Sinopse

Em 1987, um tsunami em um resort na Ásia provoca a morte dos pais dos irmãos judeus Alan (Maurício Pitanga) e Uri Gudman (Phelipe Gomes), naturais de Jerusalém. Em Nova York, onde mora, Alan é amigo de faculdade da também judia Débora Koheg (Manuela do Monte). Ela não segue sua religião e se apaixona pelo milionário italiano Adriano Montana (Felipe Cunha). Alan, por sua vez, namora a brasileira Susana Aisen (Carolina Oliveira), melhor amiga de Débora. Grávida de Adriano, Débora é renegada pela família judia e parte para Roma atrás do namorado.

Com a ajuda de Stefano Nicolazi (Flávio Galvão), sacerdote da igreja Sagrada Luz, muito influente na família Montana, Débora casa-se com Adriano contra a vontade dele e é aceita pela família italiana após o nascimento do filho, Ricardo (Luiz Eduardo Toledo), que crescerá instruído por Stefano. O sacerdote tem a certeza de que a criança está destinada a uma vida de grandeza e poder. Enquanto isso, em Nova York, Alan e Susana se casam com amor e dessa união nasce Benjamin (Pedrinho Melo).

No Rio de Janeiro, o jovem Oswaldo Santero (Gabriel Reif) sai da prisão e consegue um emprego com Ruben (Norival Rizzo) e Lia Aisen (Lucinha Lins), pais de Susana e donos de um hospital. Lá, ele conhece Letícia (Juliana Xavier), com quem se casa e tem a filha Zoe (Gabriela Saraivah), que cresce cercada de carinho. Dez anos se passam e o casamento de Adriano e Débora é marcado pelas traições dele, as quais ela tolera, mas dá o troco através do filho: manipulado por ela e Stefano, o patriarca dos Montana morre deixando toda sua fortuna para o neto Ricardo, ignorando o filho Adriano.

Na atualidade, Ricardo Montana (Sérgio Marone) é um brilhante homem de negócios. Ele está prestes a lançar seu projeto mais fascinante: a Cidade do Futuro, uma comunidade urbana autossustentável, futurista e tecnológica. No grandioso lançamento, Benjamin (Ígor Rickli), que se tornou um gênio da robótica, e Zoe (Juliana Knust), agora uma repórter de televisão, se reencontram depois de anos.

Com o passar do tempo, várias pessoas ao redor do mundo vão desaparecendo inexplicavelmente. Trata-se do Arrebatamento, o primeiro evento do Apocalipse, quando Deus retira todos os verdadeiramente cristãos da Terra. Zoe fica extremamente abalada ao perceber que sua família se foi e se convence de que se trata mesmo do Arrebatamento. Benjamin, ateu por convicção, rejeita a ideia com veemência. Mesmo com visões opostas, eles vivem um romance intenso neste período conturbado.

É neste momento de fragilidade no planeta que o carismático Ricardo Montana assume o cargo de Secretário Geral da Confederação das Nações e conquista o mundo com seu discurso de paz. Tem início o período da Tribulação, com a abertura dos sete selos do livro de Deus, e explode a Terceira Guerra Mundial, seguida por fome, peste e grandes cataclismos. Neste meio tempo, duas testemunhas são enviadas por Deus para profetizar e anunciar o verdadeiro Messias: os profetas do Antigo Testamento Moisés e Elias. Ricardo, sempre com a cumplicidade de Stefano, finge apoiar as pregações dos profetas.

A verdade é que, por trás da imagem de líder mundial da paz, Ricardo deseja dominar o mundo mesmo que seja necessário usar a guerra. Neste confronto, ele é ferido e dado como morto. É quando Satanás envia um demônio para possuir seu corpo e fingir que o ressuscita. Durante seu enterro, Ricardo “ressuscita” e o mundo recebe com louvor este “milagre”. Daqui para a frente, transformado na Besta do Apocalipse, Ricardo declara guerra a todos os que não o adorarem como Deus – sempre ajudado pelo sacerdote Stefano, que se transforma no Falso Profeta.

