Sinopse

Antiga Pérsia, por volta de 400 anos A.C. O rei Assuero (Marcos Pitombo) convoca todas as virgens do reino para escolher a nova rainha. Mordecai (Ewerton de Castro) tenta esconder a filha Hadassa (Gabriela Durlo), mas os soldados a levam. Ela troca o nome para Ester temendo represálias, já que é judia. Assuero passa as noites com várias mulheres, mas nenhuma o encanta. Porém, o rei fica impressionado com a beleza e sabedoria de Ester, que se mostra indignada por ser obrigada a deitar-se com ele.

Ester declara que sempre imaginou um casamento por amor, a ser conquistado, e não imposto. Assuero então não passa a noite com ela e decide conquistar o seu amor. O rei solicita unicamente a presença de Ester para cortejá-la e, assim, conquistar seu coração. Aos poucos, ela se rende ao amor de Assuero, mas não lhe revela que é judia. No reino, todos comentam a mudança de comportamento do monarca, que antes era sério e compenetrado e agora é um homem mais feliz e acessível.

Assim, Ester é a eleita de Assuero e coroada rainha do império Persa. A felicidade dela dura pouco, pois ao assumir o cargo de Primeiro Ministro, o conselheiro Hamã (Paulo Gorgulho) exige que todos se curvem diante dele. Mordecai se recusa, por acreditar, como os judeus, que deve se curvar somente a Deus. Hamã, enfurecido, planeja destruir os judeus que não se curvarem a ele e constrói uma forca para matar Mordecai. Hamã também convence Assuero que os judeus são um povo rebelde.

Dessa forma, Assuero decreta que o povo judeu deve ser aniquilado. Paralelamente, Hamã trama contra a vida do monarca a fim de ocupar o trono real. Ester descobre e conta para o rei que Hamã quer matá-lo. Assuero ordena que Hamã homenageie Mordecai em praça pública e tal humilhação aumenta ainda mais a ira de Hamã contra Mordecai. Ester revela ao rei sua origem judaica, implora por seu povo e pede que Assuero não lhe tire a vida. Hamã e o rei ficam surpresos.

Record – 23h
de 3 de março a 1º de abril de 2010
10 capítulos

minissérie de Vívian de Oliveira
escrita por Vívian de Oliveira, Camilo Pellegrini, Maria Cláudia Oliveira e Altenir Silva
direção de João Camargo, Régis Farias e César Rodrigues
direção geral de João Camargo

GABRIELA DURLO – Ester / Hadassa
MARCOS PITOMBO – Rei Assuero
PAULO GORGULHO – Hamã
VANESSA GERBELLI – Zeres
DANIELA GALLI – Rainha Vasti
EWERTON DE CASTRO – Mordecai
ELIETE CIGARINNI – Rebecca
GIUSEPPE ORISTÂNIO – Joel
PAULO NIGRO – Aridai
LETÍCIA COLIN – Ana
PAULO FIGUEIREDO – Memucã
FELIPE MARTINS – Bigtã
MÁRCIO KIELLING – Ruben
LANA RODES – Tafnes
ANDRÉ DI MAURO – Hegai
GABRIEL GRACINDO – Dalfom
MARIA CEIÇA – Quinlá
MAURÍCIO RIBEIRO – Simion
ROCCO PITANGA – Harbona
VITOR HUGO – Teres
RONEY VILELA – caça as virgens para o rei
ROBERTO PIRILLO – escriba real
e
JUAN ALBA – Abiail
CÁSSIA LINHARES – Lia
BÁRBARA MAIA – Hadassa (Ester quando criança)

Dentro do projeto de conquistar mais audiência e maior participação nos recursos publicitários, em 2010, a Record TV iniciou a ousada produção de minisséries baseadas na Bíblia, uma forma de atender aos interesses da Igreja Universal do Reino de Deus, mantenedora da emissora, e conquistar uma plateia mais conservadora. (“Biografia da Televisão Brasileira”, Flávio Ricco e José Armando Vannucci)

A primeira história bíblica escolhida para essa nova fase da Record foi A História de Ester, que já tivera uma adaptação produzida pela emissora, em 1998, com roteiro de Yves Dumont, e Daniela Camargo e Giuseppe Oristânio vivendo os protagonistas Ester e o Rei Assuero.

