Sinopse

A marroquina Luana Camará volta ao Brasil para tentar recuperar sua fortuna roubada pela família Rivoredo. No passado, Antônio Rivoredo passou para o seu nome os bens dos pais de Luana, quando estes foram obrigados a se exilar por problemas políticos, no período Vargas. O patrimônio da família Camará, no entanto, nunca foi devolvido por Antônio Rivoredo.

Tião Bento é o braço direito do falecido Antônio e antagonista de Luana. Ele ambiciona o poder nas empresas da família Rivoredo, mas enfrenta a oposição de Sandra, a filha mais velha de Antônio, com quem vive em conflito. Tião Bento é também uma espécie de Don Juan e tem uma curiosa mania: guarda sempre um pé de sapato das mulheres que seduz.

Os obstáculos enfrentados por Luana fazem com que ela retorne a Casablanca, sua cidade natal, deixando no Brasil seu grande amor, Rudi, outro dos Rivoredo. O rapaz vive uma crise conjugal com a possessiva Helenice.

Luana, que já manifestava sinais de paranormalidade, como visões de situações futuras, acaba sofrendo uma transformação radical: ela assume mediunicamente a identidade da atriz italiana Priscila Capricce e reaparece no Brasil, causando o espanto de todos. O espírito de Priscila possui o corpo de Luana com a intenção de encontrar sua filha desaparecida e cobrar uma promessa feita em uma encarnação passada das duas. Ao contrário da contida e sofrida Luana, Priscila é sofisticada, sensual e descontraída. Ela arrebata o amor de Tião Bento e os dois acabam se casando.

Enquanto corre o processo movido contra a família Rivoredo, Priscila tenta levantar dinheiro para encenar a peça “O Santo Inquérito” e é envolvida em uma série de intrigas.

Globo – 20h
de 29 de março a 8 de outubro de 1982
166 capítulos

novela de Janete Clair
direção de Roberto Talma, Jorge Fernando e Guel Arraes
direção geral de Roberto Talma

Novela anterior no horário
Brilhante

Novela posterior
Sol de Verão

REGINA DUARTE – Luana Camará / Priscila Capricce
FRANCISCO CUOCO – Tião Bento
CARLOS ALBERTO RICCELLI – Rudi
EVA TODOR – Santinha Rivoredo
NATÁLIA DO VALLE – Sandra
CLÁUDIO CAVALCANTI – Danilo
ARMANDO BÓGUS – Vavá (Valério Ribeiro)
FERNANDO TORRES – Harold Bargman
OTÁVIO AUGUSTO – Jorge Palmeira
TAMARA TAXMAN – Gisa
ADRIANO REYS – Jean-Piérre Renard
MYRIAN PÉRSIA – Mapy Hilder
BETH GOULART – Helenice
EDNEY GIOVENAZZI – Horácio Sampaio
SÔNIA CLARA – Diana
FERNANDO EIRAS – Henrique
NEUZA CARIBÉ – Uiara
PAULO GUARNIERI – Tony
PATRÍCIA PHEBO – Cris (Cristina)
MIRIAN PIRES – Carolina
SEBASTIÃO VASCONCELOS – Elísio Mendes
NICETTE BRUNO – Sara
LIZA VIEIRA – Érika
EDWIN LUISI – Rúbens
TÂNIA BÔSCOLI – Alba
ÊNIO SANTOS – Tomaz
HELOÍSA HELENA – Augusta
JACQUELINE LAURENCE – Célia
REYNALDO GONZAGA – Gilson Pratini
JACYRA SILVA – Pérola
JONAS BLOCH – Jaime Borges
RUTH DE SOUZA – Jerusa
LAJAR MUZURIS – Domingos
CÁSSIA FOUREAUX – Ângela
IRMA ALVAREZ – Vanda
TEREZINHA SODRÉ – Rita
NILSON ACIOLY – Kico
MARALISE – Arminda
LÍCIA MAGNA – Olga
e
ALESSANDRA DE MELO – Luana (criança)
ÂNGELA LEAL
CARLOS KROEBER – Antônio Rivoredo (falecido marido de Santinha)
CLEMENTINO KELÉ
DAVID PINHEIRO – Padre Gustavo (pároco de Pedra Linda)
ISABELA BICALHO – Cila (filha de Priscila)
MARIA DELLA COSTA – Juliana (ligada ao passado de Tião Bento, internada num manicômio, recebe sempre a visita dele, que faz de tudo para reanimá-la)
MARIA SANTOS QUIRINO – Bia (tia de Lenita)
MONIQUE ALVES – Rosinha (enfermeira de Tião Bento assediada por ele)
ROSAMARIA MURTINHO
YOLANDA CARDOSO – Carla Taglianetti (mulher de Taglianetti)
Agenor Camará (pai de Luana)
Armando (advogado de Tião Bento)
Bárbara (mulher ligada ao passado de Tião Bento)
Borges (agiota que cobra dívida de Tião Bento)
delegado Braga
Brito (funcionário de Tião Bento)
Camaiura (índio pai de Uiara)
Da Matta (produtor de cinema que encomenda um roteiro de filme para Danilo)
Flaviano (amigo de Célia)
Gusmão (diretor nas Indústrias Catarina envolvido no sequestro de Cila)
Hilda (diretora da escola onde Luana trabalhou)
Isabel (filha de Mapy)
Laura (moradora de Pedra Linda que briga com Gisa)
Lenita (menina cega salva por Luana)
Liberatti (empresário de Priscila)
Marly (conquista de Tião Bento)
dr. Paulo (diretor nas Indústrias Catarina envolvido no sequestro de Cila)
Paula (filha de Mapy)
Penha
Regina (filha de Mapy)
Rudinho (filho de Rudi e Helenice)
Sebastião (filho de Luana e Tião Bento)
Taglianetti (acusa Priscila do roubo de suas jóias)

