Sinopse

A jovem Helena retornou à pequena cidade de Greenville, de onde saiu para estudar na Europa, para tomar posse da fortuna da família Mendonça e Albuquerque, que o seu tio Pedro Afonso perdeu numa mesa de jogo para o forasteiro Teobaldo Faruk. Este fora apaixonado por sua mãe, Eulália, uma mulher que havia tido um romance proibido pela família com o humilde Zé Leandro. Desse amor nasceu Helena. Mas Eulália e Zé Leandro morreram e Teobaldo prometeu a fortuna dos Mendonça e Albuquerque a Helena quando ela atingisse a maioridade e retornasse ao Brasil.

De volta a Greenville, Helena terá que enfrentar as armações de sua tia, a ambiciosa Maria Altiva, mulher de Pedro Afonso, que nunca perdoou Teobaldo por ter se apossado dos bens da família e tê-los passado à sobrinha. E Altiva encontra no deputado Pitágoras, um político corrupto, o parceiro ideal para seus golpes. Em nome da moral e bons costumes, ela implica ainda com a alegre Zenilda e suas meninas, mas nem desconfia que Pedro Afonso é frequentador assíduo da Casa de Campo, de bordel de Zenilda.

Localizada no Nordeste, Greenville foi colonizada por ingleses e mantém as tradições e costumes desse povo. O prefeito Ipiranga Pitiguarí é louco por obras e sofre nas mãos da mulher Scarlet, sempre muito fogosa, e da juíza Mirandinha, sua maior inimiga. Por isso ele não quer nem saber do romance entre sua filha Carolaine e Filipe, filho da juíza. Mirandinha é uma viúva de pulso forte que acaba se rendendo ao amor de seu secretário Egídio, bem mais novo que ela.

Porém, a atenção maior dos moradores de Greenville se volta para a guerra declarada entre Altiva e Helena, ainda mais acirrada quando Teobaldo Faruk se apaixona pela moça, incrivelmente parecida com sua falecida mãe.

Globo – 20h
de 17 de fevereiro
a 11 de outubro de 1997
203 capítulos

novela de Aguinaldo Silva e Ricardo Linhares
escrita por Aguinaldo Silva, Ricardo Linhares, Márcia Prates e Nelson Nadotti
colaboração de Maria Elisa Berredo
direção de Marcos Paulo, Roberto Naar e Luís Henrique Rios
direção geral de Marcos Paulo

