Sinopse

Jezabel é uma princesa fenícia que, ao envolver-se com Acabe (André Bankoff), rei do Norte, na Samaria, usa de sua beleza e sedução para impor ao povo israelita a adoração aos seus deuses pagãos. A maioria do povo acata as suas imposições, menos o profeta Elias (Iano Salomão) e outros fiéis a Deus. Para acelerar o casamento com Acabe, o pai de Jezabel, rei Etbaal (Luciano Quirino), trama o assassinato do pai de Acabe, rei Onri (Arthur Kohl). A união dos povos tem importância militar, política e econômica. Porém, Jezabel exige que Acabe construa um templo de adoração a Baal e Aserá. Assim, a idolatria se espalha entre o povo.

Os poucos israelitas fiéis fazem o possível para que o povo se arrependa de sua idolatria. Elias se opõe firmemente contra o rei e sua noiva e avisa que, se a idolatria continuar na Samaria, haverá uma terrível seca. Jezabel, furiosa com a afronta, ordena a morte de Elias e dos profetas de Deus. Ocorre um verdadeiro massacre, mas cem fiéis conseguem escapar. Com a ajuda de Obadias (Juan Alba), administrador do palácio, eles se escondem em cavernas. Com seu ajudante Dov (Andrey Lopes), Elias parte para o rio Querite, onde é alimentado por corvos, que lhe levam pão e carne, pela manhã e noite.

Como profetizado, acontece a seca. Para sobreviver, o povo passa a roubar e matar. Jezabel, manipulando o rei Acabe para que ele sempre faça o que ela deseja, arma um plano para que Barzilai (Timóteo Heiderick), um honesto general israelita, caia do seu posto a fim de que o seu amante, o general fenício Hannibal (Rafael Sardão), seja nomeado comandante geral do exército unificado de Israel e Fenícia. Isso causa disputas entre ele e Barzilai. Enquanto isso, Acabe, por influência de Jezabel, se torna cada vez mais idólatra. No auge da seca, o templo de Baal e Aserá fica pronto e Acabe e Jezabel finalmente se casam.

Antes, porém, Acabe conhece e se casa com Aisha (Adriana Birolli), uma camponesa fiel a Deus. Sua personalidade e sabedoria contrastam com o temperamento de Jezabel, já que tenta abrir os olhos de Acabe para as maldades dela. Com o casamento do rei com a, agora, rainha Jezabel, o que parecia ruim, piora. Ela exige que todos, por decreto real, passem a adorar Baal e Aserá, e, para fazer com que o povo não se rebele, oferece água e ração. Muitos, por fome e por já estarem corrompidos em sua fé, aceitam a idolatria em troca de alimento. E para mostrar que não esqueceu a afronta de Elias, Jezabel ordena sacrifícios de crianças.

Enquanto isso, em Jezreel, cidade não tão próxima dali e que não sofre com a seca, Nabote (Flávio Galvão) e sua família cultivam uvas. Seu vinho é o melhor da região, muito apreciado pelo rei de Israel. Em uma das idas de Nabote e seu filho Tadeu (Victor Sparapane) ao palácio, para levar vinho, Jezabel se encanta por Tadeu e não sossega enquanto não consegue seduzi-lo. O rapaz, que é casado com Hannah (Juliana Boller), vai se deixando envolver pela sedução implacável da rainha.

Record – 20h45
de 23 de abril a 12 de agosto de 2019
80 capítulos

novela de Cristianne Fridman
escrita com Carla Piske, Jussara Fazolo, Alexandre Richard, Vânia Matos, Fabiana Reis, Stephanie Martins e Jaqueline Corrêa
supervisão de texto de Cristiane Cardoso
direção de Leonardo Miranda, Hamsa Wood, Ajax Camacho e Armê Manente
direção geral de Alexandre Avancini
coprodução Formata

