Sinopse

Maya é uma bela jovem indiana, funcionária de um telemarketing do Rajastão e pertence a uma tradicional família da casta dos comerciantes. Bahuan está se formando nos Estados Unidos, trabalha em uma empresa americana, mas nunca esqueceu as humilhações que passou na infância na Índia, por ser um intocável – um dálit, parte do contigente que os textos sagrados definem como “a poeira aos pés do Deus Brahma”, aqueles considerados impuros e condenados a nem mesmo tocar com sua sombra um integrante das castas. Tal sistema já foi banido pela lei, porém não pelos costumes.

Maya já está na idade de se casar e seus pais, Manu e Kochi, procuram, com afinco, um bom marido. Como toda indiana, ela sempre acreditou que ninguém melhor do que os dois para escolher o homem certo. Até conhecer Bahuan, que está de volta à Índia. Movida por um sentimento arrebatador, Maya está disposta a impor à família sua vontade e não compreende porque o rapaz se mostra tão reticente. Apenas quando a verdade sobre a origem do jovem vem à tona é que descobre a razão dos medos dele e vive o drama da revelação em sua casa. Entre promessas, riscos, encontros e desencontros, o casal planeja um futuro junto e é, a todo momento, surpreendido pelo destino.

No caminho de Maya e Bahuan está Raj Ananda, o pretendente escolhido em comum acordo entre as famílias dele e de Maya. A imposição ao casamento é um meio encontrado pela família Ananda de fazer Raj esquecer a brasileira Duda – uma firanghi, como é chamada na Índia toda mulher estrangeira. Um casamento com alguém de fora, ou seja, que não pertence a nenhuma casta indiana, não é bem visto por Opash, pai de Raj, um homem demais apegado às tradições e aos costumes de seu país. Nem mesmo a gravidez de Duda sensibilizará Opash a permitir qualquer aproximação entre seu filho e a brasileira.

Opash vive em conflito com o sábio Shankar, por não aceitar suas idéias liberais. Shankar condena o preconceito dos mais conservadores contra os dálits, tanto que adotou Bahuan, um intocável, como seu filho, e lhe permitiu todo as possibilidades na vida que um dálit não teria. Bahuan soube aproveitar, estudou, investiu em sua carreira, mas foi fisgado pelo amor ao conhecer Maya. A aproximação dos dois traz muito sofrimento, pois Bahuan parte para o Brasil, enquanto Maya, impossibilitada de acompanhá-lo, abdica deste amor e casa-se com Raj, mesmo estando grávida de Bahuan.

No Brasil, anos depois, Bahuan vai trabalhar na empresa Cadore, que é gerida pelos irmãos Raul e Ramiro. Os dois vivem em pé de guerra numa luta pelo poder dentro das empresas da família. Com seu casamento com Silvia em crise, Raul nem percebe as reais intenções de Yvone, amiga de Silvia que vai passar uma temporada em sua casa. A moça arma um plano para roubar o marido da amiga e ainda por cima arrancar o que puder dele, seu dinheiro e inclusive sua vida. Envolvido e seduzido por Yvone, Raul forja sua morte ante a sociedade e, com outra identidade, sai do Brasil com ela para viver bem longe do clima opressor familiar do qual se achava vítima. É em Dubai que Yvone trama sua cartada final, roubando todo o dinheiro de Raul.

Enquanto isso, no Brasil, Ramiro toma as rédeas da Cadore. Ele é um empresário ambicioso, obcecado pelo sucesso pessoal, que cobra do filho Tarso a postura agressiva que espera de um bom homem de negócios. Mas nem imagina os efeitos que tanta pressão pode causar. Sentindo-se continuamente desaprovado, Tarso se refugia cada vez mais dentro de si e desenvolve um quadro de doença mental. A mãe do rapaz, a fútil e voluntariosa Melissa, que sempre mimou e super-protegeu o filho, não consegue aceitar a sua doença. Mas Tarso sabe que pode contar com o apoio do avô Cadore, da irmã Inês e da namorada Tônia, alvo constante de Melissa, que não aceita o namoro do filho nem com ela, nem com qualquer moça que se aproxime dele.

Globo – 21h
de 19 de janeiro a 12 de setembro de 2009
203 capítulos

novela de Glória Perez
colaboração de Carlos Lombardi e Elizabeth Jhin
direção de Marcelo Travesso, Fred Mayrink, Luciano Sabino, Roberto Carminatti, Leonardo Nogueira e Marco Antônio Ferreira
direção geral de Marcos Schechtmann

