Sinopse

São Paulo é o palco da história de amizade entre cinco garotas, que nasce a partir de uma experiência única e inesquecível. É durante uma pane no metrô que se conhecem Lica (Manoela Aliperti), rica e de estilo alternativo, Ellen (Heslaine Vieira), uma hacker da periferia, Tina (Ana Hikari), uma rebelde artista sansei, Benê (Daphne Bozaski), uma menina tímida que quer muito ter amigas, e Keyla (Gabi Medvedovski), uma mãe adolescente.

Keila entra em trabalho de parto enquanto está presa no metrô, e as outras meninas se unem para ajudá-la. O nascimento da criança marca o vínculo entre as cinco, que possuem vivências e personalidades distintas. A trama acompanha a vida dessas garotas, que vão descobrir juntas como pode ser enriquecedor viver, confrontar e celebrar suas diferenças.

Globo – 17h45
de 8 de maio de 2017
a 5 de março de 2018
222 capítulos

de Cao Hamburger
colaboração de Luciana Pessanha, Vitor Brandt, Jaqueline Vargas, Mário Viana e Bruno Lima Penido
colaboração de Carolina Ziskind, Renata Martins e Cadu Machado
supervisão de texto de Charles Peixoto
direção de Carlo Milani, Rafael Miranda, Caetano Caruso e Alexandre Macedo
direção artística de Paulo Silvestrini

Temporada anterior
Pro Dia Nascer Feliz

Temporada posterior
Vidas Brasileiras

ANA HIKARI – Tina (Cristina)
DAPHNE BOZASKI – Benê (Benedita)
GABRIELA MEDVEDOVSKI – Keyla (K3)
HESLAINE VIEIRA – Ellen
MANOELA ALIPERTI – Lica (Heloísa)

MATHEUS ABREU – Tato (Teobaldo)
LÚCIO MAURO FILHO – Roney Romano
ALINE FANJU – Josefina
MOUHAMED HARFOUCH – Bóris
ANA FLÁVIA CAVALCANTI – Dóris
MALU GALLI – Marta
MARCELO ANTONY – Edgar
DANIELA GALLI – Malu
JUAN PAIVA – Anderson
BRUNO GADIOL – Guto
ISABELLA SCHERER – Clara
VINÍCIUS WESTER – MB (Michel Benjamin)
GIOVANNA GRIGIO – Samantha
LUCAS KOKA PENTEADO – Fio
TALITA YOUNAN – K1 (Katiane)
CAROL MACEDO – K2 (Katerine)
GABRIEL CALAMARI – Felipe
HALL MENDES – Jota (José Carlos)
MIKAEL MARMORATO – Juca (João Victor)
GIOVANNI GALLO – Dogão (Douglas)
LUIS GALVES – Gabriel
ÂNGELO ANTÔNIO – Luís
LINA AGIFU – Mitsuko
CARLOS TAKESHI – Noburo
ROBERTA SANTIAGO – Nena
JU COLOMBO – Das Dores
PABLO MORAIS – Deco
FELIPE HINTZE – Moqueca
SÉFORA RANGEL – Leide
ED LOPEZ DASSILVA – Valdemar

as crianças
DAVI SOUZA – Juninho
JULIE KEI – Telma
DANILO CASTRO RODRIGUES – Tonico

