Sinopse

Os gêmeos Christofer e Christian foram separados ainda bebês. Christofer foi adotado por um casal do Rio de Janeiro e rebatizado de Renato pelos pais adotivos. Christian foi encaminhado pelo pai viúvo, sem recursos, a um abrigo em Goiânia. Assim, Christofer e Christian (Cauã Reymond) crescem em realidades opostas, sem saber da existência um do outro. Seus caminhos convergem quando completam dezoito anos. Ao se despedir no leito de morte do homem que acreditava ser seu pai, Renato descobre sua verdadeira origem, assim como a existência do irmão gêmeo. Revoltado, confronta a mãe adotiva, que mente dizendo que seu irmão e pai biológico estão mortos.

Ao mesmo tempo, Christian, obrigado a deixar o abrigo onde cresceu, em Goiânia, também descobre ter sido separado do irmão. Inteligente e dedicado aos estudos, sozinho no mundo e sem perspectivas, Christian vê-se obrigado a arquivar seus sonhos. Apenas a existência do irmão afortunado parece guiar seu pensamento. Na esperança de encontrar Christofer, Christian decide partir para o Rio de Janeiro. Antes, despede-se de Ravi (Lauan do Amaral), seu irmão de coração, dez anos mais novo, criado no abrigo com ele. Enquanto Christian desembarca no Rio, Christofer/Renato segue para a Europa disposto a ficar longe da vida que descobriu ser uma farsa.

Dez anos depois, Christian peregrina como ambulante, na porta do estádio em jogos do Botafogo, na esperança de encontrar o irmão. Sua única pista: um recorte de revista em que um jovem idêntico a ele assiste a uma partida na tribuna no estádio. Ravi (Juan Paiva), ao completar a maioridade, vai morar com Christian no Rio. Os dois amigos-irmãos conhecem Lara (Andréia Horta), moça que veio de Minas para o Rio de Janeiro para cursar Gastronomia. A conexão entre Lara e Christian é imediata, fazendo-o desistir da busca inglória pelo irmão perdido. Sonhando com um futuro melhor e possível, Christian planeja casar-se com Lara para, juntos, abrirem um pequeno negócio.

Porém, um incidente muda os planos do casal. Ravi é preso injustamente, acusado por um roubo que não cometeu, e Christian precisa levantar o dinheiro da fiança. Sem alternativa, acaba aceitando fazer um carreto para o tráfico e, inadvertidamente, contraindo uma dívida ainda maior. Ameaçado de morte e sem saída, aceita a proposta de Lara: venderem o que têm para livrar Ravi, fugindo em seguida para a casa da avó dela, Noca (Marieta Severo), em Minas Gerais. Na noite marcada para a fuga, Christian encontra, ao acaso, Renato, que acabara de voltar ao Brasil. Após uma madrugada juntos, os irmãos são novamente separados, mas, desta vez, em caráter definitivo.

Impulsivo, ao saber da dívida do irmão, Renato sobe o morro em seu lugar. Tomado por Christian, é morto pelos traficantes. Idêntico ao irmão recém falecido, e, em um primeiro momento, confundido com ele pela namorada Bárbara (Alinne Moraes) e pela mãe adotiva Elenice (Ana Beatriz Nogueira), Christian passa a emular a personalidade e comportamento do irmão gêmeo. Decidido a deixar o passado para trás, assume a identidade de Renato, tendo Ravi como cúmplice. Incógnito, Christian – agora Renato – assiste a Lara enterrar o suposto corpo do namorado e segue rumo a uma nova vida, onde terá de lidar com as consequências de sua escolha.

Globo / 21h
de 8 de novembro de 2021
a 26 de março de 2022
119 capítulos

novela de Lícia Manzo
escrita com Leonardo Moreira e Rodrigo Castilho
colaboração de Carla Madeira, Cecília Giannetti, Dora Castellar e Marta Goés
direção de Vicente Barcellos, Clara Kutner, João Gomez, Pedro Freire e Maria Clara Abreu
direção geral de André Câmara e Maurício Farias
direção artística de Maurício Farias

novela anterior no horário
reprise de Império

novela inédita anterior
Amor de Mãe

Novela posterior
Pantanal

CAUÃ REYMOND – Christian Alves dos Santos / Renato Muniz Meireles (Christofer Alves dos Santos)
ANDREIA HORTA – Lara Moreira Trindade
ALINNE MORAES – Bárbara Assunção
JUAN PAIVA – Ravi Pereira da Silva
MARIETA SEVERO – Noca (Ana Maria Trindade)
ANDREA BELTRÃO – Rebeca Assunção
DANIEL DANTAS – Túlio Mourão
ANA BEATRIZ NOGUEIRA – Elenice Muniz Meireles
JOSÉ DE ABREU – Santiago Assunção
ANA BAIRD – Nicole Assunção
LARA TREMOUROUX – Joy (Joyce Pimenta)
MARIANA LIMA – Ilana Müller
MARCO RICCA – Breno Müller
GABRIEL LEONE – Felipe Soares
DENISE FRAGA – Júlia Soares
REGINA BRAGA – Ana Virgínia Soares
FERNANDA MARQUES – Cecília Assunção
FERNANDA DE FREITAS – Érica Ribeiro
FERNANDO EIRAS – Teodoro Muniz
DANTON MELLO – Mateus Nogueira Sales
GEORGINA CASTRO – Thaiane
PATHY DEJESUS – Maria Ruth Valente
RENATA GASPAR – Stephany Ribeiro
DANILO GRANGHEIA – Roney
OTÁVIO MÜLLER – Paco
SAMANTA QUADRADO – Mel
CLÁUDIA MAURO – Helena
YARA DE NOVAES – Inácia
NATÁLIA LAGE – Gabriela
ÍSIO GHELMAN – Alípio (Anselmo de Almeida Tavares)
INDIRA NASCIMENTO – Janine Jardim
BETTY GOFMAN – Maria Antônia Andrade
CLÁUDIA MISSURA – Lucília Müller
LUIZ SERRA – Domício Müller
BRUNA MARTINS – Bela
STELLA FREITAS – Geize
JU COLOMBO – Dalva
ÂNGELA FIGUEIREDO – Mercedes
SAMANTHA JONES – Adel

as crianças
MAJU LIMA – Marri (Maria Rita, filha de Mateus)
MAITHÊ RODRIGUES – Mimi (Yasmin, irmã de Joy e Anderson, filha de Inácia)
MIGUEL SCHMID – Luan (filho de Érica)