Record – 20h30
de 21 de novembro de 2017
a 25 de junho de 2018
155 capítulos

novela de Vívian de Oliveira
supervisão de Cristiane Cardoso
colaboração de Alexandre Teixeira, Emílio Boechat, João Gabriel Carneiro, Marcos Lazarini e Maria Cláudia Oliveira
direção de Edson Spinello, Leonardo Miranda, Hamsa Wood, Leandro Nery e Rogério Passos
direção geral de Edson Spinello
coprodução Casablanca

Novela anterior no horário
O Rico e Lázaro

Novela posterior
Jesus

SÉRGIO MARONE – Ricardo Montana
JULIANA KNUST – Zoe Santero
IGOR RICKLI – Benjamin Gudman
BIA SEIDL – Débora Koheg
EDUARDO LAGO – Adriano Montana
FLÁVIO GALVÃO – Stefano Nicolazi
LEONA CAVALLI – Ariela Feld
PALOMA BERNARDI – Isabela Gudman
FERNANDO PAVÃO – César Sardes
SAMARA FELIPPO – Natália Menezes
LUIZA TOMÉ – Letícia Santero
JANDIR FERRARI – Felipe Santero
SIDNEY SAMPAIO – André Santero
MÔNICA TORRES – Susana Aisen
EDUARDO GALVÃO – Alan Gudman
EMILIO ORCIOLLO NETO – Uri Gudman
CLÁUDIO GABRIEL – Saulo Gudman
ROBERTO BOMTEMPO – Elias
PAULO GORGULHO – Moisés
HENRI PAGNOCELLI – Gideon Koheg
JUSSARA FREIRE – Tamar
RAPHAEL SANDER – Noah
PÉROLA FARIA – Brenda
CARLA MARINS – Titi (Tiatira Abdul)
GISELLE BATISTA – Melina / Lia
NINA DE PÁDUA – Glória Solani
JONATAS FARO – Vittorio Solani
MURILO GROSSI – Jonas Éfeso
LU GRIMALDI – Laodicéia
DANIELA ESCOBAR – Ângela Menezes
SANDRO ROCHA – Henrique Peixoto
LISANDRA SOUTO – Estela Aisen
ALINE BORGES – Bárbara Queiroz
PAULO VILELA – Wallace, o HD
ÍGOR COSSO – Dudu Poeira
JAYME PERIARD – Nicanor Duarte
JUNNO ANDRADE – Arthur Pestana
THAISSA CARVALHO – Celeste Beyoncé
ROBERTO BIRINDELLI – Guido Fontes
CASTRINHO – Oziel Gudman
BETH ZALCMAN – Marta
ADRIANA PRADO – Hanna
MARCELO VALLE – Dylan
ADRIANO GARIB – Tião de Deus
TIÃO D´AVILA – João
MARIA DE LIMA – Soraya
AUGUSTO ZACCHI – Lúcio
LAÍS PINHO – Talita Aisen Peixoto
RONY KRIWAT – Guto
RICARDO DUQUE – Luca Pérgamo
FREDDY COSTA – Diogo Ferreira
RAY ERLICH – Nina
RENATO LIVERA – Zé Bento
EDSON MONTENEGRO – Rodrigo Queiroz
BRUNO DALTRO – Robinson / Cleiton
ANDREY LOPES – Chico Gouveia (Chicotinho)
ROBERTO BATAGLIN – Alencar
FRAN ELMOR – Greta
AIMÉE ESPINOSA – Gláucia
JULIANA LUCCI – Berenice
SIMONE SOARES – Joyce
JÚNIOR PRATA – Omar Sayad
JOSIAS DUARTE – Jamal
ADRI LIMA – Layla
MARIANA CORTINES – Luiza
THADEU MATOS – Dimitri
BERNARDO COSTA – Davi (filho de Zoe e Benjamin)
GUILHERME CHELUCCI – Satanás