e
ADRIANA ZATTAR – Simone (mãe de Guto)
ALAN ROCHA – Palito (colega de banda de Roney, do passado)
ALEXANDRE MORENNO – Vicente (pai de Ellen e Anderson)
ALEX BRASIL – médico que examina Anderson
ANDRÉA NASCIMENTO – Marina (uma das alunas do colégio Grupo que é racista com Ellen)
ANDRÉ SALVADOR – Maurício (segurança do colégio Grupo)
BETTO MARQUE – entrevista Roney no hospital como o pai da menina que teve um bebê no metrô
BRENDA SABRYNA – Bianca (pretendente de MB)
BRUNA TATAR – Júlia (uma das alunas do colégio Grupo que é racista com Ellen)
BRUNO KOTT – Ernesto (professor do colégio Grupo)
CAROLINA CHALITA – Maria Eduarda (mãe de Gabriel)
CAROLINA IECKER – Keyla (criança)
CLÁUDIO JABORANDY – Aldo (pai de Tato)
CRISTHINA FLORES – Andressa (policial da delegacia da mulher que atende K1 quando ela denuncia o padrasto)
CRISTINA FAGUNDES – Valdirene (tia de K2, dona do salão de beleza onde ela trabalha)
DANIEL S. RIBEIRO – Nestor (pai de Deco)
DIG DUTRA – Kátia (mãe de K1)
FÁBIO BELTRÃO – Max (produtor de funk que quer gravar com Tina, o que deixa Anderson com ciúmes)
FLÁVIA MILIONI – Ana Maria (psicóloga no colégio Grupo)
GABRIEL CHADAN – MC Pimenta (Cleiton Salles, funkeiro que rouba a música de Tina e a lança em um clipe)
ISADORA FERRITE – professora do colégio Cora Coralina
JANAÍNA GAIA – Odaiuá (mãe de Deco)
JOÃO LUCAS ROMERO – Décio (professor de música de Guto para quem ele apresenta Benê)
JOSÉ KARINI – Roger (padrasto de K1)
JOSUÉ GALINARI – policial que aborda Anderson e Tina e é racista com ele
LUCIANO PONTES – Cícero (pai de Benê e Juninho)
MARCELO ARNAL – Rafa (aluno do colégio Grupo que comete bullying e um ataque homofóbico contra Gabriel e Felipe)
MARIA GABRIELLI MACHADO – Taís (aluna do colégio Cora Coralina que a princípio implica com Lica)
MC GUIMÊ como ele mesmo, canta na Balada do Bebê
MIGUEL COELHO – Mr. X (amigo de Tato, campeão de downhill)
PEDRO GARCIA NETTO – José Augusto (pai de Guto)
SIDY CORRÊA – Jean Michel (pai de MB)
TATIANA TIBÚRCIO – Cristiane (mãe de Fio)
THAÍS BELCHIOR – Samira (garota grávida que vende a urina para K2 forjar o resultado do exame de gravidez)
VINÍCIUS REDD – falso Deco
ZEZÉ ANTÔNIO – Gilvan (funcionário do colégio Cora Coralina)

– núcleo de KEYLA (Gabriela Medvedovski), grávida precocemente, deu à luz no metrô, onde conheceu novas amigas que a ajudaram no parto, selando um laço que se estende por toda a trama. Procura pelo pai de seu filho:
o pai RONEY ROMANO (Lúcio Mauro Filho), dono da lanchonete e do galpão que os adolescentes frequentam. Na juventude, teve um sucesso meteórico como cantor de música popular. Um tipo divertido e de bem com a vida
o bebê TONICO (Danilo Castro Rodrigues), seu filho
o pretendente TATO (Matheus Abreu), seu melhor amigo, é apaixonado por ela. Assume a paternidade de Tonico. Rapaz trabalhador e bom caráter, mas muito carente
o pai de Tonico, DECO (Pablo Morais), que ela acabou encontrando depois de muita dificuldade. Rapaz aventureiro que vive em longas viagens pelo mundo
o meio-irmão GABRIEL (Luís Galves), filho que Roney desconhecia. Aparece no meio da trama. Gay assumido, sofre preconceito por isso
o atendente na lanchonete de Roney, VALDEMAR (Ed Lopez Dassilva).

– núcleo de ELLEN (Heslaine Vieira), nerd, hacker, ligada em tecnologia. Superinteligente, moradora da periferia, sofre preconceito por ser negra e pobre. Sonha mudar o destino de sua família:
a mãe NENA (Roberta Santiago), mulher séria e batalhadora, trabalha como enfermeira e quase não para em casa por causa dos plantões no hospital
a avó DAS DORES (Ju Colombo), diferente da filha, é simpática e despachada. Está sempre incentivando os netos. Sábia e ponderada, ajuda nas despesas da casa preparando coxinhas para fora
o irmão ANDERSON (Juan Paiva), trabalha como motoboy e sonha trabalhar como produtor musical. Diferente de Ellen, não liga para os estudos
o amigo de Anderson, MOQUECA (Felipe Hintze), com quem trabalha. É quem programa as entregas que ele faz.