Novela anterior no horário
A Favorita

Novela posterior
Viver a Vida

JULIANA PAES – Maya
RODRIGO LOMBARDI – Raj
MÁRCIO GARCIA – Bahuan
TONY RAMOS – Opash Ananda
LIMA DUARTE – Shankar Sundrani
LETÍCIA SABATELLA – Yvone
ALEXANDRE BORGES – Raul Cadore / Humberto Cunha
DÉBORA BLOCH – Silvia
HUMBERTO MARTINS – Ramiro
CHRISTIANE TORLONI – Melissa
LAURA CARDOSO – Laksmi
ELIANE GIARDINI – Indhira
OSMAR PRADO – Manu Meetha
NÍVEA MARIA – Kochi
BRUNO GAGLIASSO – Tarso
MARJORIE ESTIANO – Tônia
CACO CIOCLER – Murilo
ELIAS GLEIZER – Cadore
TÂNIA KHALIL – Duda
DIRA PAES – Norminha
ANDERSON MÜLLER – Abel
STÊNIO GARCIA – Dr. Castanho
VERA FISCHER – Chiara
MAITÊ PROENÇA – Nanda
ODILON WAGNER – Mike Johnson / Eric
TOTIA MEIRELLES – Aída
ANTÔNIO CALLONI – César Gallo Goulart
ANA BEATRIZ NOGUEIRA – Ilana
CLÉO PIRES – Surya
DANTON MELO – Amithab
CAIO BLAT – Ravi
ÍSIS VALVERDE – Camila
FLÁVIO MIGLIACCIO – Karan
JOSÉ DE ABREU – Pandit
ANDRÉ ARTECHE – Indra
MARA MANZAN – Ashima
MARIA MAYA – Inês
JÚLIA ALMEIDA – Leinha
MURILO ROSA – Lucas
VICTOR FASANO – Darío
BETTY GOFMAN – Dayse
SILVIA BUARQUE – Berê
EVA TODOR – Dona Cidinha
SIDNEY SANTIAGO – Ademir
ANDRÉ GONÇALVES – Gopal
JANDIRA MARTINI – Puja
MARCIUS MELHEM – Radesh
CAROLINA OLIVEIRA – Chanti
RICARDO TOZZI – Komal
BRENDHA HADDAD – Rani
CACAU MELO – Deva
CLÁUDIA LIRA – Nayana
THAYLA AYALA – Shivani
DUDA NAGLE – Zeca
VITÓRIA FRATE – Júlia
JAVA MAYAN – Beca
ROSANE GOFMAN – Valkíria
ANA FURTADO – Gaby
ANINHA LIMA – Cissa
JULIANA ALVES – Suellen
NEUZA BORGES – Cema
MUSSUNZINHO – Maico
CISSA GUIMARÃES – Ruth
LUCI PEREIRA – Ondina
PRISCILLA MARINHO – Sheila
DARLAN CUNHA – Eliseu
THAIS GARAYP – Dona Ana
PAULA PEREIRA – Durga
MÁRCIO VITO – Ramu
JANAÍNA PRADO – Sonya
CLARISSE DERZIÊ LUZ – Harima
as crianças
KARINA FERRARI – Anusha
CADU PASCHOAL – Hari
NAUHANA COSTA – Malika
LAURA BARRETO – Lalit
DAVI PINHEIRO – Niraj Meetha Ananda (bebê de Maya)
e
ADILSON MAGHA – Siro (guru de Shankar)
ADRIANO GARIB – advogado
ALEXANDRE LIUZZI – Pedro (amigo de Bahuan no Rio)
ALEX NADER – Cabelinho
ALLAN SOUZA LIMA – Hadit (amigo de Bahuan nos EUA)
ALONSO GONÇALVES – Fontes
AMÉLIA BITTENCOURT – viúva que acolhe Maya no viuvário depois que Opash a expulsa de casa
ANDERSON OLIVEIRA – Jedidiah
ANDRÉ FALCÃO – amante de Norminha
ANTÔNIO FRAGOSO – Alexandre (candidato a pai do filho de Ruth)
BABU SANTANA – paciente do Dr. Castanho
BELLATRIX SERRA – Cidinha (jovem)
BERTRAND DUARTE – pai de Hamia
BLOTA FILHO – Dr. Haroldo (advogado da Cadore, marido de Nanda)
BRUNA ABDALAH – Goa
CHARLE MYIARA – delegado
CHICO ANYSIO – Namit (falso pai de Radesh)
CHRISTOVAM NETTO – paciente do Dr. Castanho
CLEMENTE VISCAÍNO – delegado que investiga o sequestro de Raul
CRISTIANO COCHRANE – Cadore (jovem)
CYRIA COENTRO – mãe de Bahuan
DANIEL MARQUES – Marcelo (estagiário de Castanho)
DELANO AVELAR – Senhor Hajari (pai de Rani)
DENISE MILFONT – esposa do Senhor Hajari (mãe de Rani)
DOUG VALLE – Amitab (criança)
DOUGLAS CAMPIGOTTO – Marcelo
DOUGLAS SILVA – Juliano (amigo de Zeca)
DUDA MAMBERTI – Dr. Marcos (médico que Melissa contata para consultar Tarso)
DUDA RIBEIRO – Miguel (agente penitenciário que ajuda Yvone a fugir da cadeia no último capítulo)
DYJHAN HENRIQUE – Bahuan (criança)
FÁBIO FELIPE – Rodrigo
FERNANDA CARVALHO – Hamia (hospeda-se na casa de Indra)
GABRIEL WAINER – amigo de Leinha
GISELE TIGRE – amiga de Melissa
GLAUCE GRAIEB – mãe do pretendente de Chanti
GUILHERME ZAIDEN como ele mesmo
JACQUELINE DALABONA – Rhada (mãe de Shivani)
JAYANTHY como ele mesmo (sacerdote hindú)
JOÃO FERNANDES – Amarit
JOÃO SIGNORELLI – guru no último capítulo
JOSÉ RÚBENS CHACHÁ – juiz no julgamento de Zeca no último capítulo
JÚLIA CARRERA – paciente do Dr. Castanho
JÚNIOR PRATA – gerente do hotel em Dubai
KAROL DI NASSIF – Laksmi (jovem)
LUIZ BACCELLI – Barat Mugdaliar (pai de Shivani)
LUIZ NICOLAU – policial que prende Radesh
MARCELA TINTI – secretária no centro de estética
MARCELO BORGHI – comerciante indiano
MARCELO BROU – Guto (massagista no centro de estética, amigo de Dayse)
MARCELO TORREÃO – pai de Amarit
MARIA GLADYS – Glorinha (cartomante procurada por Norminha)
MARIA HELENA VELASCO – parteira de Maya
MARIA REGINA – Mera (falsa mãe de Radesh)
MARIANA XAVIER – brasileira que aborda Maya e Raj para bater foto v
MÁRIO CARDOSO – médico que atesta gravidez de Duda
MAURÍCIO GONÇALVES – Vargas (colega de profissão de Abel)
MILENA TOSCANO – Gilda (namorada de Tarso no início)
MIGUEL ONIGA – paciente do Dr. Castanho
PASCHOAL DA CONCEIÇÃO – Kori (comparsa de Namit)
PAULO ASCENÇÃO – chefe de segurança da Cadore
PAULO CARVALHO – médico de Cissa
PAULO JOSÉ – Gentileza (figura folclórica do Rio de Janeiro que espalha mensagens de solidariedade pelas ruas)
PRETA GIL como ela mesma
PRISCILA como ela mesma (ex-BBB)
PRISCILA STEINMAN – Aninha
RENATA BECIANE como ela mesma (dançarina)
RITA GUEDES – delegada
ROBERTO FROTA – delegado que interroga Yvone
RODRIGO VERONESE – Bruno (amigo de Bahuan nos EUA)
RONEY VILELA – policial
RÚBEM DE BEM – pai do pretendente de Chanti
SELMA REIS – mãe de Hamia
SÉRGIO GUIZÉ – interno da clínica do Dr. Castanho
SUZANA FAINI – Virgínia (mãe de Yvone)
THALITA LIPPI – Marcinha (da turma do Beca)
THIAGO MARTINS – Shankar (jovem)
THIAGO SOARES como ele mesmo (dançarino)
TIÃO D´AVILA – pai de Deva
TURÍBIO RUIZ – Bába
VINÍCIUS VOMMARO – Miguel (amigo de Zeca)
VIRGÍNIA CAVENDISH – Selma (cunhada de Yvone)
VITOR BELFORT como ele mesmo
YUNES CHAMI – sacerdote

