Sinopse

Na vastidão das plantações de cacau, um homem sem posses e sozinho no mundo finca seu destino aos pés de um jequitibá-rei, tendo a natureza exuberante da região como testemunha e estabelecendo um pacto que o acompanhará ao longo de toda a sua trajetória. “Enquanto o meu facão estiver encravado aos seus pés, nem eu nem você haveremos de morrer… nem de morte matada… nem de morte morrida!”

Assim como a semente de cacau, José Inocêncio (Humberto Carrão/Marcos Palmeira) também cria raízes naquela terra. Ele renasce ao sobreviver a uma impressionante emboscada, que lhe deixa cicatrizes pelo corpo e espalha a fama de que o “coronelzinho” tem o corpo fechado para morte. Logo Zé Inocêncio torna-se uma figura mítica e o fazendeiro mais bem-sucedido da região por seus êxitos como produtor de cacau. Porém, a maior de suas conquistas, talvez, seja o amor da jovem Maria Santa (Duda Santos).

A arrebatadora paixão entre os dois gera quatro filhos: José Augusto (Renan Monteiro), José Bento (Marcello Melo Jr), José Venâncio (Rodrigo Simas) e o caçula, João Pedro (Juan Paiva), o único que não teve a oportunidade de conviver com a mãe, que morre ao dar à luz. A fatalidade com Maria Santa provoca a revolta em Zé Inocêncio, que por toda a vida culpa João Pedro pela morte de seu grande amor. A indiferença e a mágoa marcam a relação entre o patriarca e o caçula ao longo dos anos.

Apesar do desprezo e de ter tido negadas as oportunidades que foram concedidas aos irmãos, João Pedro sente enorme admiração pelo pai. Seu único desejo é ter o amor paterno. Anos mais tarde, a chegada da misteriosa Mariana (Theresa Fonseca) coloca à prova todos esses sentimentos quando pai e filho se apaixonam pela mesma mulher. Mariana é neta de Belarmino (Antônio Calloni), o maior desafeto de Zé Inocêncio, do passado, assassinado de forma misteriosa, em que as suspeitas recaem sobre o próprio coronel.

Contudo, Zé Inocêncio tem um outro inimigo perigoso: o ardiloso Teodoro (Vladimir Brichta), seu vizinho, com quem trava uma luta por posse de terras. Sentindo-se em desvantagem para disputar com o pai o amor de Mariana, João Pedro, para espanto de todos, anuncia seu casamento com Sandra, filha de Teodoro, ato que Zé Inocêncio enxerga como uma afronta, acirrando ainda mais os ânimos entre pai e filho.

Globo – 21h
estreia: janeiro de 2024

novela criada por Benedito Ruy Barbosa
escrita por Bruno Luperi
direção de Alexandre Macedo, Walter Carvalho, Ricardo França e Mariana Betti
direção geral de Pedro Peregrino
direção artística de Gustavo Fernandez

Novela anterior no horário
Terra e Paixão

MARCOS PALMEIRA – Zé Inocêncio (Painho)
JUAN PAIVA – João Pedro
THERESA FONSECA – Mariana
MARCELLO MELO JR. – Zé Bento
RENAN MONTEIRO – Zé Augusto
RODRIGO SIMAS – Zé Venâncio
Sandra
SOPHIE CHARLOTTE – Eliana
VLADIMIR BRICHTA – Teodoro
CAMILA MORGADO – Iolanda (Dona Patroa)
GABRIELA MEDEIROS – Buba (Alcides)
IRANDHIR SANTOS – Tião Galinha
ALICE CARVALHO – Joaninha
BRENO DA MATTA – Padre Lívio
EDVANA CARVALHO – Inácia
XAMÃ – Damião
MELL MUZZILLO – Ritinha
JACKSON ANTUNES – Diocleciano
ANA CECÍLIA COSTA – Morena
SAMANTHA JONES – filha de Jupará
LÍVIA SILVA – Teca
ALMIR SATER – Rachid
MATHEUS NACHTERGAELE – Norberto
CHICO DIAZ – Padre Santo
JULIANE ARAÚJO – Kika (Walkíria)
PEDRO NESCHLING – Egberto
Aurora