– núcleo de TINA (Ana Hikari), sensei, adora cultura, é esperta e preza a liberdade. Apaixona-se por Anderson mas os dois terão de lutar contra o preconceito da mãe dela, que não aceita o rapaz por ele ser negro e pobre:
o pai NOBORU (Carlos Takeshi), dono de um restaurante japonês, tenta apaziguar os conflitos entre a esposa e a primogênita
a mãe MITSUKO (Lina Agifu), médica competente e respeitada, quer que a filha siga sua carreira. Exigente, controladora e autoritária, leva as filhas na rédea curta. Preconceituosa, faz de tudo para prejudicar o romance de Tina e Anderson
a irmã caçula TELMA (Julie Kei), atua como “fiscal” da irmã para a mãe.

– núcleo de BENÊ (Daphne Bozaski), tem um alto nível de sinceridade e dificuldade de manter relacionamento interpessoal. Sofre bullying por ser diferente, ou melhor, por ser tachada de “esquisita”. Foi diagnosticada com Síndrome de Asperger. Vai desenvolver uma paixão pelo piano:
a mãe JOSEFINA (Aline Fanju), fiscal e zeladora da Escola Estadual Cora Coralina. Cuida sozinha, com muito amor, dos dois filhos, já que o pai deles abandonou a família. Vivem nos fundos do colégio. Apaixona-se por Roney
o irmão caçula JUNINHO (Davi Souza), ao contrário dela, é extrovertido e tem facilidade de socializar com as pessoas. Viciado em games. A princípio, tem dificuldade em aceitar Roney como namorado de sua mãe.

– núcleo de LICA (Manoela Aliperti), de família rica, mas passa longe do estereótipo da patricinha. A típica rebelde sem causa. Vive aprontando para chamar a atenção. Mas é uma garota com forte senso de justiça e ética:
a mãe MARTA (Malu Galli), ex-modelo, mulher bonita e sofisticada, vê seu mundo cair quando o marido pede a separação
o pai EDGAR (Marcello Antony), dono do Colégio Grupo. É inconsequente, imaturo e vê a escola como mero negócio. Está passando por um processo de divórcio
a empregada LEIDE (Séfora Rangel), trabalha há anos na casa, é braço-direito de Marta.

– núcleo de CLARA (Isabella Scherer), a princípio, melhor amiga de Lica, até ser revelado que ela é na verdade filha de Edgar, fruto da traição de sua mãe, o que põe as amigas em pé de guerra ao se descobrirem meias-irmãs. Típica patricinha, vai passar por um processo de transformação interior:
a mãe MALU (Daniela Galli), professora no Colégio Grupo. Amante de Edgar, o caso dos dois vêm à tona quando ele pede a separação de Marta para se unir a ela. Mulher interesseira e de caráter duvidoso, tem sede de poder
o pai LUÍS (Ângelo Antônio), que a criou achando que ela fosse sua filha biológica. Ao descobrir a traição da mulher, se separa dela. Publicitário, vai acabar se envolvendo com Marta.

– núcleo do Colégio Grupo, de propriedade de Edgar, que ele herdou do pai, um renomado educador. É uma instituição particular, onde Malu é professora e Lica, Clara e Tina estudam:
o orientador pedagógico BÓRIS (Mouhamed Harfouch), ético, de caráter boníssimo, compreensivo e ponderado, é excelente no que faz. Vive às turras com Edgar e Malu, mais interessados nos lucros do que na qualidade da instituição
os alunos: MICHEL BENJAMIN, o MB (Vinícius Wester), rico e descolado, mimado pelos pais, inconsequente, peca pelos excessos,
FELIPE (Gabriel Calamari), melhor amigo de MB, mas não é irresponsável como ele,
GUTO (Bruno Gadiol), rapaz fechado, estuda piano desde a infância. Vai apaixonar-se por Benê,
SAMANTHA (Giovanna Grigio), melhor amiga de Guto, é bem humorada e se lança intensamente nas relações amorosas. Acaba se envolvendo com Lica no decorrer da trama,
JOTA (Hall Mendes), nerd programador, convencido de seus talentos de hacker. Apaixona-se por Ellen, mas a princípio ela não se interessa por ele
JUCA (Mikael Marmorato), melhor amigo de Jota. Nerd virgem com ambições de galã. Está disposto a tudo para conseguir sair do zero a zero e ficar com alguém.