– núcleo de LUANA CAMARÁ (Regina Duarte), de raízes brasileiras, mora em Casablanca, no Marrocos. Vem ao Brasil reaver seus bens apossados ilegalmente pela família Rivoredo. Possui poderes paranormais, tem visões do futuro e, no decorrer da trama, se envolve com outros fenômenos parapsicológicos. Em determinado momento, incorpora o espírito da atriz italiana PRISCILA CAPRICCE, que havia sido assassinada, e com quem assume o compromisso de reencontrar sua filha desaparecida. De espírito alegre e efusivo, Priscila é o oposto de Luana, uma mulher mais reservada e introspectiva:
o advogado GILSON PRATINI (Reynaldo Gonzaga),procurador de Priscila. Aproxima-se de Luana por causa de seus poderes paranormais
a parapsicóloga CÉLIA (Jacqueline Laurence), a auxilia nas possessões de Priscila
a mãe de Priscila, AUGUSTA (Heloísa Helena)
a filha desaparecida de Priscila, a menina CILA (Gabriela Bicalho)
a amiga do conservatório onde Priscila atua, PÉROLA (Jacyra Silva), que se casa com Pratini.

– núcleo de TIÃO BENTO (Francisco Cuoco), homem de caráter duvidoso que luta pelo poder nas indústrias da família Rivoredo. Defensor dos interesses das empresas, é o principal antagonista de Luana, por quem guarda uma paixão secreta. Quando Luana surge como Priscila, os dois se envolvem amorosamente e chegam a se casar:
a amiga CAROLINA (Mirian Pires), mulher de personalidade forte e, por vezes, extravagante
a secretária VANDA (Irma Alvarez), adora o chefe e procura resolver todos os seus problemas
a empregada OLGA (Lícia Magna).

– núcleo de SANTINHA RIVOREDO (Eva Todor), dona das indústrias da família. Fútil e sofisticada, já fez muitas plásticas e tem horror de envelhecer. Sente verdadeira adoração pelos filhos e luta contra todos para defender seus interesses:
o primeiro marido ANTÔNIO (Carlos Kroeber), falecido. No passado, se apossou ilegalmente dos bens da família Camará
os filhos: SANDRA (Natália do Valle), presidente das indústrias, faz tudo para que Tião Bento não ocupe o seu lugar. Executiva dinâmica e responsável, cuida dos problemas da família, chegando a abdicar de sua vida pessoal em função dos negócios,
RUDI (Carlos Alberto Riccelli), esportista famoso, dedica-se a pesquisas submarinas. Em crise no casamento, conhece Luana com quem terá um forte envolvimento,
e TONY (Paulo Guarnieri), inveja o irmão mais velho, curte divertir-se com os amigos, é meio inconsequente e mulherengo
o segundo marido, VALÉRIO RIBEIRO, o VAVÁ (Armando Bógus), ator medíocre, nunca passou de coadjuvante. Após o casamento, sua carreira ganha um impulso a mais, graças aos financiamentos de filmes feitos pela mulher. Guarda um segredo do passado que o atormenta
o executivo nas empresas JORGE PALMEIRA (Otávio Augusto), almeja alcançar a vice-presidência. Casa-se com Sandra por interesse. Sua ambição o colocará em conflito permanente com Tião Bento
a governanta JERUSA (Ruth de Souza), elegante, educada, é uma pessoa de confiança da família
o copeiro DOMINGOS (Lajar Muzuris), fofoqueiro
a enmpregada ÂNGELA (Cássia Fourreaux), envolve-se com Tony.