e
ADRIANA BELLONGA – Edite (assistente social que acompanha o processo de adoção com Bárbara e Renato)
ADRIANO MARTINS – executivo da Redentor
ADRIANO SABOYA – Edilson (funcionário do supermercado Redentor onde Bárbara e Renato fazem compras)
ADRI LIMA – cliente no restaurante de Noca
ALAN NUNES – gerente do banco onde Noca e Lara abrem uma conta
ALBERTO CHAMMUS – mestre de cerimônia da premiação literária vencida por Bárbara
ALDEBARAN OLIVEIRA – comprador da casa de Noca
ALDO PERROTA – Carlos (1, executivo da Redentor)
ALESSANDRO ANES – pastor que conversa com Mateus no cemitério
ALEXANDRA PUBLINS – vizinha de Napoleão que conversa com Noca
ALEXANDRE DAVID – funcionário do mausoléu onde Rebeca pega as cinzas de Eva
ALEXANDRE LINO – Anchieta (ex-patrão de Christian)
ALEXANDRE MOFFATTI – médico que quase faz o parto de Ilana, mas ela pede para chamar Gabriela
ALEXANDRE VARELA – médico que recomenda a Ilana o parto prematuro para salvar a gêmea saudável
ALEX NANIN – motorista da kombi que leva Ravi e Thaiane com o gás
ALICE MORENA – auxiliar no estúdio fotográfico onde Breno trabalha
ALINE CARROCINO – enfermeira no hospital onde Noca conhece Napoleão
ÁLVARO BRANDÃO – Anderson (irmão de Joy e Mimi, filho de Inácia)
ANA CHAGAS – mulher do caseiro que faz chantagem com Renato
ANA IZABEL MARTINS – enfermeira que cuida de Renato, quando ele é esfaqueado
ANA KUTNER – Drª Bia (médica que diagnostica Elenice com Mal de Alzheimer)
ANALU PRESTES – Eli (prima de Noca, de Confins do Alto)
ANNA GABRIELA MARQUES – Nicole (adolescente)
ANA PATROCÍNIO como ela mesma, desfilando com Rebeca e Ilana
ANA PAULA BOTELHO – médica que atende Ravi após acidente com Cristian, no último capítulo
ANA PAULA NOVELLINO – diretora da escola que pede para Noca e Dalva não assistirem às aulas com as crianças
ANDERSON OLIVEIRA – porteiro do prédio de Renato
ANDRÉA MATTAR – enfermeira da clínica onde Elenice é internada
ANDRÉ DALE – filho de seu Manoel que trabalha com o pai no mercadinho em Brás de Pina
ANDRÉ JUNQUEIRA – médico que atende Cecília após ela cair sobre uma mesa de vidro na boate
ANDRÉ MURTA – primeiro pai adotivo de Christian e Ravi, que foram devolvidos ao orfanato, em flashback
ÂNGELA RABELO – Aurora (tia rica moribunda de Elenice e Teodoro)
ANTÔNIO FRAGOSO – Giácomo (diretor de dublagem no estúdio onde Paco e Nicole trabalham)
ANTÔNIO GONZALEZ – advogado que Renato contrata para representá-lo na separação de Bárbara
ANTÔNIO PITANGA – Gesiel (freguês do restaurante de Noca que ela ajuda a ir embora do Rio)
ARAMIS TRINDADE – funcionário da Redentor que vai entregar os legumes no restaurante de Noca
BABU CARREIRA – na escola em Pouso Feliz a quem Ravi pede informação sobre Noca e Lara
BÁRBARA JORDÃO – moça da produção do comercial que oferece um biquíni a Rebeca e ela nega
BÁRBARA MAZZOLLA – colega de trabalho de Janine no café
BÁRBARA VENTO – colega de trabalho Ravi na lanchonete
BELLA RODRIGUES – atendente da livraria onde Bárbara compra todos os exemplares do livro de Janine
BRUCE GOMLEVSKY – Ricardo (filho de Aníbal)
BRUNO IBANEZ – Armando (barman do bar onde Júlia toca)
BRUNO MELLO – médico que informa à família Assunção o estado de saúde de Santiago
BRUNO PADILHA – Leandro (produtor musical que engana Júlia)
BRUNO QUIXOTE – amigo de Felipe
CAIO PASSOS – dono do carro que Christian bate na festa onde trabalha como manobrista
CAMILA LUCCIOLA – Denise (noiva de Mateus, no final)
CARINE KLIMECK – apresentadora de programa de TV que fala da morte do traficante que mandou matar Renato
CAROLINA TAULOIS – representante da Stone que vai ao restaurante de Noca e fala com Lara
CECÍLIA HOELTZ – diretora da escola de Luan
CHICO MELLO – xerife da cela onde Christian cumpre pena após ser condenado, no final
CILENE GUEDES – funcionária do asilo onde vive Eva
CLARA CHAVEAUX – Branca (gerente do restaurante onde Noca vai trabalhar como cozinheira)
CLÁUDIA PROVEDEL – Taís (enfermeira-babá do bebê de Ilana)
CLÁUDIO CINTI – delegado quando Bárbara é presa
CLÁUDIO DIAS – dono do bar que cobra de Júlia o aluguel do espaço
CLÁUDIO GALVAN – delegado que recebe a fiança para Renato sair da cadeia
CLÁUDIO GARCIA – médico que informa o estado de Renato a Elenice e Bárbara, quando ele é esfaqueado
CLÁUDIO MENDES – repórter para quem Rebeca dá uma entrevista que viraliza na web, no final
CLÁUDIO TIZO – frentista que fala a Ravi sobre um atropelamento próximo ao Engenhão
CLEITON MORAES – fotógrafo que faz os retratos de Santiago com Érica e Luan
CRISTIANO SAUMA – fornecedor de drogas para Renato
CRISTINA FLORES – Carol (colega de quarto de Júlia na reabilitação)
DANIEL ARCHANGELO – médico que atende Cecília quando ela descobre uma gravidez tubária
DANIEL DIAS DA SILVA – médico que atende Túlio quando ele enfarta
DANIEL KALLON – rapaz que acompanha Ruth no restaurante quando ela vai atrás de Túlio e Rebeca
DANIEL RATTO – Fábio (interno na reabilitação no mesmo grupo de Júlia)
DANILO MARTINS – colega de Bárbara e Janine no curso de escrita criativa
DÉBORA DUARTE – Eva (mãe de Rebeca)
DENNIS PINHEIRO – manobrista que troca o carro de Bárbara
DHONATA AUGUSTO – amigo de Joy
DIOGO MONTEIRO – Rodrigo (namorado de Hannah, amigos de Bárbara e Renato que moram na Europa)
DIOGO TARRÉ – rapaz na boate que estupra Cecilia bêbada
DJA MARTHINS – mulher que reconhece e acusa Noca no enterro de Isaura, a mãe dela, em Confins do Alto
DOUGLAS CANTUDO – rapaz no Engenhão que Lara confunde com Christian
DOUGLAS RODRIGUES – vende um carro velho para Túlio, quando Ravi o abandona na estrada
DUDU BERTHOLINI como ele mesmo, estilista do desfile que Rebeca e Ilana participam
EBER INÁCIO – Queiroz (amigo de Alípio que lhe empresta um apartamento)
EDUARDO MOSCOVIS – Edgar (ex-marido de Rebeca, pai de Cecília)
ELIZA PRAGANA – funcionária do IML quando Lara vai reconhecer o corpo de Christian
ÉRIKA RIBA – médica que atende Bárbara após um sangramento na gravidez
EVANDRO MIÚDO – delegado com Ravi depois de ele agredir seu patrão na lanchonete
FÁBIO NASCIMENTO – juiz de paz que realiza o casamento de Noca e Napoleão
FABRÍCIO VICTORINO – funcionário da Redentor com quem Renato assina compras
FELIPE GOUVEIA – segurança no estacionamento da Redentor que tenta expulsar Lara
FELIPE ROCHA – Jonas (com quem Rebeca sai depois de conhecer no aplicativo de relacionamentos)
FERNANDA COELHO – corretora que mostra um apartamento a Cecília
FERNANDA NOBRE – Maria Fernanda Lacombe (caso de Renato, do passado, informa que ele é pai de seu filho)
FERNANDO LEÃO – gordo no show de stand up de Nicole que ela provoca
FLÁVIA RINALDI – professora do curso de comida integral que Lara participa
FLÁVIO PARDAL – Naldo (caso de Nicole, envergonha-se de apresentá-la aos amigos por ela ser gorda)
FRANCISCO SALGADO – padrinho de Júlia no AA
FRANCISCO TORRES – Manoel Ribeiro (dono do mercadinho em Brás de Pina que o grupo Redentor quer comprar)
FREDERICO REUTER – Fred (diretor de um comercial estrelado por Cecília)
GABRIEL REIF – Paulinho (técnico no estúdio de dublagem onde Paco e Nicole trabalham)
GENÉZIO DE BARROS – José Renato Muniz Meireles (pai de criação de Renato, marido de Elenice, morre no início)
GENILDA MARIA – funcionária da escola que avisa Noca e Dalva que a diretora quer falar com elas
GERY – Ernani Alves dos Santos (jovem, pai biológico dos gêmeos Christian e Christofer)
GILBERTO GAWRONSKI – Dr. Castilho (médico de Santiago)
GILBERT MAGALHÃES – funcionário do aeroporto, vê Renato com Bárbara e o confunde com Christian
GILLRAY COUTINHO – Eusébio (contador da Redentor que é demitido por causa de um golpe de Túlio e Renato)
GILSON GOMES – Seu Antônio (homem do bar que atende Renato em Pouso Feliz)
GLAUCO ORLANDINI – recepcionista da Redentor
GUSTAVO DAMASCENO – delegado que interroga Júlia após o atropelamento de Bárbara
HAMILTON DIAS – um dos amigos de Naldo em seu apartamento
HILTON CASTRO – Samuel (patrão de Ravi na lanchonete)
INEZ VIANNA – Avani (diretora do abrigo em Goiânia onde Christian e Ravi cresceram)
ISAAC BERNAT – Giovani (alfaiate que faz um terno para Renato)
ISABEL GUÉRON – terapeuta da clínica de reabilitação em que Júlia é internada
ISAQUE LIMA – mestre de obras que constata a fraude na construção
IURI KRUSCHEWSKY – um dos amigos de Naldo em seu apartamento
JACK BERRAQUERO – ladrão que assalta o restaurante quando Lara e Renato estão saindo
JAIME LEIBOVITCH – juiz no julgamento de Christian, no final
JEAN AMORIM – enfermeiro na clínica onde Elenice é internada
JEFFERSON ALMEIDA – homem que empresta o celular a Bárbara após ela ser assaltada no Méier
