Sinopse

Ipanema, 1958. O viúvo Álvaro Galhardo tem um relacionamento aberto e moderno com as três filhas, Ana, Yolanda e Cristina, enfrentando a cunhada Fausta, mulher amarga e conservadora que desaprova a educação que ele dá às moças. Bon vivant, de família abastada, mas falido por causa de jogatina, amante da vedete Bette Nigri, Álvaro acaba apaixonado por Marta, uma mulher simples e desquitada – para a ira de Fausta.

Marta tem dois filhos, o rebelde Murilo, do primeiro casamento, e o garoto Tavinho, filho de Antenor, com quem vivia há doze anos. Ao mudar-se do Méier, bairro carioca da Zona Norte, para Ipanema, na Zona Sul, Marta vai morar exatamente em frente à casa de Álvaro, iniciando com ele um romance, o que agrava os conflitos com Fausta, que não a aceita, não somente por Marta ser de classe social inferior e desquitada, mas por ciúmes.

Ana se apaixona por Luís Fernando, tenente da Marinha, mas é cortejada por Barreto, amigo de seu pai, rico empreiteiro que trabalha na construção de Brasília. Yolanda namora Murilo, e Cristina, sempre disputando a atenção do pai com as irmãs, cria intrigas para roubar Luís Fernando de sua irmã mais velha, de quem sente inveja. Enquanto Cristina engravida, forçando Luís Fernando a casar-se com ela, Ana, desiludida, casa-se com Barreto.

Globo – 18h
de 7 de setembro de 1987
a 26 de março de 1988
172 capítulos escritos, 173 exibidos

novela de Daniel Más
colaboração de Ana Maria Moretzsohn
baseada no romance “Chama e Cinzas”, de Carolina Nabuco
direção de Wolf Maya, Atílio Riccó, Ignácio Coqueiro e Marcelo de Barreto
direção geral de Wolf Maya

Novela anterior no horário
Direito de Amar

Novela posterior
Fera Radical

CLÁUDIO MARZO – Álvaro Galhardo
SUSANA VIEIRA – Marta Ribeiro
JOANA FOMM – Fausta Guimarães Lopes
RUBENS DE FALCO – Nestor Barreto
MYRIAN RIOS – Ana Galhardo / Eugênia Galhardo
PAULO CASTELLI – Luís Fernando Godoi Viana
CARLA MARINS – Cristina Galhardo
SANDRA BRÉA – Glória Müller (Condessa Von Trupp)
THAÍS DE CAMPOS – Yolanda Galhardo
MAURÍCIO MATTAR – Murilo Ribeiro
REGINA RESTELLI – Bette Nigri
ANTÔNIO CALLONI – Pronto (Augusto Pronto Lopes)
DENISE FRAGA – Lalinha (Amália Godoi Viana)
GUILHERME LEME – Alligator (Jonas)
MILA MOREIRA – Mumu (Olímpia Soares Sampaio)
RODOLFO BOTTINO – Evaristo de Pádua
JONAS MELLO – Detetive Livramento
ARMANDO BÓGUS – Gabriel Alencastro
JACQUELINE LAURENCE – Charlotte Du Pomp
NORMA BLUM – Carmem Godoi Viana
JACYRA SAMPAIO – Bá (Edith)
RIVA NIMITZ – Júlia
HERVAL ROSSANO – Antenor de Souza (depois chamado de Antenor Menezes)
CARLA DANIEL – Mara
ANTÔNIO GONZALEZ – Armando Teles
CLÁUDIA LIRA – Orsina
ERI JOHNSON – Canguru
HUGO GROSS – João Mário Madureira
ANDRÉA AVANCINI – Ritinha (Rita de Cássia)
NECO VILA LOBOS (JOSÉ AMÉRICO MAGNO) – Beto
HENRIQUE CÉSAR – Almirante Osório Godoi Viana
LUCA DE CASTRO – Esteves Rubino
GERMANO FILHO – Seu Manoel
GUILHERME CORRÊA – Seu Antônio
ANTÔNIO PEDRO – Marciano
JOYCE DE OLIVEIRA – Miou

