carmo
a enteada CLÁUDIA (Leandra Leal), com quem vive em conflito – envolve-se com Leandro
o falecido marido JOSÉ CARLOS TEDESCO (Tarcísio Meira), que criou Isabel acreditando que ela era sua filha. Morre ao descobrir toda a verdade
os vizinhos SHIRLEY (Malu Valle), JACQUES (Flávio Migliaccio) e seu filho ALBERTO (Thiago Fragoso), objeto de desejo de Cláudia, mas que a princípio ama Isabel – acaba envolvendo-se com Shirley
a amiga DJENANE (Elizângela), do tempo em que trabalhava num bordel – morre no decorrer da trama
a diarista FAUSTA (Guida Viana)
o atendente no bar ELIAS (Elísio Lage).

– núcleo de DIRCEU DE CASTRO (José Mayer), jornalista apaixonado por Maria do Carmo:
a empregada ARETUZA (Sílvia Salgado)
o amigo RODOLPHO (Reynaldo Gonzaga), que ajuda Dirceu a descobrir o paradeiro da filha de Maria do Carmo – envolve-se com Aretuza
os jornalistas que trabalham com ele UBALDO (Eduardo Fraga) e ELISA (Naura Schneider).

– núcleo de GIOVANNI IMPROTTA (José Wilker), bicheiro, também apaixonado por Maria do Carmo, mas que é tratado como um grande amigo:
os filhos JOÃO EMANOEL (Heitor Martinez) e JENIFER (Bárbara Borges)
a sogra FLAVIANA (Yoná Magalhães), com quem vive em conflito
a jovem namorada DANIELLE (Ludmila Dayer)
os empregados MADRUGA (André Mattos) e SCARFACE (Fábio Maltez)
o motorista VALDIR (Hamilton Ricardo).

– núcleo de SEBASTIÃO (Nelson Xavier), irmão de Maria do Carmo:
a mulher JANICE (Mara Manzan)
os filhos ELEONORA (Mylla Christie), que se envolve com Jenifer,
REGININHA (Maria Maya), que namora João Emanoel escondida do pai,
e VENÂNCIO (André Gonçalves), que apaixona-se por Danielle.

– núcleo de Reginaldo, um político corrupto:
a amante VIVIANE (Letícia Spiller), assessora parlamentar com quem acaba se casando ao ficar viúvo
os filhos BRUNO (Thadeu Matos) e BIANCA (Marcela Barrozo)
a falecida mulher LEILA (Maria Luísa Mendonça)
os funcionários da Prefeitura ZEQUINHA (Leandro Ribeiro) e MARTINHA (Joana Lener).

– núcleo de EDGAR LEGRAND (Dan Stulbach), sócio de Viriato no restaurante francês Monsieur Vatel. Apaixona-se por Isabel quando ela vai trabalhar no restaurante:
os funcionários do restaurante MOURA (Carlos Vieira), EBERALDO (Marcelo Melo) e EBERNEZÉ (Márcio Melo).

– núcleo de RITA DE CÁSSIA (Adriana Lessa), mulher sofrida e batalhadora:
o marido CIGANO (Roney Marruda), ex-presidiário que a agride
os filhos LEIDI DAIANE (Jéssica Sodré), que engravida precocemente, e MAIKEL JECSON (Agles Steib)
os vizinhos JANDIRA (Cristina Galvão), MERIVAL (Xandó Graça) e HELEN (Bianca Comparato), sobrinha de Jandira, namora Maikel
o taxista português CONSTANTINO (Nuno Mello), apaixonado por ela, com quem se casa após a morte de Cigano.

– núcleo do BARÃO PEDRO (Raul Cortez), aristocrata falido:
a mulher LAURA (Glória Menezes) que sofre de Mal de Alzheimer
a amiga GUILHERMINA (Marília Gabriela), filha da falecida JOSEFA MAGALHÃES DUARTE PINTO (Marília Gabriela), que fora dona de um jornal nos anos 60. Mora na França e vem para o Brasil reaver um quadro que julga ser de sua família. Acaba se envolvendo com Dirceu
a empregada JUREMA (Catarina Abdala).