Rafael
Pitoco
Neno
Delegado Olavo
Tarcísio

primeira fase
HUMBERTO CARRÃO – Zé Inocêncio (Coronelzinho)
DUDA SANTOS – Maria Santa (Santinha)
FÁBIO LAGO – Venâncio (o Bumba)
BELIZE POMBAL – Quitéria
ANTÔNIO CALLONI – Belarmino
QUITÉRIA KELLY – Nena
JULIANA PAES – Jacutinga
MARIA FERNANDA CÂNDIDO
EDVANA CARVALHO – Inácia
ADANILO – Diocleciano
EVALDO MACARRÃO – Jupará
GABRIEL SATER – Rachid
MATHEUS NACHTERGAELE – Norberto
ENRIQUE DIAZ – Coronel Firmino
CHICO DIAZ – Padre Santo
JÚLIA LEMOS – Flor
ULIANA LIMA – Morena
Juliete

e
UILIANA LIMA
FLÁVIA BARROS

1ª fase

– núcleo de JOSÉ INOCÊNCIO, o CORONELZINHO (Humberto Carrão), jovem valente, obstinado e sonhador que finca um facão aos pés de um jequitibá-rei na esperança de se tornar eterno. Vítima de uma tocaia, tem a pele de seu corpo arrancada por um bando de jagunços:
o mascate libanês RACHID (Gabriel Sater/Almir Sater), que salva sua vida costurando a pele ao seu corpo
os empregados e amigos: DIOCLECIANO (Adanilo) e JUPARÁ (Evaldo Macarrão), fiéis a ele
a empregada INÁCIA (Edvana Carvalho), que o adora, em uma relação quase maternal
o pároco de Ilhéus PADRE SANTO (Chico Diaz).

– núcleo de MARIA SANTA (Duda Santos), moça pura e ingênua que se casa com Zé Inocêncio quando é expulsa de casa, dando a ele quatro filhos. Morre no parto do caçula, para desespero do marido:
os pais: VENÂNCIO (Fábio Lago), conhecido como o BUMBA, homem extremamente severo e carola. Sente desejo pela própria filha, motivo de seu ciúme doentio pela menina,
e QUITÉRIA (Belize Pombal), mulher abnegada e submissa ao marido, tenta ao máximo proteger a filha do pai.

– núcleo de BELARMINO (Antônio Calloni), vizinho ambicioso de Zé Inocêncio que almeja suas terras e para isso tenta matá-lo a todo custo. Porém acaba vítima de sua própria tocaia e a culpa recai sobre o coronelzinho:
a esposa NENA (Quitéria Kelly), mulher rancorosa que está sempre do lado do marido. Após a morte dele, jura vingança contra Zé Inocêncio.

– núcleo de JACUTINGA (Juliana Paes), cafetina amiga de Zé Inocêncio. Acolhe Maria Santa em seu bordel quando ela é expulsa de casa pelo pai. Trata a menina como uma filha. É em seu bordel que Maria Santa se casa com o coronelzinho:
as prostitutas: MORENA (Uliana Lima), que casa com Diocleciano, JULIETE, que tem inveja de Morena, e FLOR (Júlia Lemos), que casa com Jupará
o vizinho NORBERTO (Matheus Nachtergaele), dono de um bar-mercearia que nutre uma paixão platônica por ela.

2ª fase

– núcleo de JOSÉ INOCÊNCIO, o PAINHO (Marcos Palmeira), homem bom e justo que prosperou como fazendeiro na região de Ilhéus, conhecido como o Rei do Cacau. Nunca superou a morte da mulher, mas sente renascer quando apaixona-se por uma moça misteriosa que surge em sua vida:
os filhos mais velhos, que o pai mandou estudar na capital para se tornaram “doutores”: JOSÉ AUGUSTO (Renan Monteiro), médico sem vocação, JOSÉ BENTO (Marcelo Mello Jr.), advogado, e JOSÉ VENÂNCIO (Rodrigo Simas), engenheiro
o filho caçula JOÃO PEDRO (Juan Paiva), que trabalha com ele na fazenda. Rapaz ingênuo e sem instrução, foi o único dos filhos que não recebeu educação formal. Apesar da admiração que sente pelo pai, é renegado por Zé Inocêncio por causa da morte de Maria Santa, falecida em seu nascimento
a namorada de João Pedro, no início, MARIANA (Theresa Fonseca), jovem misteriosa que se aproxima de Zé Inocêncio com a intenção de vingar o avô Belarmino, que ela acredita que ele matou. Porém, apaixona-se de verdade pelo painho, trocando o filho pelo pai e acirrando ainda mais as desavenças entre eles
as empregadas da casa: INÁCIA (Edvana Carvalho), sua velha amiga e conselheira, e a jovem RITINHA (Mell Muzzillo)
o empregado DAMIÃO (Xamã), a princípio um jagunço destinado a matá-lo. Conquistado por ele, torna-se seu empregado fiel. Casa-se com Ritinha.