o menino FELIPE FONSECA – Tavinho

e
AGUINALDO ROCHA – policial que flagra Pronto recebendo a mala de dinheiro na chantagem contra Fausta
ANDRÉA MURUCCI – Solange (secretária de Barreto)
ARAÚJO HULK – um dos brutamontes que Evaristo paga para dar uma surra em Alligator
CATALINA BONAKI – senhora no velório de Barreto que lamenta a sua morte
CAZARRÉ – Dr. Pedro Henrique, depois chamado de Dr. Lírio (médico que cuida de Cristina e, depois, de Barreto)
CLÁUDIO BOTELHO – da turma de Alligator
CLÁUDIO CORRÊA E CASTRO – Zambrini (italiano que se associou a Álvaro na construção de um carro)
COLÉ SANTANA – humorista no espetáculo de Bette Nigri
DARY REIS – Siqueira (chefe de Murilo na sorveteria)
DOMINGOS DE OLIVEIRA – Matoso (banqueiro de quem Álvaro empresta dinheiro para pagar uma dívida de jogo)
EDUARDO PARANHOS – policial quando Murilo e Aligator estão brigando em um terreno baldio
ELIAS TUFFY – Adolfo (copeiro de Fausta)
FÁBIO SABAG – Phellippe (apresentador do desfile de joias promovido por Marta e Gabriel)
FELIPE CARONE – padre que celebra o casamento de Murilo e Yolanda, no final
FREDMAN RIBEIRO – delegado que invade a casa de Álvaro após a denúncia de jogatina
FRED MAYRINK – Felipe (amigo de Tavinho e Lili)
GUIDO BRUNINI – Júlio (companheiro de cantoria de Mara)
HÉLIO GUERRA – assessor do secretário de segurança pública jogando na casa de Álvaro
HILTON GOMES – apresentador da festa da Condessa Von Trupp
IBAÑEZ FILHO – Embaixador Flores (companheiro de jogo de Álvaro)
IDA GOMES – dona do hotel onde Luís Fernando e Ana passam a noite por causa de uma tempestade
ISAAC BARDAVID – Dr. Meireles (diretor do sanatório onde Luís Fernando interna sua mãe Carmem)
ISAAC BERNAT – auxiliar do Detetive Livramento
JORGE CHERQUES – Jorge Bernardo Jó da Silva (advogado de Fausta que divulga a partilha de seus bens, no final)
JOSÉ CABRAL – companheiro de jogo de Álvaro
KIKI LAVIGNE – garota com quem Murilo mexe, no início
KLEBER DRABLE – leiloeiro da casa de Álvaro
LEINA KRESPI – Ana Maria (mãe de Alligator)
LUCIANA COUTINHO – uma das coristas dos shows de Bette Nigri
MARCELO DE BARRETO – apresentador de telejornal, anuncia o arquivamento da investigação que envolve Barreto
MARCELO JOSÉ PATELLI – Alcir (amigo de Murilo, de sua turma do Méier)
MARCELO MATTAR – Mosquito (amigo de Murilo, de sua turma do Méier)
MARCOS WAIMBERG – produtor da gravadora onde Mara faz um teste
MARIA HELENA PADER – mulher relacionada ao passado de Barreto
MARIA LÚCIA DAHL – Hermínia Madureira (mãe de João Mário)
MÁRIO PETRÁGLIA – Aimoré (negociador de lutadores de boxe)
MÁRIO ROBERTO – médico que atende Glória quando ela passa mal, no final
MAURÍCIO DO VALLE – proprietário do apartamento do qual Marta é inquilina
MÍRIAN AYRES – Dona Gisela (secretária de Barreto)
NATÁLIA GRIMBERG – Lili (irmã de Alligator, amiga de Tavinho e Felipe)
NORMA GERALDY – dona do restaurante que oferece licor a Ana e Luís Fernando
ODENIR FRAGA – homem que, a pedido de Barreto, nega um emprego a Luis Fernando
PAULO PINHEIRO – Carlinhos (maître do restaurante do clube)
REGIANA ANTONINI – Clara (secretária de Marta)
RENATO COUTINHO – Roberto (homem com quem Marta está saindo quando começa a segunda fase)
ROBERTO FROTA – Daniel (pai de Alligator)
ROBERTO MAYA – Orestes (misterioso chefe de Livramento)
ROGÉRIO ERLICH como ele mesmo, fotógrafo que clica Yolanda para a revista
SÉRGIO MOX – Dr. Lírio (médico de Fausta, no início)
TERESA TELLER – Zuleica (freguesa de Marta)
Gorete (empregada na casa dos Godoi Viana, no início)
Mirtes (empregada de Fausta que cuida de Nandinho, no final)
Nandinho (Fernando Galhardo Viana, bebê de Cristina e Luís Fernando)
Valdirene (colega de trabalho de Antenor, que ele paquera)

