Sinopse

Tião Borges enriqueceu de maneira brusca e é conhecido de todos. Separado há cinco anos de Talita, ele quer o divórcio (mas ela não lhe concede) para se casar com a jovem Sulamita Montenegro, criada sob rígidos padrões morais e que por isso mantém com ele um noivado super vigiado.

Talita Borges é jornalista proprietária da Folha do Rio e empreende ferrenha campanha contra uma das fábricas de Tião, a Fertilit, que polui o bairro onde está instalada com a produção de fertilizantes e inseticidas. Os funcionários se rebelam contra a direção da empresa e fazem passeatas de protesto lideradas por Consuelo, uma operária, e Nilo Bastos, um idealista. Ele é casado com Vera, funcionária da Fertilit que precisa do emprego, por isso não se envolve nas passeatas. Nilo acaba envolvendo-se com Selma, uma burguesa que abraça a sua causa.

Além de lutar contra os problemas na empresa, Tião Borges se vê às voltas com um escândalo que envolve a noiva Sulamita e Rudi Caravaglia, o cineasta que, juntamente com o amigo Chico Tibiriçá, tenta fazer um filme sobre sua vida.

Globo – 22h
de 31 de julho de 1978
a 26 de janeiro de 1979
116 capítulos

novela de Dias Gomes
direção de Wálter Avancini, Jardel Mello e Paulo Ubiratan
supervisão de Wálter Avancini

Novela anterior no horário
O Pulo do Gato

Novela posterior
reprise de Gabriela

PAULO GRACINDO – Tião Borges
JARDEL FILHO – Rudi Caravaglia
VERA FISCHER – Sulamita Montenegro
YONÁ MAGALHÃES – Talita Borges
CARLOS EDUARDO DOLABELLA – Chico Tibiriçá
RENATA SORRAH – Selma
EDUARDO CONDE – Nilo Bastos
BETE MENDES – Vera
ISABEL RIBEIRO – Consuelo
NELSON CARUSO – Norival
MILTON GONÇALVES – Rafa
RUTH DE SOUZA – Adelaide
ELZA GOMES – Henriqueta
JOSÉ AUGUSTO BRANCO – Lúcio Braga
DARY REIS – Azevedo
TAMARA TAXMAN – Geórgia
LUIZ ARMANDO QUEIRÓZ – Duda
SÔNIA REGINA – Martinha
PAULO GONÇALVES – Nicanor
ANA ARIEL – Constança
TONY FERREIRA – Padre Mauro
RUY REZENDE – Fumaça
VANDA LACERDA – Melinda
MARA RÚBIA – Cotinha
CARMEM SILVA – Coló
DORINHA DUVAL – Ofélia
ANTÔNIO GANZAROLLI – Teodoro
CLEMENTINO KELÉ – Sansão
JORGE BOTELHO – Bruno
ROBERTO MURTINHO – Loiola
BETINA VIANNY – Justina
LEILA CRAVO – Daisy
SAMIR DE MONTEMOR – Rocha
ANGELINA MUNIZ – Rita
DULCE CONFORTO – Lia
FERNANDO EIRAS – Mário
NEILA TAVARES – Roberta
ARTHUR COSTA FILHO – Souza
AUGUSTO OLÍMPIO – Rato
NENA AINHOREM – Júlia
NOIRA MELLO – Joana
MACEDO NETO – Ademar
CECÍLIA SIMÕES – Clarisse
LÉA ALVES – secretária de Talita na Folha da Tarde
as crianças
ROBERTO SILVEIRA FILHO – Tiãozinho (filho de Talita e Tião Borges)
FERNANDO MARCONDES – Carlinhos (filho de Nilo e Vera)
MÁRCIO SILVA – Miguel (filho de Selma)
e
BRANDÃO FILHO
CARLA NEIL
CLÁUDIO FONTES – advogado
ED HEATH – engenheiro
FERNANDO JOSÉ
HELENA RÊGO
JOÃO BATISTA RIBEIRO – advogado
JURANDIR SILVA – segurança
LUÍS ORIONI
MANFREDO COLASSANTI – Giuseppe
MARIA LÍGIA – madre
MÁRIO PETRÁGLIA – Luciano (falecido marido de Selma)
MURILO NERY – Dr. Moreira (advogado de Tião Borges)
NELSON BROOK – procurador
NELSON FREITAS – chefe de segurança da fábrica
RAFAEL VIZARRO
RENATO RESTIER
ROFRAN FERNANDES – Moreira
SÓLON DE ALMEIDA