Novela anterior no horário
Jesus

LIDI LISBOA – Jezabel
ANDRÉ BANKOFF – Acabe
IANO SALOMÃO – Elias
ADRIANA BIROLLI – Aisha
JUAN ALBA – Obadias
JULIANA KNUST – Queila
RAFAEL SARDÃO – Hannibal
TIMÓTEO HEIDERICK – Narzilai
FLÁVIO GALVÃO – Nabote
BETH ZALCMAN – Elza
VICTOR SPARAPANE – Tadeu
JULIANA BOLLER – Hannah
DANIEL BLANCO – Abner
GIULIO LOPES – Safate
NARJARA TURETTA – Dalila
FERNANDA NIZZATO – Adama
LEONARDO MIGGIORIN – Issac
HYLKA MARIA – Getúlia
ALINE PRADO – Batnoam
JULIANA XAVIER – Dido
ALEX BRASIL – Jarbas
CAMILA MAYRINK – Joana
LAÍS PINHO – Samira
RICARDO PAVÃO – Pigmaleão
MÔNICA CARVALHO – Thanit
EDUARDO LAGO – Phineas
RONNY KRIWAT – Eliseu
GUILHERME DELLORTO – Micaias
LEONARDO FRANCO – Inla
TALITA CASTRO – Rebeca
STEFANY BRITO – Raquel
LUKAS MOURA – Noam
HENRI PAGNONCELLI – Emanuel
ANDREA AVANCINI – Yarin
BÁRBARA MAIA – Leah
LÉO CIDADE – Levi
ALEXANDRE SLAVIERO – Baltazar
JULIANA SCHALCH – Temina
MÁRIO HERMETO – Joel
ANDREY LOPES – Dov
GABRIEL FELIPE – Ezri
ANDRÉ BICUDO – Yakir
MARCEU PIERROTI – Geazi
FÁBIO SCALON – Ib
JOÃO PEDRO NOVAES – Adad
PEDRO LAMIN – Sidônio
WILLIAN MELLO – Samuel
DANIEL ERTHAL – Tiago
BERNARDO VELASCO – Mateus
IGOR COSSO – Miguel
e
ARTHUR KOHL – Rei Onri (rei da Samaria, pai de Acabe)
BRENDA HADDAD – Anaid (discípula da sacerdotisa Thanit e de Pigmaleão)
CÁSSIO NASCIMENTO – Cadmo (fenício, servo pessoal do sacerdote Pigmaleão)
DUDU PELIZZARI – Kaleb (filho de Belial, presta falso testemunho contra Nabote)
EDU PORTO – Jaali (eunuco, responsável pelo harém no palácio de Samaria)
FERNANDO SAMPAIO – Uriel (israelita, mensageiro do palácio)
GABRIEL MOURA – Saulo (servo pessoal do rei Acabe)
LUCIANO QUIRINO – Rei Etbaal (rei da Fenícia, pai de Jezabel)
PAULO LEAL – Zaniel (primogênito de Belial)
PEDRO HENRIQUE MOUTINHO – Naamã (soldado do exército sírio)

Primeira produção bíblica assinada pela novelista Cristianne Fridman. Sua última novela foi Vitória, em 2014-2015. Após esta, Fridman fez parte da equipe de roteiristas de O Rico e Lázaro (2017), novela de Paula Richard. Durante a exibição de Jezabel, estreou outra novela de Fridman, a inédita Topíssima, também totalmente escrita quando começou a ser exibida.

Jezabel ficou aquém da repercussão esperada, finalizando com média de audiência de apenas 7,3 pontos no Ibope da Grande São Paulo, amargando durante toda a sua exibição a terceira colocação no horário, um número ainda menor que o da criticada Apocalipse. Foi uma queda de audiência de 26% quando comparada com o desempenho da novela anterior na faixa, Jesus (que fechou em 10 pontos).

Destaque para a atuação de Stefany Brito, como Raquel, em uma das tramas mais interessantes: o estupro sofrido e a relação com o noivo e posterior marido Micaías (Guilherme Dellorto).

Com a Casablanca ocupada com outras produções, a Record TV se aliou a uma nova produtora para fazer Jezabel, a Formata.

A novela foi gravada nos estúdios do Polo Cinematográfico de Paulínia, interior de São Paulo. E também no Marrocos, para onde foram 160 malas de figurinos e 100 pessoas, entre elenco e produção.

Os números totais de Jezabel: foram 56 cenários e 31 estúdios, 6 mil peças de figurinos, 4 mil peças de acessórios (como colares, brincos, braceletes e ornamentos para cabeça), 600 espadas de metal, escudos e lanças, 6 bigas de guerra, 50 cavalos em cena, 240 estátuas de deuses de mármore, 400 peças em metal (jarras, bandejas), 700 peças em barro (vasos, canecas, lamparinas) e mais de mil peças decorativas em geral.

Em 1997, a Record produziu uma minissérie a partir do mesmo enredo, O Desafio de Elias, na qual o profeta Elias (Guilherme Linhares) era o protagonista. Jezabel foi vivida por Sônia Lima.


01. JEZABEL – Léo Brandao e Daniel Figueiredo
02. FENÍCIA – Raphael Batista e Elton Ricardo
03. REI ACABE – Léo Brandao e Daniel Figueiredo
04. INDEFINIDOS – Ronaldo Lobo
05. VINHAS DE NABOTE – Randall Ledermann e Igor Ledermann
06. PROFETAS – Daniel Figueiredo
07. SAMARIA – Music Solution
08. EXÓTICA – Daniel Figueiredo
09. GILEADE – Ronaldo Lobo e Daniel Figueiredo
10. ENCANTAMENTO – Igor Ledermann e Daniel Figueiredo
11. MONTE HOREBE – Rannieri Oliveira
12. SÓ O SENHOR É DEUS – Rannieri Oliveira e Daniel Figueiredo
13. HARÉM – Raphael Batista e Léo Brandao
14. GUERRAS – Raphael Batista e Daniel Figueiredo
15. DESAFIO DE ELIAS – Léo Brandao e Daniel Figueiredo
16. DECISÕES – Rannieri Oliveira e Daniel Figueiredo

Veja também

  • topissima2

Topíssima

  • vidasemjogo_logo

Vidas em Jogo

  • vitoria2014_logo

Vitória (2014)

  • oricoelazaro

O Rico e Lázaro

  • desafiodeelias_logo

O Desafio de Elias