– núcleo de ÁLVARO GALHARDO (Cláudio Marzo), um típico bon-vivant, sonhador e boêmio. Não se enquadra nos padrões estabelecidos pela sociedade da década de 1950. Mulherengo, ama várias mulheres, mas não se apega a nenhuma. Tem bom caráter, mas é um tanto irresponsável. De família abastada, está falido por causa de jogatina. Desde que enviuvou da esposa, EUGÊNIA (Myrian Rios em flashbacks), criou sozinho as três filhas e é um bom pai, amado por elas. Vive em conflito com a cunhada conservadora, que discorda da forma como encara a vida e da educação que dá às filhas:
as filhas: ANA (Myrian Rios), a mais velha, fisicamente idêntica à falecida mãe. É responsável, sensata, romântica e desenvolveu com o pai uma relação de amizade e admiração. No entanto, fica dividida entre o pai e a tia, que faz questão de guiar suas vidas,
YOLANDA (Thaís Campos), a filha do meio. É a mais inquieta, contestadora e rebelde das três. A única que não se curva aos desmandos da tia,
e CRISTINA (Carla Marins), a caçula. É mimada, sonsa e disputa a atenção do pai com as irmãs. Sente inveja de Ana, por ela ser a mais bonita e admirada. Seduz o namorado de Ana, engravida e consegue casar-se com ele, separando-os
a empregada EDITH, a (Jacyra Sampaio), está há muitos anos com a família, tendo ajudado a criar as meninas. Sábia, às vezes ranzinza, mas muito dedicada. Tem uma relação de amizade com o patrão
o ex-noivo de Yolanda, JOÃO MÁRIO (Hugo Gross), conformado com o término do noivado por ela, fica seu amigo
a amiga de Cristina, RITINHA (Andrea Avancini), cúmplice de suas intrigas.