– núcleo de LEONARDO (Wolf Maia), acredita-se filho do Barão, mas descobre ser filho do mordomo com uma cozinheira:
a mulher GISELA (Ângela Vieira)
a filha MARIA EDUARDA (Débora Falabella), que apaixona-se por Viriato
o deputado THOMAS JEFERSON (Mário Frias), apaixonado por Maria Eduarda no início
o mordomo ALFRED (Ítalo Rossi), verdadeiro pai de Leonardo
a empregada FATINHA (Mabel Tube).

– núcleo POLÍBIO (Leonardo Miggiorin), conhecido como SHAO LIN, dono de um clube de luta livre. Filho de Aurélia, é o pai do filho de Daiane:
os funcionários da academia GATO (Leonardo Carvalho), NAPA (Daniel Zubrinsky), JACARÉ (Guilherme Duarte) e LOLO (Derlan Henrique)
a namorada no início LARISSA (Juliana Diniz), que depois envolve-se com Gato.

– núcleo da Escola de Samba Unidos de Vila São Miguel, presidida por Giovanni Improta:
a principal passista NALVA (Tânia Kalil), ex-mulher de Leandro que fora apaixonada pela cunhado Viriato. Acaba se envolvendo com Thomas Jefferson
o carnavalesco UBIRACY (Luiz Henrique Nogueira), amigo e protetor de Nalva e Crescilda
TURCÃO (Marco Vilela), namorado de Ubiracy.

Um grande sucesso da TV e recordista de audiência entre as novelas da década de 2000: fechou com média de 50,31 pontos no Ibope da Grande São Paulo. Audiência elevada inclusive nas duas reprises no Vale a Pena Ver de Novo, em 2009 e 2017.

Pela primeira vez em mais de uma década, o autor Aguinaldo Silva abandonava a sua fórmula de novelas regionalistas, ambientadas no Nordeste brasileiro, repletas de realismo fantástico, e se voltava a dramas urbanos e realistas.
“Cansei de realismo fantástico, chega de mulher voando” comentou, “quero realidade”.
A vontade de inovar era tanta que ele pensou até em usar pseudônimo. “Queria assinar como Consuelo Meirelles e provar que posso me renovar”.

Sobre a inspiração para Senhora do Destino, Aguinaldo declarou ao livro “Autores, Histórias da Teledramaturgia”, do Projeto Memória Globo:
“Eu queria escrever uma história sobre os acontecimentos do dia a dia, uma novela na qual os pobres seriam os protagonistas, não os ricos. Isso era o mais revolucionário: o núcleo principal de Senhora do Destino era o do subúrbio, exatamente o contrário das outras novelas, em que os ricos tinham problemas metafísicos e os suburbanos eram engraçados. Virei o jogo, ou seja, fiz os suburbanos com problemas metafísicos e os ricos, engraçados.”

O autor tirou o mote central de Senhora do Destino das manchetes de jornais: o sequestro do garoto Pedrinho por Vilma Martins Costa. Ela levou o bebê de uma maternidade de Brasília, em 1986, e o criou como se fosse seu filho até ser desmascarada, em 2003. Mais tarde, descobriu-se que fizera o mesmo com outra criança.
Para o livro “Autores, Histórias da Teledramaturgia”, Aguinaldo declarou que também inspirou-se no sequestro do menino Carlinhos, ocorrido em 1973, caso que acompanhou quando trabalhava como jornalista.