O conteúdo e os personagens do livro de Ester receberam alguns acréscimos da autora Vívian de Oliveira nesta nova adaptação, ganhando, inclusive, alguns personagens. Como a história central de Ester (Gabriela Durlo) e Assuero (Marcos Pitombo) e as maldades do vilão Hamã (Paulo Gorgulho) contra os judeus, especialmente contra Mordecai (Ewerton de Castro), não sustentariam 10 capítulos, novos personagens foram criados para que pudessem ser inseridos na trama sem comprometer ou descaracterizar a história original, que permaneceu intacta. Entre os novos personagens estavam um judeu amigo de Mordecai, um romance entre uma judia e um amalequita, povo inimigo dos judeus, e um amigo de infância de Ester que era apaixonado por ela.

Até o clássico “Romeu e Julieta” serviu de inspiração: a judia Ana (Letícia Colin) e Aridai (Paulo Nigro), filho do vilão Hamã, o maior inimigo do povo judeu, se apaixonaram e viveram um romance proibido.

Vívian de Oliveira declarou a Flávio Ricco e José Armando Vannucci para o livro “Biografia da Televisão Brasileira”:
“Foi muito bem recebida pelo público. Mas no começo houve certo preconceito dos atores, que achavam que seria uma pregação a favor da Igreja [Universal do Reino de Deus].”

Como primeira produção do gênero nesta fase, A História de Ester mostrou alguns equívocos na caracterização de alguns personagens, principalmente com barbas e cabelos falsos que não podiam ser disfarçados no ar, e nos figurinos, problemas que foram solucionados ao longo do tempo, com outras produções do gênero e que culminaram com um processo mais profissional na realização de novelas baseadas na Bíblia (a partir de Os Dez Mandamentos, em 2015), inclusive com efeitos especiais muito melhores. (“Biografia da Televisão Brasileira”, Flávio Ricco e José Armando Vannucci)

Atores e diretores tiveram aulas e consultoria com um historiador que os ensinou sobre os costumes da época, a etiqueta do palácio, a influência do império persa e as guerras travadas pelo rei Assuero.

Para reconstruir a atmosfera da época, a equipe de arte usou como suporte para a criação dos cenários acervos de museus como o Louvre, em Paris, e o de Berlim.

Nos estúdios, com a ajuda da tecnologia, foram reproduzidas cenas de batalha. Marcelo Brandão, supervisor de efeitos visuais, falou dos esforços para chegar o mais próximo a realidade da época:
“Gravamos com cerca de trinta figurantes para depois criarmos um exército de 1.600 soldados”.
Brandão trabalhou com uma equipe de 27 pessoas, que criou, em efeitos 3D, as fachadas da cidade de Susa, onde se passava a história, e a cenografia virtual do palácio do rei.

O ator Giuseppe Oristânio, que vivera o Rei Assuero na primeira versão da minissérie (em 1998), retornou na pele de outro personagem: Joel

Reprisada entre 13 e 26/04/2010, às 18 horas. Em setembro do mesmo ano, a minissérie foi lançada em DVD e blu-ray.
Teve uma nova reapresentação, em 3 capítulos, entre 14 e 16/12/2011, às 17 horas. E outra entre 18 e 28/12/2012, em 9 capítulos, às 21h.

Veja também

  • reidavi_logo

Rei Davi

  • josedoegito_logo

José do Egito

  • milagresdejesus_logo

Milagres de Jesus

  • dezmandamentos_logo

Os Dez Mandamentos