1ª fase
MANUELA DO MONTE – Débora Koheg (filha de Gideon e Tamar, irmã de Hanna e Noah)
FELIPE CUNHA – Adriano Montana (pai de Ricardo, marido de Débora, filho de Giancarlo e Verônica)
CAROLINA OLIVEIRA – Susana Aisen (filha de Ruben e Lia, irmã de Estela, mulher de Alan, mãe de Benjamin e Isabela)
MAURÍCIO PITANGA – Alan Gudman (marido de Susana, pai de Benjamin e Isabela, irmão de Uri)
SELMA EGREI – Verônica Montana (mulher de Giancarlo, mãe de Adriano e avó de Ricardo)
LUCINHA LINS – Lia Aisen (mulher de Ruben, mãe de Susana e Estela, avó de Benjamin e Isabela)
NORIVAL RIZZO – Rubem Aisen (marido de Lia, pai de Susana e Estela, avô de Benjamin e Isabela)
MAYTÊ PIRAGIBE – Ana Sardes (mulher de Luis, mãe de César)
JULIANA XAVIER – Letícia Santero (casada com Oswaldo, mãe de Zoe)
ANA PAULA TABALIPA – Júlia Jordão
CACAU MELO – Sandra (namorou Oswaldo, mãe de Tiago)
DEBORAH KALUME – Elisa (mãe de Alan e Uri)
MIGUEL RONCATO – Felipe Santero (filho de Teresa, irmão de Oswaldo e Raquel, tio de Zoe e Tiago)
PHELIPE GOMES – Uri Gudman (irmão de Uri, tio de Benjamin)
YANA SARDENBERG – Titi (Tiatira Abdul)
BRENDHA HADDAD – Hanna Koheg (irmã de Débora e Noah, filha de Gideon e Tamar)
GILBERTO HERNANDEZ – Jonathan Gudman (pai de Alan e Uri)
JOÃO BOURBONNAIS – Lorenzo Viscone
TÔNIO CARVALHO – Giancarlo Montana (pai de Adriano, marido de Verônica, avô de Ricardo)
RAFAELA SAMPAIO – Estela Aisen (filha de Ruben e Lia, irmã de Susana, mulher de Henrique e mãe de Bruno e Talita)
GABRIEL REIF – Oswaldo Santero (filho de Teresa, irmão de Felipe e Raquel, ex de Sandra, pai de Tiago, atual de Letícia, pai de Zoe)
MARCELO ARGENTA – Luís Sardes (pai de César, marido de Ana)
GUILHERME HAMACEK – Saulo Gudman (filho de Oziel e Marta, marido de Hanna)
LAURA KUCZYNSK – Sabrina Santero (namorada de Felipe, mãe de André)
CLEITON MORAIS – Guido Fontes
LARYSSA AYRES – Ariela Feld (ex-mulher de Uri)
MELISSA NÓBREGA – Raquel Santero (filha de Teresa, irmã de Oswaldo e Felipe, tia de Zoe, ex de César Sardes, mãe de Guto e Lorena)
CÉSAR BORGES – César Sardes (filho de Luis e Ana, marido de Raquel, pai de Guto e Lorena)

2ª fase
JOANA FOMM – Teresa Santero (mãe de Oswaldo, Felipe e Raquel, avó de Zoe, Eduardo, Tiago, Guto e Lorena)
GABRIELA SARAIVAH – Zoe Santero (neta de Teresa, filha de Oswaldo e Letícia, meia irmã de Tiago)
PEDRINHO MELO – Benjamim Gudman (filho de Susana e Alan, irmão de Isabela, neto de Ruben e Lia)
LUIZ EDUARDO TOLEDO – Ricardo Montana (filho de Adriano e Débora, neto de Giancarlo e Verônica)
KADU SCHON – André Santero (filho de Sabrina e Felipe, primo de Zoe e Tiago)
ANTONELLA MATTOS – Isabela (irmã de Benjamin, filha de Alan e Susana)

3ª fase
MARCOS WINTER – Oswaldo Santero
JULIANA SILVEIRA – Raquel Santero
FLÁVIA MONTEIRO – Sabrina Santero
THAIS PACHOLEK – Monique Filadélfia
THAIS MELCHIOR – Melina
ADRIANA LONDOÑO – Esmirna Ferreira da Silva (mãe de Wallace e Robinson, ex de Tião de Deus)
ZÉCARLOS MACHADO – Pastor Ezequiel Mendes (irmão de Jonas Éfeso)
RAFAEL SARDÃO – Tiago Santero (filho de Oswaldo e Sandra, neto de Teresa e meio irmão de Zoe)
THUANY PARENTE – Alice / Lili Star (filha de Jonas e Laodicéia)
BRUNO GUEDES – Bruno Aisen Peixoto (filho de Henrique e Estela, irmão de Talita)
ISABELLA KOPPEL – Lorena (filha de César e Raquel, irmã de Guto)
NATHÁLIA COSTA – Ester Gudman (filha adotiva de Hanna e Saulo)
DUDU AZEVEDO – Jesus

Apocalipse foi a primeira produção da Record inspirada em livro da Bíblia cuja trama se passa em nosso tempo. Ou seja, não era ambientada na Antiguidade. Ainda assim, os acontecimentos da história – catástrofes naturais como terremotos e tsunamis – não tinham relação com fatos ou acontecimentos atuais.

A autora Vívian de Oliveira afirmou que sua referência foi a Bíblia, não só o livro do Apocalipse, mas também o Velho Testamento e outros livros do Novo Testamento.
Vívian contou com a consultoria de acadêmicos, estudiosos, teólogos e religiosos.