– núcleo de MARTA (Susana Vieira), mulher desquitada e, por isso, malvista pela vizinhança. No início da trama, morava no Méier, Zona Norte do Rio de Janeiro, mas logo se muda para Ipanema, na Zona Sul, em busca de novos horizontes. É vendedora de produtos de beleza em domicílio. A relação com seu atual companheiro está desgastada, principalmente por ele implicar com seu filho mais velho, do primeiro casamento. Apaixona-se por Álvaro, seu vizinho em Ipanema, mas o casal sofre com a forte oposição da cunhada dele, que não aceita a relação, não somente por Marta ser de classe social inferior e desquitada, mas também por ciúmes:
o companheiro ANTENOR (Herval Rossano), com quem vivia no início da trama. Logo se separam. Funcionário público acomodado, sem ambições. Tem um filho com ela. Não se dá bem com o seu filho do primeiro casamento
os filhos: MURILO (Maurício Mattar), do primeiro casamento, enteado de Antenor. Rebelde sem causa, gosta de lutas de boxe, lambreta e casaco de couro. Quando sua família se muda para Ipanema, entra em conflito com os jovens do bairro. Viverá um romance com Yolanda,
e TAVINHO (Felipe Fonseca), filho com Antenor, garoto esperto. Tem no meio-irmão o seu maior ídolo
a tia JÚLIA (Riva Nimitz), mora com a sobrinha e participa ativamente dos seus problemas, sempre dando o apoio necessário nas dificuldades. Implica com Antenor e torce pela separação da sobrinha
os amigos de Murilo: MOSQUITO (Marcelo Mattar) e ALCIR (Marcelo José Patelli), de quando morava no Méier
o treinador de boxe de Murilo, MARCIANO (Antônio Pedro)
os amiguinhos de Tavinho: FELIPE (Fred Mayrink) e LILI (Natália Grimberg).

– núcleo de FAUSTA (Joana Fomm), cunhada de Álvaro. Viúva rica, sem filhos. Mulher conservadora, autoritária, preconceituosa e arrogante. Luta para tirar as sobrinhas do convívio do pai, pois acredita não ser ele o melhor exemplo para as meninas. Sonha com bons casamentos para cada uma delas, dentro dos moldes estabelecidos pela sociedade. Não mede esforços para alcançar seus objetivos, principalmente quando envolve uma disputa com Álvaro. Fará de tudo para impedir a relação de Álvaro e Marta, pois é apaixonada por ele, apesar de esconder isso:
o secretário PRONTO (Antônio Calloni), sobrinho de seu falecido marido. Por trás da máscara de puxa-saco, introspectivo e apagado, é sonso, ambicioso e de caráter bastante maleável. Sonha em ser o único herdeiro da tia
os amigos: MUMU (Mila Moreira), socialite, mulher elegante, moderna e expansiva. Tenta se relacionar com Álvaro, certa de poder regenerá-lo perante Fausta, mas sem sucesso,
EVARISTO DE PÁDUA (Rodolfo Bottino), advogado em início da carreira política que Fausta deseja ver casado com Ana. Torna-se um amigo fiel de Ana, esperando um sinal verde para seus sentimentos, o que nunca acontece,
e GABRIEL ALENCASTRO (Armando Bógus), rico empresário que retorna ao Brasil para novos investimentos. Vai interessar-se pelo negócio de Marta, aliando-se a ela em sociedade, para a desaprovação de Fausta
o copeiro ADOLFO (Elias Tuffy).

– núcleo de LUÍS FERNANDO (Paulo Castelli), jovem tenente da Marinha por quem Ana se apaixona. Filho de almirante, de família conservadora, de classe média. É idealista, romântico e determinado em suas convicções, apesar da pressão contrária do pai. Acaba envolvido na teia de Cristina, que o seduz e fica grávida dele. Os dois se casam, mas são infelizes, pois ele ama Ana:
os pais: OSÓRIO (Henrique César), almirante da Marinha, homem rígido e autoritário. Morre misteriosamente no decorrer da trama,
e CARMEM (Norma Blum), mulher religiosa e conservadora, submissa ao marido. Zela pela moral e bons costumes
a irmã AMÁLIA, a LALINHA (Denise Fraga), moça inteligente, mas um tanto atrapalhada. Torce pelo irmão, se torna amiga de Ana, mas não gosta de Cristina. Vai envolver-se com Pronto
o amigo ARMANDO (Antônio Gonzalez), oficial da Marinha como ele.