JEREMIAS FLORES – dono do bar onde Ravi deixa um currículo
JOÃO CUNHA – garçom que atende Rebeca e Ilana no restaurante
JOJÔ RODRIGUES – cigana que lê a mão de Lara
JORGE FLORÊNCIO – Pedro (namorado de Thaiane, no final)
JOSÉ MAURO BRANT – médico que atende Noca no hospital onde ela conhece Napoleão
JOSUÉ GALINARI – agente penitenciário quando Cristian é preso, no final
JP RUFINO – Luan (crescido, no último capítulo)
JÚLIA BERNAT – Noca (jovem)
JULIANA SCHALCH – Hannah (namorada de Rodrigo, amigos de Bárbara e Renato que moram na Europa)
JÚLIO BRAGA – médico que atende Noca quando ela passa mal durante uma discussão com Lara
KELLY MORALES – Taís (amiga de Lara e Noca)
LARISSA LANDIM – secretária no consultório de Gabriela
LARISSA VEREZA – Soraia (a mulher do casal com quem Túlio pretende fazer swing com Rebeca)
LAUAN DO AMARAL MAGALHÃES – Ravi (criança)
LEANDRO FERRAZ – garçom que atende Elenice e ela não consegue pagar a conta por causa de sua doença
LEDA RIBAS – Dona Arlete (vizinha de Mateus, bate em sua porta para oferecer bolo)
LEONARDO SIMÕES – maître enganado por Elenice, que não tem dinheiro para pagar a conta do restaurante
LEO XAVIER – segurança do Engenhão que recomenda a Lara fazer sua busca no Clube Botafogo
LETÍCIA MILENA – uma das mulheres que Júlia ouve falando mal dela no banheiro após seu show
LIAN TAI – Joana Lins (escritora que convida Bárbara para um bate-papo sobre literatura com o público)
LILIANE ROVARIS – professora de Camila que pede que ela leia sua redação para todos
LORENA COMPARATO – Elenice Muniz Meireles (jovem)
LUCAS GOUVÊA – Ângelo (o marido do casal com quem Túlio pretende fazer swing com Rebeca)
LUIZ CARLOS GOMES – dono do bar onde Nicole faz show de stand up, a demite
LUIZ FELIPE BIANCHINI – diretor do comercial com Vitória Strada
LUIZ LOBO – Erick (agente que convida Rebeca para ser coach de modelos jovens)
LU VIEIRA – enfermeira do médico com Ilana
MAGA CAVALCANTE – Salete (colega de trabalho Ravi na lanchonete)
MAGNO CAMPANELLA – Nelson (colega de trabalho de Christian no aeroporto)
MARCELO ASSUMPÇÃO – delegado quando Ravi é preso
MARCELO MELLO – professor de Renato no MBA
MARCELO ROCHA PEREIRA – Léo (personal trainer de Nicole, por quem ela se interessa)
MÁRCIO MACHADO – cirurgião plástico com quem Rebeca faz uma consulta
MÁRCIO VITO – Ernani Alves dos Santos (pai biológico dos gêmeos Christian e Christofer)
MARCO GUIAN – rapaz do depósito onde Ravi e Thaiane compram gás
MARCO MARCONDES – Durval (mestre de obras em uma construção da Redentor)
MARCUS HOLLANDA – Odair (porteiro do prédio onde mora Ruth)
MARIA GAL – Eugênia (organizadora da festa onde Christian vai trabalhar como manobrista)
MARIAH DA PENHA – passageira do ônibus que conversa com Noca sobre o falecimento de Isaura, sua mãe
MARIANA CYSNE – Betsy (vendedora da joalheria com quem Renato compra duas joias)
MARIANA LEME – Tereza Ribeiro Soares (editora que oferece um contrato a Bárbara)
MÁRIO HERMETO – Henrique (advogado da família Assunção)
MATHEUS BAPTISTA – segurança do shopping center que auxilia Paco quando Mel desaparece
MATHEUS COLMATTI – Léo (namorado de Mel)
MAUREEN MIRANDA – Ivete (vizinha de Lucília que contrata Breno para fotografar sua família)
MAURICIO OSBORNE – cameraman do repórter que entrevista Rebeca, no final
MAYARA THERESA – Leila (secretária da diretoria do Grupo Redentor)
NAURA SCHNEIDER – diretora da escola de Luan, com quem Érica conversa sobre bullying
NICOLAS PAIXÃO – garoto que vende bala no trânsito e se aproxima do carro de Renato
NICO SALIM – funcionário do laboratório onde Elenice manda fazer o DNA do filho de Maria Fernanda
PABLO CORTEZ – encanador que Elenice chama para fazer um estrago no apartamento
PABLO SOBRAL – ambulante vendendo no trânsito enquanto Renato aguarda os carros andarem
PATRÍCIA SELONK – Gorete (empregada na casa de Bárbara)
PAULO GUIDELLY – colega de trabalho de Christian na festa em que ele é manobrista
PÁVEL REYMOND – Josias (colega de trabalho de Christian no aeroporto) / dublê de Cauã Reymond
PEDRO LIMA – Marcos Bretas (fotógrafo que Breno pede para substituí-lo na campanha com Cecília)
RAFAELA AMADO – terapeuta que Bárbara consulta após perder seu bebê
RAFAEL PRIMOT – José Renato Muniz Meireles (jovem, pai de criação de Renato, marido de Elenice)
RAFA VACHAUD – Régis (paparazzo que clica Rebeca com Felipe na praia)
RAÍSSA CARVALHO – moça do casal da série “Castelos de Areia”, dublada por Paco e Nicole
RAMON GONÇALVES – segurança no estacionamento da Redentor que tenta expulsar Mimi e Francisco
RAQUEL FABRI – enfermeira na clínica onde Elenice é internada
RAQUEL IANTAS – Suzana (amiga de Rebeca quando ela está no clube com Felipe)
RAQUEL ROCHA – Jerusa (vizinha de Ernani, apresenta a ele Elenice e José Renato)
RAUL FRANCO – Josivaldo (porteiro do prédio onde Alípio mora em um apartamento emprestado)
REGINALDO FARIA – Aníbal (aposentado que se envolve com Noca)
REJANE FARIAS – Neusa (mãe de Thaiane, empregada na casa de Jerônimo, em Confins do Alto)
RICARDO GONÇALVES – médico que atende Francisco quando ele tem intoxicação alimentar
ROBERTA BRISSON – uma das mulheres que Júlia ouve falando mal dela no banheiro após seu show
ROBERTO ALENCAR – Valdir (marido de Inácia, padrasto de Joy, Yasmin e Anderson)
RODRIGO GEMINO – PM Torres (prende Bárbara por ela deixar Ludmila sozinha no carro, no estacionamento)
RODRIGO ZINGANO – taxista que leva Bárbara ao Méier
ROGÉRIO FREITAS – gerente da conta de Renato no banco
ROJANE FRADIQUE como ela mesma, desfilando com Rebeca e Ilana
RÔMULO SIMÕES – meirinho na audiência da adoção de Ludmila por Renato e Bárbara
RÔMULO WEBER – Gilmar (jardineiro na casa de Santiago com quem Stephany sai)
RONALDO GONTIJO – advogado que Bárbara leva à delegacia para soltar Renato
ROSANA PRAZERES – cliente de Lara que compra seu fogão portátil
RUAN AGUIAR – Damón (pichador com quem Joy tem um caso)
RUY REZENDE – Napoleão (moribundo com quem Noca se casa e fica com seu dinheiro)
SAMIR MURAD – juiz da audiência sobre a adoção de Ludmila por Renato e Bárbara
SAMUEL TOLEDO – Jamaica (traficante que cobra a dívida de Christian)
SÁVIO MOLL – Carlos (2, executivo da Redentor)
SÉRGIO MONTE – delegado de Confins do Alto que atende Lara e Ravi à procura de Thaiane
SIDCLEY BATISTA – policial com Ravi na delegacia depois de ele agredir seu patrão na lanchonete
SILVIO MATTOS – Hélio (senhor com quem Dalva sai depois de conhecer no aplicativo de relacionamentos)
SIRLÉIA ALEIXO – auxiliar de Avani no abrigo em que Christian e Ravi cresceram, em Goiânia
SOFIA TEIXEIRA – Rosário Alves dos Santos (mãe biológica dos gêmeos Christian e Christofer, morre no parto)
STELA CELANO – Roberta Nascimento (auditora na Redentor mancomunada com Túlio)
SYLAN ABRAHÃO – segurança do hospital onde Stephany é internada após ser agredida por Roney
TATIANA TIBÚRCIO – Ester (filha de Gesiel, briga com Noca)
THELMO FERNANDES – Jerônimo (filho de Noca, que ela foi obrigada a abandonar quando ele era bebê)
THERLA DUARTE – recepcionista no estúdio de dublagem onde Paco e Nicole trabalham
THIAGO ZANDONAI – motorista do ônibus no qual Joy entra em trabalho de parto
TIAGO HOMCI – Ventura (PM quando Júlia atropela Bárbara)
TONICO PEREIRA – Romero (ex-professor de Christian, o apoia a continuar os estudos)
UBIRACI MIRANDA – funcionário do RH da Redentor
VALNEY AGUIAR – Tutu (atendente no bar onde Ravi e Christian se encontram)
VANESSA PASQUALE – Luna (amiga de Rebeca que ela reencontra)
VELUMA como ela mesma, desfilando com Rebeca e Ilana
VICTOR GRIMONI – funcionário do aeroporto que impede Renato de passar após ele discutir com Lara
VILMA MELO – delegada que atende Stephany quando ela, incentivada por Érica, denuncia Roney
VINÍCIUS OLIVO – rapaz do casal da série “Castelos de Areia”, dublada por Paco e Nicole
VINÍCIUS PATRÍCIO – repórter que entrevista Bárbara pelo prêmio literário
VITÓRIA STRADA como ela mesma, participa de um comercial de smartphone
VIVIANE VICTORETTE – primeira mãe adotiva de Christian e Ravi, que foram devolvidos ao orfanato, em flashback
WAGNER BRANDI – médico que atende Stephany após ela ser agredida por Roney no jantar da família Assunção
ZECA RICHA – segurança da Redentor quando encontram um bebê no banheiro
ZÉ GUILHERME GUIMARÃES – Nelson (encanador que Alípio chama para consertar o vazamento no apartamento)
ZÉ MÁRIO FARIAS – motorista do ônibus no qual Christian dorme e tem a mochila com a droga roubada
ZÉ WENDELL – porteiro do prédio onde Rebeca mora
ZILMA OLIVEIRA como ela mesma, desfilando com Rebeca e Ilana
Penha (empregada de Tia Aurora que processa Elenice por racismo)

