Sinopse

O envolvimento de Lígia das Graças, do clã Paiva, com Gaius Gutemberg, herdeiro dos Roldões. Mais do que filhos de famílias inimigas, eles são sobreviventes de uma chacina que, por pouco, não tira a cidade do mapa. Sob a maldição de que o sangue de um Roldão não pode misturar-se com o de um Paiva, os dois terão muita dor de cabeça.

A tragédia, no entanto, é suavizada pelas histórias paralelas: disputa pelo poder, política sindical, vinganças, traições, fofocas, bruxarias, e até mula-sem-cabeça.

Bandeirantes
de 22 de junho a 4 de dezembro de 1998
120 capítulos

novela de Ana Maria Moretzsohn
escrita por Ana Maria Moretzsohn, Maria Claudia Oliveira, Dayse Chaves, Izabel de Oliveira e Vera Villar
baseada na obra de Geraldo França de Lima
direção de Tarcísio Filho e Paulo Figueiredo
direção geral de Nilton Travesso

Novela anterior
Perdidos de Amor

Novela posterior
Meu Pé de Laranja Lima

PETRÔNIO GONTIJO – Gaius Gutemberg
ADRIANA LONDOÑO – Lígia das Graças
JOANA FOMM – Semíramis Torgano
LEONARDO VILLAR – Ignácio O’Neil
ÍTALO ROSSI – Coronel Eleodegário (Eleô)
ANA LÚCIA TORRE – Dona Pló-Pló
GIANFRANCESCO GUARNIERI – Dr. Gross
BETE COELHO – Cristiana Macedo
GIUSEPPE ORISTÂNIO – Olímpio Serpa
JOHN HERBERT – Faria
CARMO DALLA VECCHIA – Silvaninho
CLÁUDIO MAMBERTI – Padre Queiróz
ERIBERTO LEÃO – Padre Wálter
MARIANA LIMA – Branca Bela
DENISE DEL VECCHIO – Netinha
CLÁUDIA MELLO – Cornelinha
MARCOS CARUSO – Dr. Rivaldino Paleólogo
ALDINE MÜLLER – Ilza Paleólogo
RÚBENS CARIBÉ – Efigênio
LUGUI PALHARES – Lino
LYLLA COLARES – Helena Barreiros
CÁSSIO SCAPIN – Abel
PAULA BURLAMAQUI – Tonieta
SÔNIA CLARA – Avané
ADÃO FILHO – Totó
JOÃO SIGNORELLI – Nufo
CLÁUDIA PROVEDEL – Rose
CLÁUDIO CURI – Zário
EDSON FIESCHI – Clepston
KARINE CARVALHO – Kelly
THERESA ATHAYDE – Dusu
MARIA FERNANDA CÂNDIDO – Magali
MARCO MASTRONELLI – Mike
MARCELA GODOY – Icléia
HAYDÉE FIGUEIREDO – Verônica
MÁRCIA OLIVEIRA – Joana
1ª fase
SÉRGIO BRITTO – Barão de Serras Azuis
HÉLIO SOUTO – Reginaldo Paiva
CLÁUDIA LIZ – Amélia Paiva
PAULO FIGUEIREDO – Laércio Roldão
LUIZ CARLOS DE MORAES – Tito Roldão
JARBAS TOLEDO – Roldão
MARIA NASCIMENTO LEITE – Cecília
VIVIANE COELHO – Cristiana Macedo
BRUNA GARCIA – Lígia
JOÃO BUSKO – Gaius
SAMIR ALVES – Pedrinho
HÉLIO CÍCERO
LUIZA JORGE
TARCÍSIO FILHO – Barão de Serras Azuis (jovem)

Tentativa da Band de reativar seu departamento de dramaturgia. Serras Azuis foi a primeira novela em quinze anos, desde Maçã do Amor, de 1983. A Idade da Loba, O Campeão e Perdidos de Amor (exibidas entre 1995 e 1996) eram produções independentes.

