Sinopse

A diva da televisão, do cinema e do teatro está de volta. Depois de uma dura batalha para ficar com os negócios da família, Lara Romero (Susana Vieira) conseguiu se instalar na casa do seu falecido marido. Dando sequência em sua carreira, a atriz resolveu captar dinheiro para fazer um filme de Everardo Lopes (Fernando Eiras), um famoso escritor de novelas. Lara só não imaginou que o roteiro não ficaria como ela queria e o dinheiro do filme, então, tomou outro destino: a compra e reforma do Teatro João do Rio.

Depois da negociação da aquisição do teatro, Lara resolveu montar um espetáculo, “Macbeth“. O que ela menos esperava aconteceu na noite de estreia. O atrapalhado e burocrático Leandro Morais (Humberto Martins), fiscal do Tribunal de Contas da União, manda fechar o teatro e entrega uma intimação a Lara: ou ela devolve o dinheiro que captou e gastou irregularmente ou vai presa. Na luta para salvar o seu teatro, Lara ainda vive paralelamente o drama de Bárbara (Monique Alfradique), sua neta e filha de Celina (Thais de Campos).

Namorada de Oliver (Augusto Zacchi), rapaz de família tradicional de Petrópolis, Bárbara passa por apertos para ser aceita pelos avós dele, Maria Beatriz (Beatriz Segall) e Maximiliano (Roberto Maya), que não poupam esforços para atrapalhar o namoro dos dois, nem que tenham que arruinar a vida de Lara. Para isso, contam com a ajuda da repórter Eliete (Paola Crosara) e da jornalista Sandra Heibert (Eliane Giardini), ex-amiga de infância de Lara Romero que nunca se conformou em perder o posto nos palcos para a colega.

A mansão herdada pelo mordomo James (Emiliano Queiroz) e a governanta Leontina (Maria Helena Pader) é cenário das confusões envolvendo a patroa Lara Romero e seus agregados: João Alfredo (André Garolli), o marido de Celina, que faz tudo para se dar bem; Carlo (Pierre Baitelli), que retornou ao Brasil e se instalou na mansão, e o oportunista Alexandre (Carlo Porto). Enquanto isso, o boêmio Claus Martinez (Dalton Vigh) tenta reconquistar o amor da filha Bárbara e retomar a carreira de autor de novela e de peças de teatro.

Como nada na vida de Lara Romero pode ser simples, ela ainda se vê envolvida com Leandro Morais, que, mesmo estando encarregado de investigá-la, parece determinado a conquistar seu coração. Resta saber se ela conseguirá atravessar todos esses problemas sem descer do salto.

Globo – 23h
de 7 de abril a 7 de julho de 2011
14 episódios

de Aguinaldo Silva e Maria Elisa Berredo
colaboração de Daniel Berlinsky, Fátima Diniz, Simone Mousse, Tatiana Contreiras e Ricardo Hautequestt
direção de Cláudio Boeckel e Emerson Muzeli
direção geral e núcleo de Wolf Maya

SUSANA VIEIRA – Lara Romero (Aretuza Pena)
ELIANE GIARDINI – Sandra Heibert (Josefa Bezzerra)
HUMBERTO MARTINS – Leandro Morais
DALTON VIGH – Claus Martinez (Claudionor Martinez)
BEATRIZ SEGALL – Maria Beatriz Ventura Passos de Albuquerque
ROBERTO MAYA – Maximiliano Ventura Passos de Albuquerque
THAÍS DE CAMPOS – Celina de Lopes Carvalho
MONIQUE ALFRADIQUE – Bárbara de Lopes Carvalho
OTHON BASTOS – Agenor Improtta
PAULO BETTI – Getúlio Ferro
GUILHERME WEBER – Antônio Marcondes
AUGUSTO ZACCHI – Oliver Ventura Passos de Albuquerque
PIERRE BAITELLI – Carlo Berganti
ANDRÉ GAROLLI – João Alfredo Flores
EMILIANO QUEIROZ – James (Sebastião Batista)
MARIA HELENA PADER – Leontina
FERNANDO EIRAS – Everardo Lopes
PAOLA CROSARA – Eliete Queiroz
ROGÉRIO BARROS – Edson Xavier
PRISCILLA MARINHO – Ludilene Xavier
MARIA CASADEVALL – Maria Valentina Ventura Passos de Albuquerque
CARLO PORTO – Alexandre Viana
LEANDRO DEVELLY – Salvador Improtta
ANDRÉ DALE – Zé Carlos (fotográfo, assistente de Eliete)
e
WOLF MAYA – diretor de teatro
JOSÉ RÚBENS CHACHÁ – Maciel (diretor da emissora de TV)
MONALISA GOMES – Lara Romero (jovem)

Exibida às quintas-feiras, após A Grande Familia, o seriado Lara com Z foi um spin-off da minissérie Cinquentinha, apresentada em 2009.