– núcleo de MAYA MEETHA (Juliana Paes), moça indiana da casta dos comerciantes que trabalhava num call center no início. Envolve-se com Bahuan, mas após ser abandonada por ele, casa-se com Raj, num casamento arranjado por seus pais. Acaba se apaixonando por Raj. Seu filho é, na verdade, filho de Bahuan, e não de Raj, informação que põe em risco a felicidade do casal:
os pais MANU (Osmar Prado), comerciante de perfumes, e KOCHI (Nívea Maria)
o irmão KOMAL (Ricardo Tozzi), um sedutor sem vocação para o trabalho, apesar dos esforços do pai, que é um esperto comerciante
a esposa de Komal, RANI (Bredha Haddad), com quem ele casa no início
a melhor amiga DEVA (Cacau Mello), trabalha no mesmo call center que ela
a amiga de Deva, SONYA (Janaína Prado), alvo das investidas de Komal
a criada HARIMA (Clarisse Derziê Luz).

– núcleo de RAJ ANANDA (Rodrigo Lombardi), filho de uma tradicional família indiana, terminou seus estudos na Inglaterra e mantém sua própria empresa de informática. Vive dividido entre os valores do ocidente e do oriente. Casa-se com Maya, num casamento arranjado pelas famílias, o que o leva a terminar o relacionamento que mantinha com uma brasileira. Acaba apaixonando-se por Maya:
o pai OPASH (Tony Ramos), rico comerciante de tecidos. Orgulhoso, sério, e extremamente apegado aos costumes e tradições, defensor ferrenho do sistema de castas
a mãe INDIRA (Eliane Giardini), subserviente ao marido e aos costumes, dramática e dedicada à família. Desconta sua insatisfação nas noras
os irmãos AMITHAB (Danton Mello), mais velho, trabalha com o pai na loja de tecidos da família. Também é apegado às tradições e não vê com bons olhos as idéias do irmão. Amithab é casado com SURYA (Cléo Pires), invejosa e dissimulada, que luta pelos privilégios de ser a primeira nora, esposa do filho mais velho. Surya sofre por não gerar um filho homem e inferniza a vida de Maya quando ela vai morar com a família Ananda
RAVI (Caio Blat), que, apesar da enorme pressão dos pais, conseguirá driblar os costumes e se casar com uma brasileira que conheceu pela internet
e CHANTI (Carolina Oliveira), doutrinada pela família para os afazeres domésticos e para casar-se. Ela estuda, lida com informática e sonha em ser independente e atriz de Bollywood
a avó LAKSMI (Laura Cardoso), mãe de Opash, ficara viúva ainda grávida. Por ser a pessoa mais velha da família, todos lhe devem respeito e obediência. Rigorosa e tradicional, critica Indira e as esposas de seus netos a todo instante, o que lhe vale o apelido de ‘naja’, pelas suas costas, pelas intrigas que costuma tear
o tio-avô KARAN (Flávio Migliaccio), cunhado de Laksmi, de idéias mais modernas, defende a modernização da Índia, apesar de algumas opiniões mais conservadoras. É o único que sabe do segredo sobre um romance do passado de Laksmi, e desconfia sobre a real paternidade de Opash
a sobrinha ANUSHA (Karina Ferrari), filha de Surya e Amithab. Esperta e graciosa, dança muito bem
a empregada da casa DURGA (Paula Pereira), que ao ser alvo de uma chantagem de Surya, a auxilia em seus planos contra Maya
a filha de Durga, LALIT (Laura Barreto), companhia constante de Anusha.

– núcleo de BAHUAN SUNDRANI (Márcio Garcia), rapaz rico e culto, mas que não se esqueceu das humilhações que passou na infância por ser um dalit, um intocável. Foi adotado por um brâmane e estudou nos Estados Unidos. Ao voltar à Índia, envolve-se com Maya, ocultando sua origem, mas a abandona, sem saber que ela está grávida. Ainda apaixonado por ela, atrapalha como pode o casamento de Maya e Raj. Os negócios com a empresa brasileira Cadore são responsáveis pelo encontro de Raj e Bahuan:
o pai adotivo, SHANKAR (Lima Duarte), sacerdote sábio, criou Bahuan como se este fosse seu filho. De idéias mais modernas, vê os dalits como iguais e luta pelos seus direitos. Por isso, vive em conflito com Opash, ferrenho opressor dos intocáveis, sem saber que é seu pai, fruto de seu romance de juventude com Laksmi
o amigo no Brasil PEDRO (Alexandre Liuzzi)
a namorada no Brasil SHIVANI (Thaya Ayala), jovem filha de milionários indianos.

– núcleo de RAMIRO CADORE (Humberto Martins), sócio da empresa Cadore, que gere junto ao irmão. Empresário manipulador, sério e impulsivo. Inteiramente ligado à empresa, não faz questão de lidar com os problemas de sua família:
a esposa MELISSA (Christiane Torloni), elitista, elegante, fútil e afetada. Seus interesses se restringem à juventude e magreza. Ciumenta, posa sempre que possível para as revistas, mostrando sua ‘família perfeita e feliz’
o filho TARSO (Bruno Gagliasso), estudante sensível e repleto de aptidões artísticas. Idolatrado pela mãe, em virtude de sua beleza, e pressionado pelo pai para ligar-se à empresa da família. Acaba desenvolvendo um quadro de esquizofrenia e a demora em seu diagnóstico contribui para suas crises
a filha INÊS (Maria Maya), rejeitada pela mãe por causa de seu visual alternativo, que a trata por ‘alien’
a empregada SHEILA (Priscilla Marinho), que idolatra a patroa Melissa.

