Sinopse

Margô e Bruno, dois viúvos intransigentes, têm gostos totalmente opostos, mas o mesmo temperamento difícil. Quando juntos trocam farpas e desaforos. Mas seus filhos, Verinha e Bob, são recém-casados, se amam e tem que contornar os problemas causados pela difícil relação dos sogros.

Paralelamente à essas confusões, o avarento Olegário vive na pobreza, apesar de possuir enorme fortuna. Ele resolve cortejar a jovem Mariana, que se vê obrigada a aceitar a proposta em troca do perdão da dívida de seus pais. A situação se complica com a chegada de Tomaz, filho de Olegário, que passa a disputar com o pai o amor da moça; e Tatá, um órfão que Olegário passa a criar.

Para apaziguar todos os conflitos, o chá de camomila e bem-me-quer do Tio Romão é sempre servido em doses certas. Ele é o senhor misterioso que aparece e desperta a curiosidade de todos.

Tupi – 18h30
de 5 de outubro de 1972 a março de 1973
110 capítulos

novela de Ivani Ribeiro
direção de Edison Braga
supervisão de Carlos Zara

Novela anterior no horário
Signo da Esperança

NICETTE BRUNO – Margô (Margarida)
JUCA DE OLIVEIRA – Bruno
GIANFRANCESCO GUARNIERI – Olegário
MARCELO PICCHI – Tomás
TEREZA TELLER – Mariana
CLÁUDIO CORRÊA E CASTRO – Tio Romão
RIVA NIMITZ – Frosina
MARIA ISABEL DE LIZANDRA – Elisa
GERALDO DEL REY – Gustavo
LIZA VIEIRA – Verinha
ADILSON VLADIMIR – Bob (Roberto)
SERAFIM GONZALEZ – Vinícius
CARMINHA BRANDÃO – Helena
EDWIN LUISI – Renato
BÁRBARA BRUNO – Bel
ABRAHÃO FARC – Lula
LÉA CAMARGO – Adelaide
SÍLVIO ROCHA – Anselmo
JACYRA SAMPAIO – Judite
Dinorá
Barreto
KARIN RODRIGUES – Suzana
JOÃO JOSÉ POMPEO
ALDO CÉSAR – Padre Inácio
DEIVE ROSE – Noêmia
SÉRGIO GALVÃO – Irineu
NANCI RINALDI – Fanny
GENY PRADO – Duvige
SÔNIA TERESA – Odete
MARILENE DE CARVALHO
as crianças
HAROLDO BOTTA – Tatá
GENÉSIO ALMEIDA JR. – Carlito

– núcleo do casal MARGOT (Nicette Bruno) e BRUNO (Juca de Oliveira). Se odiavam no início, mas esse ódio virou amor. Seus filhos eram casados:
VERINHA (Liza Vieira), filha de Margot, e BOB (Adilson Vladimir), filho de Bruno.

– núcleo do avarento OLEGÁRIO (Gianfrancesco Guarnieri), tio de Margot:
os filhos TOMÁS (Marcelo Picchi) e ELISA (Maria Isabel de Lizandra)
a empregada FROSINA (Riva Nimitz)
o menor abandonado TATÁ (Haroldo Botta), que vai morar na casa de Olegário
GUSTAVO (Geraldo Del Rey), jovem e misterioso médico que vai trabalhar para Olegário e envolve-se com Elisa, vislumbrando sua fortuna
ANSELMO (Silvio Rocha), amigo de Olegário que quer desposar Elisa.

– núcleo de MARIANA (Tereza Teller). Para saldar uma dívida do pai, ela aceitou casar-se com Olegário, mas era apaixonada por seu filho Tomás:
os pais VINÍCIUS (Serafim Gonzalez) e HELENA (Carminha Brandão)
a irmã invejosa BEL (Bárbara Bruno), que gostava de Tomás
o irmão mau-caráter RENATO (Edwin Luisi), que chega da cidade grande e volta a viver com os pais. Não se acostuma a vida simples da familia.

– núcleo de TIO ROMÃO (Cláudio Corrêa e Castro), um simpático velhinho que apareceu na cidade e curava os males do corpo e da alma com seus chás:
foi morar na casa de JUDITE (Jacyra Sampaio).

– núcleo de LULA (Abrahão Farc), dono de um restaurante na cidade:
a mulher ciumenta ADELAIDE (Léa Camargo)
o filho mimado CARLITO (Genésio Almeida Jr.), amigo de Tatá.

Última trama da Tupi do núcleo das 18h30 naquela época. O horário para novelas foi extinto porque um novo fora criado, o das 20h30.

Ivani Ribeiro, contratada da Tupi, escreveu a novela O Leopardo para a Record, sob o pseudônimo de Arthur Amorim. Simultaneamente, a autora estreou Camomila e Bem-Me-Quer, na Tupi. Seu marido, Dárcio Ferreira roteirizava O Leopardo enquanto Ivani supervisionava o texto dele e escrevia a sua nova trama da Tupi.

Camomila e Bem-Me-Quer foi mais um bom trabalho de Ivani, que através do personagem Tio Romão (Cláudio Corrêa e Castro) enviava uma mensagem de fé, esperança e amor.

E com Olegário (Gianfrancesco Guarnieri), ela contava, em tom novelístico, as proezas de O Avarento, peça de Molière.

A externas da novela foram gravadas na cidade de Itu, interior de São Paulo. (*)

A novela repetiu o sucesso em seu remake, produzido pela Globo em 1984 com um novo título – Amor com Amor se Paga -, com Ary Fontoura vivendo Nonô Correia, o personagem equivalente ao avarento Olegário.

Primeira novela dos então jovens atores Edwin Luisi, Liza Vieira e Bárbara Bruno.

O tema de abertura da novela era um extrato da música “Survival” da banda ganense de música afro Osibisa.

(*) “De Noite Tem… Um Show de Teledramaturgia na TV Pioneira”, Mauro Gianfrancesco e Eurico Neiva, Giz Editorial, 2007.

Veja também

  • nossafilhagabriela_foto

Nossa Filha Gabriela

  • leopardo

O Leopardo

  • mulheresdeareia73_logo

Mulheres de Areia (1973)

  • amorcomamorsepaga_logo

Amor com Amor se Paga