Grande destaque para Renata Sorrah com sua inesquecível vilã Nazaré Tedesco, debochada, espirituosa e de autoestima elevada. As frases de efeito, os apelidos depreciativos a outros personagens, seus crimes empurrando as vítimas do alto da escadaria e outras vilanias fizeram a festa do público.
Mais de uma década após a novela, Nazaré Tedesco, ainda viva na memória dos brasileiros, foi descoberta internacionalmente através de um meme de internet que se popularizou, o “confused lady”, em que as caras de dúvida da personagem surgiam em meio a fórmulas matemáticas complexas.

Por sua atuação, Renata Sorrah foi eleita pela APCA (Associação Paulista de Críticos de Arte) a melhor atriz na televisão em 2004 e premiada com o Troféu Imprensa de melhor atriz do ano.
José Wilker também levou o Troféu Imprensa, de melhor ator, e Senhora do Destino, a melhor novela.

José Wilker construiu um personagem que cativou o público: Giovanni Improtta, bicheiro com a dose exata de histrionismo e uma simpática homenagem a “coronéis” caricatos de novelas passadas, como Odorico Paraguaçu de Paulo Gracindo (em O Bem Amado, 1973) e Sinhozinho Malta de Lima Duarte (em Roque Santeiro, 1985-1986). O jeitão despachado e o linguajar próprio marcaram o personagem. O público passou repetir o bordão “Felomenal!” e frases como “O tempo ruge e a Sapucaí é grande!”.
Levado à novela, Giovanni Improtta havia sido criado por Aguinaldo Silva para o romance “O Homem que Comprou o Rio”, publicado em 1986.
Em janeiro de 2013, o personagem retornou, desta vez nas telas do cinema, no filme Giovanni Improtta, dirigido e protagonizado pelo próprio Wilker, com roteiro de sua filha, Mariana de Vielmond. No filme, o personagem vivia em um mundo bem diferente do que foi visto em Senhora do Destino.

Aguinaldo Silva revelou a André Bernardo e Cíntia Lopes para o livro “A Seguir, Cenas do Próximo Capítulo” que demorou para encontrar o tom de Giovanni Improtta.
“Eu simplesmente não conseguia descobrir como é que aquele homem falava. Foi quando um dos meus colaboradores, o Filipe Miguez, me mandou um email para elogiar os capítulos que ele já tinha lido: ‘Como diz um amigo meu, está felomenal!’ Na mesma hora, eu respondi o email dele: ‘É felomenal mesmo que o seu amigo diz?’ Ele respondeu que sim, que o tal amigo gostava de trocar as letras. Pronto! Voltei para a cena e comecei a imaginar o Giovanni Improtta como um cara pobre, humilde, um bicheiro que gosta de falar de uma maneira empolada.”

Na juventude, Aguinaldo Silva foi preso pela polícia do Regime Militar, acusado de subversivo por ter escrito o prefácio do livro “Diário de Che Guevara”. Os 70 dias que passou no presídio da Ilha das Flores foram retratados na primeira fase de Senhora do Destino: foi na prisão que o jornalista Dirceu (Gabriel Braga Nunes) conheceu sua paixão Maria do Carmo (Carolina Dieckmann), levada presa após ser confundida com manifestantes. O autor ainda comentou:
“Na cena em que Maria do Carmo é presa e levada para o Cenimar, o Centro de Informação da Marinha, e o comandante está jogando dardos sobre uma foto de Mao Tsé-Tung, aconteceu comigo.” (livro “Autores, Histórias da Teledramaturgia”, Projeto Memória Globo).

Entre as questões sociais minadas por preconceitos que a novela resolveu enfrentar estava o lesbianismo – e ela conseguiu fazê-lo sem provocar a rejeição do público. Da mesma forma que Manoel Carlos em Mulheres Apaixonadas (2003), Aguinaldo Silva levou o romance entre as personagens Eleonora e Jenifer (Mylla Christie e Bárbara Borges) até onde nunca havia se visto numa novela.