– núcleo de RAUL CADORE (Alexandre Borges), sócio do irmão na empresa da família, vive em conflito com Ramiro, que se diz o responsável pelo crescimento da empresa, negando o valor do irmão. O casamento também vai mal e ele sonha em recomeçar a vida em outro lugar:
a esposa SILVIA (Débora Bloch), mulher generosa que a princípio luta pelo casamento que está acabando
a amiga de Silvia, YVONE (Letícia Sabatella), que vai hospedar-se em sua casa. Falsa e dissimulada, seduz Raul convencendo-o a fugir do país com ela. Para tanto, os dois tramam uma morte forjada para Raul. Juntos, eles vão para Dubai, usando um montante de dinheiro que Raul desviara da empresa. Mais tarde, Yvone abandona Raul, deixando-o na miséria. Ele passa então a usar a falsa identidade de HUMBERTO CUNHA, para se vingar de Yvone, recomeçar sua vida e, quem sabe, se reaproximar de sua famílai no Brasil.
Para tanto, Raul conta com a ajuda do motorista indiano GOPAL (André Gonçalves), marido de Durga, que a deixara na Índia para trabalhar em Dubai. Esperto, Gopal ajuda Raul nas investigações contra Yvone
a filha JÚLIA (Vitória Frate), que quer vingar-se do tio Ramiro por ele ter tomado a casa onde morava com a mãe após a suposta morte de seu pai
o pai, SR. CADORE (Elias Gleizer), fundador da empresa. Aposentado, sente-se injustiçado por os filhos dispensarem sua opinião nos negócios da família. No início, mora com Raul, mas com a “morte” deste, va morar com Ramiro. Auxilia Tarso em suas crises mais fortes e, com a ajuda da neta Inês, interna o rapaz numa clínica contra a vontade de seus pais
a empregada ONDINA (Luci Pereira), desenvolve uma relação de amizade com Cadore, apesar da aparente implicância de um com o outro
o playboy BECA (Java Mayan), que chefia uma gangue barra pesada. Júlia o contrata visando vingar-se do tio Ramiro e acaba se envolvendo com ele.

– núcleo de MURILO (Caco Ciocler), executivo da Cadore, homem impulsivo e um tanto atrapalhado em suas conquistas amorosas. Melhor amigo de Raul, após a falsa morte dele, passa a proteger Sílvia das armações de Ramiro, que chega a tomar a casa dela. É Murilo quem cede sua própria casa para Sílvia e Júlia morarem. Acaba conquistando ela, por quem sempre fora apaixonado, e os dois vivem um romance:
a irmã TÔNIA (Marjorie Estiano), estudante que envolve-se com Tarso, apesar de Melissa não considera-la à altura dele. Tônia tem importância fundamental no desenrolar da doença do rapaz, batalhando pela melhora do quadro de esquizofrenia e o retorno de Tarso a uma vida normal.

– núcleo de DUDA (Tânia Khalil), a namorada brasileira de Raj no início da história. Chega a vender todos os seus bens para ir morar com ele em sua casa na Índia, mas desiste de seu amor quando Raj e Maya se casam. Descobre-se grávida e tem um filho dele:
a melhor amiga CHIARA (Vera Fischer), mulher exuberante, charmosa e independente. Flerta com Murilo no começo. Sócia no Centro de Estética, onde Duda trabalha
o médico LUCAS (Murilo Rosa), que opera o filho de Duda. Os dois acabam apaixonados.

– núcleo do DR. CASTANHO (Stênio Garcia), psiquiatra renomado, humanista e moderno, fala a linguagem de seus pacientes. Amigo de Cadore, tem papel fundamental no tratamento de Tarso. A família do rapaz reluta em interná-lo em sua clínica, por não aceitar a doença do rapaz. Mas, com a insistência de Cadore, Tarso passa a fazer o tratamento na clínica:
a fiel secretária DONA CIDINHA (Eva Todor), que no passado tivera um romance com Cadore. Volta a se envolver com ele
a assistente social CISSA (Aninha Lima), alegre e extrovertida
o médico residente MARCELO (Daniel Marques), estagia na clínica.

– núcleo de AÍDA (Totia Meirelles), psicóloga dedicada, amiga e admiradora do Dr. Castanho, trabalha em sua clínica. Grande amiga de Sílvia, é a primeira a estranhar o comportamento de Yvone:
as filhas CAMILA (Ísis Valverde), que conhece o indiano Ravi pela internet e se apaixona por ele. Depois de se casar, vai morar na Índia com seu marido, enfrentando a oposição da mãe e as dificuldades de adaptação a uma cultura tão diferente da dela
e LEINHA (Júlia Almeida), documentarista, jovem de bem com a vida
DARÍO (Victor Fasano), executivo da Cadore, amigo de Ramiro. Homem sedutor, envolve-se com Cissa e Camila (antes dela conhecer Ravi). De tanto brigar com Aída – que não aceitava sua relação com a filha dela – os dois acabam apaixonados.

– núcleo de CÉSAR GALLO GOULART (Antônio Calloni), ex-marido de Aída, pai de suas filhas. Advogado, homem amoral e arrogante, sempre tentando tirar vantagem em tudo. Vive batendo de frente com a ex-mulher:
a segunda mulher, ILANA (Ana Beatriz Nogueira), tão amoral quanto o marido. Sócia de Chiara no Centro de Estética, vive em conflito com Aída, achando que ela quer tirar vantagem do dinheiro de César
o filho com Ilana, ZECA (Duda Nagle), um pitboy, irresponsável e mau caráter, sempre protegido pelos pais, apesar de qualquer atrocidade que venha a cometer.

– núcleo da empresa Cadore:
a executiva GABI (Ana Furtado), mulher bem sucedida, tem um envolvimento com Ramiro
a secretária de Ramiro, VALKÍRIA (Rosane Gofman), apaixonada por ele. Viciada em internet, vivencia situações com o patrão nos ambientes virtuais
o office-boy ELISEU (Darlan Cunha), diverte-se com as excentricidades virtuais de Valkíria.