– núcleo da Escola Estadual Cora Coralina, instituição pública, situada ao lado do Colégio Grupo. É onde estudam Keyla, Benê e Ellen. Ao longo da trama, Ellen consegue um bolsa para estudar no Grupo:
a diretora DÓRIS (Ana Flávia Cavalcanti), mulher de Bóris. Durona, exigente, disciplinada e disciplinadora. Luta pelo ensino público de qualidade, apesar de todas as adversidades. Figura respeitada pelos alunos
os alunos: FIO (Lucas Koka Penteado), vizinho de Ellen na periferia, seu pretendente. Mas ela o vê apenas como amigo. Simpático e sempre alegre, é dançarino de funk,
a dupla KATERINE, conhecida como K1 (Talita Younan), e KATIANE (Carol Macedo), a K2. Garotas preguiçosas e inconsequentes, foram as melhores amigas de Keyla, com as quais formava o grupo K1, K2 e K3, mas acabaram se afastando quando ela engravidou. Hoje, elas têm inveja da amizade que se formou entre Keyla e as meninas do metrô. K2 se apaixona perdidamente por Tato e vive correndo atrás dele. K1 vai se envolver com MB
e DOGÃO (Giovanni Gallo), estudou um tempo no colégio. Arruaceiro inconsequente, passa por um processo de redenção com a ajuda de Dóris.

Assinando seu primeiro trabalho com dramaturgia diária na TV aberta, o autor Cao Hamburger é um premiado diretor na TV e no cinema, com uma carreira sólida voltada para o público jovem. Entre suas mais importantes criações está o Castelo Rá-Tim-Bum, as séries Os Urbanóides, Um Menino Muito Maluquinho, Pedro e Bianca, Filhos do Carnaval e outras, e os filmes O Ano em que Meus Pais Saíram de Férias e Xingu.

Viva a Diferença consagrou-se como uma das temporadas mais aclamadas da história de Malhação, “divisora de águas”, sucesso de público e crítica. E com audiência alta: média de 20 pontos no Ibope da Grande São Paulo e 22 no Painel Nacional de Televisão – números não vistos na faixa vespertina desde 2009.

Pela primeira vez na história da Malhação, a trama especifica a ambientação fora do Rio de Janeiro ou de uma cidade não nominada: a história se passa em São Paulo. Também pela primeira vez o protagonismo é focado na figura de cinco garotas, amigas, fugindo dos casais românticos de então.

Malhação, Viva a Diferença mostrou as dores e delícias da convivência entre cinco garotas, vividas pelas estreantes (em novelas) Ana Hikari (Tina), Daphne Bozaski (Benê), Gabriela Medvedovski (Keyla), Heslaine Vieira (Ellen) e Manoela Aliperti (Lica), retratando os conflitos e dilemas sob a ótica feminina.“Elas são donas dos próprios narizes e assumem o protagonismo perante a vida. Cada uma tem a sua trajetória e elas vão se ajudar muito para resolver os dramas que estão passando”, declarou o autor.

Em uma trama eficiente e bem amarrada, o texto de Cao Hamburger privilegiou os dramas dos personagens separadamente, revezando protagonismos. Uma narrativa seriada que funcionou bem com a proposta da atração. Em sintonia com o texto, o bom trabalho do diretor artístico Paulo Silvestrini no trato com o elenco: enxuto, bem escolhido, exibindo uma agradável fusão entre atores novatos e experientes.