– núcleo de Zé Bento, o mais ambicioso dos filhos de Zé Inocêncio:
a esposa KIKA (Juliane Araújo), também advogada, com quem vive sem ser casado no papel. Mulher vaidosa e perdulária
a professora , com quem se envolve, mas é apaixonada por João Pedro.

– núcleo de Zé Venâncio, outro filho de Zé Inocêncio, morto em uma tocaia feita para o pai:
a esposa ELIANA (Sophie Charlotte), mulher bela e oportunista que inferniza a vida do marido. Envolve-se com Damião
a amante BUBA, mulher trans cujo nome verdadeiro é ALCIDES (Gabriela Medeiros). Vai ter um caso com seu irmão Zé Augusto
o detetive EGBERTO, contratado por Eliana para saber com quem o marido a trai. Envolve-se com Kika.

– núcleo de Zé Augusto, outro filho de Zé Inocêncio, apaixona-se por Buba após a morte do irmão:
a garota de rua TECA (Lívia Silva), menina grávida que ele adota para ficar com o bebê, já que Buba não pode engravidar
os amigos de Teca: NENO e PITOCO, também garotos de rua.

– núcleo do fazendeiro TEODORO (Vladimir Brichta), vizinho de Zé Inocêncio que o inveja, com quem trava uma disputa por terras. Envolve-se com Eliana quando a esposa o abandona:
a esposa IOLANDA, que ele chama pejorativamente de DONA PATROA (Camila Morgado), mulher submissa e infeliz, frequentemente humilhada pelo marido. Finge não saber das traições de Teodoro. Envolve-se com Rachid quando ele retorna a Ilhéus
a filha SANDRA, moça instruída e rebelde que não aprova os métodos do pai, motivo pelo qual vivem em pé de guerra. Acaba se casando com João Pedro, filho do inimigo de seu pai.

– núcleo de TIÃO GALINHA (Irandhir Santos), simplório catador de caranguejo, empregado de Teodoro. Desiludido com a vida, sonha em livrar-se da miséria em que vive com a mulher. Comete suicídio na cadeia ao ser condenado injustamente e sentir que foi desonrado:
a esposa JOANINHA (Alice Carvalho), moça bela e conformada com a vida. É constantemente assediada por Teodoro
o PADRE LÍVIO (Breno da Matta), substituto de Padre Santo. Vive em conflito com sua vocação religiosa. Apaixona-se por Joaninha e os dois têm um caso de amor.

– núcleo de DIOCLECIANO (Jackson Antunes), melhor amigo de Zé Inocêncio, trabalha para ele:
a esposa MORENA (Ana Cecília Costa), mulher alegre e de bom coração. Como não pôde ter filhos, ajudou a criar João Pedro, quando ele foi renegado pelo pai após o nascimento
a filha adotiva (Samantha Jones), abandonada pela mãe, Flor, quando ela ficou viúva de seu pai, Jupará, amigo da juventude de Diocleciano e Zé Inocêncio.

Remake da novela de Benedito Ruy Barbosa 31 anos depois, agora atualizada por seu neto Bruno Luperi, o mesmo da atualização de Pantanal, em 2022. Com a novela, a Globo pretende repetir o sucesso do último remake de obra de Benedito.

Renascer pisa em um Brasil mais profundo de forma mais potente. Assim como Pantanal, são obras épicas, atemporais e que estão na memória afetiva do público e da televisão, e que agora temos a possibilidade de trazê-las para os dias de hoje. Porque o tempo escreve com a gente. E os valores foram muito ressignificados de 30 anos para cá. Isso determina a maneira como abordar e tratar as narrativas e de como se traduz aquela cena ou dramaturgia para os dias atuais”, afirmou Bruno Luperi.

A personagem Buba, que na versão de 1993 era intersexo, interpretada pela atriz cisgênero Maria Luísa Mendonça, foi reescrita para ser uma mulher trans. Assim, a Globo escalou a atriz transsexual Gabriela Medeiros para o papel.

As gravações se iniciaram em outubro de 2023, em Ilhéus, na Bahia, região onde a história é ambientada nas duas fases.

Veja também

  • pantanal2022

Pantanal (2022)

  • renascer

Renascer

  • velhochico

Velho Chico