– núcleo de NORMINHA (Dira Paes), moradora da Lapa, mulher fogosa mas que posa de santa para os vizinhos e para o marido, a quem trai constantemente:
o marido ABEL (Anderson Muller), guarda de trânsito querido por toda a vizinhança. É severo no cumprimento da lei e só se deixa dobrar pela esposa, por quem é cego de paixão e não percebe suas traições.

– núcleo de INDRA (André Arteche), jovem filho de uma indiana que vive no Brasil. Bom estudante, sofre a perseguição do pitboy Zeca, por “ser diferente”. Alvo do assédio de Norminha, chega a envolver-se com ela esporadicamente, até conhecer a indiana Chanti, de passagem pelo Brasil, por quem se apaixona:
a mãe ASHIMA (Mara Manzan), viúva indiana, abriu uma pastelaria na Lapa. Tenta manter alguns costumes indianos, mesmo no Rio de Janeiro
a irmã pequena MALIKA (Nahuana Costa)
a prima de Ashima, DONA ANA (Thais Gayrap), passa a cuidar da pastelaria quando Ashima e Malika viajam para a Índia
a atendente na pastelaria SUELLEN (Juliana Alves), mulher bela e desinibida, vive entrando em atrito com Norminha, que sente ciúmes dela. É a única que duvida do comportamento de Norminha, e vive a alertar Indra sobre o que pode acontecer caso Abel descubra o caso dos dois. Nunca está cansada para uma noite na gafieira e é na pista de dança que conhece o Dr. Castanho, com quem inicia um relacionamento. Também é alvo das cantadas de César.

– núcleo de BERÊ (Sílvia Buarque), professora da escola de Zeca, vive enfrentando dificuldades em seu trabalho como a falta de respeito ao professor e o desinteresse dos alunos:
a amiga DAYSE (Betty Gofman), com quem divide o apartamento. Após uma viagem à Índia, Dayse volta convertida ao Hinduísmo, o que causa alguns problemas de ordem prática na convivência com Berê. Com a crise no casamento de Abel e Norminha, Dayse passa a demonstrar interesse pelo rapaz, o que causa o ciúme e a ira de Norminha
a amiga RUTH (Cissa Guimarães), diretora da escola onde leciona
o amigo de Dayse, GUTO (Marcelo Brou), massagista do Centro de Estética, tem seu sêmen usado por Ruth em sua “produção independente”.

– núcleo de RADESH (Marcius Melhem), indiano malandro, falso guru místico, engana frequentemente Dayse e a faz gastar dinheiro em seus produtos mágicos. Põe um anúncio de matrimônio num jornal indiano e acaba se casando com Deva, fazendo-se passar por um empresário milionário e filho de marajá:
o trambiqueiro NAMIT (Chico Anysio), diretor de filmes de Bollywood, contratado por Radesh para se fazer passar por seu pai, um marajá indiano
a falsa mãe MERA (Maria Regina)
o parceiro de Namit no golpe de Radesh, KORI (Paschoal da Conceição).

– núcleo de ADEMIR (Sidney Santiago), um dos pacientes do Dr. Castanho, tem crises de esquizofrenia. Sonha com uma vida normal e quer muito um emprego fora da clínica. De origem humilde, é um dos frequentadores da casa de gafieira. Esperto e esmero dançarino, tenta seduzir Suellen:
a mãe CEMA (Neusa Borges), mulher batalhadora, enfrenta dificuldades com a doença do filho. Amiga das empregadas Ondina e Sheila
o irmão mais novo, MAICO (Mussunzinho), colega de sala de Indra, sofre com o amigo as perseguições do pitboy Zeca.

– núcleo do sacerdorte indiano PANDIT (José de Abreu), consultado pelas famílias Ananda e Meetha e presente em todas as ocasiões e decisões importantes:
a esposa NAYANA (Cláudia Lira).

– núcleo de PUJA (Jandira Martini), dalit protegida de Shankar. Luta pela inserção dos intocáveis na sociedade indiana, inclusive através da política:
o filho RAMU (Márcio Vitto), conformado com sua posição subalterna na sociedade
o neto HARI (Cadu Paschoal), filho de Ramu, menino sensível que sofre rejeição constante por ser um intocável. Torna-se grande amigo de Anusha, sem que os pais da menina fiquem sabendo, já que eles não aceitariam essa amizade.

– núcleo de NANDA (Maitê Proença), amiga de Gabi e Melissa. Mulher instável emocionalmente. Com o casamento em crise, se deixa enganar pelo amante, que lhe fora apresentado pela falsa amiga Yvone:
o marido HAROLDO (Blota Filho), executivo das empresas Cadore, prefere o trabalho à sua mulher
o amante ERIC, falsa identidade de MIKE JOHNSON (Odilon Wagner), parceiro de crimes de Yvone, entra na história após o golpe dela sobre Raul. Não é um psicopata como a parceira, mas vive de seduzir mulheres inseguras em casamentos tediosos, e mais tarde chantageá-las. É nessa situação que Mike se apresenta como Eric para Nanda e a seduz, com o intuito de extorquir-lhe dinheiro. Mais tarde também se envolve com Chiara, sua nova vítima, mas é preso quando tentava fugir com muito dinheiro.

A novidade de Caminho das Índias, e seu maior atrativo, foi levar ao público a cultura indiana e suas características e curiosidades, tão exóticas ao olhos do brasileiro. Assim como fizera em O Clone (2001-2002) – que apresentou o mundo islâmico – a autora, Glória Perez, fez um apanhado dos costumes e tradições de uma cultura bem diferente da ocidental – desta vez a indiana. Foram abordados temas como o sistema de castas, a casamento arranjado, a longa preparação para um casamento, a questão dos intocáveis, além de danças e festas tradicionais e festivais folclóricos.

Atenta às transformações do comportamento humano e uma observadora nata, Glória Perez estava no Mipcom, um evento em que emissoras de TV e produtores de conteúdo do mundo inteiro oferecem seus melhores programas, quando surgiu a ideia de ambientar sua próxima história na Índia.
“Me impactou o que vi de desenvolvimento tecnológico no estande indiano e, à noite, na festa que foi oferecida por eles imperava a tradição milenar do hinduísmo. Achei fascinante a maneira como eles avançavam para o futuro sem abrir mão das tradições, enquanto nós só conseguimos eliminando o passado”, afirmou a autora a Flávio Ricco e José Armando Vannucci para o livro “Biografia da Televisão Brasileira”.