Novela anterior no horário
O Rei do Gado

Novela posterior
Por Amor

ADRIANA ESTEVES – Helena
JOSÉ MAYER – Teobaldo Faruk
EVA WILMA – Maria Altiva Pedreira de Mendonça e Albuquerque
CLÁUDIO MARZO – Pedro Afonso de Mendonça e Albuquerque
ARY FONTOURA – Deputado Pitágoras Willians Mackenzie
RENATA SORRAH – Zenilda de Holanda
BETTY FARIA – Juiza Mirandinha
LICURGO SPÍNDOLA – Egídio
PAULO BETTI – Ipiranga Pitiguarí
LUIZA TOMÉ – Scarlet
PEDRO PAULO RANGEL – Padre Joseph
JOSÉ DE ABREU – Delegado Motinha
FLÁVIO GALVÃO – Richard
ELIANE GIARDINI – Santa Maria
MARCOS FROTA – Artêmio
FLÁVIA ALESSANDRA – Dorotí
ANA LÚCIA TORRE – Cleonice
CARLA MARINS – Dinorá
CÁSSIO GABUS MENDES – Sérgio Murilo
SELTON MELLO – Emanuel
KARLA MUGA – Grampola (Maria do Céu)
AMÉLIA BITTENCOURT – Veneranda
NEUZA BORGES – Florência
MARCOS WINTER – Hércules
ISABEL FILLARDIS – Inês
MATEUS ROCHA – Filipe
NÍVEA STELLMAN – Carolaine
CATARINA ABDALLA – Vieira
DANIELA FARIA – Berbela
HUGO GROSS – Robson
RODRIGO FARO – Beraldo
CRISTINA GALVÃO – Elaine
SÔNIA DE PAULA – Lurdes Maria
CLAUDINHA PUGET – Marilu
INGRA LIBERATO – Paraguaia
MÔNICA CARVALHO – Maribel
MARCELO ESCOREL – Dr. Lauro
CRISTIE MIYAMOTO – Mishiko
a menina ÉLIDA MUNIZ – Vivinha
1ª fase
ADRIANA ESTEVES – Eulália
CARLOS ALBERTO RICCELLI – Zé Leandro
LEANDRA LEAL – Helena
BRUNO GRADIM – Artêmio
JOÃO CARRILLO – Artêmio (criança)
e
ADIR FERREIRA – morador de Greenville
ANA MAGDALA – empregada de Mirandinha
ANA PAULA OLIVEIRA – Vicky (assistente de Priscila Westwood)
ANDREA OLIVEIRA
ANDRÉA GUERRA – prostituta da Casa de Campo
AURICÉIA ARAÚJO – Consuelo (beata)
CHICO LÁ – Guarda Magro (da delegacia de Greenville)
CLEMENTE VISCAÍNO – Alceu
CREUZA DE CARVALHO – Encarnação (beata)
CRISTINA PROCHASKA – Drª Sônia
CRISTYANE DAIA – empregada de Teobaldo
DÉBORA RODRIGUES – prostituta da Casa de Campo
FÁBIA TAFFAREL – prostituta da Casa de Campo
FRANCELLY FREITAS – empregada na casa de Pitágoras e Cleonice
FREDDY MONTEIRO – morador de Greenville
GILBERTO MACIEL – morador de Greenville
GUILHERME MARTINS – Aniceto (político de Greenville)
JULIANA GUIMARÃES – empregada de Pedro Afonso
HUGO CARVANA – médico
LEANDRO RIBEIRO – Washington (office-boy da prefeitura)
LÉO DE OLIVEIRA – morador de Greenville
LIMA DUARTE – Murilo Pontes (político de Resplendor que vem a Greenville para uma partida de pôquer na Casa de Campo)
LUCIANA FARIA – Rosa (prostituta da Casa de Campo)
LUIZ COMANCHE – morador de Greenville
LUZIA AVELLAR – Bela (prostituta da Casa de Campo)
MARCO MIRANDA – Anfilófio (político de Greenville)
MARCOS HENRIQUE CATALDO – Júnior (filho de Inês e Hércules)
MILA MOREIRA – Priscila Westwood
NOÊMIA DUARTE – Betsy (empregada na casa de Pitágoras e Cleonice)
RAPHAEL MOLINA – Guarda Gordo (da delegacia de Greenville)
REJANE DE MORAES – Penha (prostituta da Casa de Campo)
RINALDO RINALDI – farmacêutico
ROBERTA FOSTER – Guida (prostituta da Casa de Campo)
RÚBEM DE BEM – Billy (mestre de obras de Greenville)
TADEU MELLO
VALNEY AGUIAR – office-boy do fórum
WALDEMAR BERDITCHEVSKY – Fred (escrivão do fórum)
YAN ZELLER – Nonato (político de Greenville)

– núcleo da família Mendonça e Albuquerque:
PEDRO AFONSO (Cláudio Marzo), dono da Usina Manguaba, perde tudo na mesa de jogo
MARIA ALTIVA PEDREIRA MENDONÇA E ALBUQUERQUE (Eva Wilma), mulher de Pedro Afonso, capaz das piores loucuras para conseguir tomar de volta a posse da Usina Manguaba
EULÁLIA (Adriana Esteves), irmã de Pedro Afonso que envolve-se com um cortador de cana, contra a vontade da família
ZÉ LEANDRO (Carlos Alberto Riccelli), cortador de cana da Usina Manguaba. Apaixona-se por Eulália e juntos têm uma filha. Após tentar uma fuga com a mulher e a filha, morre naufragado deixando apenas a menina como sobrevivente
LÚCIA HELENA (Leandra Leal / Adriana Esteves), filha de Eulália e Zé Leandro. Após a morte dos pais, vai estudar no exterior
ARTÊMIO (Bruno Gradim / Marcos Frota), agregado dos Mendonça e Albuquerque. Apaixona-se por Helena. Descobre-se que é filho bastardo de Altiva
FLORÊNCIA (Neusa Borges), a empregada
SANTA MARIA (Eliane Giardine), a irmã alcoólatra de Altiva
HÉRCULES (Marcos Winter), filho de Pedro Afonso e Altiva , tem um fraco por jogo como o pai, morre no decorrer da trama
INÊS (Isabel Fillards), mulher de Hércules, sobrinha de Florência. Sofre o preconceito de Altiva por ser negra
VIVINHA (Élida Muniz), filha de Hércules e Inês.

