Sinopse

Carmem, uma jovem exuberante e ambiciosa, desiludida no amor, faz um pacto de sangue com a Pombagira cigana, a fim de ficar rica e destruir a vida de Ciro, o homem que ela quer vingar-se, mesmo apaixonada. Ao pedir uma prova do poder da Pombagira, Carmem passa a incorporá-la. Pelo pacto, ela terá poder, prestígio e o assédio de vários homens, desde que não se apaixone por nenhum. Carmem é alvo do amor do policial militar José, marido da dedicada Micaela, que o ama, mas vive amargurada devido às traições do marido.

Carmem passa a se envolver com homens poderosos, tornando-se uma mulher manipuladora, vulgar e mesquinha. Contudo, a situação lhe foge do controle quando se apaixona verdadeiramente por Camilo, um piloto de carros de corrida. É quando ela perde o dinheiro e o prestígio que conquistou e volta para a casa da mãe. Torna-se então uma mulher revoltada e alcoólatra, chegando a ser presa por agressão e tentativa de homicídio. Devido a seu comportamento, acaba expulsa de casa e passa a se prostituir para sobreviver.

Em situações de conflito ou sedução, Carmem perde o controle de seus atos e, involuntariamente, incorpora a Pombagira. Ela ainda tenta ser feliz com Camilo, deixando sua vida anterior de lado para se dedicar a ele e provar que mudou, mas não consegue. Ainda sofre com o assédio de Ciro, que a quer de volta custe o que custar. A vida de Ciro foi totalmente destruída: ficou entre a vida e a morte depois de levar um tiro, perdeu todo seu dinheiro e sofre por Carmem, por quem tentou o suicídio diversas vezes.

Carmem também teme José, que obsessivo por ela, passa a persegui-la. Arrependida, ela implora à Pombagira para deixá-la em paz, mas esta não descansará enquanto não tiver sua alma, conforme o combinado. Desesperada e sem Camilo, Carmem procura uma bruxa para desfazer o pacto com a Pombagira. A bruxa lhe diz que ela precisa recuperar um punhal que deu de presente a José quando eles tinham um caso. Carmem o procura, mesmo com medo, já que ele não aceita mais as suas recusas e a ameaçou de morte.

Carmem recusa-se a ficar com José e pede de volta o punhal que lhe deu de presente. Em um acesso de raiva, José a mata com uma punhalada. Ao falecer, a alma de Carmem é perseguida pela Pombagira, que quer aprisioná-la nas trevas. Porém, com ajuda de seres de luz, Carmem, por ter se arrependido, é protegida e amparada e tem seu espírito libertado do pacto. Transformada em uma rosa, com a missão de evoluir, seu espírito passa a ser uma Pombagira de luz, encarregado de trabalhar somente para o bem e a caridade.

Manchete – 21h30
de 5 de outubro de 1987
a 14 de maio de 1988
180 capítulos

novela de Glória Perez
direção de Luiz Fernando Carvalho, Nelson Nadotti e Marcos Schechtmann
direção geral de José Wilker