– núcleo de DANILO, melhor amigo de Luana. Jornalista, escritor e cineasta, fez um filme que foi premiado e busca patrocínio para o segundo. Envolve-se Sandra, apesar do gênio difícil dos dois:
os pais: ELÍSIO MENDES (Sebastião Vasconcelos), um dos operários mais antigos das indústrias dos Rivoredo. Homem íntegro, foi líder sindical. Vive para a família,
e SARA (Nicette Bruno), foi operária e sofreu as consequências de sua luta contra o poder. Teme até hoje o desemprego e se preocupa em garantir o futuro dos filhos
a irmã de criação UIARA (Neuza Caribé), de origem indígena, é envolvida por Tony
a primeira mulher RITA (Terezinha Sodré).

– núcleo de HAROLD BARGMAN (Fernando Torres), irmão mais velho de Santinha, é o grande incentivador das loucuras de Rudi e Tony. Milionário, é arqueólogo e tem uma companhia de pesquisas submarinas, que resgata navios afundados. Não tem filhos e adora os sobrinhos, exercendo sobre eles enorme influência:
o sobrinho HENRIQUE (Fernando Eiras), filho de uma irmã falecida. Bonito, tímido e introvertido, toca violoncelo e evita namorar jovens garotas, participar de farras e brincadeiras típicas de sua idade. Tem fascinação por mulheres mais velhas, o que preocupa Harold. Apaixona-se por Carolina. Acaba se casando com Uiara
o amigo JAIME BORGES (Jonas Bloch), supervisor de mergulhos de Rudi
a mulher de Jaime, DIANA (Sônia Clara), professora de piano no conservatório. Separa-se do marido para casar-se com Harold, interessada em sua fortuna. Envolve Henrique em uma intriga para tirá-lo do testamento.

– núcleo de JEAN-PIÉRRE RENARD (Adriano Reys), médico de Santinha, é o único que consegue controlar suas crises de temperamento. Mulherengo, acaba assassinado:
a namorada MAPY HILDER (Myrian Pérsia), amiga de Sandra. Foi colunável por muito tempo, mas acabou perdendo sua posição na sociedade, o poder aquisitivo e até o carinho das filhas, que moram com seu ex-marido. Entregou-se ao vício da bebida. Ao final, revela-se que ela matou Renard por ciúmes
a filha de Mapy, CRISTINA (Patrícia Phebo), a única que tem algum contato com a mãe, embora não perdoe o fato de ela ter abandonado o pai. Estuda piano e tem muito talento, mas aprontará muitas confusões por ser rebelde e ardilosa. É apaixonada por Tony.

– núcleo de GISA (Tamara Taxman), bonita e atraente, é motorista de caminhão. Romântica, está em busca do homem ideal, mas acaba se envolvendo em situações complicadas por ser extremamente franca. Envolvida por Renard, se apaixona por ele:
o pai TOMAZ (Ênio Santos), jardineiro de Santinha Rivoredo, tem adoração pelas plantas e por suas três filhas
as irmãs: ALBA (Tânia Bôscoli), professora, faz amizade com Luana. Vive brigando com Gisa
e ÉRIKA (Liza Vieira), teve poliomielite na infância e ficou com um defeito na perna, o que a obriga a usar um sapato ortopédico. Inteligente, estudou muito e torna-se o braço-direito de Sandra
o cego RÚBENS (Edwin Luisi), por quem Érika se apaixona.

– núcleo de HELENICE (Beth Goulart), mulher de Rudi que acaba se separando dele após se cansar de lutar pelo casamento fracassado. É dona de uma loja de objetos de decoração:
o advogado HORÁCIO SAMPAIO (Edney Giovenazzi), trabalha para Tião Bento e para ela, com quem acaba se envolvendo
a empregada ARMINDA (Maralise)
o filho com Rudi, RUDINHO.