– núcleo de TEOBALDO FARUK (José Mayer), forasteiro que chega a Greenville e apaixona-se por Eulália. Numa mesa de jogo, ganha toda a fortuna dos Menezes e Albuquerque, inclusive a Usina Manguaba. Após a morte de Eulália, faz um trato com Pedro Afonso: sustenta a família e manda Helena estudar na Europa para quando ela atingir a maioridade ele possa casar-se com ela. Enquanto isso, estabelece-se em Greenville onde monta um empório. Helena retorna e não aceita o compromisso. Mas acaba apaixonada por ele:
a mãe VENERANDA (Amélia Bittencourt)
o filho EMANUEL (Selton Mello), garoto que ficou problemático depois da morte da mãe. No decorrer da trama conclui-se que o ele tem o dom de adivinhar as coisas e no último capítulo descobre-se que ele é um anjo
os empregados do empório VIEIRA (Catarina Abdala) e os irmãos BERALDO (Rodrigo Faro) e BERBELA (Daniela Faria), apaixonada por Teobaldo.

– núcleo do deputado PITÁGORAS WILLIANS MACKENZIE (Ary Fontoura), tem uma paixão platônica por Altiva e é cúmplice em seus golpes:
a mulher CLEONICE (Ana Lúcia Torre), cansada de aguentar as grosserias do marido, consegue passar a perna no próprio e tomar todos os seus bens
a filha DOROTÍ (Flávia Alessandra), que é seduzida por Hércules e depois descobre que ele é casado. Apaixona-se então por Artêmio
a filha SCARLET (Luiza Tomé), mulher “fogosa” ao extremo
o genro IPIRANGA PITIGUARI (Paulo Betti), prefeito de Greenville, sofre nas mãos da mulher
a neta CAROLAINE (Nívea Stelmann), filha de Ipiranga e Scarlet
a secretária de Ipiranga na Prefeitura, MARILU (Claudinha Puget)
a empregada BETSY (Noêmia Duarte).

– núcleo da JUIZA MIRANDINHA (Betty Faria), que vive brigando com o prefeito Ipiranga por ser contra as obras que ele administra na cidade:
o filho FILIPE (Mateus Rocha), apaixonado por Carolaine mas os dois não conseguem viver esse amor por causa das desavenças dos pais
o secretário EGÍDIO (Licurgo Spindola), que acaba se envolvendo com a juiza.

– núcleo de ZENILDA DE HOLANDA (Renata Sorrah), dona da Casa de Campo, bordel de Greenville. Grande amiga e confidente de Vieira. Inimiga de Altiva, acaba se apaixonado por Pedro Afonso:
a amiga ELAINE (Cristina Galvão), que a axilia na administração da Casa de Campo
suas “camélias”: MARIBEL (Mônica Carvalho), que se casa no início da novela, DINORÁ (Carla Marins), que sonha em se casar um dia, PARAGUAIA (Ingra Liberato), e GRAMPOLA (Karla Muga), a mais nova, apaixona-se por Emanuel
o misterioso SÉRGIO MURILO (Cássio Gabus Mendes), que após conseguir uma doação de rins feita por Dinorá, foge sem deixar vestígio. Mais os dois se reencontram e acabam se casando.

– demais personagens:
o PADRE JOSEPH (Pedro Paulo Rangel)
o DELEGADO MOTINHA (José de Abreu), após cair num buraco vai parar no Japão e volta casado com a japonesa MISHICO (Cristie Miyamoto)
RICHARD (Flávio Galvão), dono do British Club, se envolve com Santa Maria. Descobre que é pai de Artêmio: foi seduzido por Altiva quando estava bêbado, achando que ela era Santa Maria
ROBSON (Hugo Gross)
a beata LURDES MARIA (Sônia de Paula), seguidora de Altiva. Descobre-se no final que era ela a figura misteriosa do CADEIRUDO, que atacava as mulheres em noite de lua cheia
os políticos ANFILÓFIO (Marco Miranda), ANICETO (Guilherme Martins) e NONATO (Yan Zeller) .

Outro sucesso por onde costumam transitar os personagens fantásticos de Aguinaldo Silva, a exemplo de Tieta (1989-1990), Pedra Sobre Pedra (1992) e Fera Ferida (1993-1994).