– núcleo de NESTOR BARRETO (Rubens de Falco), influente empreiteiro que trabalha na construção de Brasília. Rico, tem negócios com Fausta. Melhor amigo de Álvaro, a princípio esconde que é apaixonado por Ana, com quem acaba se casando. Apesar de posar de amigo e altruísta, é um grande vilão. Usando sua influência, prejudica Luís Fernando a fim de mantê-lo longe de Ana. Ao longo da trama, revela-se que, no passado, amara Eugênia e que causou a morte dela em um acidente de carro, ao sabotar os freios do automóvel achando que Álvaro iria dirigi-lo. A vítima era para ter sido Álvaro e sua morte deixaria o caminho livre para ele e Eugênia:
o secretário ESTEVES (Luca de Castro), seu pau mandado, cúmplice em suas armações
o DETETIVE LIVRAMENTO (Jonas Mello), a princípio investiga um atentado ocorrido em uma festa. Depois, passa a investigar a morte de Eugênia Galhardo. Por fim, é revelado a sua verdadeira intenção: investiga Barreto e sua relação com a morte do Almirante Osório.

– núcleo de GLÓRIA MÜLLER (Sandra Bréa), grande vedete, amiga de Álvaro, amante de Barreto. Sabe que está na hora de abandonar o palco, mas não dá o braço a torcer. É uma mulher segura, determinada e cheia de energia. Com o casamento de Barreto e Ana, parte para a França, onde se casa com um nobre estrangeiro, tornando-se a CONDESSA VON TRUPP. Ao ficar viúva e rica, retorna ao Brasil, ainda amando Barreto:
a pupila BETTE NIGRI (Regina Restelli), corista de segunda linha que sonha chegar ao estrelato. No fundo, inveja Glória. Tem um caso com Álvaro, com quem deseja casar, mas ele é escorregadio. Com a partida de Glória, tem sua chance de brilhar. Vai ter um caso com Evaristo e, depois, com Murilo, pondo em cheque a relação deste com Yolanda
a amiga CHARLOTTE DU POMP (Jacqueline Laurence), que conheceu na França. No passado, teve uma forte ligação com a família Galhardo. É a chave do mistério da morte de Eugênia, já que sabe que Barreto sabotara os freios do automóvel que ela dirigia. Resiste em retornar ao Brasil, mas se rende ante a insistência de Glória
a governanta e secretária MIOU (Joyce de Oliveira), que trouxe da França. Mal fala o português.

– núcleo de ALLIGATOR (Guilherme Leme), líder de uma turma de jovens em Ipanema. Estereótipo da juventude transviada, é arrogante, competitivo e provocador. Torna-se o grande rival de Murilo quando ele se muda para Ipanema e começa a namorar Yolanda. Ao longo da trama, envolve-se com Mumu, mais velha que ele:
os amigos, que fazem tudo o que ele manda: ORSINA (Cláudia Lira), apaixonada por ele. Por fora é uma blonde fatale, por dentro é uma garota insegura e romântica,
CANGURU (Eri Johnson), sujeito atrapalhado e gago, é apaixonado secretamente por Orsina,
e BETO (José Américo Magno), que se envolve com Ritinha.

– núcleo de MARA (Carla Daniel), amiga das irmãs Galhardo. Canta e toca violão. Interessa-se pelo novo movimento musical que está surgindo: a Bossa Nova. Sonha em gravar um disco. Começa a namorar Armando:
o pai SEU ANTÔNIO (Guilherme Correa), porteiro do prédio para o qual Marta se muda, em Ipanema
o amigo JÚLIO (Guido Brunini), toca violão e faz uma parceria musical com ela
o amigo de Seu Antônio, SEU MANOEL (Germano Filho), quitandeiro da rua. Interessa-se por Júlia.

Adaptação

Com produção primorosa e trilha sonora nostálgica, Bambolê foi lançada no rastro do sucesso da minissérie Anos Dourados, de Gilberto Braga, exibida no ano anterior, também ambientada no Rio de Janeiro da década de 1950.

Para tanto, o autor Daniel Más transferiu o tempo de ação de 1947 (como era no romance que a originou) para 1958. Gilberto Braga, aliás, participou – com Silvio de Abreu e Daniel Más – do processo de criação.