Outro tema forte foi o da violência doméstica, por meio da personagem Rita (Adriana Lessa), uma mulher batalhadora, de classe baixa, esposa submissa que levava surras de um marido violento e mau-caráter.
A gravidez na adolescência também foi tratada, debatida a partir da personagem Leidi Daiane (vivida por Jéssica Sodré, de 19 anos, escolhida entre 400 meninas da periferia fluminense).
Com suas crises de memória, a Baronesa de Bonsucesso (Glória Menezes) serviu de mote para transmitir informações sobre a doença de Alzheimer.

A corrupção na política também foi abordada, ao expor as falcatruas dos personagens de Eduardo Moscovis e Letícia Spiller, Reginaldo e Viviane, respectivamente o prefeito inescrupuloso e a primeira-dama da fictícia Vila São Miguel, na Baixada Fluminense.
“Eu me inspirei em Lady Macbeth, de Shakespeare, para fazer o papel”, disse Letícia.

Em um dos pontos que poderiam colocar em risco a credibilidade narrativa da novela, estava a cronologia estapafúrdia da história. A trama teve início em 1968, sua primeira fase, e a fase atual se passava entre 1992 e 1994. Para contornar, o autor chegou a inserir na novela elementos do início da década de 1990. Por exemplo: em uma cena os personagens estão assistindo à novela Felicidade (de 1991-1992). Mas objetos de cena, como telefones celulares, computadores e até mesmo automóveis, eram os mais modernos, bem como os figurinos e cenografia.
Por fim, o autor desistiu de situar a novela no início da década de 1990 e se permitiu uma obra atemporal.

O título escolhido pelo autor era Dinastia, mas já estava registrado. Em seguida, passaram a existir duas possibilidades: Senhora do Destino e A Dona do Destino. Tanto Aguinaldo quanto o diretor Wolf Maia ficaram inclinados pelo segundo. A opção também foi descartada e então ficou decidido por apenas Destino, e em seguida o definitivo Senhora do Destino.

Uma novidade foi a campanha de lançamento da trama que trouxe a atriz Eva Wilma como locutora de três filmes de 30 segundos. O slogan de seu lançamento foi: “toda família tem uma grande história para contar”. Detalhe: Eva Wilma não participou da novela.

Maria do Carmo Ferreira da Silva, nome da protagonista (vivida por Carolina Dieckmann e Susana Vieira), era na verdade o nome da mãe do autor. E Sebastião (Nelson Xavier), o irmão da protagonista, era o nome de um tio.
A frase “Tô varada de fome!”, muito usada por por Maria do Carmo na novela, era inclusive de sua mãe, revelou Aguinaldo a André Bernardo e Cíntia Lopes para o livro “A Seguir, Cenas do Próximo Capítulo”.
O autor já fizera uma referência à mãe anteriormente: em Suave Veneno (1999), a personagem de Eva Todor também se chamava Maria do Carmo, homenagem do autor a sua mãe.

Wolf Maia e Carolina Dieckmann viajaram para o município de Petrolina, em Pernambuco, para a gravação das primeiras cenas da novela. Os cenários escolhidos foram três locações: Belém de São Francisco, Vila de Santa Maria – onde o Rio São Francisco faz um “s” – e Ilha do Rodeadouro, uma ilha situada na divisa entre Bahia e Pernambuco. Para as gravações além dos atores foram utilizados 230 figurantes.

Para as primeiras cenas gravadas no centro do Rio de Janeiro, a produção reconstituiu a passeata de estudantes realizada contra a decretação do Ato Institucional nº 5, em 13/12/1968, quando Maria do Carmo desembarcou na cidade. As gravações duraram nove finais de semanas e contaram com 800 figurantes.

Na trama da novela, a trajetória de Maria do Carmo virou enredo da fictícia escola de samba Unidos de Vila São Miguel, onde Giovanni Improtta era o maior patrocinador. O enredo era do carnavalesco Ubiracy (Luiz Henrique Nogueira). As cenas para a novela foram gravadas durante o desfile da Grande Rio no carnaval de 2005.