A trama de A Indomada se passava na fictícia cidadezinha de Greenville (em algum lugar no Nordeste brasileiro), onde os moradores davam grande valor às tradições britânicas. Foi uma espirituosa crítica à americanização mundial.
A novela é lembrada pelo linguajar dos personagens, que falavam português misturado com inglês em sotaque nordestino. Frases como “Óxente, mai Gódi” – o bordão da vilã Maria Altiva Pedreira de Mendonça e Albuquerque (Eva Wilma) – se popularizaram.

Grandes interpretações de Eva Wilma e Ary Fontoura – que viveram a ardilosa dupla Altiva e Pitágoras Mackenzie -, premiados com o Troféu Imprensa de melhor atriz e melhor ator de 1997.
Também foram eleitos os melhores do ano pela APCA (Associação Paulista de Críticos de Arte), enquanto Ana Lúcia Torre foi a melhor atriz coadjuvante.

Aguinaldo Silva mais uma vez usou o Realismo Fantástico como ingrediente para desenvolver suas tramas. Situações como a do Delegado Motinha (José de Abreu) – que caiu num buraco indo parar no Japão – e de Altiva – que, ao final, virou fumaça jurando voltar para se vingar de seus desafetos – foram exemplos de recursos de narrativa empregados pelo autor na novela para conquistar os telespectadores.

Tal qual em Tieta, em que o autor criou a misteriosa figura da Mulher de Branco, que atacava os homens em noites de lua cheia, A Indomada teve o Cadeirudo (assim chamado por sua silhueta estranha e andar peculiar), que saía nas noites de lua cheia para atacar as mulheres de Greenville. A identidade do Cadeirudo foi descoberta nos últimos capítulos e, para surpresa geral, era uma mulher: Lurdes Maria, personagem de Sônia de Paula.

Lima Duarte fez uma participação especial revivendo seu personagem na novela Pedra Sobre Pedra, Murilo Pontes, que vinha a Greenville para uma partida de pôquer na Casa de Campo, clube local.
E o personagem de Ary Fontoura – o deputado Pitágoras – voltou à cena em outra obra de Aguinaldo Silva: Porto dos Milagres, em 2001. A princípio, o ator faria apenas uma participação especial, mas a recepção do público foi tamanha que o deputado Pitágoras acabou permanecendo na trama.

A cidade cenográfica de Greenville ocupava uma área de 35.000m² no Projac e apresentava fachadas vitorianas com casas nordestinas, exibindo a mistura cultural presente na novela. Os cenários de estúdio também demonstravam uma harmoniosa convivência dos costumes britânicos e nordestinos.

A caracterização dos atores seguiu a linha adotada na cenografia: os personagens usavam trajes ingleses em pleno Nordeste brasileiro. O figurino de Pitágoras (Ary Fontoura) foi criado em homenagem ao ex-primeiro-ministro britânico Winston Churchill, enquanto o do delegado Motinha (José de Abreu) foi inspirado no detetive Sherlock Holmes, personagem do romancista Connan Doyle. Outro personagem que se vestia como um autêntico inglês era Richard (Flávio Galvão), proprietário do British Club. Já a vilã Altiva (Eva Wilma) usava casaco de pele em pleno verão. Site Memória Globo.

Sobre o palavreado de sua personagem Altiva, Eva Wilma comentou em seu biografia (*):
“Aguinaldo criou, na minha personagem, a expressão ‘óxente, mai Gódi’. Altiva era uma vilã plena de humor crítico. Entre as expressões geniais que Aguinaldo criou para ela, inclui uma colaboração de uma amiga pernambucana: ‘thank you very much, viu bichinho!’. Nessa mistura entre o regionalismo pernambucano, o anglicismo e o americanismo residia o melhor do humor crítico do autor. Colaborei também com o ‘weeeell’ bem arrastado e esganiçado, que seria o nosso ‘beeeem’. E com uma expressão inglesa, antiga, de despedida, de tchauzinho, que é ‘triu-di-lou’.”

Ainda sobre o sucesso de sua personagem, Eva completou:
“Foi um trabalho estimulante. Tive condições de analisar um pouco a razão do fascínio que personagens vilãs podem exercer no público. Tanto a Raquel de Mulheres de Areia [da Tupi, de 1973] quanto a Altiva eram pessoas extremamente conflituosas, de inteligência apurada e muito senso de humor.”