A inserção de palavras estrangeiras nas falas dos personagens indianos da novela fez com que termos e expressões, repetidos à exaustão, se tornassem bordões populares, como “firanghi estrangeira” (expressão usada erroneamente, um pleonasmo, já que a palavra “firanghi” já quer dizer “estrangeira”), “arrastar o sári no mercado”, “as lamparinas do juízo”, “are baba!” (ai meu Deus!, puxa vida!), “baguan keliê” e “arebaguandi” (meu Deus!), “tchalô” (vamos!), “atchá” (expressão de satisfação) e “namastê” (saudação).

A produção foi criticada pela liberdade criativa ao retratar a caracterização de personagens indianos – como mulheres no dia-a-dia vestidas e maquiadas como se estivessem numa festa tradicional, ou núcleos familiares inteiros dançando por qualquer motivo. Também por uma abordagem pouco condizente à Índia contemporânea, como a questão dos intocáveis (dálits) ou o sistema de castas. Tudo isto contribuiu para que a Índia mostrada na novela soasse um tanto quanto fake, ou como se a Índia representada fosse a do início do século 20.

Também críticas à liberdade criativa da autora. Glória Perez ignorou a diferença de fusos entre o Brasil e a Índia e a sensação causada no telespectador era de que o Rio de Janeiro e Nova Deli eram bairros vizinhos. Flávio Ricco e José Armando Vannucci em “Biografia da Televisão Brasileira”.

Mas a maior crítica deu-se pela inversão do mocinho da novela, Bahuan, interpretado pelo ator Márcio Garcia, que viu seu personagem se esvair ainda no início da trama. De herói protagonista, Bahuan tornou-se o antagonista, a partir do momento em que o público viu maior empatia entre a mocinha Maya (Juliana Paes) e seu marido forjado Raj (Rodrigo Lombardi). Falou-se até em “falta de química” entre os atores Márcio Garcia e Juliana Paes. Assim, Bahuan foi cada vez mais perdendo espaço na novela, e o público cada vez mais torcendo por um final feliz entre Maya e Raj.

Paralelo à história central indiana, vale destacar a trama da família Cadore, que chegou a mobilizar a novela por um período: o drama de Raul Cadore (Alexandre Borges), que forjou sua morte ante a família e fugiu do país com a amante e cúmplice, Yvone (Letícia Sabatella), para depois ser enganado por ela.

Como as produções antecessoras no horário, Caminho das Índias começou penando na audiência. Mas já em sua metade, a novela havia conquistado os telespectadores. A média geral registrada foi de 39 pontos e 63% de share, considerados bons para os padrões da época. A maior audiência aconteceu no penúltimo capítulo (em 10/09/2009), quando atingiu uma média de 55 pontos com picos de 59 e 78% de participação.

Para contar uma história que misturou sensações do ocidente e do oriente, os diretores Marcos Schechtmann e Fred Mayrink foram até a Índia para gravar as primeiras cenas da novela. As gravações começaram em duas cidades indianas: Jaipur, conhecida por suas paredes cor de rosa, e Agra, famosa pelo Taj Mahal. Além de 40 pessoas da equipe brasileira, a novela contou com a parceria de uma produtora local. Marcos Schechtmann percorreu ainda as cidades de Varanasi, onde se localiza o rio Ganges, Mumbai e Jodhpur, além de Dubai.

Marcos Schechtmann comentou em entrevista:
“Fui para a Índia três vezes em 2008 e esta incursão no país foi fundamental. Montamos logo no início uma oficina de vivência hindu para que elenco e equipe pudessem acompanhar palestras, aulas e participar de mesas redondas sobre o tema. Trabalhamos também com consultores brasileiros e indianos e figurante algum entra em cena sem passar por um workshop. Os orientais se portam e veem o mundo de uma forma muito diferente da nossa e, sem este mergulho profundo, não estaríamos conseguindo retratar a Índia de uma forma tão ‘bacana’.”

Em entrevista, Glória Perez falou sobre sua trama:
“A novela é uma grande saga de amor, recheada com o colorido e o sabor de uma cultura rica e complexa como a indiana. Os costumes, os rituais religiosos, as danças, os festivais e os aspectos mágicos da Índia estarão lá, tendo sempre uma contrapartida no Brasil. São duas histórias centrais, cada uma delas em um lado do mundo, que funcionam como espelho uma para a outra.”

Perguntada sobre a abordagem dada à esquizofrenia na novela, a autora respondeu:
Os doentes mentais são os nossos ‘intocáveis’ e cabe a analogia: eles têm sido silenciados, vistos como absolutamente incapazes, esquecidos, varridos literalmente para debaixo do tapete. Espero contribuir para acabar com o preconceito que os estigmatiza.”

Sob o olhar atento da produtora de arte Ana Maria Magalhães, a equipe de produção de arte reproduziu um verdadeiro universo indiano diante das câmeras. Além de produzir transportes típicos daquele país, foram montados os ambientes de diferentes núcleos da trama e confeccionado todo o material gráfico da novela.

Para representar um pouco o trânsito caótico (aos nossos olhos) indiano, foram reproduzidos 12 riquixás, espécie de charrete puxada por um homem em uma bicicleta, e oito tuc-tucs, veículo motorizado de três rodas, que circulam pela cidade cenográfica, construída na Central Globo de Produção, no Rio de Janeiro.

O diretor de arte e cenógrafo Mário Monteiro construiu na cidade cenográfica 42 lojas que receberam um tratamento especial. Os letreiros e rótulos dos produtos vendidos nos estabelecimentos eram todos escritos em hindi, a língua mais falada na Índia. O núcleo indiano da novela recebeu uma ambientação extremamente colorida, que se contrapôs à estética clean dos cenários brasileiros.