– núcleo de TIÃO BORGES (Paulo Gracindo), nortista, chegou ao Rio de Janeiro muito jovem e sem dinheiro. Em poucos anos, tornou-se um empresário bem sucedido. Extrovertido e falastrão, porém orgulhoso e prepotente. Sua principal empresa, a Fertilit, que fabrica fertilizantes e inseticidas, polui o bairro onde está instalanda, provocando a revolta dos operários e moradores da região:
a governanta HENRIQUETA (Elza Gomes), mulher enigmática, considera-se a dona da casa por direito e fidelidade ao patrão
o mordomo TEODORO (Antonio Ganzarolli)
a secretária particular GEÓRGIA (Tamara Taxman), fã do patrão
o segurança SANSÃO (Clementino Kelé).

– núcleo da Fertilit, empresa de Tião Borges:
o gerente AZEVEDO (Dary Reis)
o advogado DR. MOREIRA (Murilo Néri), defende os interesses da empresa
o diretor técnico ROCHA (Samir de Montemor)
a recepcionista RITA (Angelina Muniz).

– núcleo de TALITA (Yoná Magalhães), ex-mulher de Tião Borges. Inteligente, de personalidade forte, é jornalista, proprietária do jornal Folha do Rio. Empreende uma verdadeira campanha contra a empresa do ex-marido:
o filho pequeno de seu casamento com Tião Borges, TIÃOZINHO (Roberto Silveira Filho)
a amiga e secretária JUSTINA (Betina Viany)
a governanta JOANA (Noira Mello).

– núcleo da Folha do Rio, jornal de Talita:
o redator chefe LÚCIO BRAGA (José Augusto Branco), inteligente, simpático e muito íntegro
a secretária de Lúcio, CLARICE (Cecília Simões)
o repórter BRUNO (Jorge Botelho)
o gerente administrativo LOIOLA (Roberto Murtinho)
a secretária de Talita (Léa Alves).

– núcleo do cineasta RUDI CARAVAGLIA (Jardel Filho), boêmio, chega até Tião Borges interessado em fazer um roteiro para um filme sobre a vida do empresário:
a vizinha OFÉLIA (Dorinha Duval), que nutre um amor platônico por ele
o amigo CHICO TIBIRIÇÁ (Carlos Eduardo Dollabela), premiado diretor de cinema, alia-se a Rudi no projeto do filme sobre Tião Borges
a namorada de Chico, DAISY (Leila Cravo), mulher inconsequente, bonita, mas pouco inteligente.

– núcleo de SULAMITA MONTENEGRO (Vera Fischer), muito bonita, de família tradicional carioca, criada dentro de uma rígida formação moral. Mantem um noivado com Tião Borges, vigiado de perto pela mãe e as tias carolas. Mas acaba envolvendo-se com Rudi, de quem engravida, escandalizando a família:
a mãe MELINDA (Vanda Lacerda), viúva de um pastor protestante e filha de um juiz de Direito. Muito austera, domina a filha
as tias COLÓ (Carmem Silva) e COTINHA (Mara Rúbia), irmãs de Melinda, solteironas e castas.

– núcleo de NILO BASTOS (Eduardo Conde), jovem agressivo e idealista, sem profissão definida e emprego fixo, mora no bairro onde fica a fábrica de Tião Borges, que causa poluição. Luta na campanha contra a Fertilit:
a mulher VERA (Bete Mendes), trabalha como contadora na Fertilit e, ao contrário dele, aceita sua condição, pois precisa do trabalho para criar o filho pequeno, já que o marido não para em emprego
o filho pequeno CARLINHOS (Fernando Marcondes)
os sogros NICANOR (Paulo Gonçalves), operário na Fertilit, faz tudo para manter seu emprego,
e CONSTANÇA (Ana Ariel), dona de casa de origem muito humilde
a cunhada MARTINHA (Sônia Regina), irmã mais nova de Vera, trabalha na Fertilit e estuda à noite
o patrão ADEMAR (Macedo Neto), gerente de uma agência de automóveis onde trabalha um tempo.

