Sinopse

Quem gostaria de ter um cunhado muito irreverente morando em casa? Washington Cantapedra, dono da agência Cantapedra Propaganda e Interface, é casado com a bela e jovem Simone e ganhou de presente de casamento um cunhado. Simone casou-se com Washington por uma manobra interesseira de seu irmão mais velho, Carlo Bronco, um malandro aproveitador que vive “temporariamente” na casa dos Cantapedra até conseguir um emprego, embora o dono da casa saiba que isso nunca acontecerá. Bronco, o cunhado, está sempre metido em pequenos golpes, ao lado do amigo Nicolau, que serve como quebra-galho e testa-de-ferro.

Na mansão Cantapedra, o dia a dia é sempre agitado e o clima é de puro humor. Lili, a filha adolescente do primeiro casamento de Washington, também mora com ele, ao lado de Simone, Cacá, o filho do casal, e Bronco. Para cuidar do atrapalhado clã, Simone tem a ajuda de Marta, fiel escudeira que a acompanha desde os tempos de classe média. O que Washington não contava é que até a empregada protegeria Bronco. Washington adora a esposa e tem medo de perdê-la, mas odeia o cunhado e não vê a hora de livrar-se dele. A família, porém, adora o malandro, julgando-o vítima de perseguição do estressado publicitário.

Na agência Cantapedra Propaganda e Interface, Washington conta com a ajuda da secretária e quase leão-de-chácara Corina. Ela se considera inteligente e eficiente, mas, no fundo, é o contrário, apesar de ser uma funcionária de confiança. Corina está sempre às voltas com o inoportuno Bronco, que, devido a chantagens e outras armações, acaba interferindo na gestão da agência, modificando campanhas, desviando contas e atraindo clientes perigosos. Washington pretende ser um publicitário de sucesso e reconhecido pelos colegas, mas Bronco, com suas trapalhadas, acaba sempre denegrindo a sua imagem.

SBT – 21h30
de 14 de abril de 2004
a 26 de março de 2006

escrita por Moacyr Franco, Claudio Spritzer, Roberto Teixeira e Guto Franco
direção de Guto Franco

RONALD GOLIAS – Carlo Bronco
MOACYR FRANCO – Washington Cantapedra
GUILHERMINA GUINLE – Simone
LUÍSA THIRÉ – Simone
JOÃO VITOR FRANCO – Cacá
CAROLINA ESPINA – Lili
CLARISSA FREIRE – Marta
MARCOS SILVESTRE – Nicolau
CLÁUDIA MELLO – Corina
ROBERTO STIPPE

e
AGNALDO RAYOL
ALAIN FONTAINE
ALEXANDRE FROTA
ALTAMIRO MARTINS
ANDERSON
ANTÔNIO PETRIN
AS MALANDRINHAS
BETH GUZZO
CAETANO ZONARO
CAIO ROMEI
CANARINHO
CARLA FIORONI
CAROLA
CELSO PORTIOLLI
CLÁUDIO FONTANA
CLERY CUNHA
COMANDANTE HAMILTON
DAVID PINHEIRO
DÉBORAH SEABRA
DÉCIO PINTO
DÊNIS DERKIAN
DHU MORAES
ELLEN PINHEIRO
ET
FELIPE LEVY
FERNANDA VIACAVA
FERNANDO BENINI
FRANCHESCO GALEANO
GEISA GAMA
GERALDO MAGELLA
GERSON DE ABREU
GUTO FRANCO
HELEN GANZAROLLI
HENRIQUE CÉSAR
IVO HOLLANDA
JORGE LAFOND
JOSÉ MIZIARA
JUAN ALBA
JUSSARA FREIRE
KAKÁ
LADY FRANCISCO
LADY LÚ
LÉO JAIME
LILYÁ VIRNA
LIMINHA
LOMBARDI
LUCÉLIA MACHIAVELLI
LUCIANA ROCHA
LUIZA AMBIEL
LUIZ AMORIM
LUIZ CARLOS MIÉLE
MADALENA BONFIGLIOLLI
MAESTRO ZACCHARO E ORQUESTRA
MARCELO MATIAS
MARCELO MÉDICI
MARCOS MASTRONELLI
MATHEUS CARRIERI
MIGUEL MAIMONE
MILTON LEVY
PAULA MELISSA
PETRÚCIO MELLO
PIERRE BITTENCOURT
SERAFIM GONZALEZ
RAFAEL PARDO
RAQUEL RIPANI
RATINHO
RENÊ VANORDEN
RICARDO CORTE REAL
RITA CADILLAC
RITA DE CÁSSIA
ROBERTO AVALLONE
ROBERTO LAGE
ROBERTO MARQUIS (TEOBALDO)
ROGÉRIO MÁRCICO
ROQUE
RUBENS CARIBÉ
RUTH ROMCY
SANDRA MANDARINI
SAULO LARANJEIRA
SÉRGIO REIS
SILVIA ABRAVANEL
SILVIA POPPOVIC
TAIGUARA NAZARETH
TRÊS DO RIO
TURÍBIO RUIZ
VIANNA JÚNIOR
VÍTOR BRANCO
VIVIANE PORTO
YARA MARQUES
ZÉ AMÉRICO
ZÉ LUIZ