Novela anterior no horário
Corpo Santo

Novela posterior
Olho por Olho

LUCÉLIA SANTOS – Carmem
JOSÉ WILKER – Camilo
PAULO BETTI – Ciro Galvão
PAULO GORGULHO – José
JÚLIA LEMMERTZ – Micaela
MAURICE VANEAU – Dr. Jean-Pierre Junot
BEATRIZ SEGALL – Alzira
HELENA BRANDÃO (DARLENE GLÓRIA) – Verônica / Ester
ODILON WAGNER – César
JULIANA CARNEIRO DA CUNHA – Virgínia
SELMA EGREI – Nina
DEDINA BERNARDELLI – Duda
JOSÉ DUMONT – Aluísio
SÔNIA CLARA – Paula Laport
ROSITA THOMAZ LOPES – Madame Klotz (Edwiges Klotz)
THERESA AMAYO – Rosimar
LUÍS DE LIMA – Costa
LIANA DUVAL – Isaltina
BIA SION – Creusa
GUILHERME KARAN – Trajano Paulo (Jano)
NÉLIA PAULA – Semíramis
LUÍS CARLOS ARUTIN – Pimentel
HÉLIO ARY – Ary
CIDINHA MILAN – Pilar
CAMILO BEVILACQUA – Hélio
TÂNIA NARDINI – July
BRUNO GIORDANO – Ivo
NEUSA BORGES – Pombagira
CARMEM FIGUEIRA – Deusa
MÁRIO CARDOSO – Ribeiro
XALA FELIPPI – Cissa
ELISA FERNANDES – Germana
ROSIMAR DE MELLO – Mocinha
IVAN DE ALMEIDA – Delegado Marcos de Almeida
JAYME DEL CUETO – detetive
CARLA TAUSZ – Terezinha
LIZANDRA SOUTO – Manu
ROBERTO BONFIM – Júlio Pereira
HÉLIO SOUTO – Senador Bastos
CLARISSE DERZIÊ – Maria Priscila Bastos
SEBASTIÃO LEMOS – secretário do senador
MIRIAN PIRES – mãe de Verônica / Ester
EDUARDO TORNAGHI – amante de Carmem
VICENTE BARCELLOS – Caíque
FÁTIMA FREIRE – Patrícia
LUÍS FELIPE DE LIMA – Lula Costa
REBECA BUENOSILVA – Miriam Vaz
NILDO PARENTE – Dr. Geraldo Saboya (advogado do Dr. Junot)
LEONARDO JOSÉ – Dr. Brandão
CLEMENTINO KELÉ – Dr. Araújo
IVAN SENNA – Dr. Armando Castro
ORION XIMENES – advogado de Carmem
KLEBER DRABLE – juiz
VANDA LACERDA – juíza
CLÁUDIO MAMBERTI – promotor
CLEMENTE VISCAÍNO – delegado
ALFREDO MURPHY – Pedro
ROBERTO OROSCO – Roberto
HENRIQUE NUNES – Ricardo
GILDA CRUZ – Gina
NIFFER CORTEZ – cigana
CHICA XAVIER – mãe-de-santo
ODETE BARROS – cartomante
BRENO BONIN – pescador de espanhol
HUMBERTO MARTINS – repórter de TV

Em 1987, a convite de José Wilker, então diretor de dramaturgia da TV Manchete, Glória Perez assinou seu único trabalho fora da Globo. Aceitou a proposta por estar descontente com a negativa da Globo em produzir sua novela Barriga de Aluguel.
Assim, Glória adaptou para o formato telenovela Carmem, a cultuada personagem de Merimée e Bizet. Escamilho, o toureiro da ópera, virou Camilo (o próprio José Wilker), trocando as arenas de touros por pistas de carros de corrida.
A base da sinopse de Carmem trazia elementos de Barriga de Aluguel, então guardada em qualquer gaveta da Globo (para ser finalmente realizada em 1990).

Depois de dez anos atuando em novelas da Globo, Lucélia Santos abandonou a emissora e se transferiu para a Manchete.
Sobre a escolha da atriz para a personagem-título, Glória Perez se queixou ao livro “Autores, Histórias da Teledramaturgia”, do Projeto Memória Globo:
“Tínhamos um grande problema de adequação ao papel principal. A Lucélia Santos, escalada para a fazer a protagonista, é uma grande atriz, mas não tem o fascínio e a exuberância de uma Vera Fischer. E Carmem é a história de uma mulher que, pelo impacto causado por sua beleza, destrói a vida dos homens à sua volta. Nesse tipo de história, o physique du rôle tem importância fundamental (…) Mas a estrela era a Lucélia, havia que se dar um jeito.”
Para contornar essa questão, a autora inventou o pacto com a pombagira: “O ovo de Colombo foi transformar a cigana do conto original de Merimée na cigana da umbanda, porque o mágico ninguém discute. Dessa forma, a personagem fazia um pacto com a pombagira e se tornava a cigana do conto.”