Destacaram-se no elenco não apenas as FIVE – como ficaram conhecidas as cinco protagonistas vividas por Ana Hikari, Daphne Bozaski, Gabriela Medvedovski, Heslaine Vieira e Manoela Aliperti. Também os jovens Matheus Abreu (Tato), Juan Paiva (Anderson), Lucas Koka Penteado (Fio), Talita Younan (K1), Carol Macedo (K2), Bruno Gadiol (Guto), Vinícius Wester (MB), Isabela Scherer (Clara) e Giovanna Grigio (Samantha). Entre os atores experientes, destaque para Lúcio Mauro Filho, Aline Fanju, Malu Galli, Daniela Galli, Marcelo Antony, Mouhamed Harfouch, Ana Flávia Cavalcanti e Lina Agifu.

Viva a Diferença bateu com louvor a meta de discutir tolerância, diversidade e representatividade – para jovens e adultos. Defendeu a escola pública e abordou assédio, abuso, racismo, homofobia, bullying, intolerância religiosa, gravidez na adolescência, Síndrome de Asperger, automutilação, empoderamento feminino, álcool e drogas, vício em tecnologia e games, bissexualidade, câncer, preconceito social e com minorias. De forma leve, conforme a exigência do horário e o seu público alvo. Didática na medida certa, pontual e sem eufemismos, com eficiência e responsabilidade, sem imposições, panfletagem ou pieguice.

A capital paulistana foi escolhida como pano de fundo deste enredo por representar um microcosmos do Brasil em toda sua pluralidade.“São Paulo tem a ver com o conceito de diversidade do povo brasileiro e é uma metrópole que tem a caraterística de ter pessoas de backgrounds diferentes. Também queria que tivesse um multiprotagonismo”, conceituou Cao Hamburger

Foram muitas idas à capital paulista para retratar o bairro da Vila Mariana, principal cenário da trama. A cidade cenográfica de Viva a Diferença foi a maior que as temporadas de Malhação já recebeu até então. Com mais de 6.620 metros quadrados, o espaço contava com dois mini-estúdios, que comportavam as casas das personagens Benê (Daphne Bozaski) e Ellen (Heslaine Vieira).“Reproduzimos alguns ambientes para que as pessoas olhassem e se identificassem. Tivemos a curadoria de um estúdio de arte do Beco do Batman, que elegeu três grafiteiros que passaram uns dias grafitando nos Estúdios Globo para que a gente pudesse encontrar esse identidade visual. Além disso, temos viagens planejadas a São Paulo durante a novela, pra colocar um pouco da imagem da cidade no programa, então existe um esforço para manter viva a presença da cidade, que é parte integrante da nossa história”, explicou o diretor artístico Paulo Silvestrini.

A cidade cenográfica incluía também a saída do metrô Vila Mariana, dois colégios, o estadual Cora Coralina e o particular Grupo, a lanchonete e o galpão do personagem Roney (Lúcio Mauro Filho). O cenógrafo José Cláudio ressaltou que passou um bom tempo na capital paulista para dar uma carinha ainda mais real ao espaço.“O bairro de Vila Mariana tem uma mistura de prédios, vilas, bares, comércio e é um bairro bastante arborizado. Estamos trazendo vários elementos que identificam São Paulo”, disse.

Também o Largo do Paissandu, o parque Ibirapuera, a Galeria do Rock, as ruas dos bairros da Liberdade e de Higienópolis, a Praça Roosevelt, o viaduto Santa Efigênia e a Avenida Paulista serviram de cenário para a temporada.

Na reta final de Viva a Diferença, a Rede Globo lançou (no dia 28/02/2018), a campanha “Você é o público da escola pública”, pela valorização do ensino público. O tema foi amplamente abordado nesta temporada de Malhação. Cao Hamburger criou a trama do publicitário Luís (Ângelo Antônio), aliado a Marta (Malu Galli) para criar esta campanha, que extrapolou a ficção e ganhou a programação da Globo. O objetivo era mobilizar a sociedade por uma educação pública de qualidade e enfatizar a importância do envolvimento de todos, educadores, alunos, familiares e comunidade.
Como um prolongamento da campanha dentro de Malhação, o tema foi abordado também em outros programas da emissora, tanto no Jornalismo quanto no Entretenimento (como Fantástico, Jornal Hoje, Encontro, É de Casa, etc), com entrevistas e reportagens, além de ações nos perfis da Globo nas mídias sociais. O projeto contou com a parceria de organizações internacionais e da sociedade civil, como a Unicef, a Associação Nova Escola, a Organização Cidade Escola Aprendiz, Todos pela Educação e outros.