A Record fez grande alarde para a estreia da novela. O investimento foi alto: uma produção onerosa, com ênfase em efeitos especiais cinematográficos.
Apocalipse teve frentes de trabalho em Nova York, Roma e Jerusalém (além do Rio de Janeiro), com núcleos da trama nessas cidades.
Foi o maior elenco já reunido pela Record para uma novela: mais de 100 atores – entre rostos repetidos da emissora e novas contratações -, que saíam da trama à medida que entrava uma nova fase da história.

Mas a novela não passou de uma grande decepção para a Record. Talvez porque a expectativa fosse alta demais. A emissora tinha pretensões de voltar a incomodar a Globo, ao menos igualando os resultados aos obtidos com Os Dez Mandamentos, entre 2015 e 2016.
Porém, Apocalipse terminou como a produção bíblica da Record com o pior desempenho no Ibope desde que a emissora voltou a investir em tramas bíblicas (2010) após a retomada de sua dramaturgia (2004).
A meta era de 10 pontos no Ibope da Grande São Paulo, mas a novela terminou com média geral em torno dos 8 pontos, em terceiro lugar, perdendo para o SBT.
Enquanto isso, no horário anterior, a reprise de Os Dez Mandamentos estava sempre na frente (média geral de 10 pontos), comprovando que parte do público que nela estava, ou desligava a TV ou trocava de canal quando começava Apocalipse.
Inicialmente pensada para durar por volta de 170 capítulos, a novela acabou encurtada, totalizando 155.

Apocalipse passou por duas polêmicas. A primeira envolvendo o desagrado dos católicos com o personagem de Flávio Galvão, Stefano Nicolazi, o sacerdote máximo da fictícia Igreja da Sagrada Luz. Na trama, Stefano revelou-se o Falso Profeta, descrito na Bíblia, o mentor do Anticristo (Sérgio Marone). Todas as referências que a Record usou para representar a Igreja da Sagrada Luz remetiam à Igreja Católica, desde a ambientação, em Roma, às vestes dos rituais religiosos.
Em entrevista, Vívian de Oliveira alegou que a novela iria contemplar várias religiões: não só os evangélicos, mas também judeus e até ateus. Com relação à Sagrada Luz, ela afirmou que tratava-se de uma “igreja fictícia romana”.
Sites de movimentos católicos protestaram contra a emissora, pedindo boicote dos telespectadores à novela por ela sugerir que o Papa fosse o Anticristo.

A segunda polêmica envolveu Cristiane Cardoso, filha de Edir Macedo (dono da Record), que atuava na novela como supervisora. Suas interferências no texto de Vívian de Oliveira, a autora da novela, na edição dos capítulos e em decisões da narrativa, sem aviso prévio, pegaram de surpresa autora e atores.
O ápice da crise, agravada com o fraco desempenho da novela no Ibope, se deu na reta final da trama: em maio de 2018, Vivian de Oliveira deixou Apocalipse depois de divergências com a direção da Record. Seus colaboradores concluíram o trabalho sob o comando de Cristiane Cardoso.

Apocalipse foi ainda acusada de exagerar nas pregações religiosas dentro da trama, o que lhe rendeu o apelido de “teleculto”. Mas difícil mesmo foi ver Sérgio Marone como o Anticristo fazendo comentários marotos ou soltando frases de efeito para a câmera, seguido de uma gargalhada ou um sorrisinho cínico: um recurso risível e dispensável.

O ator Guilherme Chelucci levava cerca de três horas para se transformar no Satanás de Apocalipse, enquanto a equipe de caracterização lhe aplicava próteses, maquiagem e tintura corporal. A referência para a caracterização era o personagem Darth Maul, vilão da saga cinematográfica Star Wars.


01. ADÁGIO EM SOL MENOR – Kleber Augusto (tema de abertura)
02. THE WAY YOU ARE – Marina Elali
03. ELE VEM – Fernando Mendes
04. IO CHE NON VIVO SENZA TE – Renato César
05. TO ME – Márcio Lott
06. FUTURA ESCURIDÃO – Kildson
07. STOP., LOOK, LISTEN TO YOUR HEART – Moyses
08. TEU PERDÃO – Thuany Parente
09. CANTO DELLA TERRA – Renato César

Veja também

  • dezmandamentos_logo

Os Dez Mandamentos

  • reidavi_logo

Rei Davi

  • josedoegito_logo

José do Egito