– núcleo de SELMA (Renata Sorrah), professora, viúva. Sente-se assustada com a violência da cidade grande. Envolve-se com Nilo e abraça a sua causa:
o marido LUCIANO (Mário Petráglia), motorista de ônibus, falecido
o filho MIGUEL (Márcio Silva)
a vizinha ROSA (Nena Ainhoren).

– núcleo de CONSUELO (Isabel Ribeiro), operária na Fertilit. Combativa, lidera o movimento no bairro proletário contra a poluição causada pela empresa de Tião Borges:
o marido NORIVAL (Nelson Caruso), não concorda com a mulher em sua luta contra a poluição
os operários companheiros no movimento contra a poluição causada pela Fertilit, RAFA (Milton Gonçalves) e ADELAIDE (Ruth de Souza).

– núcleo de DUDA (Luiz Armando Queiroz), jovem cínico e de personalidade forte. Arruaceiro, envolve-se em vários incidentes policiais:
oa amigos LIA (Dulce Conforto), MÁRIO (Fernando Eiras) e ROBERTA (Neila Tavares).

– demais personagens:
o padre MAURO (Tony Ferreira), auxilia os moradores de sua paróquia contra a poluição causada pela Fertilit
o ambulante FUMAÇA (Ruy Rezende), ganha a vida explorando os males causados pela poluição. Vende óculos escuros para proteger os olhos e máscaras de oxigênio, entre outros apetrechos
o dono do boteco SOUZA (Arthur Costa Filho)
RATO (Augusto Olímpio)
CLARISSE (Cecília Simões)

Última novela do núcleo das 22 horas da Globo, que não conseguiu repercussão nem audiência. Em parte pela deterioração do horário, outra pela entrada no ar – entre setembro e novembro de 1978 – do horário gratuito concedido ao TRE (Tribunal Regional Eleitoral), que obrigou a emissora a apresentar a novela às 23 horas.
A partir do final de novembro, com o fim do horário político, foi exibido um compacto em 10 capítulos do que tinha acontecido na novela do começo até então. Ou seja, durante duas semanas, assim que voltou para as 22 horas, não houve exibição de capítulos inéditos.
Após a retomada da novela, para auxiliar o autor Dias Gomes, foi convocado Walter George Durst, que colaborou nos 30 capítulos finais.

Ao final de Sinal de Alerta, a Globo apresentou uma reprise da novela Gabriela e, na sequência, a emissora lançou os “seriados brasileiros” que passaram a ocupar a faixa das dez da noite: Malu Mulher, Plantão de Polícia e Carga Pesada.

Em 1983 a TV Globo tentou reascender o horário das 22 horas com Eu Prometo, que culminou com a morte da autora, Janete Clair.
Em 1990, para conquistar audiência perdida, a Globo lançou Araponga, de Dias Gomes, em um horário alternativo: às 21:30.
A partir de 2011 (com o remake de O Astro), a Globo exibiu seu quarto horário de novelas, o das 23 horas.

Dias Gomes, o autor de Sinal de Alerta, ao atacar problemas urbanos como a poluição e a vida dura dos proletariados, ganhou a antipatia dos poderosos que se identificaram com o empresário Tião Borges (Paulo Gracindo), dono da fábrica poluidora.

Dias queria que as sufocantes cenas da vila enfumaçada fossem editadas em preto-e-branco.

Cenas como das passeatas dos operários da fábrica ficariam melhor numa Fertilit do ABC (parque industrial paulista) do que em praças cariocas.

Personalidades como o arquiteto Oscar Niemeyer e Ruth Christie, presidente da Campanha Popular em Defesa da Natureza, deram depoimentos durante a novela sobre a questão ecológica e a importância da preservação do ecossistema.

A temática poluição do meio-ambiente e ecologia já havia sido abordada pelo autor na novela O Espigão, em 1974.