apoio
ALEXANDRE JÁBALI
ANA PAULA DEMAMBRO
ANDRÉIA OLIVEIRA
ANDRÉ VILLAÇA
BÁRBARA TKALEC
BRUNO GUZZO
CAMILA LEITE
CAMILA VIANNA
CARLOS GIMENEZ
CARLOS GRILLO
CARLOS HENRIQUE MANFIO
CARLOS LESSA
CARLOS MARAVILHA
CÁTIA BECKER
CHARLES BRAUN
CLÁUDIA CARLA
CLÁUDIO CLARINDO
CRISTIANA AMORIM
DANIELA GARIANI
DANILO FARO
DINO MORENO
DIVINO GOMES
DORNÉLIA TEIXEIRA
EDSON SANTOS
EDUARDO GUIMARÃES
EMANUEL DÓRIA
ENO TOSTA
FERNANDO FERREIRA
FRANCINE GREGHI
GABRIELA LOIS
HEITOR BARSALINI
ISABELA BARRETO SANTOS
JOÃO CARLOS
JORGE DUALIK
JUAN PEDRO MARTIN
JÚLIA FRANCO
KARINA CATALDO
KÁTIA BECKER
KLAUS HE
LIA PAIVA
LISIETE NAVARRO
LUANA MARQUES
LUCIANO AMARAL
LUIZ CARLOS RIBEIRO
MARCELO CELESTINO
MARCELO SALLES
MARCELO SANTANA
MARCO MINETO
MARCOS SILVESTRE
MARCOS VINÍCIUS COELHO
MARIA ÂNGELA PRADA
MÁRIO AMARAL
MÁRIO COUTO
MARISA RATCOV
MAURÍCIO BOSCO
MILTON HERNANDES
MIRELA GABRIELLE
MÔNICA MATTOS
NATÁLIA KIRKA
PATRÍCIA IWANOSWISKI
PATRÍCIA LAGE
PEDRO NETO
PRISCILLA PASTRI
PRISCILLA TREVISAN
RAFAELA FERRARO
RAIMUNDO VIGNA
RAY DOS PRAZERES NOGUEIRA
RAYMUNDO JOSÉ
RAYMUNDO VIGNA
RENATA SCHMIDT
RICARDO DI GIÁCOMO
RITA SOBRAL
RITA SOBREIRA
ROBERTO STIPPE
RODRIGO LÁZARO
RONALDO OLIVA
RONALDO RIBEIRO
RONY GUIMARÃES
SÔNIA FERREIRA
TAÍS VALERO
TEREZA RONCONI
THAÍS RATEIRO
TONINHO BILASKI
VIVIANE FERNANDES
WHITER DALUS
WILLIAN MIRANDA

Meu Cunhado foi uma versão nacional do seriado mexicano Mi Cuñado, da Televisa. Era exibido às quartas-feiras, às 21h30, pelo SBT.

O seriado foi gravado de 2000 a 2003, totalizando mais de 50 episódios. Só em abril de 2004, um ano depois do final das gravações, é que estreou. Algo semelhante ocorrera na época com a novela O Direito de Nascer, que foi ao ar em 2001 tendo sido gravada em 1997.

Moacyr Franco disse em entrevistas que o maior problema da demora na estreia do programa era que vários episódios eram calcados em fatos do momento em que tinham sido gravados. Assim, os que satirizavam o programa No Limite, da Globo, exibido em 2000, e o escândalo do painel do Senado, ocorrido em 2001, perdiam totalmente o sentido indo ao ar tanto tempo depois. Quando perceberam que a demora poderia ser maior do que a esperada (porque o programa “ameaçou” ir ao ar por muitas vezes), a equipe passou a produzir episódios mais atemporais.

O projeto ainda era mais antigo do que a data das gravações. Desde o começo dos anos 1990, Silvio Santos manifestara vontade de produzir o programa. Uma das vezes em que quase foi ao ar foi em 1996, para competir com o Sai de Baixo da Globo. Porém, Silvio Santos preferiu produzir outro seriado humorístico, o Brava Gente.

A atriz Guilhermina Guinle foi substituída, a partir do vigésimo episódio, pela colega Luísa Thiré, porque foi fazer a novela Mulheres Apaixonadas, na Globo. Para justificar a troca de atrizes, a personagem Simone passa por uma cirurgia plástica que se desdobra por cerca de três episódios.

O personagem Bronco, de Ronald Golias, foi criado para o rádio em 1955. O ator já havia vivido o papel nos seriados humorísticos A Família Trapo (Record, de 1967 a 1971), Super Bronco (Globo, 1979) e Bronco (Bandeirantes, de 1987 a 1990).

Veja também

  • superbronco_logo

Super Bronco

  • bronco_logo

Bronco

  • familiatrapo_logo

A Família Trapo