– núcleo de CHRISTIAN (Cauã Reymond), separado do irmão gêmeo com um ano de idade, foi criado em um abrigo em Goiânia até completar 18 anos. Estudioso, sempre sonhou com uma vida melhor, mas sozinho e sem perspectivas, se viu obrigado a arquivar seus sonhos. Na esperança de reencontrar o irmão, parte para o Rio de Janeiro. Quando seus caminhos se cruzam e o gêmeo, hoje rico, acaba morrendo, decide assumir sua identidade e deixar o passado para trás. Porém terá de lidar com as consequências de sua escolha:
o amigo RAVI (Luan do Amaral / Juan Paiva), a quem considera um irmão. Cresceram juntos no abrigo, sempre se apoiando. Ao atingir a maturidade, vai encontrá-lo no Rio de Janeiro e se torna seu confidente, o único a saber que ele assumiu a vida do irmão. Honesto e ético, não concorda com a atitude de Christian e tenta fazê-lo cair em si
a diretora AVANI (Inez Vianna) do abrigo onde ele e Ravi cresceram, em Goiânia.

– núcleo de RENATO, nascido CHRISTOFER (Cauã Reymond),o irmão gêmeo de Christian. Foi adotado por uma família rica do Rio de Janeiro e cresceu mimado pela mãe. De personalidade irresponsável e inconsequente, fica revoltado quando descobre sua verdadeira origem e a existência de um irmão gêmeo. Quando conhece Christian, morre em seu lugar, o que faz com que o irmão assuma a sua identidade e a sua vida. O “novo Renato” surpreende a todos, agindo exatamente de forma oposta ao que era:
a mãe adotiva ELENICE (Lorena Comparato / Ana Beatriz Nogueira), dondoca que, no passado, separou os irmãos ao decidir adotar somente um. Fez de Renato sua razão de viver, mimando o rapaz em demasia – apesar de ele nunca ter se dado bem com ela. Fútil e interesseira, faz de tudo para manter seu padrão de vida após a morte do marido
o tio TEODORO (Fernando Eiras), irmão de Elenice e seu confidente. Ao mesmo tempo em que a protege, tenta frear suas atitudes controladoras e irresponsáveis.