O livro que inspirou a novela é “Chama e Cinzas”, de autoria de Carolina Nabuco, publicado pela primeira vez em 1947.

Não era o projeto de um registro dos anos 1950, mas um drama de relações familiares. No cotidiano do protagonista Álvaro Galhardo (Cláudio Marzo) e suas três filhas residia o maior charme da trama. (“Memória da Telenovela Brasileira”, Ismael Fernandes)

Lamenta-se que, no desenvolvimento da história e desenrolar dos capítulos, o resultado tenha ficado aquém da boa proposta.

O brinquedo

O título da novela – Bambolê -, segundo o autor Daniel Más, se referia ao brinquedo, em moda nos anos 1950, mas também traduzia o jogo de cintura do protagonista Álvaro, que se recusava a aceitar os valores de uma sociedade hipócrita e moralista – ideia retratada nas imagens da abertura e em seu tema musical, “Conquistador Barato” (encomendado especialmente ao cantor Léo Jaime).

O primeiro título pensado para a novela foi O Jogador, também em referência ao protagonista Álvaro.

Graças à novela, o bambolê voltou à moda em 1987. Foi uma febre junto à criançada, ainda mais embalado pela música “Festa do Amor”, sucesso da trilha sonora da novela, gravação da então adolescente Patrícia Marx (com 13 anos na época), egressa do grupo infantil Trem da Alegria. Na novela, a música serviu de tema para a sonsa e mimada adolescente Cristina (Carla Marins).

Elenco

Joana Fomm, mais uma vez bem-sucedida ao interpretar a mulher fria, calculista e arrogante: a megera Fausta.

Em dezembro de 1987, Cláudio Marzo sofreu um acidente de carro e ficou um tempo afastado das gravações, para operar um dos joelhos. A ausência do personagem Álvaro na trama foi explicada com uma viagem repentina a Buenos Aires, para tratar de negócios. A última aparição do ator foi no capítulo 98, exibido em 29/12/1987. Para alguns capítulos seguintes, Marzo gravou aparecendo em close, falando ao telefone.
O ator retornou à cena, definitivamente, no capítulo 131, usando muletas, recurso aproveitado em seu personagem, que assim, por ser um apaixonado por carros, também sofria um acidente na trama.

Ainda em dezembro de 1987, pouco antes de Cláudio Marzo se ausentar, Joana Fomm também ficou sem aparecer na novela por um período, para tratar de uma pneumonia. Também a atriz Riva Nimitz apareceu com uma perna engessada por alguns capítulos, sem maiores explicações.

Primeira novela do ator Guilherme Leme e das atrizes Denise Fraga e Cláudia Lira.
Primeira novela na Globo da veterana atriz Riva Nimitz.
Também a estreia, como atores mirins, de Fred Mayrink e Natália Grimberg, futuros diretores de novelas da Globo, ele com 12 anos e ela com 10 anos, na época.

No elenco, atores egressos de outras novelas dirigidas por Wolf Maya, em especial (pela quantidade de nomes) de Elas por Elas (1982): Joana Fomm, Sandra Bréa, Mila Moreira, Thaís de Campos e Susana Vieira; de Ti-ti-ti (1985-1986): Sandra Bréa, Myrian Rios, Paulo Castelli, Thaís de Campos, Rodolfo Bottino e Regina Restelli; e de Hipertensão (1986-1987): Carla Marins, Antônio Calloni, Cláudio Corrêa e Castro e Eri Johnson.

Cenografia e produção de arte

Por ser uma novela de época, foi preciso recriar, na cidade cenográfica de Guaratiba, um quarteirão antigo de Ipanema, onde se localizavam a casa de Álvaro e o prédio de Marta (Susana Vieira), além de toda a área da redondeza, com cinema, sorveteria, quitanda e outros prédios. O exterior da casa de Fausta foi gravado na Vila Geraldo, em Jacarepaguá, no Rio de Janeiro.