Regina Duarte viveu em Sétimo Sentido um papel duplo: a paranormal Luana Camará que encarnava o espírito da atriz italiana Priscila Capricce. Janete Clair voltava a um tema recorrente em sua obra: o duplo. Desde seu primeiro trabalho para TV, a novelista brincou com gêmeos, sósias, troca de personalidade, influenciada por Os Irmãos Karamazov de Dostoievsky.
Foi assim com Lara e Diana (e Márcia – Glória Menezes) de Irmãos Coragem (1970-1971), Simone Marques e Rosana Reis (Regina Duarte) de Selva de Pedra (1972), e Hugo Leonardo e Raul de Paula (Tarcísio Meira) de O Semideus (1973-1974).

“Infelizmente, desta vez, Janete não foi a fundo nas tramas paralelas, centrando todos os seus trunfos nas presenças de Luana, Priscila, Tião Bento (Francisco Cuoco) e Rudi (Carlos Alberto Riccelli).” Ismael Fernandes em “Memória da Telenovela Brasileira”

A primeira metade da novela transcorreu morna. A trama só começou a despertar a atenção da audiência a partir da segunda metade, quando Luana Camará incorpora o espírito de Priscila Capricce.

Faltando uns 40 capítulos para a novela acabar, Janete descobriu uma doença e teve que ser operada. Para não criar alarde acerca do afastamento da autora, a Globo providenciou um autor substituto na surdina, e assim ninguém ficou sabendo na época que foi Silvio de Abreu quem terminou de escrever Sétimo Sentido. Janete orientava e depois revisava o que Silvio escrevia.
Silvio escrevia um capítulo, terminava, levava para Janete em sua casa, ela corrigia o que achasse necessário e enviava o texto para a emissora. Conforme os dois definiam como seria o próximo, ele se atirava à sua criação, e assim foi até o penúltimo capítulo. É de praxe entre os autores de novela escrever sozinho o capítulo final, fechar a seu gosto aquela obra que teve início em sua cabeça, mas num ato de generosidade e gratidão Janete disse a Silvio que eles dividiriam a escrita do fim da novela. Fábio Costa em “Novela, a Obra Aberta e Seus Problemas”.

Desde seu primeiro capítulo, a novela sofreu diversos cortes impostos pela censura. Na época, a autora reclamou pela imprensa que a arbitrariedade dos cortes deixava a trama “sem pé nem cabeça”. A autora teve que driblar imposições absurdas, como a proibição de beijos entre Luana e Rudi, somente porque ele era casado na trama. Já o público acusou injustamente – através de pesquisas realizadas pela emissora – a falta de sensualidade no romance entre Rudi e Luana, na fase inicial da história, ainda sem saber que todas as cenas em que o casal se beijava tinham sido tesouradas em Brasília.

Vale registrar duas memoráveis sequências: Priscila Capricce no palco, interpretando Branca Dias de O Santo Inquérito, peça de Dias Gomes – personagem que Regina Duarte havia de fato defendido no teatro; e a deslumbrante cerimônia de casamento de Priscila e Tião Bento, em um ritual cigano.

Janete Clair mobilizou o público no penúltimo capítulo para o julgamento de Luana, centrando o debate sobre o fenômeno da dupla personalidade.

No capítulo 148, a cena de uma regressão espiritual explicou a ligação de Luana com o espírito de Priscila. Em 1910, numa vida passada, elas foram a gêmeas Luciana (Luana) e Maria Pia (Priscila). Maria salvara a vida de Luciana, criando uma dívida de gratidão que seria resgatada no presente.

Regina Duarte declarou em depoimento ao livro “Nossa Senhora das Oito”:
Sétimo Sentido foi uma aventura linda e estimulante. Eu adorava as duas personagens. A Priscila, aliás, a meu ver, é precursora da Porcina [de Roque Santeiro]. (…) Uma grande personagem!”

A equipe de figurino, liderada por Marco Aurélio, caprichou no visual de Regina para mostrar a diferença radical entre as duas personagens que a atriz interpretava. A discreta Luana usava roupas simples e poucos acessórios, ao contrário da exuberante Priscila, que parecia estar sempre pronta para uma festa.
A maquiagem também ajudou a marcar a diferença entre as duas personalidades. Quando Luana se transformava em Priscila, entravam em cena cílios postiços, batons de cores forte e muito blush. (*)

Estudiosos do espiritismo criticaram a trama. Alegavam que é impossível a possessão de um espírito sobre uma pessoa. Janete Clair, além da assessoria da parapsicóloga Thelma Tablada, afirmou ter estudado durante um ano temas relativos a paranormalidade, parapsicologia e espiritismo.

