Sinopse

Teodoro e sua neta Letícia se reencontram depois de mais de 20 anos. Fruto de uma paixão da filha Beatriz por um rapaz pobre, irmão mais novo de um devaneio de Teodoro, Letícia nasceu repudiada pelo patriarca da família Oliveira de Barros e foi mandada para um colégio interno na Suíça, recém-nascida. Na verdade, Letícia foi trocada por Aquiles, filho de Ambrósio, um fiel empregado de Teodoro, para tornar possível um acordo capaz de salvar o património e a honra da família. Teodoro estava falido e seu maior credor, o poderoso e doente Comendador Aquiles Machado, fez-lhe uma extraordinária proposta. Casaria com sua filha Beatriz, grávida, desde que nascesse um menino, que seria o seu herdeiro e a sua
continuidade. Aquiles nasce no mesmo dia de Letícia e a sua mãe morre. As crianças são trocadas e Letícia, enviada para a Suíça pelo avô, Teodoro. Ambrósio entrega Aquiles, por gratidão aos Oliveira de Barros. Beatriz não sabe da troca.

No presente, com mais de 20 anos, Letícia repete a história de sua mãe e engravida muito jovem. Grávida, Letícia foge do internato e retorna ao Brasil. Aqui, o destino prega mais uma de suas partidas: a heroína traz um papel timbrado do Hotel
Intermares, em Recife, que recebeu do pai de seu filho, que é nada mais nada menos que Aquiles, que no presente ocupa o lugar dela na família Oliveira de Barros. Letícia chega a Pernambuco apenas para reencontrar o pai do seu filho. Aquiles, porém, recusa-se a vê-la e delega no avô, Teodoro, a solução do problema. As consequências desse reencontro entre o avô e a neta irão provocar transformações radicais nas vidas dos principais envolvidos na história.

Record
de 20 de novembro de 2000
a 16 de abril de 2001

novela de Marcus Lazarini e Ecila Pedroso
pesquisa de texto Maurício Guarize
direção de Henrique Martins, Fernando Leal e Cláudio Cavalcanti
direção geral de Henrique Martins
direção de núcleo de Atílio Riccó

Novela anterior no horário
Marcas da Paixão

Novela posterior
Roda da Vida

PATRÍCIA DE SABRIT – Letícia / Luísa
ALEXANDRE BARILLARI – Aquiles
DALTON VIGH – Lucas
SÉRGIO BRITTO – Teodoro Oliveira de Barros
LAURA CARDOSO – Natália
GIANFRANCESCO GUARNIERI – Policarpo Quaresma
ÂNGELA LEAL – Beatriz
JAYME PERIARD – Amaro
FELIPE FOLGOSI – Douglas
MARTHA MELLINGER – Leonor
GABRIELA ALVES – Marijô
PETRÔNIO GONTIJO – Zé
MICAELA GÓES – Raquel
ANA CECÍLIA – Janine
VALÉRIA ALENCAR – Rafaela
MÁRIO SCHOEMBERGER – Ambrósio
GÉSIO AMADEU – Josué
ÂNGELA CORRÊA – Guiomar
NARJARA TURETTA – Selma
SÔNIA GUEDES – Loreta
ARIEL BORGHI – Martim
FERNANDO LEVI – Leonel
KARINA BACCHI – Renata
GLÓRIA PORTELLA – Darcy
NILL MARCONDES – Léo
LUCIMARA MARTINS – Manuela
SÉRGIO AMORIM – Luizinho
GUADALUPE MENDONÇA – Rita
ÍCARO SILVA – Cacá
LEONARDO PAES LEME – Juvenal
PAULO VASCONCELOS – Paulo
RENATO RODRIGUEZ – Fernando
ADELSON DORNELLAS – Mestre Baltazar
CLENIRA MELO – Cida
IVANILDO SILVA – Expedito
DESIRÉE VIGNOLLI – Dorotéia
e
JUCA DE OLIVEIRA – Comendador Aquiles Machado

A novela conseguiu segurar a audiência que a Record vinha tendo, com médias de 4 a 7 pontos.

O maior mérito de Vidas Cruzadas foi dar emprego a atores que há tempos já estavam longe da televisão, como Desirée Vignolli e Narjara Turetta.

Não foi a primeira vez que Jayme Periard viveu um soropositivo. Ele também o foi em O Portador, minissérie da Globo, de 1991.

Vidas Cruzadas também foi o título de uma novela de Ivani Ribeiro exibida pela Excelsior em 1965, que nada tem a ver com esta produção da Record.

Trilha Sonora
vidascruzadas00t
01. ETERNAMENTE – Belo (tema de abertura)
02. MEUS SENTIMENTOS – Harmonia do Samba
03. AMOR DEMAIS – Soweto
04. TRANSAS – Fábio Jr.
05. ABRE CORAÇÃO – Guilherme e Santiago
06. TEU BEIJO – Família Lima
07. OLHOS – Leandro Lehart
08. ALMA METADE – Marcelo Mecky
09. TUDO PASSA – Adryana e a Rapaziada
10. INTUIÇÃO – Netinho
11. GUDIBAY – Banda Eva
12. 1.800 COLINAS – Paula Toller
13. BERRECO – Claudinho e Buchecha

Tema de Abertura: ETERNAMENTE – Belo
Por que
Por que que todo amor não dura
Eternamente
E quando tudo acaba a gente sente
Senti o mundo desabando em mim
Pensei
Cheguei até falar que era prá sempre
Mas me calei
E quem cala consente
Eu tive que aceitar o nosso fim
Como é que vou jurar
Dizer que não te amo e me enganar
Sei que o meu coração
Só quer te mar
Não sei por que
Nosso amor não pode ser diferente
Pois sei que a gente sonha
Nosso amor pode durar para sempre
Então por que não volta
Prá que eu possa me entregar
Te sentir em minha vida
Eternamente…

Veja também

  • marcasdapaixao_logo

Marcas da Paixão

  • rodadavida_logo

Roda da Vida

  • metamorphoses_logo

Metamorphoses

  • escravaisaura2004_logo

A Escrava Isaura (2004)

  • vidascruzadas65_logo

Vidas Cruzadas (1965)