Para sua abertura foram usadas cerca de 800 pessoas, na qual anônimos aparecem em preto e branco e os atores, em cores. Até Aguinaldo Silva apareceu entre os desconhecidos.

Com problemas de saúde, Mirian Pires teve de deixar a novela. Na ficção sua personagem, a cozinheira Clementina, era hospitalizada já que sofreu um choque ao saber que seu neto engravidou uma garota de quinze anos. Para substituir Mirian, a atriz Cristina Mullins foi escalada para viver Aurélia, a filha de Dona Clementina.
Mirian Pires veio a falecer ma manhã do dia 07/09/2004, aos 77 anos, vítima de falência múltipla dos órgãos juntamente com as complicações causadas pelo tempo de permanência no CTI, em função de ter contraído uma toxoplasmose.
Um livro dos pratos feitos pela personagem de Míriam foi lançado através da novela, A Cozinha de Dona Clementina. A atriz foi homenageada no capítulo do lançamento do livro.

Problemas de saúde levaram Raul Cortez a se afastar das gravações no meio da novela, para realizar uma cirurgia de remoção de um tumor no intestino. Cerca de oitenta cenas foram reescritas. A ausência do ator foi explicada com uma viagem de seu personagem, o Barão de Bonsucesso, que continuou presente na trama, sendo citado ou através de ligações telefônicas de outros personagens. Cerca de um mês antes do final da novela, Raul e Glória Menezes, que vivia sua mulher na história, gravaram o desfecho de seus personagens: o casal partiu em uma viagem de navio. Senhora do Destino foi a última novela de Raul Cortez, que atuou ainda na minissérie JK antes de falecer, em 18/07/2006. Fábio Costa em “Novela, a Obra Aberta e Seus Problemas”.

Primeira novela da jornalista, apresentadora e atriz Marília Gabriela. E de Dado Dolabella, que havia atuado anteriormente em Malhação e na minissérie A Casa das Sete Mulheres.

Reapresentada no Vale a Pena Ver de Novo em duas ocasiões. Primeiro, entre 02/03 e 21/08/2009, em 123 capítulos.
Por ocasião desta a reprise, a Som Livre lançou o CD com os temas instrumentais da novela e da minissérie Hilda Furacão (de 1998), compostos (para ambas as produções) por Edom Oliveira.
Por diversas vezes durante o período em que foi exibida, a reprise da novela atingiu índices maiores que os capítulos inéditos da novela das seis e das sete contemporâneas, Paraíso e Caras e Bocas, respectivamente.
Reprisada ainda entre 13/03 e 08/12/2017, novamente com sucesso.

Trilha Sonora Nacional

senhoradestt1
01. SE ACONTECER – Djavan (tema de Dirceu)
02. É FESTA – Simone (tema de Reginaldo e Viviane)
03. TUDO VIRA BOSTA – Rita Lee (tema de Giovanni)
04. FANTASIAS – Leonardo (tema de Leandro)
05. DONO DOS TEUS OLHOS – Gal Costa (tema de Maria do Carmo)
06. ENCONTROS E DESPEDIDAS – Maria Rita (tema de abertura)
07. QUAL É? – Marcelo D2 (tema de Shao Lin e Daiane)
08. UMA LOUCA TEMPESTADE – Ana Carolina (tema de Isabel)
09. DREAM A LITTLE DREAM OF ME – Zélia Duncan (tema de Pedro e Laura)
10. TUDO QUE HÁ DE BOM (TRAVELING ALONE) – Luiza Possi (tema de Viriato e Maria Eduarda)
11. VEM NI MIM – Dado Dolabella (tema de Plínio)
12. MÁSCARA – Pitty (tema de Shao Lin)
13. A MEDIDA DA PAIXÃO – Pedro Mariano (tema de Leandro e Nalva)
14. CORAÇÕES PSICODÉLICOS – Karla Sabah (tema de Gisela e Leonardo)
15. OLHOS TRISTES – Fabian

ainda
CORDEIRO DE NANÃ – Thalma de Freitas (tema de Lindalva e Maria do Carmo)
SABIÁ – MPB-4 (tema de Josefa e Sebastião)
GENTE PERDIDA – Mafalda Veiga (tema de Constantino e Rita)