– núcleo de LARA (Andréia Horta), jovem de origem humilde, determinada e doce. Formada em Gastronomia, tem uma relação de cumplicidade com a avó que a criou. Lara e Christian se apaixonam quando se conhecem. É enganada por ele quando Renato morre, o que fez com que Christian assumisse o seu lugar. Ou seja, Lara pensa que Christian está morto. Porém, tempos depois, ele se aproxima dela, como Renato, e os dois acabam se envolvendo:
a avó NOCA (Marieta Severo), mulher forte e com um passado de segredos. Positiva, solar e pragmática, não se deixa abater pelos obstáculos que a vida impõe. Tem adoração pela neta, a quem criou sozinha e para quem passou o gosto pela arte de cozinhar. Apesar de discordarem em alguns momentos, as duas se apoiam em todas as situações
o ex-namorado MATEUS (Danton Mello), que reencontra depois de muitos anos. Voltam a se envolver após a falsa morte de Christian e acabam se casando, mas a relação desanda quanto o suposto Renato entra em suas vidas
a enteada MARIE (Maju Lima), filha de Mateus. Adora Lara e Noca
o namorado de Noca, ANÍBAL (Reginaldo Faria), aposentado romântico, é músico
as amigas de Noca: GEIZE (Stella Freitas) e DALVA (Ju Colombo), vão trabalhar com ela no restaurante que abre com a neta em determinado momento
a neta de Noca, THAIANE (Georgina Castro), que ela desconhece, filha do filho que foi obrigada a abandonar no passado. Ao descobrir a história de sua família, vai atrás da avó no Rio sem revelar sua identidade, empregando-se no restaurante de Lara e da avó.

– núcleo de SANTIAGO ASSUNÇÃO (José de Abreu), milionário dono da rede de supermercados Redentor. Íntegro e batalhador, sabe que, no entanto, falhou como pai ao não se dedicar como devia às filhas. Está decidido a encontrar um sucessor entre os genros, incluindo Renato, que se casa com sua filha mais nova. Envolve-se com sua personal trainer, bem mais jovem, e enfrenta a rejeição da família:
as filhas: REBECA (Andréa Beltrão), ex-modelo de sucesso no passado, hoje sentindo-se oprimida pelo curto prazo de validade da carreira que abraçou. Possui há anos uma relação desgastada com o marido, mas, em meio a tantas perdas – carreira, prestígio e juventude -, resiste em colocar um fim no casamento. Envolve-se com um rapaz bem mais jovem,
NICOLE (Ana Baird), cresceu acostumada a suprir com comida o afeto que sempre lhe faltou. Acima do peso desde a infância, vive em uma eterna briga com a balança e com sua autoestima, mesmo fazendo piada da situação. Não tem uma carreira profissional, pulando de emprego em emprego. No início, é comediante de stand up, depois, demitida, vai trabalhar como dubladora,
e BÁRBARA (Alinne Moraes), instável emocionalmente, de histórico disfuncional e carente de autoestima. Namorada de Renato, acredita que pode mudar o namorado irresponsável. Realmente ele se modifica, mas não por causa dela. Renato, na verdade Christian, é agora “outra pessoa”, responsável e comprometido com o trabalho. Acabam se casando, mas a relação passa por várias crises, afinal ele não a ama
o genro TÚLIO (Daniel Dantas), segundo marido de Rebeca. Mau-caráter, faz de tudo para tirar vantagem nos negócios da Redentor, ambicionando ser o sucessor de Santiago. Desvia dinheiro do grupo com a ajuda de sua amante. A ascensão de Renato na empresa faz com que ele se torne uma pedra em seu sapato e seu principal rival, até descobrir o seu segredo e chantageá-lo
o ex-genro EDGAR (Eduardo Moscovis), primeiro marido de Rebeca, sumido há anos sem dar notícias por causa do vício em álcool. No final da trama, em franco processo de recuperação, se aproxima de Rebeca
a neta CECÍLIA (Fernanda Marques), filha de Rebeca e Edgar, cresceu longe do pai e fica feliz quando ele a procura. Tem uma relação conflituosa com a mãe, de quem sente ciúmes, inveja e uma certa aversão. Vive reprovando o comportamento de Rebeca, principalmente quando descobre o namorado jovem dela. Resiste em seguir a carreira da mãe, mas acaba sucumbindo
a melhor amiga de Cecília, BELA (Brunna Martins)
a amante de Túlio, RUTH (Pathy DeJesus), sua colaboradora na empresa e cúmplice nos desvios de dinheiro
a governanta MERCEDES (Ângela Figueiredo)
a governanta de Bárbara, GORETE (Patrícia Selonk)
a secretária na empresa LEILA (Mayara Theresa).

– núcleo de ILANA (Mariana Lima), ex-modelo hoje dona de uma produtora, é prima e melhor amiga de Rebeca. Workaholic, congelou os óvulos para engravidar em um momento mais tranquilo de sua vida, que nunca parece chegar. Com o casamento em crise e cobrada pelo marido, decide se tornar mãe aos 45 anos:
o marido BRENO (Marco Ricca), fotógrafo, leva uma vida acomodada trabalhando na produtora da esposa, que é também sua chefe. Não se sente feliz nem na profissão e nem no casamento e acha que só um filho pode realizá-lo, o que vai contra os anseios da mulher. É alvo do amor platônico de Cecília
o sogro DOMÍCIO (Luiz Serra), senhor doente precisando de cuidados constantes
a cunhada LUCÍLIA (Cláudia Missura), mulher amarga, solteirona que dedicou sua vida a cuidar do pai doente
a obstetra GABRIELA (Natália Lage), sua amiga de adolescência, que reencontra quando engravida. Com o distanciamento de Breno, Ilana acaba se envolvendo com ela, ainda que, inicialmente, lute contra seus sentimentos.

– núcleo de FELIPE (Gabriel Leone), jovem formado em Psicologia, mas apaixonado por música. No início, namora Bela. Conhece Rebeca, mãe da melhor amiga de sua namorada, e acaba se envolvendo com ela. A diferença de idade vira motivo para alguns conflitos entre o casal:
a mãe JÚLIA (Denise Fraga), cantora fracassada e alcóolatra em recuperação. Por sua condição, não criou o filho, deixando a missão para sua mãe, com quem não se dá bem. Mulher frágil e sonhadora, acredita que ainda pode obter sucesso como cantora, mas sempre fracassa, o que a leva de volta ao vício. Felipe sempre tenta ampará-la. Envolve-se com Breno quando ele separa-se de Ilana
a avó ANA VIRGÍNIA (Regina Braga), tenta proteger o neto, a quem criou, das atitudes inconsequentes da filha, a quem vive censurando. Psicanalista, trata a família Assunção, a princípio Rebeca, sem desconfiar que ela e seu neto estão envolvidos emocionalmente.