A ação de merchandising social em torno da jovem personagem Grampola (Karla Muga), que encontrou uma alternativa à prostituição, obteve o reconhecimento formal da Campanha Nacional pelo Fim da Exploração, da Violência e do Turismo Sexual Contra Crianças e Adolescentes. Site Memória Globo.

Primeira novela na Globo dos atores Licurgo Spínola, Rodrigo Faro e Mateus Rocha, e das atrizes Amélia Bittencourt e Nívea Stellman (anteriormente ela havia feito apenas pequenas participações).

Maria Fernanda Cândido – antes de estrear como atriz – era a moça que corria e enfrentava obstáculos na abertura de A Indomada.

A novela foi reapresentada no Vale a Pena Ver de Novo entre 16/08/1999 e 17/03/2000.
Curiosamente, durante esta reprise, o tema de abertura (Maracatudo) foi substituído pela música Unicamente, com Deborah Blando.

Não confundir A Indomada com a novela A Indomável, de Ivani Ribeiro, apresentada pela TV Excelsior em 1965. Uma nada tem a ver com a outra.

(*) Fonte: Eva Wilma, Arte e Vida, Edla van Steen, Imprensa Oficial do Estado de São Paulo, 2006.

Trilha Sonora 1
indomadat1
01. IMPOSSÍVEL ACREDITAR QUE PERDI VOCÊ – Fábio Jr. (tema de Teobaldo)
02. CIRANDA DA ROSA VERMELHA – Elba Ramalho (tema de Emanoel e Grampola)
03. NÃO ADIANTA SABER (I MIGHT BE CRYING) – Sandra de Sá (tema de Hércules e Inês)
04. À PROCURA DE ALGUÉM – Geraldo Azevedo (tema de Pitágoras e Altiva)
05. MEU BEM QUERER – Djavan (tema de Felipe e Caroline)
06. ONDE ESTARÁ O MEU AMOR – Maria Bethânia (tema de Pedro Afonso e Zenilda)
07. UNICAMENTE – Deborah Blando (tema de Helena)
08. É TÃO BOM TE AMAR – Fafá de Belém (tema de Dinorah e Sergio Murilo)
09. CANA CAIANA – Alceu Valença (tema de locação)
10. BABY TOQUE – Baby do Brasil (tema de Scarleth)
11. MARACATUDO – Sérgio Mendes (tema de abertura)
12. MÚSICA DA NOITE (MUSIC OF THE NIGHT) – Ricardo Feghali e Guilherme Dias Gomes (tema de Artêmio)
13. ESTE SEU OLHAR – Dick Farney (tema de Mirandinha e Egidio)
14. A INDOMADA – Guilherme Dias Gomes (tema geral)

Trilha Sonora 2
indomadat2
01. ESTRELA – Gilberto Gil (tema de Teobaldo e Helena)
02. FELICIDADE (LOVE OF MY LIFE) – Paulo Ricardo
03. CIRANDEIRO – Simone Guimarães (tema de Mirandinha e Egidio)
04. I LOVE YOU TONIGHT – Falcão
05. AVOHAI – Zé Ramalho (tema de locação)
06. POR EU TER ME MACHUCADO – José Augusto (tema de Dorothy)
07. VEM NHANHA – Na Boquinha da Garrafa (tema de Scarleth)
08. MALUCO BELEZA – Felicidade (tema de Ipiranga Pitiguari)
09. ENGENHO – Jerry Adriani (tema de Artêmio)
10. PRA FICAR CONTIGO – Maurício Mattar (tema de Felipe (Mateus Rocha) e Caroline)
11. GARDEZ MOI POUR TOUJOURS (POR CAUSA DE VOCÊ) – Sylvia Telles (tema de Santa Maria)
12. VIDA BELA VIDA – Guilherme Rondon
13. O INFINITO AMOR – Jorge Vercilo
14. INGÊNUO – Pat Escobar

Produção Musical: Guilherme Dias Gomes
Direção Musical: Mariozinho Rocha

Veja também

  • tieta_logo

Tieta

  • pedrasobrepedra_logotipo

Pedra Sobre Pedra

  • feraferida_logo

Fera Ferida

  • suaveveneno_logo

Suave Veneno