Entre outros personagens marcantes, estava a caminhoneira Gisa, vivida por Tamara Taxman. Bonita e extremamente franca, ela entrou para a lista de “mulheres do povo” criadas por Janete Clair, como Chica Martins (Dina Sfat) de Fogo sobre Terra (1974), Leda Maria (Betty Faria) de Duas Vidas (1976-1977), Lili (Elizabeth Savalla) de O Astro (1977-1978), Ana Preta (Glória Menezes) de Pai Herói (1979) e Maria-Faz-Favor (Aracy Balabanian) de Coração Alado (1980-1981).
Na época, Janete Clair divulgou que sentia necessidade de ter em seus enredos uma espécie de porta-voz do povo, aquela personagem que diz o que todos gostariam de dizer. (*)

Sétimo Sentido teve cenas gravadas em Casablanca, no Marrocos. A equipe de produção, no entanto, encontrou algumas dificuldades durante as gravações devido a uma lei que proibia a filmagem de lugares públicos. A solução foi viajar a lugarejos próximos da cidade para fazer algumas externas. (*)

A novela encerrou com essa famoso texto de Janete Clair:
“Eu gostaria que o ser humano acreditasse que existe uma força capaz de mudar sua vida. É bom confiar em si mesmo e esperar um novo amanhecer.”

(*) Site Memória Globo.

Trilha Sonora Nacional
setimot1
01. ESOTÉRICO – Gilberto Gil
02. JEITO DE AMAR – Ney Matogrosso (tema de Tião Bento)
03. A CADA MOMENTO – Maurício Gasperini (tema de Rudi)
04. SER, FAZER, ACONTECER – Luiz Gonzaga Jr.
05. CHARME DO MUNDO – Marina (tema de Sandra)
06. AS VITRINES – Chico Buarque (tema de abertura)
07. ATLÂNTIDA – Rita Lee (tema de Henrique e Harold)
08. COISA LINDA – Vinícius Cantuária (tema de Luana)
09. FALTANDO UM PEDAÇO – Djavan (tema de Luana e Rudi)
10. ATIRASTE UMA PEDRA – Maria Bethânia (tema de Gisa)
11. DISSE ALGUÉM – João Gilberto, Caetano Veloso e Gilberto Gil
12. MAGIA – MPB4
13. ENTÃO TÁ – Cauby Peixoto

Trilha Sonora Internacional
setimot2
01. EMPTY GARDEN – Elton John (tema de Érika e Rúbens)
02. ANYONE OUT THERE – Duran Duran
03. CASTLES IN THE AIR – Don McLean (tema de Ângela e Tony)
04. THE OTHER WOMAN – Ray Parker
05. WALK AWAY – Udo Jurgens (tema de Luana e Rudi)
06. GIGOLO – Mary Wells
07. SILENZIO – Bianco (tema de Tião Bento)
08. CHARIOTS OF FIRE – Spirits (tema da vinheta de “estamos apresentando” e tema dos transes de Luana)
09. CLASSIC – Adrian Gurvitz (tema de Danilo e Sandra)
10. YOU GOT THE POWER – War
11. HOW LONG – Rod Stewart
12. MEGATRON MAN – Patrick Cowley
13. MAKE IT EASY ON YOURSELF – Michael Henderson
14. TRISTESSE – Danielle (tema de Priscila Capricce)

Sonoplastia: Guerra Peixe Filho
Supervisão Musical: Sérgio Motta

Tema de Abertura: AS VITRINES – Chico Buarque
Eu te vejo sumir por aí
Já avisei que a cidade era um vão
Dá tua mão
Olha prá mim
Não faz assim
Não vai lá não

Os letreiros a te colorir
Embaraçam a minha visão
Eu te vi suspirar de aflição
E sair da sessão
Frouxa de rir

Já te vejo brincando
Gostando de ser
Tua sombra a se multiplicar
Nos teus olhos também posso ver
As vitrines
Te vendo passar na galeria

Cada clarão
É como um dia
Depois de outro dia
Abrindo um salão
Passas em exposição
Passas sem ver teu vigia
Catando a poesia
Que entornas no chão…

Veja também

  • selvadepedra72_logo

Selva de Pedra (1972)

  • coracaoalado_logo

Coração Alado

  • euprometo_logo

Eu Prometo

  • paiheroi_logo

Pai Herói