Sinopse

Dona Benta é uma velha senhora que vive no Sítio do Picapau Amarelo, afastada do barulho e da correria da cidade grande. A cozinheira Tia Nastácia compartilha dessa vida calma fazendo quitutes para a sinhá e sua neta, Lúcia, mais conhecida como Narizinho. Vivendo sozinha e tendo apenas as duas mulheres idosas como companhia, a menina cria um mundo de fantasias do qual a personagem principal é a sua boneca Emília, feita por Tia Nastácia com restos de pano. Também vivem no sítio o velho Tio Barnabé e seus ajudantes Zé Carneiro, Garnizé e João Perfeito, responsáveis pela manutenção do sítio.

Um dia, Narizinho conhece o Príncipe Escamado, soberano do Reino das Águas Claras, que por coincidência, fica localizado no ribeirão do sítio. O príncipe fica encantado com a menina e a convida a conhecer seu reino. Lá ela é apresentada aos mais proeminentes súditos de sua majestade, como a azeda Dona Carochinha, responsável por administrar os contos de fadas, e determinada a manter o Pequeno Polegar preso em seus livros. Também o Doutor Caramujo, um renomado cientista que dá à boneca Emilia a pílula falante. Depois que ingere o remédio, Emília começa a falar e não pára mais.

Durante o período de férias escolares, Narizinho tem como companhia o seu primo Pedrinho, que estuda na cidade grande onde vive com sua mãe. O menino também tem um amigo montado por Tia Nastácia, o Visconde de Sabugosa, feito de uma espiga de milho velha, que também ganha vida. Por ter sido esquecido por um bom tempo nos meios dos livros, o Visconde adquiriu uma admirável sabedoria, tornando-se um intelectual e cientista.

No Sítio do Picapau Amarelo tudo é possível. A fantasia se mistura com a realidade fazendo parte do cotidiano da menina Narizinho e de seu primo Pedrinho. E são com personagens adultos que as crianças compartilham suas aventuras num mundo fantástico, onde transitam a boneca Emília, o Visconde de Sabugosa, o Saci Pererê, a Cuca, e outros personagens fantasiosos.

Bandeirantes – 17h
de 12 de dezembro de 1967 a 1969

roteiros, produção e direção de Júlio Gouveia e Tatiana Belinky
baseada na obra de Monteiro Lobato

ZODJA PEREIRA – Emília
Pedrinho
SILVINHA LANES – Narizinho
EWERTON DE CASTRO – Visconde de Sabugosa
Dona Benta
ISAURA BRUNO – Tia Nastácia

O Sítio do Picapau Amarelo, a obra imortal de Monteiro Lobato, foi criado em 1921, e seu sucesso não restringiu-se apenas às publicações reeditadas de tempos em tempos, pois já teve, pelo menos, 2 versões para o cinema e 5 séries de televisão.

Depois de onze anos de sucesso na Tupi e uma produção da TV Cultura, o Sítio voltava ao ar, desta vez, pela TV Bandeirantes, sob o patrocínio do Bolo Pullman. Sua estreia ocorreu no dia 12/12/1967, às 17 horas, novamente sob o comando de Júlio Gouveia e Tatiana Belinky e os respectivos atores da Tupi.

Desta vez, o investimento também foi maior, o cenário era um sítio de verdade que contava com outros elaborados para cada viagem feita pela turma. E o tema de abertura foi, assim como na Tupi, de Salathiel Coelho, Polca da Primavera.

Mas dizem que Júlio Gouveia estava insatisfeito com o programa, ele não gostava do videoteipe que eliminava a sensação de se atuar em um teatro com uma plateia. As paradas para cortes, ajustes de cenas, cenário ou atores, além da necessidade de filmar vários takes de cada cena, faziam com que cada episódio de 30 minutos levasse cerca de 7 a 8 horas para ser filmado, desgastando atores e equipe técnica. Seu desgosto estendia-se também a problemas administrativos. Na Tupi, Gouveia tinha toda liberdade de criação para seus programas – na Bandeirantes ele precisava se adaptar ao estilo da casa.

Para completar, Júlio Gouveia não gostava de ver os episódios interrompidos para intervalos comerciais, algo que não ocorria na Tupi, quando o programa era ao vivo. Seu descontentamento chegou a atingir o elenco e, após três meses, todos os atores foram trocados.

Dona Benta e Pedrinho foram interpretados por quatro atores cada (não identificados).

Esta série ficou no ar por três anos sendo cancelada por baixa audiência.

Entre 1977 e 1986, a Globo, em coprodução com a TV Educativa, levou ao ar a versão de maior sucesso do Sítio, com Zilka Salaberry (Dona Benta), André Valli (Visconde), Jacyra Sampaio (Tia Nastácia) e outros.
Finalmente, entre 2001 e 2007, foi ao ar a última adaptação, também pela Globo, com texto incial de Walcyr Carrasco

Veja também