– núcleo de JOY (Lara Tremouroux), jovem pichadora, irresponsável e inconsequente, que se envolve com Ravi e acaba engravidando dele. Vê no rapaz a oportunidade de ter uma vida melhor, mas também vive o conflito de querer de volta a liberdade que perdeu com a maternidade e o casamento:
o filho FRANCISCO
a mãe INÁCIA (Yara de Novaes), mulher sofrida e interesseira, criou os filhos sozinha
o padrasto VALDIR (Roberto Alencar), homem violento
os irmãos MIMI (Maithê Rodrigues) e ANDERSON (Álvaro Brandão)
a amiga ADEL (Samantha Jones), também pichadora.

– núcleo de ÉRICA (Fernanda de Freitas), mãe solo, ganha a vida como personal trainer. Professora de Santiago, os dois acabam apaixonados e se casam, enfrentando a oposição da família dele:
o filho LUAN (Miguel Schmid), garoto esperto, ás do xadrez, acaba desenvolvendo uma grande amizade com Santiago
a irmã STEPHANY (Renata Gaspar), manicure que enfrenta um relacionamento abusivo com o marido
o cunhado RONEY (Danilo Grangheia), homem agressivo, ciumento e violento. Exerce grande influência sobre Stephany, que não consegue desvencilhar-se dele, para o desespero de Érica.

– núcleo de PACO (Otávio Müller), dublador bem-humorado e relaxado com o próprio peso. Envolve-se com Nicole, que, ao contrário dele, vive em guerra com a balança. O romance não vai longe, mais por causa da imaturidade dela:
a filha MEL (Samanta Quadrado), garota com síndrome de Down. Apoia o romance do pai com Nicole pois gosta muito dela
a ex-mulher HELENA (Cláudia Mauro), coach de emagrecimento, defende a tese de que ninguém é feliz sendo gordo. Resistente à autonomia da filha, o que provoca diversos conflitos com o ex-marido. Atende Nicole, mas corta a relação quando descobre o seu envolvimento com Paco.

– demais personagens:
ALÍPIO (Ísio Ghelman), golpista que envolve e engana Elenice
JANINE (Indira Nascimento), colega de Bárbara em um curso de escrita criativa. Jovem humilde, é enganada por Bárbara, que rouba a autoria de um de seus textos
ANTÔNIA (Betty Gofman), professora de Bárbara e Janine no curso de escrita criativa.

Estreia no horário das nove de Lícia Manzo, autora das novelas das seis A Vida da Gente (2011-2012) e Sete Vidas (2015).

Um Lugar ao Sol marcou o retorno das novelas completamente inéditas no horário das nove da Globo durante a a pandemia de Covid-19. Todos os seus capítulos foram escritos na pandemia e a novela estreou já totalmente gravada (sob rígidos protocolos de segurança), o que fez dela uma “novela fechada”. Não houve, desta forma, a possibilidade de fazer alterações no texto durante a sua exibição, de acordo com as exigências do público/audiência – o que caracteriza as “novelas abertas”.

Impactada com depoimentos de jovens que, ao completarem a maioridade tiveram de deixar o abrigo para menores onde foram criados, Lícia Manzo, ao assistir ao documentário Meus 18 anos, da GloboNews, começou a pensar a trama central de Um Lugar ao Sol.
“Ao perceber na maioria daqueles jovens a esperança preservada de estudar e ter um futuro, uma pergunta me veio de imediato: no Brasil de hoje, com apenas 14% dos adultos com curso superior, cerca de 13 milhões de desempregados, e um quarto da população vivendo em situação de pobreza – serão seus sonhos realizáveis?”, refletiu a autora.
Lícia imaginou um protagonista nessas condições, com um sentimento de que as oportunidades lhe tivessem sido usurpadas.
“A história era realista, me parecia boa, mas eu não tinha um elemento de folhetim. Ele quer outra vida, ele quer uma vida que foi vetada a ele. Como na história do duplo, que alguém está vivendo a sua vida em algum lugar em uma trama paralela que não é a sua. E se essa outra vida existisse em algum lugar e ele ficasse obcecado por isso?”
Assim nasceu a história dos gêmeos Christian e Christofer, separados na primeira infância. Enquanto Christian cresceu em um abrigo em Goiânia, Christofer foi adotado por uma família abastada do Rio de Janeiro, passando a se chamar Renato.
“Então a história é muito mais sobre alguém que fica obstinado pela vida que foi roubada dele. Você pode pensar ‘ah, o gêmeo foi separado’, mas pode pensar também que no Brasil oportunidades são roubadas, diariamente, da maior parte da população, e que é legítimo que eles olhem pro outro lado com muita cobiça”, afirmou a autora na coletiva de imprensa a novela.

As qualidades de Um Lugar ao Sol eram inegáveis, da direção ao elenco bem escalado. Principalmente o texto da autora, reconhecido como um dos melhores de nossa TV, com diálogos ricos que levavam à reflexão, tramas repletas de dilemas humanos, personagens de várias camadas e discussões de interesse da sociedade.
Apesar disso e de sempre ter figurado entre as atrações mais vistas na TV aberta, a obra amargou um título nada agradável: a pior audiência da história na faixa – média de 22 pontos no Ibope da Grande São Paulo, superando o recorde negativo de Babilônia (2015).

A autora subverteu muitas regras básicas do folhetim. A tradicional faixa das 9 da noite da Globo está sedimentada em alicerces que precisam ser respeitados. Lícia Manzo atropelou tantos princípios do folhetim que afugentou o telespectador. Abaixo, 7 fatores que ajudam a explicar a rejeição do público:

– Ressaca do período de pandemia: talvez Um Lugar ao Sol fosse a novela certa no momento errado. Sua trama densa, com personagens sofredores e convites à reflexão não correspondia à expectativa do público por escapismo. Muitos aderiram, mas a maioria ainda queria a fantasia exacerbada em vez da realidade pouco atraente em tempos difíceis.
Por mais que a história central partisse da manjada trama da troca de gêmeos, a autora logo diluiu o folhetim em discussões sobre injustiças sociais somadas a alcoolismo, depressão, violência doméstica, racismo, etarismo, homofobia, gordofobia, relacionamentos tóxicos, doenças etc. Talvez ainda não fosse o momento para tanto.

– Muito se comentou sobre a negligência da Globo na divulgação de sua novela. A emissora sempre tratou-a como um tapa-buraco para o “grande lançamento” de 2022, o remake de Pantanal. Tanto que, mesmo antes da estreia de Um Lugar ao Sol, Pantanal já recebia os holofotes em grande estilo, muito mais que a novela de Lícia Manzo.
Contudo, novela é hábito. Se fosse para o público se afeiçoar a Um Lugar ao Sol, isso teria acontecido em algum momento, independentemente da divulgação.