O jornal Folha do Rio era produzido especialmente para a novela, assim como os telejornais que anunciavam os acontecimentos relativos à trama.
A produção dos telejornais dentro da novela era cuidadosa. Gravados no estúdio de jornalismo da TV Globo, eram editados, revertidos para videocassete e exibidos nos televisores de cena, durante as gravações dos capítulos. (*)

Foram realizadas gravações externas na região serrana do Rio, na cidade de Petrópolis, e nos bairros do Catumbi, Andaraí, Lagoa, Ipanema e Jardim Botânico.
Localizada em Petrópolis, a mansão de Tião Borges (Paulo Gracindo) representa o estilo colonial brasileiro. Com extensos gramados, a construção conta com três entradas independentes e 280 metros de jardim em sua frente. (*)

Os animais de estimação dos personagens determinavam a ordem de gravação de algumas cenas. Os cachorros de Talita (Yoná Magalhães) e Consuelo (Isabel Ribeiro) não podiam entrar no estúdio depois que os gatos de Coló (Carmem Silva) e Cotinha (Mara Rúbia) passavam por lá: com o cheiro dos felinos no estúdio, a equipe de produção não conseguia segurar os cães. (*)

Vera Fischer atuou grávida nessa novela, de sua filha Rafaela, com Perry Salles. Consequentemente, sua personagem, Sulamita, também engravidou.

A abertura não possuía uma música-tema, mas uma sonoplastia especial para ilustrá-la. A intenção era mostrar o caos urbano a que se propunha a trama.

Primeira novela dos atores Eduardo Conde e Angelina Muniz.

No mesmo dia em que foi exibido o último capítulo de Sinal de Alerta (26/01/1979, sexta-feira), chegava ao fim também a novela das oito da noite contemporânea, Dancin´ Days, de Gilberto Braga, um grande sucesso.

Sinal de Alerta foi eleita pela APCA (Associação Paulista de Críticos de Arte) a melhor novela de 1978. Eduardo Conde ganhou o prêmio de ator revelação (juntamente com Lauro Corona, pela novela Dancin´ Days).

No mesmo dia da estreia de Sinal de Alerta na Globo, a TV Tupi lançou uma nova novela: o remake de O Direito de Nascer, no horário das 19h30.

(*) Site Memória Globo.

Trilha Sonora Nacional
sinalt1
01. MEDO DE AMAR Nº 2 – Simone (tema de Rudi e Talita)
02. PANORAMA ECOLÓGICO – Erasmo Carlos
03. RITA BAIANA – Zezé Motta
04. ANOITECEU – Francis Hime
05. LERO LERO – Edu Lobo (tema de Chico)
06. SALVE O VERDE – Quarteto Em Cy
07. TIRO CRUZADO (CROSSFIRE) – Sérgio Mendes (tema dos embates entre Tião e os operários)
08. O SILÊNCIO É DE OURO – Sá & Guarabira (tema de Nilo)
09. DOS CRUZES – Ney Matogrosso (tema de Selma)
10. OS OUTROS QUE SE DANEM FOOTBALL CLUB – Nelson Gonçalves (tema de Tião)
11. NÓS OS GRANDES ARTISTAS – Marília Medaglia
12. CAIS – Nana Caymmi

Trilha Sonora Internacional
sinalt2
01. A DISTANT TIME – Freya Crane (tema de Sulamita)
02. BOOGIE OOGIE OOGIE – Black Symphony
03. LOVE ME AGAIN – Rita Coolidge
04. LOVE’S IN YOU, LOVE’S IN ME – Giorgio Moroder & Chris Bennett
05. LAY DOWN SALLY – Eric Clapton
06. TIMES ARE CHANGING – Daniel Gerard
07. TI SENTO – Nicola Di Bari
08. FOOL (IF YOU THINK IT’S OVER) – Chris Rea
09. STILL THE SAME – Bob Seger
10. SHADOW DANCING – Andy Gibb
11. GOODBYE GIRL – David Gates
12. MIDNIGHT SUN – Shaun Cassidy
13. THE LONELIEST MAN ON THE MOON – David Castle
14. LEI ERA – Willy Morales

Sonoplastia: Paulo Ribeiro e Adilson dos Santos
Pesquisa de Repertório: Arnaldo Schneider
Direção de Produção: Guto Graça Mello
Direção Musical: Otávio Augusto e Júlio Medaglia

Veja também

  • bemamado_nov_logo

O Bem Amado (a novela)

  • espigao_logo

O Espigão

  • saramandaia76_logo

Saramandaia (1976)

  • cargapesada79_logo

Carga Pesada (1979)