A equipe de produção teve o cuidado de reproduzir as embalagens dos produtos de beleza da época, já que a personagem Marta (Susana Vieira) era vendedora de cosméticos. Os acessórios dos cenários, assim como os figurinos e os carros de época, também retratavam o glamour do final da década de 1950. (Site Memória Globo)

Trilha sonora

Na história, Mara (vivida pela atriz e cantora Carla Daniel, filha do diretor Daniel Filho e da atriz Dorinha Duval) era uma jovem cantora que se interessava pelo movimento musical que estava surgindo: a Bossa Nova. A personagem, no início da trama, formava uma dupla com o amigo Júlio (Guido Brunini, também cantor) interpretando clássicos da música brasileira, como “Chega de Saudade” (Tom Jobim e Vinícius de Moraes), “Corcovado” (Tom Jobim) e “Este Seu Olhar” (Tom Jobim), canções apresentadas ao longo da novela. (Site Memória Globo)

Os dois LPs de Bambolê, lançados comercialmente, misturavam músicas nacionais com estrangeiras – algo inédito entre as trilhas de novelas da Som Livre, que até então lançava primeiro o disco nacional e depois o disco internacional.

O produtor musical Sérgio de Carvalho explicou para o livro “Teletema, a História da Música Popular Através da Teledramaturgia Brasileira” (de Guilherme Bryan e Vincent Villari):
“Eu não poderia esperar três meses para entrar com ‘Jailhouse Rock’, por exemplo. Esta música tinha que estar de cara para o núcleo jovem de moto e casaco de couro. Glenn Miller já tinha que tocar nos bailes desde o início. Então a gente fez uma trilha mista.”

O disco Bambolê volume 1 (com a foto de Susana Vieira na capa) é a segunda trilha mais vendida entre as novelas do horário das seis da Globo, com 430.458 cópias, perdendo apenas para a trilha internacional de A Gata Comeu. (fonte: Vincent Villari)

Abertura

A abertura exibia um bambolê animado rodeando o protagonista Álvaro (Cláudio Marzo), que interage com as mulheres de sua vida, por ordem de aparição: Fausta (Joana Fomm), Marta (Susana Vieira), Ana (Myrian Rios), Yolanda (Thaís de Campos), Cristina (Carla Marins), Mumu (Mila Moreira), Bette Nigri (Regina Restelli) e Glória Müller (Sandra Bréa).

A abertura fazia merchandising do achocolatado Toddy, que aparecia rapidamente na página de uma revista. O produto foi também fartamente divulgado nas cenas da novela.

Exibição

A novela teve 172 capítulos escritos, mas 173 exibidos porque o capítulo 18, na exibição, foi desmembrado em 18 e 18-A.

Nunca reprisada no Vale a Pena Ver de Novo, Bambolê pôde ser revista 35 anos depois de sua estreia, no Viva (canal de TV por assinatura pertencente ao Grupo Globo) – entre 28/11/2022 e 17/06/2023, às 14h15 com reapresentação à 0h30.

A novela foi disponibilizada no Globoplay (plataforma streaming do Grupo Globo) em 17/07/2023.