O autor, Aguinaldo Silva, e o diretor, Wolf Maya, retomavam a história de Lara Romero (Susana Vieira), uma das protagonistas da minissérie original. Assim, continuava a brincadeira iniciada com o uso da figura pública de Susana Vieira.

Com o texto afiado, Aguinaldo Silva brincou com o estrelismo no meio artístico e a sua cobertura jornalística. Na trama, a jornalista vivida por Eliane Giardini, desafeto de Lara Romero (Susana Vieira), se chamava Sandra Heibert, em uma clara alusão à então colunista e apresentadora da Record TV Fabíola Reipert, com quem Susana Vieira brigou à época e com quem o próprio Aguinaldo Silva já tivera um entrevero no passado.
A própria Susana Vieira aceitou a proposta do autor de debochar de si mesma, descaradamente, mesmo que por meio da ficção – como em um pacto coletivo, público e artistas acreditando que “qualquer semelhança com pessoas ou acontecimentos terá sido mera coincidência”.

Com Lara Romero, retornaram de Cinquentinha os personagens interpretados por Dalton Vigh, Thaís de Campos, Monique Alfradique, Pierre Baitelli, André Garolli, Emiliano Queiroz, Maria Helena Pader, Rogério Barros, Paola Crossara, André Dale e José Rúbens Chachá.

Sobre a escolha da personagem para dar continuidade ao trabalho iniciado em Cinquentinha, Aguinaldo comentou:
“Porque, na verdade, eu acho que o personagem da Lara era o mais ligado ao nosso ambiente de trabalho. Ela é uma estrela do teatro, do cinema e principalmente da tevê. E eu queria escrever um pouco sobre isso, os bastidores da televisão, mostrar como essas pessoas há anos estão trabalhando com televisão, como é mágico tudo isso. Eu acho que a história da Lara é quase um conto de fadas. Ela passa por várias peripécias, vários perigos, como se fosse Joãozinho e Maria, a caminho do seu objetivo.”

Outros casos de personagens de uma produção que ganharam um seriado próprio (spin-off): os personagens Shazan e Xerife, de Paulo José e Flávio Migliaccio na novela O Primeiro Amor (1972), ganharam um seriado com eles, Shazan, Xerife e Companhia, exibido entre 1972 e 1974; a novela O Bem-Amado (1973) foi transformada em seriado em 1980; Dulcinéa, interpretada por Dercy Gonçalves na novela Cavalo Amarelo (1980), retornou na novela seguinte, Dulcinéa Vai à Guerra; o personagem Mário Fofoca – Luiz Gustavo da novela Elas por Elas (1982) – ganhou um seriado em 1983.

Tema de Abertura: PERIGOSA – Elza Soares

Sei que eu sou bonita e gostosa
E sei que você me olha e me quer
Eu sou uma fera de pele macia
Cuidado garoto! Eu sou perigosa!

Eu tenho um veneno no doce da boca
Eu tenho um demônio guardado no peito
Eu tenho uma faca no brilho dos olhos
Eu tenho uma louca dentro de mim!

Sei que eu sou bonita e gostosa
E sei que você me olha e me quer
Eu sou uma fera de pele macia
Cuidado garoto! Eu sou perigosa!

Eu posso te dar um pouco de fogo
Eu posso prender você, meu escravo
Eu faço você feliz e sem medo
Eu vou fazer você ficar louco
Muito louco, muito louco
Dentro de mim!…

Veja também

  • fina-estampa-logo

Fina Estampa

  • senhoradodestino_logo

Senhora do Destino

  • duascaras_logo

Duas Caras

  • cinquentinha_logo

Cinquentinha