Para criar o visual dos personagens indianos da novela, a figurinista Emília Duncan estudou todos os códigos das vestimentas hindus, a fim de adaptá-los à história. Na Índia, as mulheres usam roupas típicas como sáris – um tecido enrolado no corpo – e punjabis – conjunto de calça e bata comprida -, e os homens se vestem comumente como os ocidentais, só que com peças que remetem à década de 70. Emília trabalha com licença poética, trazendo o vestuário tradicional, geralmente usado em rituais, para o dia-a-dia e enfatizando a cultura indiana descrita minuciosamente no texto.
“As pessoas que vivem no país têm no vestir uma série de símbolos e precisamos torná-los mais claros ao telespectador. As castas são como uma teia e, apenas trabalhando-as de forma mais esquemática, passaremos a sensação que temos quando visitamos o oriente”, afirmou.
O grande contraponto entre os figurinos do Brasil e da Índia foi dado por Dayse (Betty Gofman), uma carioca deslumbrada com o oriente que mistura cores e estilos, sem se ater ao significado de cada peça para o sistema de castas.

Afastada do trabalho desde o dia 24/03/2009 para cuidar da saúde, Mara Manzan voltou a gravar no dia 16/04. A atriz submeteu-se a sessões de quimioterapia e radioterapia para combater uma metástase em duas vértebras. Mara veio a falecer em 13/11/2009, dois meses após o término da novela.

Já a autora Glória Perez submeteu-se a uma cirurgia da tireoide, que mais tarde acusou um câncer na região. Carlos Lombardi e Elizabeth Jhin foram chamados para substituí-la. A princípio, eles apenas prestaram um auxílio, escrevendo algumas cenas. Glória nunca chegou a se afastar totalmente da novela e escreveu mais de cem capítulos em meio ao tratamento de um linfoma.

O ator Paulo José teve uma pequena participação na novela interpretando o Profeta Gentileza, um personagem real. Na vida real, Gentileza era o nome dado a José Datrino, um homem muito rico que resolveu largar o mundo material e passou a espalhar seus dizeres pela cidade do Rio de Janeiro.

Participação especial dos cantores Alcione, Nana Caymmi, Erasmo Carlos e Gabriel o Pensador. Maria Bethânia apareceu no último capítulo, dando um show na casa de gafieira Estudantina. Já no episódio do desfile da marca Daspu, participaram Betty Lago, Carlinhos de Jesus, Elke Maravilha, Preta Gil, Priscila Pires e Susana Vieira.

Em abril de 2009 a editora Panini lançou nas bancas o álbum de figurinhas de Caminho das Índias, com 64 photocards da novela.

Caminho das Índias foi a primeira novela brasileira a ganhar o Emmy Internacional (prêmio norte-americano) de melhor novela, em 2009.
Também foi premiada com o Troféu Imprensa de melhor novela de 2009 e melhor ator (para Tony Ramos).

A Índia já serviu de cenário para uma novela global nos anos 1960. Outra Glória, a Magadan, escreveu, em 1968, O Homem Proibido (também conhecida como Demian, o Justiceiro), com Carlos Alberto e Yoná Magalhães.

Reapresentada no Vale a Pena Ver de Novo entre 27/07/2015 e 01/04/2016.

Trilha Sonora Nacional

caminhoindiast1
01. BEEDI – Sukhwinder Singh & Sunidhi Chauhan (tema da abertura)
02. EU NASCI HÁ DEZ MIL ANOS ATRÁS – Nando Reis (tema de Gentileza)
03. PARA-RAIO – Skank (tema de Murilo)
04. UMA PROVA DE AMOR – Zeca Pagodinho (tema de Castanho e Suellen)
05. VAMOS FUGIR (GIVE ME YOUR LOVE) – Gilberto Gil (tema de Tônia e Tarso)
06. ELA DISSE – Marcelo D2 (participação especial Thalma de Freitas) (tema do núcleo jovem)
07. MEMÓRIAS – Pitty (tema de Inês)
08. MARTELO BIGORNA – Lenine (tema de Yvone)
09. NADA POR MIM – Paula Toller (tema de Camila)
10. ALMA – Zélia Duncan (tema de Melissa)
11. SOB MEDIDA – Isabella Taviani (tema romântico geral)
12. LEMBRA DE MIM – Emílio Santiago (tema de Silvia)
13. AMOR, MEU GRANDE AMOR – Ângela Ro Ro (tema de Chiara)
14. NÃO SE ESQUEÇA DE MIM – Nana Caymmi e Erasmo Carlos (tema de Maya e Bahuan)
15. FELIZ – Gonzaguinha (tema de Raj e Duda)
16. O VENTO VAI RESPONDER (BLOWIN’ IN THE WIND) – Zé Ramalho (tema de Dayse)
17. DOIS PRA LÁ, DOIS PRA CÁ – Elis Regina (tema de Cadore e Cidinha)
18. ATÉ QUEM SABE – Nara Leão (tema de Raul)
19. SUFOCO DA VIDA – Harmonia Enlouquece (tema dos esquizofrênicos)
20. VOCÊ NÃO VALE NADA – Calcinha Preta (tema de Norminha)

Trilha Sonora Internacional

caminhoindiast2
01. HALO – Beyoncé (tema de Yvone)
02. THINKING OF YOU – Katy Perry (tema de Bahuan e Shivani)
03. PUBLICO – Orishas (tema de locação – Boate da Lapa)
04. NEVER GONNA BE ALONE – Nickelback (tema de Tarso e Tônia)
05. TIP OF MY TONGUE – Something Sally featuring Joss Stone (tema de Aída e Dario)
06. SMALL TALK – Ovi (tema de Chanti)
07. TO LOVE YOU ALL OVER AGAIN – Madeleine Peyroux (tema de Nanda)
08. SOBER – Pink (tema de Júlia)
09. USE SOMEBODY – Kings of Leon
10. LIES – McFly (tema de Zeca)
11. MADLY – Tristan Prettyman (tema de Duda e Lucas)
12. WHEN AND IF – Ari Hest (tema de Silvia e Murilo)
13. LAY LADY LAY – Dan (tema de Castanho e Suellen)
14. I’M IN THE MOOD FOR LOVE – Daniel Boaventura (tema de Maya e Raj)
15. ALL THE WAY – Ronaldo Canto e Mello (tema de Ravi e Camila)
16. SMOKE GETS IN YOUR EYES – Oséas (tema de Shankar e Laksmi)

ainda
SET ME FREE (radio edit) – House Boulevard featuring Samarah (tema geral)
NEVER KNEW LOVE LIKE THIS BEFORE (remix) – Juliana Aquino (tema de locação – Boate da Lapa)
OOH YEAH! – Moby (tema de locação – Boate da Lapa)
DVNO – Justice (tema de locação – Boate da Lapa)
THE ONE – Kylie Minogue (tema de locação – Boate da Lapa)
CHANSON DU SOLEIL (SUN IS COMING OUT) – Dj Memê featuring Gavin Bradley (tema de locação – Boate da Lapa)
DESTINY – Dj Tom Hopkins featuring Samarah (tema de locação – Boate da Lapa)