A autora, Ana Maria Moretzsohn, fundiu três histórias do escritor mineiro Geraldo França de Lima: a que dá nome à novela mais Branca Bela e Nó Cego.

Para o diretor Nilton Travesso, tratava-se de um Romeu e Julieta às avessas.
“Mas com muito humor”, fez questão de ressaltar Moretzsohn na época de seu lançamento.

Uma semana após estréia, a novela já estava sendo duramente criticada, pelo seu roteiro fraco, repleto de clichês.

“Trabalhamos barbaramente para tudo dar certo, mas infelizmente não deu química entre a direção e a autora”, justificou Travesso.
Segundo ele, a autora tinha uma ambição, diferente daquela da direção.
“A gente não conseguia passar a emoção desejada. Muita coisa dava mais certo no improviso do que após vários ensaios”, lamentou.

Travesso contou que, apesar de não ter o costume de mudar as cenas escritas pelos autores sem consultá-los, no caso de Serras Azuis mexeu várias vezes nas mesmas na hora da edição porque elas “não davam ritmo”. Mesmo assim, não conseguiu salvar a trama do naufrágio.

Tarcísio Filho estreava como assistente de direção.

Primeira novela Maria Fernanda Cândido – como atriz, já que anteriormente ela havia ilustrado a aberta de A Indomada, na Globo.

Viviane Coelho, que fez uma participação na primeira fase, é sobrinha de Bete Coelho, que interpretou a mesma personagem na segunda fase.

Reprisada pela emissora cearense TV Diário, entre 01/08/2011 e 12/01/2012, às 16 horas.

Trilha Sonora
serrast
01. TOADA (NA DIREÇÃO DO DIA) – Boca Livre (participação especial Milton Nascimento)
02. CANÇÃO DOS VIAJANTES – Marcus Vianna (tema de abertura)
03. SACO DE OURO – Chitãozinho & Xororó
04. MAJESTADE, O SABIÁ – Roberta Miranda
05. TE VER – Lô Borges
06. MINHA VOZ, MINHA VIDA – Caetano Veloso
07. ONDE ESTARÁ O MEU AMOR – Chico César
08. A FLOR – Virgínia Rosa
09. FOLIA – Boca Livre (participação especial Beto Guedes)
10. BRINCADEIRA DE COROAR – Simone Guimarães
11. TRENZINHO DO CAIPIRA – Ney Matogrosso
12. FLOR DA PELE – Zeca Baleiro
13. SERRAS AZUIS – Marcus Vianna
14. A GAITA E A SANFONA – Téo Azevedo

Trilha Sonora Complementar: Trilhas e Temas Volume 5 – Marcus Viana
Obras inéditas de O Clone, Aquarela do Brasil, A Sonata e Serras Azuis

clonet7
01. PARA TODO O SEMPRE de Aquarela do Brasil
02. AS DUNAS INFNITAS de O Clone
03 COMO UMA NUVEM de O Clone
04. SOB O SOL (instrumental) de O Clone
05. IRMÃOS de O Clone
06. O MISTÉRIO DA VIDA de O Clone
07. SOB O SOL (instrumental) de O Clone
08. A MIRAGEM (instrumental) de O Clone
09. OSÍRIS de O Clone
10. UMA VISÃO DE LÁ de O Clone
11. BAJO EL SOL de O Clone
12. ADÁGIO DE FEZ de O Clone
13. A SONATA EM LÁ MENOR de A Sonata
14. TEMA DE SERRAS AZUIS de Seras Azuis

Trilha sonora de Marcus Viana
Direção musical de Eduardo Ramos

Tema de Abertura: CANÇÃO DOS VIAJANTES – Marcus Viana
Pelos caminhos da terra
Lá nas estradas do mar
Pego os atalhos do vento
Nas ondas de fogo do ar

Pra quem tem fé e resiste
Luz do amor acesa no peito
Nada é duro, nada é triste
Espanta a noite, toca o vento…

Veja também

  • malhacao95_logo

Malhação 95

  • perdidosdeamor_logo

Perdidos de Amor

  • band90

Contos de Natal