– A novela foi ao ar já totalmente escrita, o que a levou à contramão de um dos pilares do folhetim: a aferição do público. Por outro lado, sem os grupos de discussão, Lícia Manzo conseguiu manter-se fiel à originalidade de sua obra – o sonho de todo roteirista. O que a autora teria mudado se pudesse ouvir a audiência? Teria feito concessões a casais “shippáveis“? Teria adicionado mais humor? Teria mudado rumos de personagens contrariando sua ideia inicial?

– A autora é famosa por tramas e personagens densos com pouco (ou nenhum) alívio cômico, características de suas novelas anteriores. Alívio cômico não precisa ser torta na cara ou humor infantilóide, mas Lícia subverteu outra regra do folhetim: o humor entremeado do drama, como ensinava Janete Clair.
Um Lugar ao Sol entregou meses de sessões de terapia e discussões dramáticas em que nem mesmo bonitas frases de efeito e personagens leves e sutis foram capazes de aplacar o peso das abordagens.
A novela até tinha um núcleo de humor que cumpria bem essa função: o casal de trambiqueiros Elenice e Alípio (Ana Beatriz Nogueira e Ísio Ghelman). Porém, não estava nos planos da autora levar Alípio até o final e a trama do personagem desapareceu bem antes da metade. Quem sabe, se pudesse ouvir o público, Lícia teria mantido Alípio na novela.

Um Lugar ao Sol estava quase na metade de sua exibição quando desceu uma ordem da alta direção da emissora: a novela precisaria ficar mais uma semana no ar, para atender às gravações atrasadas de Pantanal. Quando a obra é “aberta”, ou seja, é escrita à medida em que é exibida, o impacto não é grande. Porém, a trama de Lícia Manzo já estava fechada, com capítulos editados e os atores há meses longe dos estúdios.
Por duas ou três semanas, viu-se a reedição de cenas com cortes malucos com o objetivo de fazer a novela render mais. Isso prejudicou outro princípio do folhetim: o “gancho“, o clímax ao final do capítulo. Sem o gancho, não há fidelidade da audiência.

– Outra característica da autora: suas tramas e personagens não têm apelo, “pegada” popular. Até surpreendeu o fato de Lícia apresentar um ponto de partida tão folhetinesco: gêmeos que trocam de lugar, um clássico do folhetim. Porém, o que prevaleceu foi o sofrimento ético e moral do protagonista em arcar com seus atos. O folhetim serviu apenas para impulsionar a reflexão que a autora propunha.
Apesar do texto profundo, Lícia Manzo escorregou no pedantismo aqui e ali, pondo na boca de personagens elitizados expressões nada usuais ou desconhecidas do grande público. Soou pernóstico e criou uma má vontade da audiência com a novela.
A autora não falava apenas a uma elite, mas ao povão. Outra regra do folhetim: a novela precisa ser popular – de preferência, sem abrir mão de um texto de qualidade, o que Lícia já tem.
Soma-se a isso um protagonista nada carismático, vivido por um Cauã Reymond sisudo, sempre cabisbaixo, passivo demais ante seus inimigos. Com a transformação do protagonista em vilão, definitivamente não havia como torcer por ele, a não ser esperar por sua punição. Apesar disso, a autora havia comentado na coletiva de imprensa que o protagonista não seria um vilão: “Então minha tentativa é não vilanizar esse irmão que toma o lugar do outro. Ele não conspira, nem faz nada nesse sentido. Ele é um criminoso semiacidental.”
Lícia foi mais uma vez contra o folhetim no último capítulo, quando negou ao público a catarse sobre a revelação de que Renato era Christian.

– Houve uma grande perda de qualidade na trama de sua metade em diante. No início, a novela era dinâmica, com várias frentes se revezando: os dramas de Rebeca em sua relação com o namorado, a filha e o marido; as artimanhas de Renato com a família Assunção; Bárbara e o caso do roubo da autoria do conto; as reflexões de Noca; as armações de Elenice e Alípio; etc.
De repente, após o período da edição bagunçada (janeiro para fevereiro de 2022), a história entrou em looping. As tramas começaram a se repetir. Até Rebeca (Andréa Beltrão), que chegou a ser considerada “a protagonista moral da novela“, parou de olhar para a câmera (quebra da quarta parede) e seu drama começou a cansar.
O ápice aconteceu na penúltima semana, em que a autora repetiu a trama de Joy (Lara Tremoroux) matando Stephany (Renata Gaspar), personagem com a qual discutia a violência doméstica, e surpreendeu negativamente em capítulos do mais puro sofrimento, com personagens descobrindo doenças graves. A autora pesou a mão.
Restou a sensação de que a obra de Lícia Manzo não rendia uma novela. Talvez, enxugando personagens dispensáveis, uma novela curta, de 50 capítulos, para o Globoplay ou para um horário mais tardio. Ou uma série dramática, em que o alívio cômico pode ser dispensado.

Esses problemas e percalços, contudo, não desmerecem ou invalidam as qualidades da obra.
Outra característica do folhetim – e que Lícia Manzo usa muito bem a seu favor – é a capacidade de emocionar o público. Foram inúmeros personagens, cenas e diálogos que não só emocionaram, como também fizeram refletir, que esclareceram ou ajudaram a compreender, que divulgaram ou alertaram sobre temas importantes.
A sequência do antepenúltimo capítulo em que Rebeca dá uma entrevista discursando sobre o preconceito com pessoas mais velhas (etarismo) foi uma das melhores já mostradas na televisão.

A maior qualidade da autora – já vista em seus trabalhos anteriores – esteve presente durante toda a novela: a representação da pluralidade do ser humano. Um Lugar ao Sol trouxe os dilemas éticos e morais que todos enfrentam, às vezes sem perceber, nos quais todos se refletem e se reconhecem.
Também a complexidade das relações, dos interesses e dos desejos versus as demandas sociais; a capacidade de despertar a empatia, de desenvolver o olhar sobre o outro; e a disposição em aderir às concessões que a vida impõe, vistos em personagens como Christian, Renato, Lara, Ravi, Bárbara, Rebeca, Noca, Nicole, Elenice, Joy, Ilana, Breno, Júlia, Cecília, Stephany e outros.
No mais, um elenco, em grandes interpretações, com destaque para Andrea Beltrão, Alinne Moraes, Marieta Severo, Andreia Horta, Juan Paiva, Ana Beatriz Nogueira, Lara Tremouroux, Denise Fraga, Mariana Lima e Marco Ricca, entre outros.

Retorno de Andréa Beltrão às novelas após um hiato de 20 anos – a última foi As Filhas da Mãe, em 2001-2002.
Também a volta de Denise Fraga, com uma personagem fixa – a última novela inteira foi há 25 anos: Sangue do Meu Sangue, no SBT, em 1995-1996.
Ainda o diretor artístico Maurício Farias, que estava há 20 anos afastado da direção de novelas, ocupado com séries, seriados e programas de humor. Sua última novela foi Esplendor, em 2000-2001.
E a atriz Natália Lage, afastada há 14 anos (a última novela foi Pé na Jaca, em 2007) e o ator Ruy Rezende (em participação), há 15 anos (a última novela inteira foi Bang Bang, em 2006).

Recursos dos mais modernos foram usados para as cenas em que os gêmeos vividos por Cauã Reymond contracenavam. O diretor Maurício Farias salientou:
“Usamos alguns efeitos muito interessantes e arrojados. A câmera se movimenta o tempo todo. Os dois personagens gêmeos se mexem a todo momento em cena e você realmente acredita que são duas pessoas. Têm horas que esquecemos que é o mesmo ator interpretando dois personagens.”