01. BATE A POEIRA PARTE 2 – Karol Conká (tema de abertura)
02. SHE MOVES IN HER OWN WAY – The Kooks
03. IN BETWEEN DAYS – The Cure
04. SEM AR – Sinara
05. SEJA COMO FOR – Banda do Mar
06. EU GOSTO DELA – Emicida
07. FATO RARO – MC Guimê
08. VAI COMEÇAR A OUSADIA – MC Gui
09. LEMBRANÇAS – Hungria Hip Hop
10. AI AI – Maglore
11. YOU CAN´T ALWAYS GET WHAT YOU WANT – Smoking Stones
12. AI AI COMO EU ME ILUDO – O Terno
13. LET´S HURT TONIGHT – Onerepublic
14. FLY – Eric Silver
15. TREM BALA – Ana Vilela e Luan Santana
16. CASINHA BRANCA – Roberta Campos
17. A SONG ABOUT LOVE – Jake Bugg

ainda
CASA PRONTA – Mallu Magalhães
CASTLE ON THE HILL – Ed Sheeran
IJIME, DAME, ZETTAI – Babymetal
JANTA – Marcelo Camelo e Mallu Magalhães
MY OWN DECEIVER – Ego Kill Talent
NÃO ROUBA MINHA BRISA – MC Guimê
SIT NEXT TO ME – Foster the People
THIS FEELING – Alabama Shakes
VÍCIO PERFEITO – Clube do Balanço

músicas cantadas pelos personagens
AMOR SELVAGEM – Roney Romano (Lúcio Mauro Filho)
CAVALO DE AÇO – MC Pimenta (Gabriel Chadan)
DIFERENTE – Guto e Benê (Bruno Gadiol e Daphne Bozaski)
FAIBU (ファイブ) – Tina (Ana Hikari)
GAROTAS DO VAGÃO – Five (Ana Hikari e Gabriela Medvedovski)
MINA ZICA – MC Fio (Lucas Koka Penteado)
OITAVO B – Os Lagostins (Giovanna Grigio e Vinicius Wester)
PASSINHO DO FIO – MC Fio (Lucas Koka Penteado)

Tema de Abertura: BATE A POEIRA PARTE 2 – Karol Conká

Os perturbados se prevalecem
Enquanto atingidos adoecem
Palavras soltas que aborrecem
Esperança depois de uma prece
Um povo com crise de abstinência
Procura explicação pra existência
Num mundo onde dão mais valor pra aparência
Tem sua conseqüência

Negro, branco, rico, pobre
O sangue é da mesma cor
Somos todos iguais
Sentimos calor, alegria e dor
Krishna, Buda, Jesus, Allah
Speed Black profetizou
Nosso Deus é um só
Vários nomes pro mesmo criador
Pouco me importa sua etnia
Religião, crença, filosofia
Absorvendo sabedoria
Desenvolvendo meu dia-a-dia

Nesse mundo poucas coisas são certas
Amor, sorte, morte, a vida que se leva
Do sul para o norte, da Ásia à América
Se errar é humano o erro te liberta
Seja o que tiver que ser, seja o que quiser ser
Bate a poeira, bate a poeira, bate a poeira
Seja o que quiser ser
Bate a poeira, bate a poeira, bate a poeira
Seja o que tiver que

O preconceito velado
Tem o mesmo efeito, mesmo estrago
Raciocínio afetado
Falar uma coisa e ficar do outro lado
Se o tempo é rei vamos esperar a lei
Tudo que já passei nunca me intimidei
Já sofri, já ganhei, aprendi, ensinei
Tentaram me sufocar mas eu respirei
Há tanta gente infeliz
Com vergonha da beleza natural
É só mais um aprendiz
Que se esconde atrás de uma vida virtual
Gorda, preta, loira o que tiver que ser
Magra, santa, doida somos a força e o poder
Basta, chega, bora, levanta a cabeça e vê
Vem cá, viva, sinta, o que quiser você pode ser…

Veja também