Trilha sonora volume 1

01. CONQUISTADOR BARATO – Léo Jaime (tema de abertura)
02. AN AFFAIR TO REMEMBER (OUR LOVE AFFAIR) – Nat King Cole (tema de Ana e Luís Fernando)
03. VOCÊ – Dick Farney e Norma Benguell (tema de Marta)
04. (YOU’VE GOT) PERSONALITY – Lloyd Price (tema de Yolanda)
05. DESAFINADO – Gal Costa (tema de Álvaro)
06. YOU ARE MY DESTINY – Paul Anka (tema de Luís Fernando)
07. COISA MAIS LINDA – Caetano Veloso (tema de Ana)
08. LA VIE EN ROSE – Louis Armstrong (tema de Mumu)
09. IN THE MOOD – The Glenn Miller Orchestra (tema de Fausta)
10. EU SEI QUE VOU TE AMAR – Carla Daniel (tema de Álvaro e Marta)
11. MACK, THE KNIFE – Bobby Darin (tema de Glória Müller e Bette Nigri)
12. FESTA DO AMOR – Patrícia Marques (tema de Cristina)
13. THE GREAT PRETENDER – The Platters (tema de Pronto e Amália)
14. ELA É CARIOCA / RIO / GAROTA DE IPANEMA – Roberto Menescal (tema do núcleo de Ipanema)
15. JAILHOUSE ROCK – Elvis Presley (tema de Murilo)
16. CANTA BRASIL – Ângela Maria

Sonoplastia: Sérgio Seixas
Gerente de Produto: Toninho Paladino
Produção musical: Sérgio de Carvalho

Trilha sonora volume 2

01. SEE YOU LATER ALLIGATOR – Bill Haley & The Comets (tema de Alligator)
02. EU NÃO EXISTO SEM VOCÊ – Maysa (tema de Fausta)
03. BLUE MOON – The Marcels
04. OLHOS CASTANHOS – Francisco José
05. NEL BLU DIPINTO DI BLU (VOLARE!) – Domenico Modugno (tema de Yolanda)
06. QUE SERÁ – Dalva de Oliveira
07. NEXT DOOR TO AN ANGEL – Neil Sedaka
08. TEQUILA – Silvio Mazzuca (tema de Álvaro)
09. DONNA – Ritchie Valens
10. PUPPY LOVE – Paul Anka
11. VIVO SONHANDO – Sílvia Telles (tema de Marta)
12. WAKE UP LITTLE SUSIE – Everly Brothers
13. BALADA TRISTE – Agostinho dos Santos
14. TRUE FINE MAMA – Little Richard
15. CABECINHA NO OMBRO – Alcides Gerardi
16. MOON RIVER – Andy Williams (tema de Ana)
17. MULHER DE TRINTA – Miltinho
18. LITTLE STAR – The Elegants

Gerente de produto: Toninho Paladino
Produção musical: Sérgio de Carvalho
Supervisão musical: Márcio Antonucci

Tema de abertura: CONQUISTADOR BARATO – Léo Jaime

Eu mando os mesmos versos para um bando de garotas
Eu mesmo faço as manchas de batom na minha roupa
Eu sei que qualquer dia eu ainda entro em cana
Porque eu mando mais torpedos que a marinha americana
Mas quando eu vejo um broto, eu digo agora é pra valer
Eu ouço os meus dentes batendo e os meus joelhos a tremer
Eu falo mil bobagens, eu não sei o que dizer
Mas mando a minha brasa, eu tô fingindo não saber

Eu queimo o meu filme, eu enfio o pé na lama
Eu sujo o meu nome e ainda pioro a minha fama
De conquistador barato
Bam-bambo-bambo-bambolê

Eu sempre bato o carro olhando os brotos na calçada
E não decoro nomes, ah, isso então é uma piada
Na praia ou nas festinhas só me meto em confusão
Porque eu paquero a garotinha e nem reparo o garotão
Mas quando encontro um broto e digo agora é de verdade
Eu fico como se eu tivesse apenas dois anos de idade
Eu falo mil bobagens, eu não sei o que dizer
Eu tiro o meu time porque eu sei que vou perder

Eu queimo o meu filme, eu enfio o pé na lama
Eu sujo o meu nome e ainda pioro a minha fama
De conquistador barato
Bam-bambo-bambo-bambolê…

Veja também

  • bregaechique_logo

Brega e Chique

  • sassaricando9

Sassaricando

  • outro

O Outro

  • mandala_logo

Mandala

  • anos-dourados

Anos Dourados