Durante as gravações, foram montados nove cenários fixos para a novela. O maior deles, a mansão de Santiago (José de Abreu), com 320 metros quadrados. A casa de Bárbara (Alinne Moraes), que possuía segundo andar, tinha 200 metros quadrados. No total, só em estúdio, foram montados cerca de 300 ambientes. A cidade cenográfica, onde foi ambientado o Méier, subúrbio carioca, possuía 5.300 metros quadrados. Ali foram montados espaços como o restaurante de Noca (Marieta Severo), com salão e cozinha.

Gêmeos ou sósias desconhecidos ou que trocam de lugar é um clássico do folhetim, muito recorrente em nossas novelas: O Príncipe e o Mendigo, Selva de Pedra, O Semideus, Maria Maria, Baila Comigo, O Outro, Mulheres de Areia, Cara e Coroa, Da Cor do Pecado, Prova de Amor, Paraíso Tropical, e outras.
O próprio Cauã Reymond já viveu gêmeos, na minissérie Dois Irmãos, exibida em 2017.

Questionada, na coletiva de imprensa, sobre a escolha por uma trama tão recorrente em novelas, a autora foi enfática: “Não acredito em trama repetida. Acredito em modo de contar. Acho que a autoria vem antes da história.”
“Porque não importa a troca [dos gêmeos]. Não é o fato o que está em jogo. É a repercussão do fato dentro dos personagens. Eu estou mais interessada na subjetividade dos personagens e nas camadas psicológica e social que esse jogo me traz.”
Lícia ainda assegurou que não era seu objetivo inovar nada: “Eu não persigo uma novidade. Persigo uma história que me mova, que seja verdadeira para mim. E, nesse sentido, acho que ela é nova, porque é minha, porque nasceu de uma necessidade legítima minha de contar essa história.”

01. SULAMERICANO – BaianaSystem (participação Manu Chao) (tema de abertura)
02. FODA-SE – Edi Rock (participação Neew)
03. FINE – Mike Shinoda (tema de Christian)
04. CREEP – Bebel Gilberto (tema de Renato e Bárbara)
05. NIGHTIE NIGHT – Marina Lima e Pat MacDonald (tema de Rebeca)
06. EXPLODE CORAÇÃO – Zizi Possi (tema de Lara e Christian)
07. CUBANA – Bivolt (tema de Joy)
08. A ORDEM NATURAL DAS COISAS – Emicida (participação MC Tha) (tema de Ravi)
09. ENQUANTO HOUVER SOL – Titãs (participação Iza) (tema do núcleo de Lara e Noca)
10. BABY – Os Mutantes (tema de Felipe Rebeca)
11. DON´T LET IT GO – Rooftime
12. A COR DO AMOR – Liah Soares e Roberto Carlos (tema de Lara e Mateus)
13. I FEEL LOVE – Sam Smith (tema de Rebeca)
14. DON´T WANNA FIGHT – Alabama Shakes (tema de Nicole)

ainda:
CHASING GHOSTS – Young Lights
CHANGE – Rita Lee, Roberto de Carvalho e Gui Boratto (tema de Rebeca)
CHANGES – Cyz Mendes e Marcio Lomiranda (tema de Júlia)
COMPASSO – Ângela Ro Ro (tema de Júlia)
CON EL MUNDO A MIS PIES – Erika Martins (tema de Bárbara)
DANÇA DA SOLIDÃO – Marisa Monte (tema de Felipe)
DEUSA URBANA – Caetano Veloso
DOIS PRA LÁ, DOIS PRA CÁ – Elis Regina
ECSTASY (MORTEN GRANAU REMIX) – ATB
EU E A BRISA – Caetano Veloso
LÁGRIMAS NEGRAS – Gal Costa
LIGHT YEARS – The National
LIKE A ROSE – Maria Gadu (tema de Cecília)
LOVE LOVE – Alok & Mojjo (participação Gilsons) (tema de Paco e Nicole)
MENINA, AMANHÃ DE MANHÃ – Mônica Salmaso (tema de Lara)
NINGUÉM – Fran e Chico Chico
NOBODY KNOWS YOU WHEN YOU´RE DOWN AND OUT – The Spencer Davis Group
O CALIBRE – Sioux 66 (tema de Renato)
OUTRA VEZ – Roberto Carlos (tema de Renato e Lara)
PARALELAS – Belchior
PONTO DE VISTA – Casuarina
PRECISO APRENDER A SÓ SER – Gilberto Gil
QUE O DEUS VENHA – Cazuza
SOL DE MARIA – Gilberto Gil (tema de Ravi)
TEMPO SÓ (TIME WILL TELL) – Gilberto Gil
TU ME ACOSTUMBRASTE – Caetano Veloso (tema de Noca e Aníbal)
UNCHAINED – Devon Gilfillian
VAI (MENINA AMANHÃ DE MANHÃ) – Tom Zé
WHERE DO THE CHILDREN PLAY? – Girão Sessions e Lenine
WHITE RABBIT (MARCEL DETTMANN) – Jefferson Airplane
YOU ARE SO BEAUTIFUL – Silvia Machete (tema de Santiago e Érica)
YOUR HEART IS AS BLACK AS NIGHT – Melody Gardot (tema de Ivana e Gabriela)

Tema de Abertura: SULAMERICANO – BaianaSystem (participação de Manu Chao)

Inflama, inflama!

Não passa disso, não me engana
Que eu sou sulamericano de Feira de Santana
Avisa o americano
Eu não acredito no Obama
Revolucionário, Guevara
Conhece a liberdade sem olhar no dicionário
Sem olhar no dicionário, ele conhece a liberdade
Vamo que vamo, vou traçando vários planos
Vou seguir cantarolando pra poder contra-atacar

Contra-atacar, contra-atacar
Eu vou traçando vários planos
Pra poder contra-atacar
Contra-atacar, contra-atacar
Eu vou traçando vários planos

Nas veias abertas da América Latina
Tem fogo cruzado queimando nas esquinas
Um golpe de estado ao som da carabina, um fuzil
Se a justiça é cega, a gente pega quem fugiu

Justiça é cega (contra-atacar)
Justiça é cega (eu quero contra-atacar)

Inflama, inflama!
Não passa disso, não me engana
Inflama, inflama!

Esta ciudad la propriedad del señor Matanza
Esta ciudad la propriedad del señor Matanza

Esa olla, esa mina, y esa finca y ese bar
Ese paramilitar, son propriedad
Del señor Matanza
Ese e’ federal, es el chivato
Y ese sapo sindicato y el obispo general
Son propriedad, del señor Matanza
Buena jinetera sin alcohol
Que está bajo control
La escuela y el Monte de Piedad
Son propriedad, del señor Matanza
Él decide lo que va
Dice lo que no será
Decide quien la paga
Dice quien diría
Y dinero que lo lleva no se va
Lo que mata pan pan
Son propriedad, del señor Matanza

Al niñero llevan ‘pal monte…

Inflama, inflama!
Não passa disso, não me engana
Inflama, difama!
É, mas a gente não se engana

Al niñero llevan ‘pal monte…

Veja também

  • tudonovodenovo_logo

Tudo Novo de Novo

  • vidadagente_logo

A Vida da Gente

  • setevidas

Sete Vidas