Trilha Sonora Indiana

caminhoindiast3
01. BEDDI – Sukhwinder Singh & Sunidhi Chauhan (tema de abertura)
02. KAJRA RE – Alisha Chinoy (tema geral)
03. NAGADA NAGADA – Sonu Nigam e Javed Ali (tema de locação – Índia)
04. SAJNA VE SAJNA – Sunidhi Chauhan (tema de locação – Índia)
05. MAIN VARI VARI – Kavita Krishnamurti (tema de Maya e Bahuan)
06. MAST KALANDAR – Sunidhi Chauhan (tema geral)
07. CHORI CHORI GORI SE – Udit Narayan (tema geral)
08. SALAAM-E-ISHQ – Sonu Nigam e Shreya Ghoshal (tema geral)
09. SALAAM – Alka Yagnik (tema de Maya)
10. AZEEM O SHAAN SHAHENSH – Mohamed Aslam (tema de locação – Índia)
11. BANGRA JAYA – Alexandre de Faria (tema de locação – Índia)

Trilha Sonora Lapa

caminhoindiast4
01. EU VOU PRA LAPA – Alcione (tema de locação – Lapa)
02. MALANDRO É MALANDRO, MANÉ É MANÉ – Diogo Nogueira (tema de César)
03. SÓ FALTOU VOCÊ / LADO A LADO B – Leandro Sapucayh
04. VASO RUIM – Casuarina (tema de Radesh)
05. TRISTEZA PÉ NO CHÃO – Teresa Cristina & Grupo Semente (tema de locação – Estudantina Musical)
06. AMOR DE VERDADE – Beth Carvalho (tema de locação – Estudantina Musical)
07. ERREI – Sururu na Roda (tema de Castanho e Suellen)
08. PRETINHA JÓIA RARA – Moyséis Marques (tema de Suellen)
09. CHATOS EM DESFILE – Jota Canalha
10. PIMENTAL E SAL – Gabriel O Pensador (participação especial Afroreggae) (tema geral)
11. PURO ÊXTASE – Barão Vermelho (tema de locação – Boate da Lapa)
12. ANJO DA MADRUGADA – Babi (tema de Duda e Lucas)
13. LOURINHA BOMBRIL – Bangalafumenga (tema de locação – Lapa)
14. VOU FICAR LEGAL – Quatro Fatos (tema de locação – Lapa)
15. PÕE A MÚSICA AÊ – DJ Alex Guedes (tema de locação – Boate da Lapa)
16. UMA RAIZ, UMA FLOR – Fino Coletivo (tema de locação – Lapa)
17. MEZCLA – Rio Salsa (tema de Suellen e Ademir)

Trilha Sonora Instrumental: música original de Alexandre de Faria

caminhoindiast5
01. OS PORTAIS DO TAJ MAHAL
02. TEMA DE MAYA E BAHUAN
03. QUASE UM INTOCÁVEL
04. CAMINHO DAS ÍNDIAS
05. NOS PASSOS DE SHANKAR
06. MEU SALAAM
07. MEDITAÇÃO E KARMA
08. RE TCHORI
09. HABANERA PARA TARSO
10. MAXIXE CHORADO
11. UMA CANÇÃO SEM PALAVRAS
12. TANGO DA AUSÊNCIA
13. BERCEUSE POUR UNE NUIT
14. TODA LEVADA

Tema de Abertura: BEEDI – Sukhwinder Singh & Sunidhi Chauhan

Naa ghilaaf, naa lihaaf
Naa ghilaaf, naa lihaaf
Thandi hawa bhi khilaaf sasuri
Naa ghilaaf, naa lihaaf
Thandi hawa bhi khilaaf sasuri
O itni sardi hai kisika lihaaf layile
Jaa padosi ke chulhe se aag layile
Jaa padosi ke chulhe se aag layile
Beedi jalai le
Jigar se piya
Jigar maa badi aag hai
Beedi jalai le jigar se piya
Jigar maa badi aag hai
Dhua na nikari o lab se piya
Ah haa
Dhua na nikari o lab se piya
Je duniya badi jhaag hai
O beedi jalai le jigar se piya
jigar maa badi aag hai
Naa ghilaaf, naa lihaaf
Thandi hawa bhi khilaaf sasuri
O kitni sardi hai kisika lihaal layile
Jaa padosi ke chulhe se aag layile (2x)
Naa kasoor (4x)
Bina juram ke hujoor
Marr gayi
Ho marr gayi
Aise ek din dupaheri bulai liyo re
Baandh ghungru kacehri lagai liyo re
Bulai liyo re (2x)
Dupaheri
Lagai liyo re (2x)
Kacehri
Angethi chadahi le
Jigar se piya
Jigar maa badi aag hai
Beedi jalai le
Jigar se piya
Jigar maa badi aag hai
Na toh chakkua ki dhaar
Na daraati na kataar
Na toh chaa-kua ki dhaar
Na daraati na kataar
Aisa kaate ke daat ka nisaan chod de
Je kataai to koi bhi kisaan chod de
O aise jaalim ka chod de makaan chod de
Re billo
Jaalim ka chod de makaan chod de
Aise jaalim ka
O aise jaalim ka
Aise jaalim ka chod de makaan chod de
Na bulaya (4x)
Mhane neend se jagaya hai re
Aisa chaukail haath mein naseeb aa
Woh elaichi khilai ke kareeb aa gaya
Koyla jalai le
Jigar se piya
Jigar maa badi aag hai
Kitni sardi hai kisi ka lihaaf lei le
O jaa padosi (2x)
Jaa jaa padosi…

Veja também

  • aforcadoquerer2

A Força do Querer

  • explodecoracao

Explode Coração

  • clone_logo

O Clone

  • america_logo

América