Trilha Sonora Internacional

senhoradestt2
01. I GUESS I LOVED YOU – Lara Fabian (tema de Maria Eduarda e Viriato)
02. SORRY SEEMS TO BE THE HARDEST WORD – Elton John & Ray Charles (tema de Dirceu e Guilhermina)
03. I WANT TO KNOW WHAT LOVE IS – Wynonna (tema de Isabel e Edgard)
04. COMO ME ACUERDO – Robi Draco Rosa (tema de Regininha)
05. THOSE SWEET WORDS – Norah Jones (tema de Eleonora e Jenifer)
06. CALLING ALL ANGELS – Lenny Kravitz (tema de Leandro e Cláudia)
07. THE CLOSEST THING TO CRAZY – Katie Melua (tema de Maria do Carmo e Dirceu)
08. IT´S OVER NOW – Natasha Thomas (tema de Daiane e Bruno)
09. THIS LOVE – Maroon 5 (tema de Venâncio e Danielle)
10. BLOND THANG! 2004 – Babootz & Da Big Boy Daddy (tema de Shao Lin)
11. FREE – Donavon Frankenreiter (tema de João Emanuel e Regininha)
12. SINGIN´ IN THE RAIN – Jamie Cullum (tema de Guilhermina)
13. CHE SONO INNAMORATO (ESTOY ENAMORADO) – Luciano Bruno (tema de Giovanni)
14. LONG NIGHT – The Corrs (tema de Nalva)
15. DAUGHTERS – John Mayer (tema de Plínio e Angélica)
16. YA MY QUEEN – Houston Aakon (tema de Shao Lin e Daiane)

Trilha Sonora Complementar: temas de Hilda Furacão e Senhora do Destino – Edom Oliveira *

senhoradestt3
01. MALTHUS
02. PUREZA
03. AMANHECER
04. CONTRAPONTO DE UMA DESPEDIDA
05. ANJOS
06. SOMETIMES SOME PLACES
07. HORIZONTE DO DESTINO
08. SOL E LUA PARA MALTHUS E HILDA
09. NOTURNO PARA MALTHUS
10. CONFLITOS ENTRE MALTHUS E HILDA
11. DILEMA DE MALTHUS
12. QUIETUDE
13. ADÁGIO GOTAS D´ALMA

* Em 2009, por ocasião da reprise de Senhora do Destino no Vale a Pena Ver de Novo, a Som Livre lançou o CD com os temas instrumentais da novela e da minissérie Hilda Furacão, compostos por Edom Oliveira.

Tema de Abertura: ENCONTROS E DESPEDIDAS – Maria Rita

Mande notícias do mundo de lá, diz quem fica
Me dê um abraço venha me apertar, tô chegando
Coisa que gosto é poder partir sem ter planos
Melhor ainda é poder voltar quando quero

Todos os dias é um vai-e-vem
A vida se repete na estação
Tem gente que chega pra ficar
Tem gente que vai pra nunca mais
Tem gente que vem e quer voltar
Tem gente que vai querer ficar
Tem gente que veio só olhar
Tem gente a sorrir e a chorar
E assim chegar e partir

São só dois lados da mesma viagem
O trem que chega é o mesmo trem da partida
A hora do encontro é também despedida
A plataforma dessa estação é a vida
Desse meu lugar é a vida
Desse meu lugar é a vida…

Veja também

  • osetimo_guardiao2

O Sétimo Guardião

  • fina-estampa-logo

Fina Estampa

  • portodosmilagres_logo

Porto dos Milagres

  • duascaras_logo

Duas Caras