Por causa do atraso na pré-produção de Carmem, a Censura da Nova República deixou passar a nudez de Lucélia Santos no início da novela. O Departamento de Censura e Diversões Públicas deve ter recebido cenas dos ensaios para fazer a avaliação, só isso explica o ofício que o diretor geral da TV Manchete, Rubens Furtado, recebeu logo após a estreia:
“Fomos surpreendidos com a exibição de uma cena de nudez total da atriz Lucélia Santos no cap 8 (…) cena não constante da gravação apresentada para o exame (…) extrapola o nível de programas similares levados ao ar até esta data, causando-nos perplexidade e estarrecimento. (…) Doravante, esta DCDP só aceitará gravações completas, de sorte a propiciar uma avaliação exata da matéria sujeita à censura prévia”.
(“Beijo Amordaçado – A Censura às Telenovelas Durante a Ditadura Militar”, Cláudio Ferreira)

Glória Perez abordou a homossexualidade por meio do personagem Dr. Junot – vivido pelo ator Maurice Vaneau -, um industrial simpático, casado, com filhos, ótimo pai e patrão, mas com um “segredo”. Quando o público havia se afeiçoado a ele, foi revelado que Dr. Junot era gay. Neste momento, os telespectadores já estavam torcendo pelo personagem. A autora trabalhou para que o público o admirasse antes de saber que ele era homossexual.

Em uma época em que a Aids ainda era vista com muito preconceito, como uma “praga de gays“, Glória Perez tratou da doença por meio da personagem Rosimar (Theresa Amayo), uma simpática dona de casa, mãe de família, infectada com o vírus HIV quando fez uma transfusão de sangue. A autora mostrou o isolamento e a rejeição que sofriam os doentes na época.
O sociólogo Herbert de Souza, o Betinho, participou da campanha de conscientização sobre Aids dentro da novela.

Em entrevista ao programa Por Trás da Fama (Canal Multishow), em setembro de 2005, Glória Perez afirmou que um dos maiores absurdos que escreveu está na novela Carmem – de acordo com a matéria da jornalista Laura Mattos publicada na Folha de São Paulo:
“É a própria Glória Perez quem conta a cena e ri: em Carmem, de sua autoria, um casal briga; a mulher saca um revólver e dispara seis vezes contra o marido; acaba o capítulo; no episódio seguinte, o telespectador fica sabendo que a moça ‘conseguiu’, a menos de um metro do rapaz, errar todos os tiros!”

Presença no elenco da atriz Darlene Glória – afastada há quinze anos da televisão -, assumindo seu novo nome, Helena Brandão, depois de ter se tornado pastora evangélica. Na novela, ela viveu a pastora Verônica.
Para uma sequência de pregação da pastora Verônica, a TV Manchete aproveitou como figurantes 50 mil fiéis que participavam da reinauguração da TV Rio, que tornara-se a primeira emissora evangélica do Brasil, em 26/03/1988, no estádio do Maracanã, no Rio de Janeiro. (“Almanaque da TV”, Bia Braune e Rixa)

Uma curiosidade: Silvio Santos fez uma participação especial na novela. O apresentador abriu as portas do Programa Silvio Santos do SBT para a personagem Creuza (Bia Sion) participar do quadro Namoro na TV. Sonhadora e romântica, Creuza vai solicitar um namorado por meio do programa de televisão.

O cantor Guilherme Arantes fez uma participação especial na novela.

Carmem foi reprisada, em forma compacta, de 19/03 a 07/06/1990, em 69 capítulos, de segunda a sábado, às 13h (e mais tarde às 13h15).

a trilha sonora não foi lançada comercialmente
algumas das músicas tocadas na novela

ETA DOR DE COTOVELO – Jamelão (tema de José)
LOUCOS DE CARA – Vitor Ramil (tema de Carmem / Carmem e Ciro no ínício / José no final)
SIM OU NÃO – Gal Costa (tema de Virgínia)
GAROTO MAROTO – Alcione (tema de Deusa / Aluísio)
LEMBRANÇAS – Noite Ilustrada (tema de Alzira)
FALSO BRILHANTE – João bosco (tema de Paula Laport)
BILHETE – Fáfá de Belém (tema de Virgínia)
YESTERDAY – The Beatles (tema de Nina)

temas instrumentais

YESTERDAY (tema de Virgínia / Nina / César)
ERA UM GAROTO QUE COMO EU AMAVA OS BEATLES E OS ROLLING STONES (tema de Trajano Paulo)
HABANERA (da Ópera “Carmem”) (tema de abertura / Carmem)
LA CHANSON DU TORÉADOR (da ópera “Carmem”) (tema de Carmem e Camilo)

Veja também

  • maniadequerer_logo

Mania de Querer

  • corposanto

Corpo Santo

  • olhoporolho_logo

Olho por Olho

  • helena87_logo

Helena (1987)